Playoffs da NFL: Com Love perfeito, Packers derrubam Cowboys no Texas

Victor Francisco | 14/01/2024 - 22:18

O jogo do wild card dos playoffs da NFL marcou o reencontro do técnico Mark McCarthy, hoje no Dallas Cowboys, com a sua ex-equipe, o Green Bay Packers, com quem ganhou um SuperBowl (2010). E a lei do ex não funcionou aqui. Na partida entre o quarterback que jogava a sua primeira partida de pós-temporada, Jordan Love, e o experiente Dak Prescott (sexto jogo), o amor venceu e venceu bonito.

O rating de Love, que passou três anos no banco de Aaron Rodgers até assumir a titularidade neste ano, foi quase perfeito – 157.2 (o máximo é 158.3). Foram três touchdowns, nenhuma interceptação, 272 jardas e 16 passes completos de 21 tentados.

Agora, os Packers irão enfrentar outro time que também será considerado favorito, o San Francisco 49ers.

Packers x Cowboys: Só Love joga bem; Prescott acorda só sob pressão

Em uma campanha que mesclou bem passes e ótimas corridas de Aaron Jones, os Packers chegaram à redzone dos Cowboys. E foi com Jones, explorando os espaços abertos pela linha ofensiva, que os visitantes abriram o placar: 7 a 0 após o ponto-extra confirmado.

Dak Prescott, quarterback dos Cowboys, apesar de ter ganho uma primeira descida com uma linda corrida, não conseguiu sustentar a campanha para pontuar.

Após punt dos Packers, Dak Prescott foi lindamente interceptado por Jaire Alexander. Na jarda 19, o quarterback Jordan Love conduziu os visitantes até a goal line. E na cara do ‘gol', a missão era com Jones, Aaron Jones. O placar foi a 14 a 0 após o chute certeiro de Anders Carlson.

O segundo quarto começou igual, com Dak Prescott muito pressionado e sem conseguir criar uma reação para os donos da casa.

Love, muito mais seguro, conseguia o tempo para achar os alvos em grandes passes, como para Romeo Doubs, colocando o time no campo de ataque. E toda a categoria de Love foi recompensada com uma linda recepção de Dontayvion Wicks no meio da endzone. Incrivelmente, o ponto-extra não foi convertido e o placar foi a 20 a 0 para os visitantes.

E nada é tão ruim que não possa virar um pesadelo para os Cowboys. Dak Prescott mal ficou com a bola e já lançou outra interceptação – que desta vez, parou na endzone com a pick six de Darnell Savage. Com o chute bom desta vez, 27 a 0 para os Packers, já dentro dos dois minutos finais da primeira etapa.

Usando o hurry up, Dak Prescoot finalmente conseguiu levar o time até a redzone. Na jarda 1, com seis segundos e sem tempo, Dak Prescott lançou um passe incompleto para CeeDee Lamb. Em vez de um field goal, os Cowboys foram para o tudo ou nada e marcaram o touchdown no passe de uma jarda para o tight-end Jake Fergusson. Brandon Aubrey acertou o chute e diminuiu a vantagem dos Packers para 27 a 7.

No começo do terceiro quarto, os Cowboys encaixaram nova boa campanha, com ótimas jardas aéreas ganhas com CeeDee Lamb. Mas o resultado não foi um touchdown e sim um field goal de Aubrey: 27 a 10.

Love e o ataque dos Packers responderam de forma contundente, variando de forma eficiente o jogo aéreo, com Doubs, e terrestre, com Jones. Na goal line, Jones desfilou pelo meio das linhas para marcar o seu terceiro touchdown no jogo: 34 a 10 Packers, após chute correto.

Para manter-se vivos na partida, os Cowboys mostraram garra para chegar, aos poucos, até a endzone com o running back Tony Pollard. Na tentativa de dois pontos, uma falta anulou a jogada e o Cowboys teve que ir para um ponto-extra de mais de 40 jardas – que bateu no post e não entrou – 34 a 16, Packers.

Se o ataque dos Cowboys finalmente apareceu no jogo, o mesmo não se pode dizer da defesa. Em um play action mortal, Love lançou Musgrave, que livre, recebeu e chegou até a endzone sem ser incomodado: 41 a 16, após Carlson completar o seu trabalho.

O último quarto começou com uma longa campanha dos Packers, que chegaram à goal line e usaram as quatro descidas para o touchdown de passe de Love para Doubs. Carlson mandou a bola no meio do ‘Y' e garantiu o 48 a 16.

Na pressa, os Cowboys foram no turbo até a goal line. Prescott passou para Fergusson marcar seu segundo touchdown no jogo, restando seis minutos no relógio. Rico Dowdle correu para mais dois pontos – 48 a 24.

Sem sucesso – e só para gastar o tempo – os Packers não marcaram em sua campanha. Já os Cowboys tiveram novo sucesso, novamente com Prescott passando para Fergusson. Prescott correu para endzone para mais dois pontos – 48 a 32, faltando três minutos no relógio. O desespero tomou conta e o time da casa não conseguiu o milagre esperado, sem conseguir mudar o placar.

Escrito por Victor Francisco
Campeão Brasileiro de Futebol Americano pelo Corinthians Steamrollers (2011), Victor é jornalista, com experiência na área esportiva como Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League. É fundador da plataforma de mídia Salão Oval, destinada ao futebol americano no Brasil. Foi narrador e comentarista do futebol americano praticado no Brasil no BandSports, Fox Sports, Globo Esporte.com e ESPN.