NFL: sem Tom Brady, saiba quem assistir na temporada 2023

Pedro Rubens Santos | 24/03/2023 - 06:30

Depois de 23 anos, a era Tom Brady chegou ao fim na NFL. Para muitos torcedores que começaram a acompanhar o futebol americano nas últimas duas décadas, é estranho imaginar como será a liga sem o maior campeão da história.

Sem o astro, o Quinto Quarto elencou 15 nomes que prometem ter muito impacto na temporada 2023/2024. A lista engloba talentos natos, jovens surpreendentes e histórias (ou novelas?) promissoras.

Confira, então, jogadores da NFL que você não pode deixar de acompanhar:

Patrick Mahomes, QB – Kansas City Chiefs

Patrick Mahomes Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
MVP do último Super Bowl, Patrick Mahomes é o herdeiro natural de Tom Brady na NFL (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

Começar a lista com qualquer outro nome pareceria errado. Aos 27 anos, Mahomes é um fenômeno consolidado e a grande ameaça ao legado de Tom Brady como o maior jogador da história da NFL.

Em seis temporadas pelos Chiefs, ele já tem dois títulos de Super Bowl e também foi eleito duas vezes MVP da temporada. Foi campeão da última edição, com vitória sobre os Eagles por 38 a 35 na final.

É difícil encontrar um quarterback mais completo e com um arsenal de jogadas tão empolgantes quanto Patrick Mahomes. Sua capacidade de leitura do campo, mobilidade fora do normal e lançamentos mágicos fazem dele a principal estrela da liga.

Joe Burrow – QB, Cincinnati Bengals

Joe Burrow Cincinnati Bengals Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Joe Burrow (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

Primeira escolha do Draft de 2020 e líder nato aos 26 anos, Joe Burrow fez história na Universidade de Louisiana (LSU), quando bateu recordes e conquistou o título nacional.

Seu hype na chegada à NFL foi prontamente justificado com belas atuações como novato e uma campanha impressionante, que levou os Bengals ao Super Bowl, em seu segundo ano. Naquela temporada, a equipe acabou derrotada pelo Los Angeles Rams e ficou com o vice.

Burrow já conduziu Cincinnati a duas finais de conferência em apenas três anos como profissional. Se em 2021 bateu os Chiefs de Mahomes e foi à decisão, no ano seguinte a história se inverteu e foi Kansas City quem ficou com a vaga. A disputa pelo trono da AFC deve seguir quente entre esses dois pelos próximos anos.

 

 

Nick Bosa – DE, San Francisco 49ers

Nick Bosa San Francisco 49ers Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Nick Bosa (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

O melhor jogador de defesa de 2022. Aos 25 anos, o defensive end dos 49ers já assumiu o posto de principal terror dos quarterbacks adversários.

Ele terminou a última temporada regular com impressionantes 18,5 sacks em 16 jogos e foi uma força imparável nas trincheiras para as linhas ofensivas.

O desempenho absurdo rendeu a Bosa o título de Defensive Player of the Year, dado ao principal jogador defensivo do ano.

Agora, tudo indica que ele receberá o maior contrato já dado a um jogador que não seja quarterback. Nas palavras de Mike McGlinchey, ex-companheiro de Bosa nos 49ers, ele está prestes a “quebrar a banca” com seu inevitável novo e extremamente lucrativo acordo com a franquia da Califórnia.

 

Justin Jefferson, WR – Minnesota Vikings

Passamos agora para o Offensive Player of the Year. Justin Jefferson foi eleito o melhor jogador de ataque da temporada 2022 da NFL com muitos méritos.

Foram 135 recepções e 1,856 jardas para o wide receiver que jogou sua terceira temporada como profissional e foi autor de uma das recepções mais brilhantes dos últimos tempos (veja acima).

Aaron Rodgers, QB – Green Bay Packers (?)

Aaron Rodgers. Foto: DeFodi Images / Icon Sport
Aaron Rodgers já manifestou interesse em deixar o Green Bay Packers. Foto: DeFodi Images / Icon Sport

Qual será o futuro de Aaron Rodgers? O quarterback declarou que seu desejo é jogar pelo New York Jets. O problema? As franquias ainda não chegaram a um acordo sobre a compensação aos Packers pelo astro campeão em 2011.

Rodgers não teve o melhor dos anos em 2022. Quatro vezes eleito MVP da NFL, o QB de Green Bay não conseguiu atingir 4 mil jardas aéreas pela primeira vez nos últimos cinco anos (mesmo com um jogo a mais na temporada) e teve seu maior número de interceptações (12) desde 2008.

