Caso Ja Morant: técnico dos Grizzlies revela conversa com o astro da NBA

Paola Zanon | 11/03/2023 - 18:05

Após a primeira vitória do Memphis Grizzlies sem Ja Morant, o técnico Taylor Jenkins revelou que esteve em contato com a estrela em ascensão da NBA. O triunfo sobre o Golden State Warriors por 131 a 110 foi o quarto jogo da franquia sem o camisa 12.

Em uma declaração durante a noite de quinta-feira (9), o treinador afirmou que tanto ele, quanto o time, estão tentando ajudar Morant a corrigir os erros, mas alertou que o jovem de 23 anos precisa amadurecer.

— Tivemos conversas no tentando guiá-lo e ajudá-lo a continuar a evoluir como pessoa e jogador. Isso veio à tona outro dia, então colocamos esse processo em ação. Definitivamente, há etapas que terão que ser cumpridas, pessoal e profissionalmente, enquanto ele lida com algumas coisas pessoalmente para melhorar.

Ainda sem dar uma previsão de quando Ja poderá voltar às quadras, Jenkins garantiu que uma das condições para que isso aconteça é a própria consciência do atleta a respeito de seu comportamento dentro e fora das quatro linhas. “Todo mundo quer saber o que vai ser. É o tema quente. Mas ele está pensando sobre a responsabilidade de melhorar como pessoa; esse é um grande fator”, declarou.

Sem o armador, a franquia de Memphis perdeu três jogos e ganhou um –que teve a rivalidade acentuada pelas trocas de farpas entre Draymond Green, dos Warriors, e Dillon Brooks, dos Grizzlies.

Punição histórica

A investigação contra Ja Morant por causa da exibição de uma arma de foto em uma live no Instagram foi encerrada pela polícia do Colorado por falta de provas de que o atleta estaria sob influência de álcool no momento. Mas isso não quer dizer que as investigações da NBA seguirão o mesmo curso.

A suspensão, que a princípio seria de apenas dois jogos, foi anunciada pelos Grizzlies. Posteriormente, a ausência de Morant passou a ser por tempo indeterminado. De início, a liga afirmou que tomou conhecimento dos fatos, mas já havia uma investigação sobre o armador em andamento por um incidente com jogadores e membros da comissão técnica do Indiana Pacers por suposta ameaça com arma de fogo por parte de Ja.

As regras da NBA não permitem que nenhum jogador porte armas de fogo nas dependências de qualquer franquia, incluindo meios de transporte, como o avião em que o time de Memphis viajou para a partida contra o Denver Nuggets –precedente ao incidente com a live.

Caso fique comprovado que o revólver estava com Ja em o que se pode chamar de ambiente de trabalho, ele poderá pegar até 50 jogos de suspensão. Nenhum jogador na história da liga recebeu tal punição, mas há antecedentes de problemas com armas.

Em 2014, Raymond Feton apontou uma arma para sua mulher e pegou quatro jogos de suspensão. Na época, ele defendia o Dallas Mavericks.

Em 2010, Gilbert Arenas, na época armador do Washington Wizards, levou uma arma para as dependências da franquia e foi suspenso pelo resto da temporada. Após as investigações internas, foi concluído que o caso era mais grave e envolvia ameaças e brigas com o companheiro de time, Javaris Crittenton, por jogos de cartas valendo dinheiro durante as viagens do time; o segundo foi dispensado pelo time e não voltou mais a jogar pela liga.

Em 2009, Delonte West pegou dez jogos de gancho depois de andar com diversas armas em um triciclo; ele atuava pelo Cleveland Cavaliers.

Em 2007, Stephen Jackson disparou tiros durante uma briga na saída de um clube de streaptease; pelo incidente, ele foi suspenso de sete jogos pelo Golden State Warriors.

Até o momento, não houve nenhuma denúncia formal contra Ja Morant, muito menos registros de disparos feitos por ele ou seu grupo de amigos.

Escrito por Paola Zanon
Paola Zanon é jornalista formada pela Cásper Líbero, repórter e redatora com passagens pelo Notícias da TV, R7 e UOL Esporte. A carreira no jornalismo esportivo começou com a cobertura dos Jogos Pan-Americanos de 2019 pelo R7 até chegar ao Quinto Quarto em fevereiro de 2023. São-paulina de coração e apaixonada por basquete, futebol e viagens.