NBA: presença estrangeira na liga vem do passado e promete virar domínio

Pedro Rubens Santos | 17/05/2023 - 13:16

Os talentos de fora dos Estados Unidos têm dominado a NBA nos últimos anos, fato comprovado pelas últimas eleições de MVP. Desde 2019, só estrangeiros venceram o prêmio.

O grego Giannis Antetokounmpo, do Milwaukee Bucks, foi o melhor jogador da liga nas temporadas 2018-19 e 2019-20. Depois dele, o sérvio Nikola Jokic, do Denver Nuggets, somou também duas conquistas, em 2020-21 e 2021-22. E, na temporada atual, foi a vez do camaronês Joel Embiid, do Philadelphia 76ers, ficar com o troféu.

Os três, inclusive, dominaram a última premiação e ocuparam os três lugares do pódio.

VEJA TAMBÉM

Além do trio, outros nomes nascidos fora das fronteiras dos Estados Unidos estão entre os principais do basquete mundial atualmente. Só no All-Star Game de 2023, sete jogadores não são do país.

Luka Doncic, (Eslovênia), do Dallas Mavericks, Pascal Siakam, (Camarões), do Toronto Raptors, Shai Gilgeous-Alexander (Canadá), do Oklahoma City Thunder, e Lauri Markkanen (Finlândia), do Utah Jazz, se juntaram aos já citados Antetokounmpo, Jokic e Embiid no jogo das estrelas.

Há ainda astros espalhados em outras equipes, como o francês Rudy Gobert, do Minnesota Timberwolves, que foi eleito três vezes o melhor jogador defensivo da NBA, o montenegrino Nikola Vucevic, do Chicago Bulls, o letão Kristaps Porzingis, do Washington Wizards, e o dominicano Al Horford, do Boston Celtics. Isso para citar só alguns.

O futuro da NBA também é estrangeiro?

Na última terça-feira (16), a loteria do draft da NBA deu a primeira escolha geral para o San Antonio Spurs. A tendência é que a equipe do Texas selecione Victor Wembanyama, fenômeno francês de apenas 19 anos.

Há muito tempo um jogador não chegava para o draft com tamanha empolgação sobre seu nome. A combinação de raras estatura e envergadura com instintos defensivos e a capacidade de fazer arremessos de diferentes lugares da quadra faz do prospecto uma escolha que promete brilhar na liga por muitos anos.

Victor Wembanyama joga pelo Metropolitans 92, da liga francesa, e tem, nesta temporada, médias de 21,6 pontos, 10,5 rebotes e 3,1 tocos por partida.

LEIA MAIS

+ NBA Draft 2023: Victor Wembanyama – como joga o ala-pivô do Metropolitans 92

++ Sob olhares de Mbappé, Wembanyama brilha em dia de loteria do Draft

Estrangeiros que dominaram a NBA no passado

Não é de hoje que jogadores estrangeiros vão para os Estados Unidos e dão aulas de basquete nas quadras da NBA.

Relembre, a seguir, alguns dos principais nomes de diferentes nacionalidades que marcaram época na liga.

Dirk Nowitzki

O alemão, campeão da NBA em 2011 pelo Dallas Mavericks, fez história na liga. Ele assinou com os Mavs em 1998 e por lá permaneceu até 2019, acumulando 14 seleções para o All-Star Game no período. Também foi MVP em 2007.

Pau Gasol

Ídolo do Los Angeles Lakers, o espanhol Gasol conquistou dois títulos pela franquia da Califórnia, em 2009 e 2010, e apareceu no All-Star seis vezes entre 2001 e 2019. Além dos Lakers, defendeu Memphis Grizzlies, Chicago Bulls, San Antonio Spurs e Milwaukee Bucks.

Manu Ginóbili

De 2002 a 2018, Ginóbili anotou mais de 17 mil pontos em sua longa passagem pelos Spurs. Além de quatro títulos (2003, 2005, 2007 e 2014), o argentino foi escolhido duas vezes para o All-Star e uma vez premiado como Sexto Homem do Ano.

Hakeem Olajuwon

Conhecido por ter sido a primeira escolha geral do draft de 1984, o mesmo que teve Michael Jordan selecionado na terceira posição, Olajuwon nasceu na Nigéria e construiu sua carreira defendendo o Houston Rockets até 2001. Depois de ser campeão e MVP em duas finais (1994 e 1995), duas vezes Jogador Defensivo do Ano, uma vez MVP da temporada e doze vezes All-Star, o pivô ainda jogou um ano pelo Toronto Raptors.

Tony Parker

Nascido na Bélgica e criado na França, Parker formou, junto com Ginóbili e Tim Duncan o ‘Big Three’ dos Spurs. Colecionador de troféus da NBA, conquistou os mesmos quatro campeonatos do parceiro argentino e brilhou entre 2001 e 2019 nos Estados Unidos, onde foi seis vezes All-Star.

Steve Nash

Astro com passagens por Suns, Mavericks e Lakers, Nash nasceu na África do Sul e foi criado no Canadá. Ele entrou na liga em 1996 e jogou até 2015. No período, fora as oito seleções para o All-Star Game, ganhou dois prêmios de MVP seguidos, em 2005 e 2006.

Dikembe Mutombo

O gigante de 2,18m do Congo foi um pivô de sucesso ao longo de seus 18 anos na NBA. Defensor do ano quatro vezes e All-Star em oito oportunidades, Mutombo é um dos pivôs mais bem-sucedidos de toda a história.