NBA

Allen Iverson se daria bem na NBA atual?

allen iverson philadelphia 76ers

Falar de Allen Iverson requer cuidado. Para a mesma geração que defende o Romário em tudo que ele fez e acha ele melhor que o Ronaldo (absurdo), Iverson é um jogador icônico pelo que fez em quadra e também fora dela.

Por isso um patife como eu, que já disse que quando James Harden encerrar a carreira terá sido melhor que AI, não será convidado para os churrascos com projeção de seu crossover contra Jordan ou ele passando, literalmente, por cima de Tyronn Lue. ME CONVIDEM, POR FAVOR. EU LEVO CERVEJA.

Mas enfim, aqui estamos para continuar a série “Jogador X das antigas se daria bem na NBA atual?” com o jogador histórico do Philadelphia 76ers. Ele é o cara “polêmico” que estou prometendo há alguns dias. Você pode ver nossas edições anteriores de Grant Hill, Reggie Miller e Penny Hardaway. Todos eles se dariam bem na NBA atual, com alguns ajustes.

Agora, se transportamos Allen Iverson de 1996 para 2020. Como ele jogaria?

Antes, aperta o play abaixo no nosso podcast. Escolhemos os 10 melhores jogadores na NBA atualmente. Já está no momento certo, não precisa esperar a apresentação e outros assuntos.

Primeiro temos que achar uma referência para Allen Iverson

Dá para saber porque ele é tão apaixonante e defendido por um enorme grupo de pessoas e jogadores/ex-jogadores. Tirando toda sua influência no campo cultural, Iverson era um jogador de 1,80 m que partia para cima a todo momento, não tinha medo da porradaria ocasional que acontecia embaixo da cesta e humilhava armadores, alas e pivôs rivais se encarasse eles no 1 contra 1.

A partir disso, se o cara é tão sobre-humano assim, tudo entra para a lenda, mesmo que isso envolva alguma fabricação. Os 76ers que chegaram na final eram horríveis, ele carregava a equipe sozinho, ele poderia ter jogado mais anos, não há ninguém como ele, etc, etc etc.

Allen Iverson é o principal expoente de um tipo de basquete que não existe mais, o chamado hero ball. Ele tinha a bola na mão a todo momento e com 27,8 arremessos por jogo em 2001/02 – mais de um terço dos 78,5 arremessos por jogo da equipe – em uma NBA que não tinha nem de perto o mesmo ritmo que tem hoje, ele era mais fominha que basicamente qualquer jogador que vimos desde então.

Eis que chega Russell Westbrook em 2016/17 e quer concorrer por esse posto. Foi o ano pós-saída de Kevin Durant, média de triplo-duplo, 24 arremessos por jogo. A diferença de arremessos parece grande, mas também tem a ver com o fato que todo número de Allen Iverson é anabolizado pelo tanto de minutos que ele ficava em quadra, algo que hoje não aconteceria.

Apesar de Westbrook não ter a desvantagem da altura que AI tinha claramente, o jogo de ambos é similar em alguns pontos. Atleticismo incrível, velocidade frenética, intensidade louca, 1 contra 1 impressionante e os mesmos argumentos para defendê-lo (ele precisa fazer isso porque o time é horroroso, cara!!!). Westbrook teve o reconhecimento individual, mas coletivamente não chegou nem perto do título nessa versão tresloucada. AI se aproximou mais.

Mas há uma diferença grande: Iverson tinha um arremesso melhor. E por isso outra comparação, mais moderna, é mais legal.

Brad Stevens nos entregou a versão perfeita de um Allen Iverson atualizado em Isaiah Thomas. Sim, Iverson é mais jogador, mas estamos falando de um guard baixinho, que pode explodir para a cesta, te deixar no chão com sua habilidade ou tentar o jump shot. Se Iverson jogasse em 2020 tentaria as 8,5 bolas de três que Thomas teve em 2016/17. Pena que as lesões impediram que o mundo da NBA pudesse ver mais de IT.

Para encerrar, dois pontos. Allen Iverson era um marcador muito, mas muito melhor que Thomas, só para deixar claro. Só que em 2020 ele teria mais dificuldades porque sua (falta de) altura seria explorada de forma muito melhor pelos adversários, com trocas a todo momento para colocá-lo na péssima situação de ter que defender jogadores maiores.

O que aconteceu com Stephen Curry nas finais contra os Cavaliers, por exemplo, seria a vida de Iverson na NBA atual, sem tantos duelos 1 contra 1 posicionais que aconteciam na NBA dos anos 2000, com todo mundo indo para longe (isolation).

Mas, segundo, agora um argumento pró-Iverson, com um treinador inteligente – não Brett Brown – ele não só poderia explorar todas suas armas, mas também se poupar mais, não precisando jogar 41 minutos de média, o número absurdo que ele teve na carreira. E isso prolongaria sua carreira.

Mas tem que ver se Allen Iverson aceitaria isso também. Afinal, para todo argumento pró-Iverson, tem também o fato que jogar com ele não era fácil e treiná-lo menos ainda. Enfim, é claro que ele se daria bem na NBA atual porque estamos falando de um cara com intensidade, habilidade e agressividade fora do normal. Mas o basquete dele teria que ser bastante “mudado”.

Outro jogador espetacular que teria que fazer o mesmo? Shaquille O’Neal. Esse fica para a próxima semana.

 

 

Comments
To Top