Chegou a hora de LeBron James se aposentar da NBA?

Antônio Henrique Pires Collar | 26/04/2024 - 13:40

Com a vitória por 112 a 105 na noite de quinta-feira (25), o Denver Nuggets abriu 3 a 0 na primeira rodada dos Playoffs, e a temporada do Los Angeles Lakers pode terminar já neste sábado. Mas para LeBron James, será que segunda varrida consecutiva diante do time de Nikola Jokic significaria a aposentadoria da NBA após 21 anos?

Os elementos para isso existem. Em 2023, ainda na entrevista após a eliminação para este mesmo Nuggets, o camisa 23 afirmou que tinha muito a refletir antes de decidir se retornaria ou não para mais uma temporada. Pois LeBron não apenas voltou como disputou 71 partidas na fase classificatória, maior número desde 2018, quando ainda defendia o Cleveland Cavaliers.

Mas o 2024 também foi cheio de declarações que de alguma forma ajudam a preparar o terreno para uma possível aposentadoria. No final de semana do All-Star, disse que estava dividido se faria uma turnê de despedida, como Michael Jordan e Kobe Bryant, ou se seguiria os passos de Tim Duncan, que deixou o esporte de forma silenciosa, após uma eliminação nos Playoffs de 2016. No final de março, disse que não sabia quanto tempo ainda teria na liga, mas “não muito”.

LeBron James ficará livre no mercado

Ainda que o roteiro final caminhe para ser o mesmo do ano passado, existem algumas diferenças importantes entre 2023 e 2024. A principal é a questão contratual, já que ao final da temporada LeBron James terá uma Player Option. Isso significa que ele pode decidir se quer continuar mais um ano em Los Angeles por U$51.4 milhões (R$263 milhões, na cotação atual) ou tornar-se agente livre. No caso da segunda opção, ele poderia tanto permanecer no time por um salário menor, facilitando a busca da franquia por outros reforços, quanto optar por outro destino ou mesmo pela aposentadoria.

Esta decisão deve ser tomada a partir de uma soma de fatores, entre eles os planos dos próprios Lakers para o que vem pela frente. Deste elenco, Anthony Davis, D’Angelo Russell, Rui Hachimura, Austin Reaves, Gabe Vincent e Jarred Vanderbilt têm contratos garantidos. Alguns deles – ou todos eles – poderiam ser negociados na busca por uma terceira estrela para atuar ao lado de James e Davis. Esta tentativa falhou no passado, com Russell Westbrook, mas repórteres acostumados com o dia a dia da equipe afirmam que a diretoria não desistiu de ter um terceiro nome de peso para ajudar a dupla.

Além disso, a frustração em 2024 deve ser maior. Pela primeira vez desde que foram campeões juntos, em 2020, Davis e LeBron tiveram anos saudáveis e mesmo assim não conseguiram terminar nas primeiras posições do Oeste. A classificação para os Playoffs veio novamente via repescagem, mas este ano a eliminação deve ser logo na primeira rodada, enquanto 11 meses atrás um grupo bastante parecido conseguiu chegar à final da conferência.

Futuro de Bronny James pode influenciar?

Já faz algum tempo que LeBron James reafirma que seu último grande objetivo como profissional é atuar com o filho mais velho, Bronny James, que completará 20 anos em outubro. A expectativa sempre foi que o primogênito da família fosse um dos primeiros escolhidos no Draft de 2024, mas muita coisa mudou ao longo do caminho.

A primeira temporada de Bronny no basquete universitário foi prejudicada por um problema cardíaco que chegou a colocar em dúvida seu futuro no basquete. Liberado pelos médicos, estreou pelo time de USC (Universidade do Sul da Califórnia, em português) já com a temporada em andamento. Em 25 partidas, apenas seis como titular, teve médias de 4.8 pontos e 2.1 assistências. Números normais dentro do contexto, mas difíceis para quem é filho de alguém que, em quadra, sempre esteve muito acima do normal.

Os próximos passos de Bronny ainda são incertos. Ele está inscrito no Draft, marcado para 26 e 27 de junho, mas é apontado por scouts como uma possível escolha de segunda rodada na turma de 2025. Em paralelo, colocou seu nome também no portal de transferências e, caso não entre na NBA imediatamente, deve fazer seu segundo ano como atleta-estudante em outra universidade. Poderia ser escolhido por alguma equipe interessada em atrair o pai? Esta resposta deve se tornar mais clara nos próximos meses, mas é difícil imaginar que LeBron esteja disposto a prejudicar o desenvolvimento a longo prazo do filho só pela satisfação de atuarem juntos.

O que o histórico de LeBron James indica

Os norte-americanos gostam da expressão “ter o número” quando alguém conhece tanto outra pessoa que já não poder mais ser surpreendido. Pois parece que o Denver Nuggets tem o número de LeBron e dos Lakers. Com o resultado da quinta-feira, o time de Michael Malone chegou a 12 vitórias consecutivas sobre o rival da Califórnia, sendo sete pelos Playoffs.

Esta não é a primeira vez que o craque se depara com uma situação deste tipo. Em 2008 e 2010, o Boston Celtics de Paul Pierce, Kevin Garnett e Ray Allen o mandou para casa na pós-temporada, e a rota escolhida pelo jogador foi trocar de franquia. Assinou com o Miami Heat, onde chegou à final da NBA quatro vezes e conquistou seus dois primeiros títulos. Em duas destas oportunidades, conseguiu dar o troco em Boston, que acabou separando o elenco campeão de 2008.

Sua passagem por Miami também terminou após perder para um rival que aquela altura parecia ter o seu número. Depois de sofrer para bater o San Antonio Spurs em sete jogos na decisão de 2013, LeBron e o Heat levaram 4 a 1 no ano seguinte. Livre no mercado, ele escolheu por retornar para sua cidade natal, onde havia prometido um título aos Cavaliers quando entrou na liga.

A volta para casa durou de 2014 a 2018 e, assim como em Miami, James chegou a quatro finais seguidas. Em todas elas, teve como adversário o Golden State Warriors, que nos dois últimos anos contava com Kevin Durant no elenco e ganhou a séries decisivas por 4 a 1 e 4 a 0, respectivamente. Em Cleveland, LeBron sabia que não arranjaria mais nada. Decidiu, então, encarar a Conferência Oeste pela primeira vez.

Já foram seis temporadas com as cores do Lakers. Seu melhor resultado foi no título de 2020, seu primeiro ano tendo Anthony Davis como parceiro. Também foi em Los Angeles, no entanto, que ele deixou de ter presença garantida nos Playoffs, ficando de fora em 2019 e 2022. Em 2021, foi eliminado pela primeira vez na rodada de abertura, o que deve viver novamente nos próximos dias.

A verdade é que talvez nem LeBron James saiba quais serão seus próximos movimentos, mas uma coisa ele tem certeza: os Nuggets têm o seu número. Se ele buscará a volta por cima em Los Angeles, em outro lugar ou se este é mesmo o fim da linha, precisaremos aguardar.

 

 

Escrito por Antônio Henrique Pires Collar
Formado em jornalismo pela PUCRS e em Basketball Analytics pela Sports Management Worldwide. Com passagem de 6 anos e meio pela editoria de Esportes do jornal Zero Hora e do portal GZH, de Porto Alegre.