NFL

Scramble: o que rolou na rodada de wild card 2020 da NFL

Ah, os playoffs! Essa época do ano em que todo amante da NFL suspira de emoção. Neste final de semana, temos as partidas da rodada de wild card dos playoffs da temporada 2020. É o Super Wild Card Weekend! E você pode ler as análises do Quinto Quarto de todas as partidas em um único lugar: o Scramble.

Se desejar ler nossas análises breves de cada uma das partidas decisivas, basta ficar de olho neste conteúdo. Serão seis jogos na rodada de wild card pela primeira vez na história da National Football League e o QQ quer deixar tudo registrado.

Neste espaço, Bruno Bataglin, editor de NFL do QQ, Miguel Amado, apresentador do Quinto Quarto Expresso, e João Fraga, nosso produtor e faz tudo, trazem suas análises dos jogos. Tudo com uma dose de bom humor e descontração que está no DNA do Quinto Quarto.

Sem mais enrolação, vamos aos jogos do Super Wild Card Weekend dos playoffs da temporada 2020…

Jogos do domingão – 10 de janeiro

Pittsburgh Steelers (12-4) 37 x 48 Cleveland Browns (11-5)

por Bruno Bataglin

– Um primeiro quarto que definiu uma partida inteira. Assim pode ser descrito esse confronto entre rivais da AFC North. Deu TUDO certo para o Cleveland Browns e TUDO errado para o Pittsburgh Steelers. E o resultado foi um sonoro 28 a 0 que abriu caminho para a maior zebra da rodada de wild card dos playoffs.

– As coisas deram errado desde a primeira jogada da linha de scrimmage. Um snap alto horroroso do center Maurkice Pouncey passou por cima da cabeça do quarterback Ben Roethlisberger e gerou o primeiro TD dos Browns. A campanha seguinte dos Steelers teve uma interceptação lançada por Big Ben. E, 58 segundos mais tarde, o placar marcava 14 a 0 para os Browns, depois de um passe de 40 jardas de Baker Mayfield para Jarvis Landry.

– Com o rival nas cordas, Cleveland aproveitou para anotar mais dois TDs no quarto inicial, em corridas de 11 e oito jardas de Kareem Hunt, e a vantagem saltou para 28 a 0. O MUNDO ESTAVA EM CHOQUE!

– No segundo quarto, os Steelers anotaram um TD em corrida de uma jarda de James Conner, reduzindo a desvantagem para 28 a 7, mas os Browns responderam segundos depois com um TD em passe de sete jardas de Mayfield para Austin Hooper, deixando o placar em 35 a 7. Pouco antes do intervalo, Chris Boswell acertou um field goal de 49 jardas para os Steelers e o marcador estava em 35 a 10 no intervalo.

– Os Steelers trouxeram esperança com dois TDs no terceiro quarto, em passes de Big Ben para Eric Ebron (17 jardas) e JuJu Smith-Schuster (cinco jardas). A diferença caiu para 25 a 23. Mas o último quarto foi a pá de cal, com um TD em recepção de 40 jardas de Nick Chubb e dois field goals de Cody Parkey. Nem os dois TDs de Pittsburgh, ambos em conexões de Big Ben com Chase Claypool, adiantaram.

– O Cleveland Browns entrou pronto para aprontar. E, superando todas as adversidades, como um mini-surto de COVID-19 que custou até a presença do head coach Kevin Stefanski da lateral do gramado, o time venceu pela primeira vez nos playoffs desde a temporada 1994. E mesmo sem o guard Joel Bitonio e o cornerback Denzel Ward, duas peças fundamentais do time, em campo.

– Baker Mayfield (21/34, 263 jardas e três touchdowns) teve uma estreia de gala nos playoffs, saindo de campo com um passer rating de 115.2. E ele contou com a ajuda de Nick Chubb (18 corridas para 76 jardas e quatro recepções para 69 jardas e um TD), Kareem Hunt (oito corridas para 48 jardas e dois TDs), Jarvis Landry (cinco recepções para 92 jardas e um TD) e Austin Hooper (sete recepções para 46 jardas e um TD).

– E a defesa dos Browns foi absurda e forçou cinco turnovers, sendo quatro interceptações de Roethlisberger (Sheldrick Redwine, Sione Takitaki, M.J. Stewart Jr. e Porter Gustin) e o fumble de Pouncey no comecinho da partida.