Poucos duvidam, porém, de sua capacidade de conduzir uma equipe ao título. Nos Packers, o problema parecia ser a falta de alvos confiáveis. Em Nova York, com Garrett Wilson, Corey Davis, o recém-adquirido Mecole Hardman e o velho conhecido Allen Lazard, a história promete ser diferente.

LEIA MAIS

+ Saiba quem será o substituto de Tom Brady nos Buccaneers

++ Filho de lenda do MMA faz anúncio bombástico para futuro universitário

Micah Parsons, LB – Dallas Cowboys

Micah Parsons Dallas Cowboys Foto: Reprodução/Twitter/@DallasCowboys
Micah Parsons (Foto: Reprodução/Twitter/@DallasCowboys)

Aos 23 anos, Parsons é um gigante. Em apenas duas temporadas, o linebacker já soma 26,5 sacks e 149 tackles. Os números impressionam e apontam para uma nova força defensiva dominante pela próxima década na liga.

Seus 1,91 m e 111 kg amedrontam ataques e quarterbacks, que já foram atingidos 56 vezes pelo jovem da Universidade Penn State selecionado com a 12ª escolha geral em 2021.

Ele é um nome bem cotado para levar o prêmio de melhor jogador defensivo da liga neste ano.

Parsons foi chamado de “o melhor jogador da NFL” pelo colega de defesa dos Cowboys Trevon Diggs. A opinião, embora possa ser encarada com certo ceticismo de parcialidade, tem seu valor, e é bom ficar de olho no que ele pode entregar na próxima temporada.

 

Jalen Hurts, QB – Philadelphia Eagles

Jalen Hurts Eagles Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Jalen Hurts ajudou o Philadelphia Eagles a chegar ao Super Bowl (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

Hurts ficou a um passo de conquistar o Super Bowl na última temporada, quando a fantástica trajetória dos Eagles colapsou diante de Patrick Mahomes e do Kansas City Chiefs. Mas ele prometeu voltar ainda mais forte.

O ano de 2022 foi, sem dúvidas, o ponto de virada na até aqui curta carreira do quarterback dos Eagles, selecionado na segunda rodada do Draft de 2020. Seu aproveitamento como titular foi surreal: 16 vitórias em 18 jogos, ou 88,8%.

Philadelphia ficou com o vice em uma final épica, na qual Hurts jogou muito bem. Ele teve 304 jardas e 1 touchdown pelo ar e mais 70 jardas e 3 touchdowns terrestres. Alguém ainda duvida do QB?

Sauce Gardner, CB – New York Jets

Sauce Gardner New York Jets Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Sauce Gardner (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

Quarta escolha geral do Draft de 2022, o novato Sauce Gardner chamou a atenção do mundo da NFL em sua temporada de estreia.

Ele conquistou o prêmio Defensive Rookie of the Year, dado ao novato defensivo do ano, graças a seus 20 passes defendidos, 75 tackles e duas interceptações.

O cornerback dos Jets nasceu em 2000 e estudou na Universidade de Cincinnati. Na seleção de prospectos, foi o segundo CB escolhido, atrás de Derek Stingley Jr., terceira escolha, que foi para o Detroit Lions.

No futebol americano profissional, atuou como titular em todas as partidas possíveis da última temporada e fez parte de um renovado time que em 2023 chegará forte para brigar por uma vaga nos playoffs e encerrar uma seca que já dura 12 anos.

Josh Allen, QB – Buffalo Bills

Josh Allen Buffalo Bills Foto: Reprodução/Twitter/@BuffaloBills
Josh Allen comanda o potente ataque do Buffalo Bills (Foto: Reprodução/Twitter/@BuffaloBills)

Josh Allen é um dos jogadores mais chamativos da NFL. É difícil assistir a uma partida dos Bills e não se impressionar com os potentes e precisos lançamentos do quarterback.

Nas estatísticas das últimas três temporadas, ele é o 3º jogador com mais passes para touchdown (108), empatado com Tom Brady e somente atrás de Mahomes e Rodgers.

Allen chegou a receber votos para o prêmio de jogador ofensivo do ano em 2020 e 2022, mas falhou em levar os Bills até o Super Bowl.

As frustrantes quedas da equipe nos playoffs podem desmotivar ou incentivar ainda mais um dos principais QBs da liga na briga pelo título que ainda não veio. De toda forma, ele será um dos personagens mais intrigantes do ano de 2023.

Jalen Ramsey, CB – Miami Dolphins

Nas listas de melhores cornerbacks da NFL, Jalen Ramsey é um nome presente desde 2016, quando entrou na liga selecionado pelo Jacksonville Jaguars. Produto de primeira rodada da Universidade Florida State, ele jogou as últimas três temporadas e meia pelo Los Angeles Rams.

Em 2023, porém, vestirá um novo uniforme. Ele foi trocado com o Miami Dolphins e formará, com Xavien Howard, uma dupla capaz de frear qualquer ataque aéreo da liga.

