Gui Santos consolida espaço na NBA, e ex-técnico aponta principal qualidade

Paola Zanon | 14/04/2024 - 08:00

Gui Santos encerra sua primeira temporada na NBA neste domingo (14), com o jogo entre Golden State Warriors e Utah Jazz, com seu espaço consolidado na liga.

Para Léo Costa, que foi treinador do brasileiro no Minas durante três anos antes de sua entrada na NBA, o que mais ajudou Gui a evoluir como atleta profissional foi sua ética de trabalho.

— Eu vejo que ele cresceu demais porque ele se propôs a isso. Aquilo que era pontuado para ele, o que eu cobrava, ele se dedicava ao máximo e em pouco tempo já estava aplicando os conceitos, principalmente no aspecto defensivo. Um garoto talentoso, com a ética de trabalho que ele sempre demonstrou, era questão de tempo para acontecer esse reconhecimento e o sucesso que ele vem tendo—, contou o técnico, em entrevista ao Quinto Quarto.

Léo também contou que desde o Draft de 2022, quando Gui Santos foi selecionado pelo Golden State, ele manteve contato com a equipe técnica da franquia e chegou até a ser consultado antes de o contrato ser fechado no começo da atual temporada.

— Eles [Warriors] foram muito claros sobre ver um potencial muito grande, mas também enxergar questões para serem desenvolvidas. Eles não queriam precipitar a subida do Gui e correr o risco de ele subir e não se estabelecer, porque eles têm um projeto de médio a longo prazo pra ele—, revelou Costa.

Entre os treinos e jogos do Minas no NBB, o treinador tem acompanhado de longe a evolução de Gui Santos na NBA e não vê de forma negativa os momentos em que o brasileiro volta para o Santa Cruz, da G-League, pois isso ajuda em seu desenvolvimento e o fará conquistar cada vez mais espaço no Golden State.

— Gui tem um pacote muito interessante, ele está sendo até usado muitas vezes em uma posição que não é a habitual dele, mas pela versatilidade, a força física, a envergadura, ele é um jogador que pode marcar  várias posições e tem demonstrado isso. Para o sistema dos Warriors, isso é muito importante. É questão de tempo e trabalho para ele continuar crescendo e ganhando mais espaço na franquia—, avaliou Léo.

O técnico também confessou que se sente muito orgulhoso em ver Gui Santos, que já foi treinado por ele, chamando a atenção de grandes nomes da NBA, como Stephen Curry e Klay Thompson.

— É muito bacana! Ele está tendo espaço para concretizar o sonho dele, ele tinha um sonho muito grande de chegar na NBA. Os elogios vêm atrelados à ética de trabalho que ele demonstra, essas estrelas reconhecem muito o esforço. Acho que isso é da característica dele, de batalhar pelo que quer—, declarou.

A primeira temporada de Gui Santos na NBA

Apesar de ter sido draftado em 2022, Gui Santos passou sua primeira temporada atuando pelo Santa Cruz Warriors, afiliado da franquia na G-League.

Em julho do ano passado, o brasileiro mostrou todo o seu esforço e desenvolvimento durante a Summer League, sendo um dos principais destaques do torneio e chamando a atenção dos executivos da franquia. Por uma questão contratual com o Minas, no entanto, o contrato de duas vias saiu alguns meses depois disso.

Ainda demoraram algumas semanas entre o anúncio de Gui na NBA e seu primeiro jogo, em 16 de novembro, diante do Oklahoma City Thunder. Apesar da derrota, o pivô anotou dois pontos, três rebotes e uma assistência em apenas três minutos.

A partir de então, Santos foi conquistando cada vez mais espaço na rotação e minutos dentro de quadra, com dribles, assistências, bolas triplas e até ponte aérea. Em 9 de fevereiro, o pivô alcançou sua maior pontuação na liga ao anotar 13 pontos em cima do Indiana Pacers, vindo já de uma atuação muito boa contra o Brooklyn Nets três dias antes.

— Foi uma semana incrível, não vou mentir. É muito bom receber uma oportunidade e ainda melhor sentir que você está pronto pra ela. Venho trabalhando muito a minha vida toda, desde que cheguei aqui venho treinando o que me pedem—, disse ele, na ocasião.

O brasileiro fechou sua primeira temporada na NBA com uma vitória sobre o Utah Jazz, igualando seu próprio recorde de 13 pontos, além de cinco rebotes, duas assistências e um roubo de bola.

Ao todo, Gui Santos entrou em quadra em 23 partidas dos Warriors, com uma média de 3,1 pontos e dois rebotes por jogo, em sete minutos.

Escrito por Paola Zanon
Paola Zanon é jornalista formada pela Cásper Líbero, repórter e redatora com passagens pelo Notícias da TV, R7 e UOL Esporte. A carreira no jornalismo esportivo começou com a cobertura dos Jogos Pan-Americanos de 2019 pelo R7 até chegar ao Quinto Quarto em fevereiro de 2023. São-paulina de coração e apaixonada por basquete, futebol e viagens.