– Do lado dos Steelers, Ben Roethlisberger (47/68 para 501 jardas, quatro TDs e quatro INTs) teve uma atuação horrorosa. Os melhores do ataque foram os wide receivers JuJu Smith-Schuster (13 recepções para 157 jardas e um TD) e Diontae Johnson (11 recepções para 117 jardas).

– Sempre o setor mais forte dos Steelers, a defesa foi pífia e não teve resposta para os apagões do time.

– Agora, enquanto os Steelers verão a sequência dos playoffs do sofá de casa, os Browns viajam para enfrentar o Kansas City Chiefs no Arrowhead Stadium.

New Orleans Saints (12-4) 21 x 9 Chicago Bears (8-8)

por Miguel Amado

– Não olhe para esse resultado e amaldiçoe Mitch Trubisky, apesar de ele continuar sendo um QB mediano quando está em bom dia. O ataque inteiro dos Bears deixou a desejar, inclusive quando conseguiram um espacinho na excelente defesa dos Saints. Foram nove faltas, um drop vergonhoso de Javon Wims em um touchdown que seria de placa para Trubisky (199 jardas, 1 TD) e uma derrota sem contestação para New Orleans.

– O ataque dos Saints ganhou o ótimo reforço de Michael Thomas, que teve um TD e cinco recepções para 73 jardas. A diferença de armas e poderio ofensivo ficam claros em dois números. Terceiras descidas convertidas: Saints 11 (de 17) x 1 (de 10) Bears.

– O 9 dos Bears é ainda um pouco enganador, já que seria 3 até um TD no estouro do cronômetro. Agora os Saints, com um time completo, pegam o Tampa Bay Buccaneers, rival de divisão, no divisional round. Na temporada regular foi dois atropelos de Drew Brees e companhia. Isso se repetirá?

Tennessee Titans (11-5) 20 x 13 (11-5) Baltimore Ravens

por João Fraga

– Os playoffs sempre são oito ou oitenta. Como Lamar Jackson venceu sua primeira partida na pós-temporada, hoje, o QB é mais do que 80. Diria que ele é 100, afinal passou das 100 jardas, fez a jogada que mudou a partida e garantiu a sequência dos Ravens nos playoffs.

– No fim das contas, Lamar Jackson terminou com 136 jardas terrestres e um TD. Mas na parte aérea, o QB ficou devendo com apenas 178 jardas e uma interceptação. E falando em interceptação, Ryan Tannehill lançou uma decisiva a dois minutos do final da partida e selou a derrota dos Titans.

– Fato é que as duas defesas foram muito bem e limitaram os ataques.  Não à toa, ainda não citei o nome de Derrick Henry, que passou das duas mil jardas terrestres na temporada regular, mas sumiu diante dos Ravens. O RB dos Titans correu para 40 jardas em 18 carregadas, um desempenho fraquíssimo de quem se esperava muito.

Jogos do sabadão – 9 de janeiro

Washington Football Team (7-9) 23 x 31 Tampa Bay Buccaneers (11-5)

por João Fraga

– Já estamos cansados e velhos de falar que a NFL é uma liga de quarterbacks. Para você ter mínimas chances de avançar nos playoffs, seu time precisa de um QB, coisa que o Washington Football Team não tem e que o Tampa Bay Buccaneers tem de sobra. Tom Brady e companhia não fizeram um jogo digno de aplausos, mas venceram e levaram os Bucs a primeira vitória da franquia em playoffs desde o Super XXXVII, em 2002, quando o time de Tampa foi campeão.

– Para o WFT fica o gosto amargo, mas o time caiu de pé. Com seu QB reserva do reserva do reserva, a franquia foi puro coração e entrega em campo. Taylor Heinicke teve um primeiro tempo discreto, mas botou fogo no jogo, se machucou, retornou e quase liderou uma campanha que poderia empatar o jogo no minuto final. Foi legal demais acompanhar a resiliência da franquia da capital dos Estados Unidos, que demorou a entrar no jogo.

– Tom Brady terminou a partida com 381 jardas, dois TDs e 22 passes certos de 40 tentados. Não foi uma apresentação de gala, mas deu para o gasto. Esta foi a vitória de número 31 em playoffs para Brady, sendo que o segundo da lista é Joe Montana, que tem 16!

– Leonard Fournette  anotou um TD terrestre, enquanto Antonio Brown e Chris Godwin anotaram TDs aéreos. Curioso é que Rob Gronkowski só foi alvo de um único passe e saiu de campo zerado.

