Leandro Lo: réu no caso do assassinato pode ir a júri popular após audiência

Paola Zanon | 23/05/2023 - 15:17

O policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo, réu no caso do assassinato de Leandro Lo, que aconteceu em agosto do ano passado, poderá ir a júri popular após a audiência marcada para esta terça-feira (23) no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

O PM está detido desde a época do crime e se tornou réu após a Justiça aceitar a denúncia do Ministério Público por homicídio qualificado; a pena pode variar entre 12 a 30 anos.

Nesta tarde, Velozo será ouvido no TJ-SP e, após a audiência, será decidido se o policial acusado vai a júri popular ou não, podendo recorrer da decisão. Uma nova audiência acontecerá apenas após o fim do recurso.

A Justiça de São Paulo já ouviu alguns depoimentos sobre o caso em março deste ano e ainda receberá testemunhas de defesa e acusação na audiência de hoje.

Caso Leandro Lo

Leandro Lo, campeão mundial de jiu-jítsu, foi morto aos 33 anos com um tiro na cabeça no dia 7 de agosto de 2022. O assassinato aconteceu dentro do Clube Sírio, em Indianópolis, bairro da Zona Sul de São Paulo.

O PM Henrique Otávio Oliveira Velozo foi identificado como o autor do tiro. De acordo com os relatos das testemunhas, os dois entraram em uma discussão, na qual Velozo pegou uma garrafa de vidro para agredir Leandro.

Lo tirou a garrafa das mãos do policial e o imobilizou, e amigos do atleta separaram os dois no intuito de encerrar a discussão. Em seguida, o oficial pegou sua arma e efetuou o disparo.

O lutador chegou a ser socorrido e levado ao hospital com vida, mas teve a morte cerebral confirmada.

Escrito por Paola Zanon
Paola Zanon é jornalista formada pela Cásper Líbero, repórter e redatora com passagens pelo Notícias da TV, R7 e UOL Esporte. A carreira no jornalismo esportivo começou com a cobertura dos Jogos Pan-Americanos de 2019 pelo R7 até chegar ao Quinto Quarto em fevereiro de 2023. São-paulina de coração e apaixonada por basquete, futebol e viagens.