NBA: histórico da 1ª escolha no Draft é fim do processo de reestruturação dos Spurs

André Avelar | 17/05/2023 - 06:30

Ausente nos Playoffs da NBA nas últimas quatro temporadas, o San Antonio Spurs apostou alto na primeira escolha do Draft 2023. E se deu bem. A franquia prata e preta, cinco vezes campeã da principal liga de basquete, garantiu na última terça-feira (16) a chance de adquirir o fenômeno francês Victor Wembanyama.

A Loteria do Draft, o processo que define a ordem em que os times selecionarão os jovens talentos, sorteou os Spurs na primeira posição. A escolha do jogador em si está marcada para 22 de junho. Charlotte Hornets e Portland Trail-Blazers completam as três primeiras posições definidas pela sorte.

LEIA MAIS:

Por isso, não é extamente garantido que o time do técnico Gregg Popovich escolha Wembanyama. Ainda assim, dificilmente qualquer uma das 30 equipes equipes da NBA não escolheria o talento de 19 anos, 2,26 metros e imensa capacidade defensiva e ofensiva.

— Meu coração está batendo forte. Esse é um momento que vou lembrar por toda a minha vida. Eu amo o Texas, já estive lá antes. Estou animado — disse o jovem, que mais cedo foi o destaque da vitória do Metropolitans 92 pela última partida da temporada regular da liga francesa.

Na última vez em que tiveram a primeira escolha do Draft, em 1997, os Spurs vinham de uma situação parecida com a atual. Naquela oportunidade, a franquia selecionou Tim Duncan, um prospecto também unânime. Chauncey Billups e Tracy McGrady eram dois nomes bastante falados na época, mas nem de longe tinham o mesmo talento do ala-pivô de Wake Forest.

Duncan foi o complemento perfeito da outra pick 1 dos Spurs, que havia acontecido dez anos antes. Em 1987, David Robinson foi a escolha mais alta, à frente de Scottie Pipen, Horace Grant, Reggie Miller e Mark Jackson. Duncan e Robinson, então, formaram as Torres Gêmeas de San Antonio e carregaram o time em quatro títulos (1999, 2003, 2005 e 2007) — Duncan, já sem o sem parceiro de garrafão, ainda ganhou o último título da franquia, em 2014. Nessa época, foram 22 anos seguidos na pós-temporada.

Em 2014, Wembanyama tinha 10 anos e já se arriscava com uma bola de basquete na mão. Além da clara admiração por alguém da sua posição, também contou o fato de poder torcer para o compatriota Tony Parker, outra peça importante naquela equipe.

O atual San Antonio Spurs busca retomar o protagonismo em uma concorrida Conferência Oeste. Atualmente, Keldon Johnson e Jeremy Sochan formam a base da equipe que persegue pelo menos voltar aos playoffs. Nos próximos três anos, os Spurs ainda terão sete escolhas de primeira rodada e, já com Wembanyama, podem muito bem encerrar de vez o árduo processo de reformulação do elenco.