– Pelo lado do WFT, Taylor Heinicke acertou 26 de 44 passes, somou incríveis 306 jardas, com um TD e uma interceptação, nada mal para quem caiu sem paraquedas nos playoffs e, pelo menos, manteve o time com chances de ganhar. Afinal, o QB anotou um TD correndo que é digno de colocar no DVD.

Seattle Seahawks (12-4) 20 x 30 Los Angeles Rams (10-6)

por Miguel Amado

– E temos a primeira zebra dos playoffs. Os Rams eram azarões para as casas de apostas, mas foram até Seattle e venceram os Seahawks, campeões da NFC West, com uma performance dominante da defesa. Jared Goff teve que entrar em campo porque John Wolford levou uma pancada na cabeça e saiu do Lumen Field de ambulância.

– Mas isso não importou tanto para a equipe porque os Rams fizeram um excelente trabalho anulando Russell Wilson. O camisa 3 teve apenas 174 jardas, muitas delas quando a vantagem no último quarto era considerável. A jogada mais importante veio no meio do segundo quarto: com o jogo 6 a 3 para os Rams, Wilson foi interceptado em um passe curto por Darious Williams e o retorno foi para TD.

– Os Seahawks conseguiram um TD de 51 jardas com DK Metcalf logo depois, mas os Rams responderam com uma campanha rápida que terminou com corrida e TD de Cam Akers. O calouro teve 131 jardas corridas, recorde para um calouro na história da franquia.

– No segundo tempo os californianos seguiram mantendo a vantagem. Wilson sofreu cinco sacks no total e mesmo com a saída de Aaron Donald, com uma possível lesão nas costelas, a defesa de Los Angeles seguiu imponente. Erros dos Seahawks, como um fumble em retorno de punt no final da partida, fizeram a zebra se confirmar.

Buffalo Bills (13-3) 27 x 24 Indianapolis Colts (11-5)

por Bruno Bataglin

– Não teve Marília Mendonça, mas foi NA SOFRÊNCIA. E foi com essa vitória apertada que o Buffalo Bills venceu sua primeira partida de playoffs desde 1995 (este que vos escreve tinha quatro aninhos de idade) e avançou para a rodada de divisão dos playoffs.

– Os Bills chegaram a abrir 24 a 10 no início do último quarto, mas cederam dois touchdowns (um com conversão de dois pontos) nos 12 minutos finais para deixar o torcedor de Buffalo roendo as unhas, cutículas e até um pouco dos tendões.

– Buffalo se apoiou no fantástico quarterback Josh Allen (26/35, 324 jardas e dois TDs, além de 54 jardas corridas e um TD terrestre) e no espetacular wide receiver Stefon Diggs (seis recepções para 128 jardas e um TD).

– Se o ataque dos Bills fez valer o show, a defesa foi uma verdadeira mãe, cedendo 472 jardas totais, sendo 309 aéreas e 163 terrestres para os Colts. Tanto que Philip Rivers (27/46, 309 jardas e dois TDs) teve suas chances no jogo. E ficou por uma hail mary no final de virar, no que seria um anticlímax tremendo para uma torcida sofrida.

– O running back calouro Jonathan Taylor (21 corridas para 78 jardas e um TD) contribuiu como pôde do lado de Indianapolis, mas não foi um fator como vimos em outros jogos neste ano.

– Vale lembrar que o kicker Rodrigo Blankenship, dos Colts, começou a partida abrindo o placar com um field goal de 30 jardas. Mas outro chute de 33 jardas no terceiro quarto, que ele mandou no poste, custou três pontos preciosos.

– Para não ser injusto com Blankenship, os Colts tiveram uma terceira para o goal na linha de uma jarda com dois minutos restando no segundo quarto e não conseguiram o TD. Eles ainda arriscaram a quarta descida, mas a defesa dos Bills subiu o muro e fez o ataque rival sair de campo zerado.

– Na minha visão, se essa defesa for mais parruda nos playoffs, os Bills têm sim muito futuro. O que Allen e Diggs vêm jogando não está escrito. É um ataque com cara de time de decisão.

PS: nossa primeira aposta dos playoffs, de Bills -6,5, foi pelo ralo na reta final do último quarto. Sigamos…

Para iniciar as atividades, o Quinto Quarto Expresso #224…

Comments
NFL, NBA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: [email protected]
Copyright © 2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18


Jogue com responsabilidade


Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top