Lutas e MMA UFC

UFC Paris Resultados: Gane x Tuivasa (03/09)

UFC Paris Resultados - Gane x Tuivasa

Neste sábado (3), o UFC chegou em Paris pela primeira vez. No evento, a luta principal envolveu Cyril Gane, que recebeu, em casa, o australiano Tai Tuivasa. Além disso, o card preliminar do UFC Paris contou com a presença do estreante Gabriel Miranda, único brasileiro da edição francesa.

UFC Paris Resultados – Gane x Tuivasa

Card Principal – UFC Paris

Ciryl Gane x Tai Tuivasa – Domínio francês de ponta a ponta do UFC Paris

Primeiramente, o round inicial da luta principal do UFC Paris foi de muito estudo, de vagos golpes e, nos poucos que houveram, o equilíbrio prevaleceu. Por outro lado, no 2º round, Cyril Gane despontou com socos mais precisos e pontuais. No entanto, a direita de Tuivasa entrou e levou Gane ao solo, para a resposta com joelhadas e socos do francês. Por fim, nos últimos segundos, a trocação aumentou, com sangue para todo lado.

No 3º round, Gane acertou dois golpes certeiros, que deixaram Tuivasa sem rumo. Na sequência, Gane seguiu dominando, com chutes e socos, que aumentaram o sangramento de Tuivasa. Por fim, faltando 37 segundos para o fim do 3º round, Cyril Gane acertou mais uma sequência de golpes, fatais para o oponente australiano, que foi ao chão, após o nocaute técnico. Dessa forma, o UFC Paris encerrou com todos os franceses levando a melhor.

Robert Whittaker (AUS) x Marvin Vettori (ITA) – australiano controlou a luta e saiu com a vitória do UFC Paris

A princípio, o co-evento principal do UFC Paris começou e prosseguiu bem estudado, com alguns golpes, principalmente de Vettori, respondidos na parte final por Whittaker. No mais, sem muitas emoções, o combate ficou apenas em tentativas de encontrar espaços.

Pelo 2º round, logo no começo, o combate quase foi à grade, quando os oponentes ficaram agarrados, mas prontamente se soltaram. Em seguida, Whittaker arriscou direto e chute, respondidos por chutes altos de Vettori. Por fim, os dois lados finalizaram se estudando, sem grandes golpes.

No último round, o domínio de Whittaker foi notório, com direto ainda a alguns golpes, para pontuar ainda mais. Dessa forma, por decisão unânime dos jurados, o australiano saiu com a vitória do UFC Paris.

Nassourdine Imavov (FRA) x Joaquin Buckley (USA) – combate de tirar o fôlego com mais uma vitória francesa no UFC Paris

Primeiramente, o duelo começou parelho, com Buckley mais preciso nos golpes, levando o combate à grade por alguns segundos. No entanto, a luta prevaleceu em pé, com o americano se protegendo e, em contra ataque, partiu para cima com socos. Nos últimos segundos, Buckley tentou levar o combate para o solo, mas o tiro saiu pela culatra e acabou levando pressão de Imavov, que quase finalizou a luta, se tivesse mais tempo.

No primeiro minuto do 2º round, Buckley acertou dois socos precisos. Em seguida, na metade do assalto, a trocação entre os dois aumentou e o combate ficou com a impressão de que iria acabar antes da hora. No entanto, faltando menos de dois minutos, Imavov remontou na luta e tentou a finalização sobre o americano, com os dois no chão, ao ponto do Buckley perder o protetor bucal.

Por fim, no último round, após um minuto e meio de estudo e precaução, os lutadores ameaçaram recomeçar a trocação. Nos dois minutos finais, Imavov cresceu e, com tentativa de derrubar Buckley e dois diretos, conseguiu se sobrepor. Para finalizar, com 15 segundos a faltar, Buckley propôs trocação e deu um último suspiro no combate. No entanto, por decisão unânime dos jurados, Nassourdine Imavov venceu e os franceses comemoraram novamente no UFC Paris.

Alessio Di Chirico (ITA) x Roman Kopylov (RUS) – russo decisivo com socos

A princípio, o duelo começou com tentativas de socos e chutes dos dois lados, que ficaram mais intensos com o passar do tempo. Na parte final do 1º round, Kopylov acertou joelhada e sequência de socos faltando menos de 30 segundos para o final do assalto inicial.

Nos instantes iniciais do 2º round, os dois atletas voltaram a se estudar. No entanto, em seguida, o duelo foi para a grade, sob pressão de Kopylov. Quando os oponentes estiveram em pé, o russo acertou chute e o italiano revidou com joelhada.

Primeiramente, nos golpes iniciais, Di Chirico começou com socos mais precisos, logo revidados pelo Kopylov, com diretos e chutes. Assim, em mais alguns desses socos, proporcionou nocaute técnico, que deu vitória para o russo no UFC Paris.

William Gomis (FRA) x Jarno Errens (HOL) – mais uma vitória dos franceses no UFC Paris

Na primeira metade do round inicial, os lutadores apenas ameaçaram golpes. Até que, no solo, com domínio de Gomis, o francês tentou imobilizar Errens. No entanto, próximo do final do combate, Errens tentou um triângulo, mas não deu certo. Assim, para os jurados, de forma majoritária, William Gomis venceu, para a festa da torcida francesa, mais uma vez.

