‘Maior da história’, Jon Jones bate Ciryl Gane em 2 minutos e conquista cinturão dos pesados do UFC

Igor Ribeiro | 05/03/2023 - 03:04

Jon Jones teve um retorno relâmpago e, ao mesmo tempo, brilhante. Os três anos parado viraram 2min04 em cima do famoso octógono, na vitória da madrugada deste domingo (5) sobre Ciryl Gane. O lutador norte-americano confirmou o status de ‘melhor do mundo' e conquistou o cinturão da categoria dos pesos-pesados (até 120 kg). O duelo na T-Mobile Arena, em Las Vegas, foi válido pelo UFC 285.

Após fazer história nos meio-pesados (até 93k g), Jones também começa sua trajetória de forma brilhante na categoria de cima. ‘ ‘Bones', agora, emplaca a 18ª vitória seguida, tendo um cartel de 27 resultados positivos e um negativo. Ele é o oitavo lutador a deter o cinturão em duas categorias distintas de peso no Ultimate.

Do outro lado, Gane perde a segunda oportunidade pelo cinturão linear. O francês tem um retrospecto de 11 triunfos e dois reveses.

LEIA MAIS:

+ Alexa Grasso faz história, finaliza Valentina Shevchenko e é a nova campeã do UFC

++ Serviço de streaming, ‘UFC Fight Pass’ apresenta instabilidade e revolta fãs no UFC 285

+++ Amanda Ribas vence duelo brasileiro no card preliminar do UFC 285; ‘Novo McGregor’ dá show

Trabalho fácil de Jones

Jon Jones x Ciryl Gane UFC 285. Foto Reprodução Instagram @ufcbrasil
Jon Jones conseguiu contra Ciryl Gane a sua 18ª vitória seguida no UFC. Foto Reprodução Instagram @ufcbrasil

A luta já começou com um chute de Gane nas partes íntimas de Jones. Bones trocou golpes, se aproximou e conseguiu a primeira queda. O norte-americano ajustou a posição, chegou às costas e viu Ciryl fazer a defesa. Junto à grade, no entanto, o desfecho veio. Na pressão da guilhotina, Jones levou seu adversário na força bruta e viu o francês desistir. Pronto. O trabalho estava feito.

A dancinha de comemoração, a entrevista, a saída do ginásio sendo tietado pelos fãs mais próximos do octógono… Tudo isso demorou mais que a luta em si. A pressão que ele exerceu contra o pescoço de Gane, sem dúvida, foi das mais pesadas que o mundo das artes marciais já viu. A saída para o francês eram mesmo os três tapinhas pouco antes de apagar e aguardar a intervenção do árbitro Marc Goddard. Ainda no chão, o lutador estava desolado.

Ele está de volta!

Em entrevista no octógono, Jon Jones agradeceu aos fãs por ainda acreditarem que ele seria capaz de voltar e realizar o sonho de se tornar o campeão dos pesos-pesados (até 120,2kg).

— Para todo mundo que está torcendo por mim, senti a força de todos vocês. Trabalhei por isso por muito tempo. Muita gente achou que não voltaria, mas mantive a minha fé, o meu objetivo e a minha missão. Mesmo nos dias em que eu não queria lutar, eu estava lá.

Bones também foi sucinto ao definir a finalização. Questionado sobre o momento no embate, o lutador declarou que estava focado em sua missão de encaixar a guilhotina e sabia que não poderia desistir antes de ver Ciryl Gane bater em desistência.

— Na hora que joguei ele no chão, sabia que não poderia parar e foi assim que consegui a finalização.

Confira todos os resultados do UFC 285 deste sábado:

CARD PRINCIPAL (0h, de Brasília)

Jon Jones venceu Ciryl Gane por finalização via guilhotina aos 2m04 do R1 – Luta pelo título

Alexa Grasso venceu Valentina Shevchenko por finalização via mata-leão a 4m34 do R4 – Luta pelo título

Shavkat Rakhmonov venceu Geoff Neal por finalização via mata-leão aos 4m17 do R3

Mateusz Gamrot venceu Jalin Turner na decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27)

Bo Nickal venceu Jamie Pickett por finalização via katagatame aos 2m54 do R1

CARD PRELIMINAR (20h, de Brasília)

Cody Garbrandt venceu Trevin Jones na decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

Dricus Du Plessis venceu Derek Brunson por nocaute técnico (desistência) aos 5m do R2

Amanda Ribas venceu Viviane Araújo na decisão unânime (29-27, 30-26, 30-27)

Marc-André Barriault venceu Julian Marquez por nocaute técnico aos 4m12 do R2

Ian Machado Garry venceu Song Kenan por nocaute técnico aos 4m22 do R3

Cameron Saaiman venceu Mana Martinez na decisão majoritária (29-26, 28-27, 28-28)

Tabatha Ricci venceu Jessica Penne por finalização via chave de braço a 2m14s do R2

Farid Basharat venceu Da’Mon Blackshear na decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

Loik Radzhabov venceu Esteban Ribovics na decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)