Ramsey já foi escolhido três vezes para o All-Pro, a seleção dos melhores jogadores da NFL, e venceu o Super Bowl 56 com os Rams.

T.J. Watt – LB – Pittsburgh Steelers

TJ Watt Steelers Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
T.J. Watt (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

Mesmo com sua renovação contratual assinada em 2021, T.J. Watt ainda figura como o jogador mais bem pago de sua posição em toda a NFL: 112 milhões de dólares por quatro anos.

A montanha de dinheiro não é à toa. Em 2019, 2020 e 2021, Watt esteve no pódio do prêmio de jogador defensivo do ano, honraria que conquistou duas temporadas atrás. Em 2022, infelizmente, uma lesão limitou sua participação em campo e o impediu de buscar mais uma conquista.

Verdadeira máquina de sacks e chegadas ao QB adversário, não é exagero algum dizer que ele tem potencial para superar o legado monstruoso de seu irmão mais velho, J.J. Watt, eleito três vezes Defensive Player of the Year.

 

Myles Garrett, DE – Cleveland Browns

Myles Garrett Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Myles Garrett (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

E já que estamos falando de grandes amantes de sacks, nada mais justo do que mencionar Garrett, a principal arma dos Browns para atingir os QBs rivais. Escolhido com a primeira escolha geral do Draft de 2017, ele correspondeu às expectativas.

Em 84 jogos ao longo de suas seis temporadas na liga, o defensive end soma 74,5 sacks e já foi eleito duas vezes para o All-Pro.

A mancha em sua carreira é a briga com o QB Mason Rudolph, dos Steelers, em 2019. Na ocasião, Garrett usou o capacete do rival para atingi-lo na cabeça e sofreu uma pesada punição da liga por isso.

Desde então, deu a volta por cima e se estabeleceu como um jogador dominante, fundamental para as esperanças de Cleveland de voltar a ser um protagonista no esporte.

 

Relembre a confusão:

Tyreek Hill, WR – Miami Dolphins

Tyreek Hill Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Tyreek Hill (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

É difícil encontrar algum jogador mais veloz do que Hill. E não só na NFL. Apelidado de Cheetah, em referência ao animal mais rápido do planeta, o wide receiver queima defensores com suas pernas ano após ano.

Seus 1,78 m não impressionam a princípio, mas vê-lo correr em campo é algo quase inacreditável.

Hill fez sucesso em seus primeiros anos na liga pelo Kansas City Chiefs, mas decidiu se arriscar em um novo caminho para 2022. E a aposta vingou.

No Miami Dolphins, ele teve sua temporada mais produtiva da carreira em jardas recebidas, com uma média impressionante de 100,6 por partida.

Não existe ninguém igual a ele na NFL.

 

Christian McCaffrey, RB – San Francisco 49ers

Se McCaffrey não é o melhor running back da NFL, ele é o mais completo. Além de uma arma perigosa pelo chão, ele ameaça defesas no jogo aéreo e até lançando bolas.

Trocado pelo Carolina Panthers com o San Francisco 49ers no meio da temporada 2022, o RB fez história em sua segunda partida pela nova equipe, no duelo contra os Rams. Ele teve três touchdowns: um corrido, um recebido e um lançado.

McCaffrey se tornou apenas o terceiro running back desde 1970 a conseguir o feito. Antes dele, somente LaDainian Tomlinson e Walter Payton haviam alcançado a “tripla coroa”.

Lamar Jackson, QB – Baltimore Ravens (?)

Lamar Jackson Foto: Reprodução/Twitter/@NFL
Lamar Jackson (Foto: Reprodução/Twitter/@NFL)

Outro quarterback com futuro indefinido merece atenção. Se os Packers estão dispostos a liberar Aaron Rodgers, os Ravens querem manter Lamar no time e colocaram nele a franchise tag, o que significa que o quarterback seguirá em Baltimore a menos que alguma equipe assine com o astro e ceda duas escolhas de primeira rodada para isso.

Os Ravens têm o direito de igualar essa eventual oferta e ficar com o jogador, com quem não conseguiram ainda acertar um acordo para extensão contratual. Lamar foi MVP da temporada 2019.

Ameaça aérea e terrestre desde sua chegada a Baltimore, em 2018, o QB é sempre um show à parte quando entra em campo. E assim será em 2023. Só nos resta saber se ele estará vestindo roxo ou alguma outra cor.

Escrito por Pedro Rubens Santos
Pedro Rubens começou a trabalhar na cobertura de futebol americano no site Torcedores.com e teve uma passagem de três anos pela ESPN, onde atuou também na produção digital. Foi repórter do Quinto Quarto até julho de 2023.