Charles Jourdain (CAN) x Nathaniel Wood (ING) – Equilíbrio por baixo, mas a vitória ficou com o inglês

A saber, em um duelo equilibrado e bem disputado, Jourdain e Wood abriram o card principal do UFC Paris. Durante todo o combate, as duas partes prevaleceram em pé e, na base de socos, tentaram castigar o oponente. Dessa forma, após a decisão dos jurados, de forma unânime, a vitória ficou com o inglês Nathaniel Wood.

Card Preliminar – UFC Paris

Abus Magomedov (ALE) x Dustin Stoltzfus (USA) – Piscou, perdeu

De imediato, com apenas 15 segundos, na luta mais rápida do UFC Paris, Abus Magomedov acertou chute preciso, no rosto de Stoltzfus. Na sequência, já abatido, o americano recebeu mais socos na grade, o que acarretou o nocaute técnico, com vitória de Magomedov.

John Makdessi (CAN) x Nasrat Haqparast (MAR) – Duelo equilibrado e movimentado

Primeiramente, Makdessi e Haqparast começaram o combate trocando muitos socos, com notável equilibrio. Em seguida, pelo 2º round, o combate seguiu em alta voltagem, com destaque para a tentativa de soco de Makdessi, que resultou em uma resposta alucinante de Haqparast. No mais, a luta seguiu em pé, com boas tentativas de esquiva dos dois lutadores.

Com golpes em menor velocidade e quantidade, os lutadores começaram o 3º round de forma mais cautelosa. No entanto, o equilíbrio seguiu, diante dos socos em bom número, aumentando com o passar dos minutos. Por fim, Makdessi tentou, por duas vezes, levar o combate ao solo, mas não conseguiu fazer muita coisa por lá. Assim, os jurados decidiram, de forma unânime, pela vitória de Nasrat Haqparast.

Fares Ziam (FRA) x Michal Figlak (POL) – mais uma vitória de lutador da casa no UFC Paris

Primeiramente, de um lado, o francês tentou os chutes, enquanto o polonês respondeu com socos. Até que, com menos de dois minutos, o combate foi ao solo, por parte de Ziam. No entanto, o duelo voltou a ficar em pé logo depois. Por fim, o francês conseguiu mais golpes e, com o oponente no chão, ficou mais fácil para controlar a luta e deixar um mar de sangue no rosto de Figlak.

No 2º round, Ziam seguiu com o domínio desde o começo do assalto. Além disso, nos últimos instantes, o francês encontrou uma cotovelada giratória, que marcou o combate dentro dos cinco minutos.

Por fim, o último round começou mais truncado, com tímidos golpes de ambas as partes. Até que, com pouco mais de dois minutos para o fim da luta, Ziam levou novamente o duelo ao chão. No entanto, em seguida, os oponentes terminaram no solo, alternando o domínio entre o francês e o polonês. Assim, para os jurados, de forma unânime, a vitória no UFC Paris ficou com o lutador da casa, Fares Ziam.

Benoit Saint Denis (FRA) x Gabriel Miranda (BRA) – Brasileiro estreia com derrota no UFC Paris

Primeiramente, o combate começou em alta voltagem, com chutes e socos de ambos os lados. Na sequência, o francês acertou duas cotoveladas em Gabriel. Para finalizar, o brasileiro passou a metade final do 1º round no solo, sofrendo golpes de Saint Denis. 

Na sequência, o francês precisou apenas de mais 15 segundo para levar a melhor. A saber, Gabriel sofreu mais golpes, e caiu para o oponente que comemorou com a própria torcida a vitória, por nocaute técnico, no UFC Paris.

Khalid Taha (LIB) x Cristian Quiñonez (MEX) – El Niño passou no UFC Paris

A princípio, o combate começou com muito estudo dos dois lados, com algumas tentativas de socos e chutes de Quiñonez. Até que, aos 3m15 de luta, o mexicano acertou um soco atrás do outro e o árbitro fez a intervenção para finalizar a luta e decretou, assim, nocaute técnico.

Stephanie Egger (SUI) x Ailin Perez (ARG) – No chão, a suíça finalizou

Primeiramente, o duelo começou no solo, especialidade da suiça, que dominou o combate por cima. No entanto, os últimos instantes do 1º round tiveram domínio de Perez, que se livrou dos golpes da oponente, que tentava retornar ao solo, e desferiu socos e joelhadas.

Na sequência, após instrução de ficar mais em pé do seu treinador, Perez começou melhor o 2º round. No entanto, logo o duelo voltou ao chão, com a argentina travando as investidas de Egger.

Em seguida, os dois minutos finais foram de domínio da lutadora suíça, que ficou por cima e com alguns socos sobre a adversária. Até que, com menos de 10 segundos para o fim do 2º round, Stephanie Egger colocou Perez de lado e finalizou por estrangulamento para conquistar a vitória no UFC Paris.

Foto destaque: Divulgação/UFC 

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top