UFC 297: Dana White dá vitória a Strickland e defende ‘liberdade de expressão’

Paola Zanon | 21/01/2024 - 15:02

Dana White, presidente do UFC, não concordou com os juízes que deram o cinturão dos pesos médios para Dricus Du Plessis, que derrotou Sean Strickand na noite de sábado (20), no UFC 297, em Toronto.

Para o chefão do Ultimate, o norte-americano teve uma performance melhor dentro do octógono e merecia ter mantido o título mundial conquistado no ano passado contra Israel Adesanya. A luta durou cinco rounds e terminou com uma vitória do sul-africano por decisão dividida da arbitragem.

— Eu estava marcando 2 a 2 antes do último round e achei que Sean venceu o último. Mas os caras que estavam na mesma mesa que eu, por outro lado, escolheram Du Plessis. Foi uma luta muito acirrada—, declarou ele, em entrevista coletiva após o evento.

Dana White ainda elogiou os golpes dados por Strickland nos dois primeiros rounds, admitiu que o então campeão perdeu ritmo nos dois assaltos seguintes, mas manteve a opinião de que o quinto round foi de Sean.

— Os jabs foram bonitos para caralho. Você não vê jabs assim toda hora—, se impressionou o executivo.

Dana White defende ‘liberdade de expressão’

O presidente do UFC aproveitou a entrevista coletiva para dar uma resposta atravessada a um repórter que questionou o fato de Strickland abusar do trash talk e sugeriu que Dana o “colocasse em uma coleira”.

— Uma coleira? Eu não digo a nenhum outro ser humano o que dizer, o que pensar. E não há coleiras em nenhum deles. Liberdade de expressão, irmão. As pessoas podem dizer o que quiserem e podem acreditar no que quiserem—, disparou o chefão, sem paciência.

Assim como diversos lutadores da liga, Strickland gosta de provocar seus adversários na intenção de desestabilizá-los, mesmo que fora do octógono. Para Dana White, isso faz parte do esporte.

Nas redes sociais, o norte-americano fez piadas de cunho homofóbico a respeito de Du Plessis, que rebateu com comentários sobre a infância de seu oponente, que sofria abusos do pai. O resultado foi os dois lutadores se enfrentando nos camarotes do UFC 296.

Pouco antes da luta de sábado, Sean ainda ameaçou esfaquear Dricus caso ele tocasse no assunto da infância novamente. O sul-africano, então, tentou apaziguar a situação e se desculpou.

— Eu mandei uma mensagem para ele e disse: ‘Vamos tentar nos matar, mas se você tocar nessa merda de novo, eu vou te esfaquear. Se eu for para o Canadá e você tocar nisso, bem, adivinhe? Vou para a cadeia, eles vão me deportar e nós perderemos oito semanas de treinamento sem motivo’—, contou Strickland, em seu próprio podcast no YouTube.

Escrito por Paola Zanon
Paola Zanon é jornalista formada pela Cásper Líbero, repórter e redatora com passagens pelo Notícias da TV, R7 e UOL Esporte. A carreira no jornalismo esportivo começou com a cobertura dos Jogos Pan-Americanos de 2019 pelo R7 até chegar ao Quinto Quarto em fevereiro de 2023. São-paulina de coração e apaixonada por basquete, futebol e viagens.