NBA: Gui Santos comenta pouca minutagem e fala da relação com Curry: ‘puxa sua orelha, mas…

Márcio Júnior | 23/02/2024 - 11:02

Sempre que o Golden State Warriors entra em quadra, o fã brasileiro da NBA fica na expectativa de poder ver Gui Santos, único representante do Brasil nas quadras no norte, atuando e, é claro, pontuando. Desde o início do mês de fevereiro, Gui tem aparecido com mais frequência na rotação da franquia da San Francisco, ganhando cada vez mais minutos para a alegria do torcedor.

No jogo contra o Indiana Pacers, ainda no começo do mês, Gui chegou a jogar por 21, somando 13 pontos (maior marca da sua carreira na NBA), 8 rebotes e 62% nos arremessos de quadra, deixando a quadra como uma das peças fundamentais para a vitória contra uma das melhores e mais equilibradas equipes da Conferência Oeste. Porém, nos últimos cinco jogos dos Warriors, o brasileiro entrou em quadra apenas duas vezes, com seis minutos somando as duas partidas. A maior parte desses minutos, inclusive, foram na vitória da última quinta-feira (22), contra o Los Angeles Lakers.

Com quatro minutos em quadra, o brasileiro anotou três pontos. Durante entrevista após o jogo, o brasileiro comentou a falta de minutos nos últimos jogos da equipe e revelou como faz para se manter focado.

— Não tá sob o meu controle [entrar em quadra], né?! Tenho que ter cabeça no lugar e quando ele [Steve Kerr] falar pra mim ‘vai entrar', seja antes ou durante o jogo, eu tenho que estar pronto e entrar. Mas eu tento sempre manter minha ética de trabalho, trabalhar o mais forte possível. Se eu não vou jogar muito, eu vou lá e treino bastante depois do jogo, agora mesmo eu vou malhar, vai ter todo um esquema que tenho pra me manter em forma, me manter pronto — revelou o brasileiro Gui Santos.

Na vitória dos Warriors contra o Utah Jazz, Gui Santos esteve em quadra 21 minutos, anotou 8 rebotes e 13 pontos, sua maior marca na NBA. Foto: Icon Sport

Quando eles olham para o banco eu já ficou ‘eu, eu… tô pronto!' tem que mostrar, né?!

Mesmo com poucos minutos em quadra nos últimos jogos, Gui sabe que cada oportunidade é importante e estar preparado para essas situações pode fazer a diferença.

— Fiquei feliz de entrar no finalzinho. É aquilo, você tem que estar sempre pronto para quando tiver a oportunidade, seja durante o começo do jogo ou até mesmo no final do jogo, mas você entrar e mostrar que tá pronto para ajudar o time independente da situação, isso é o que importa.

Gui Santos fala da relação com Curry na NBA: ‘puxa minha orelha'

As boas atuações recentes de Gui Santos não passaram despercebidas e chamaram a atenção e muitas pessoas na NBA, incluindo Steve Kerr, técnico da equipe. Quem também comentou sobre o bom desempenho do brasileiro foi armador e principal estrela do Golden State Warriors, Stephen Curry. Durante a pausa para o All-Star Weekend, o camisa 30 falou que “Gui Santos é uma pessoa inacreditável”, e ” tem um futuro brilhante pela frente”.

Depois da vitória contra o Los Angeles Lakers, o brasileiro revelou que ficou surpreso com os comentários de Curry e ainda falou da sua relação com o armador.

— Eu tava em casa de boa e vi que a NBA Brasil me marcou numa publicação. Eu não tava esperando. Ele nunca chegou e falou isso pessoalmente, acho até que é um pouco difícil dos jogadores fazerem isso, elogiar pessoalmente. Eles puxam sua orelha no que tem que puxar, mas depois falam uma coisa boa. Mas fiquei feliz demais — disse o brasileiro.

Além de Curry e Kerr, Gui ainda falou da sensação que é dividir o vestiário do Golden State Warriors com grandes estrelas da NBA.

— Hoje tô um pouco mais adaptado, mas ainda é um sonho você vim do Brasil, que não tem tanta oportunidade pro basquete, chega na NBA com uma estrutura dessa, tudo que você precisa e quer é só pedir para alguém que aparece na sua frente. É uma coisa de louco. Eu ainda fico um pouco deslumbrado quando vejo os caras igual o Curry, Green, Thompson, ‘esses caras estão aqui na minha frente', mas hoje já deu uma acalmada — finalizou o brasileiro.

Escrito por Márcio Júnior
Márcio Júnior é baiano formado pela Faculdade Regional da Bahia. Cobriu de carnaval a Copa do Mundo na TVE Bahia, onde venceu o prêmio de reportagem do mês. Apaixonado por futebol, NBA, NFL e games de história. Torcedor do Bahia e Los Angeles Lakers. Passei pela ALBA, Rádio Educadora, Superesportes e Trivela. No Quinto Quarto desde julho de 2023.