Doncic e Irving combinam para 82 pontos, silenciam Embiid e garantem vitória dos Mavs

André Avelar | 02/03/2023 - 23:55

O duelo da noite desta quinta-feira (2) entre Philadelphia 76ers e Dallas Mavericks colocou frente a frente dois dos maiores cestinhas da NBA. Joel Embiid disputava a liderança da estatística contra Luka Doncic, mas o esloveno chamou a ajuda preciosa de Kyrie Irving. Esses dois combinaram para 82 pontos, silenciaram o camaronês e levaram os Mavs à vitória, por por 133 a 126 (71 a 67 no intervalo), no American Airlines Center, no Texas.

Com o resultado, os 76ers aparecem com 40 vitórias e 22 derrotas, na briga pelas primeiras posições na Conferência Leste; já do lado Oeste, os Mavs agora somam 33 vitórias e 31 derrotas, ainda na briga por uma vaga no Play-In na temporada 2022/2023 do basquete norte-americano. 

+ LeBron James deve desfalcar Lakers por mais tempo que o previsto; confira

++ Destaque dos Grizzlies na NBA, Ja Morant também coleciona polêmicas

+++ Em duelo dos 40 pontos, Tatum leva a melhor sobre Mitchell

As duas equipes terão confrontos complicados e com cara de Playoffs no fim de semana. No sábado, os Mavs enfrentarão o Phoenix Suns, no Arizona. No dia seguinte, os 76ers pegarão o Milwaukee Bucks, também fora de casa.  

Embiid e Harden pra lá…

O pivô camaronês, com 33 pontos por jogo em média, era dúvida para a partida no Texas — havia ficado ausente do duelo contra o Miami Heat por conta de dores no pé esquerdo. Em uma partida tão grande, contra um adversário de tanto sucesso na liga, o jogador vestiu o uniforme, calçou o tênis e foi para o confronto. Fato que também soube aproveitar bem a ausência de jogadores do seu tamanho do outro lado da quadra.

Mas os atletas com as maiores médias de pontos na temporada naturalmente impuseram um ritmo alucinante desde os primeiros minutos. James Harden, Tyrese Maxey, Tobias Harris e P. J. Tucker estavam na mesma sintonia do camisa 21 para que a equipe criasse e aproveitasse as oportunidades. Na base dos fastbreaks, Kyrie Irving, Josh Green, Reggie Bullock e Dwight Powell municiaram o 77 e também anotaram as suas cestas. 

No final dessa artilharia toda, foram marcados 75 pontos só no primeiro quarto. No total, a artilharia pesada de ambos os lados somou 259 pontos.

…Doncic e Irving pra cá

O esloveno, com média de 33,2 pontos por jogo, continuou a sua produção superofensiva. Foram pontos de todos os jeitos possíveis e, mesmo com a ajuda de Irving, a maior diferença no placar foi de apenas seis pontos no primeiro tempo. A defesa agressiva da equipe visitante era um empecilho para que se criasse uma vantagem de pontos.

A partir do terceiro quarto, no entanto, a coisa pareceu mudar de figura. Doncic e Irving dispararam para dígitos duplos e a equipe texana avançou até ter uma certa folga no marcador. A diferença ficou rondando os 20 pontos, até que o técnico Jason Kidd passou a utilizar também o banco de reservas. Doc Rivers não tinha margem para tanto e a coisa só piorava quando Embiid precisava de um descanso.

Foi quando Tyrese Maxey chamou a responsabilidade e diminuiu a diferença para quatro pontos próximo da metade do último período e colocou enterradas no lado rival. O clima no ginásio passou a ficar um tanto mais tenso, ainda que Doncic e Irving mostrassem a confiança de quem joga junto há mais de alguns poucos jogos, desde a troca do camisa 2 do Brooklyn Nets para os Mavs.

Os momentos decisivos, como já de costume, foram de Doncic em estado de graça. Além dos pontos, o armador começou a distribuir assistências, alcançou o duplo-duplo (42 pontos e 12 assistências) e garantiu a vitória para a sua equipe. Irving fez 40 pontos, enquanto Embiid terminou com 35.

Escrito por André Avelar
André Avelar foi editor-chefe de esportes no R7, onde cobriu três Copas do Mundo e dois Jogos Olímpicos. Com passagens pela Band, Jornal da Tarde e Estadão, foi coordenador do Quinto Quarto até julho de 2023.