NFL: quarterback foi drogado e morreu por ‘conspiração’, diz advogado

Pedro Rubens Santos | 11/04/2023 - 07:00

Ex-quarterback do Pittsburgh Steelers, Dwayne Haskins morreu em 9 de abril de 2022, aos 24 anos, ao ser atropelado por um caminhão.

Um ano depois da tragédia, uma ação judicial alega que a morte do jogador faz parte de uma grande conspiração envolvendo chantagem e roubo. Além disso, segundo o advogado, Haskins foi drogado antes de falecer.

VEJA TAMBÉM

+ Jogador da NFL é acusado de apontar arma de fogo para mulher

++ Jogador da NFL resgata homem de carro em chamas

Na noite do acidente, o atleta, então parte do elenco dos Steelers, caminhava por uma estrada no sul da Flórida, no condado de Broward, e acabou atingido por um caminhão basculante.

Um exame toxicológico indicou a presença de álcool e drogas no organismo de Haskins na hora de sua morte. Ele testou positivo para os analgésicos cetamina e norcetamina. Segundo a ‘Associated Press’, as drogas podem ser prescritas por um médico, mas também usadas de forma recreativa.

O carro do jogador foi encontrado sem gasolina na mesma estrada, próximo ao local do acidente. Testemunhas relataram que ele tentou acenar para outros carros antes de ser atingido pelo caminhão.

Em um comunicado à imprensa, o advogado Rick Ellsley detalhou aspectos daquela noite e informações sobre o motorista e o veículo envolvidos na tragédia.

— O caminhão estava indo mais rápido do que o limite de velocidade, com carga excessiva e tinha problemas no sistema de freios — relatou. — Antes de Dwayne (Haskins) ser morto, diversos motoristas viram Dwayne na estrada e evitaram atingi-lo.

Ellsley destacou que ainda restam “muitas perguntas” sobre o motivo de o condutor não ter evitado a colisão. Na nota, ele lembra que o homem se recusou a fornecer uma amostra de sangue à polícia e ainda não mandou o resultado de seu teste de embriaguez.

Conspiração, chantagem e roubo

O advogado diz acreditar que o quarterback foi drogado e alvo de uma conspiração que envolve chantagem e roubo. 

— Sobre o que ocorreu nas horas antes da morte de Dwayne, muitas questões seguem sem resposta — escreveu. — Seu relógio de alto valor foi roubado pouco antes de sua morte.

Uma ação judicial foi protocolada mês passado, no condado de Broward, na Flórida, alegando negligência de diversas partes, entre elas do motorista, da empresa responsável pelo caminhão e do Departamento de Transportes da Flórida.

No comunicado, Rick Ellsley afirma que a ação é “um passo importante no processo de descobrir toda a verdade sobre essa tragédia”.

O texto também enfatiza que os registros telefônicos do motorista ainda não foram divulgados e levanta suspeitas em cima do ocorrido.

— Alguns motoristas até tiveram tempo de ligar para a polícia antes de Dwayne ser atingido —  informa. — Havia faróis, luzes de freio e pisca-alertas ligados, assim como uma placa brilhante de sinalização iluminando Dwayne quando o motorista do caminhão se aproximava da área.

O advogado pediu, por fim, que qualquer pessoa com conhecimento sobre o evento entrasse em contato por telefone ou e-mail.

Dwayne Haskins foi uma escolha de 1ª rodada no draft de 2019 da NFL. Ele jogou pela universidade de Ohio State e começou sua carreira profissional pelo Washington Commanders. Em 2021, se transferiu para o Pittsburgh Steelers, onde permaneceu por uma temporada.

Haskins morreu aos 24 anos, em abril de 2022, em Fort Lauderdale, no estado da Flórida.