Goleiro brasileiro vira jogador de linha com camisa de torcedor nos EUA

Pedro Rubens Santos | 24/05/2023 - 14:30

O duelo entre New York Red Bulls e Cincinnati pela US Open Cup, na última terça-feira (23), teve um momento inusitado envolvendo o goleiro brasileiro Carlos Coronel.

O camisa 1 dos Red Bulls foi acionado pelo técnico Troy Lesesne no último minuto da prorrogação para entrar em campo, quando o jogo estava empatado em 1 a 1. Engana-se, porém, quem pensa que o treinador estava só fazendo uma troca de goleiros antes das penalidades, medida que se tornou relativamente popular na última década no futebol mundial.

Coronel foi a campo como jogador de linha, no lugar do zagueiro Matthew Nocita, e partiu direto para o ataque, na tentativa de buscar um gol salvador no final da partida. Ele entrou com a sua camisa número 1, mas em uma versão diferente, vermelha, como a dos zagueiros, meias e atacantes.

Para que isso fosse possível, o roupeiro Sean Ruiz precisou correr até a loja oficial do clube, que estava fechada durante o jogo, pegar uma das camisas à venda e colocar nome e número nas costas. Ele, então, levou o uniforme recém-produzido até o gramado para ser usado pelo brasileiro.

VEJA TAMBÉM

+ US Open Cup: ex-Barcelona decide clássico de Los Angeles e presta homenagem a Messi

++ MLS: ‘Impossível jogar assim’, detona astro italiano em entrevista chocante

Por que o goleiro virou jogador de linha?

Carlos Coronel, NY Red Bulls MLS. Foto: Reprodução/Twitter/@NewYorkRedBulls
Carlos Coronel, goleiro brasileiro do New York Red Bulls. (Foto: Reprodução/Twitter/@NewYorkRedBulls)

O motivo da substituição inusitada não ficou claro, mas foi, aparentemente, uma estratégia do técnico Lesesne para a disputa de pênaltis. Isso porque o goleiro titular, Ryan Meara, havia recebido um cartão amarelo nos minutos finais do tempo regulamentar. Portanto, caso fosse advertido novamente na disputa de pênaltis, acabaria expulso.

Dessa forma, a equipe estaria protegida da possibilidade de ter que colocar um jogador de linha no gol. Com Coronel em campo, os riscos seriam menores, pois um especialista na posição estaria de prontidão caso fosse necessário.

A ação foi recebida com surpresa por muitos torcedores, que questionaram a substituição inédita e pensaram que o brasileiro estaria entrando em campo para ser o goleiro na disputa das penalidades.

No entanto, isso não aconteceu. O goleiro foi mesmo Meara, que acabou não defendendo nenhuma das cinco cobranças do Cincinnati. Dante Vazeir desperdiçou o pênalti para o time de Nova York e decretou a eliminação da equipe nas oitavas de final da competição.

Com a queda no torneio mata-mata, os Red Bulls focam seus esforços na MLS, competição na qual ocupam a 20ª posição, com 16 pontos conquistados. O Cincinnati tem 30 pontos e é o líder.

+ Vanzeir, suspenso por racismo, admite ter dito ‘macaco’ em confusão com idioma