Playoffs da NFL: Lions fazem história em vitória com placar mínimo

Victor Francisco | 15/01/2024 - 01:23

No jogo dos quarterbacks trocados, deu Detroit Lions. Matthew Staford quarterback dos Lions por 12 anos, mas hoje defende os Rams, onde foi campeão em 2021 com o time da Califórnia. Jared Goff surgiu em Los Angeles, mas é o atual líder da equipe de Michigan.

A vitória do time de Detroit foi a primeira em uma pós-temporada após 32 anos, levando à torcida às lágrimas. De todos as partidas do wild card da NFL, foi a com o maior equilíbrio, maior nível técnico e a mais imprevisível – mesmo com o Lions na frente durante todo o tempo.

Com o triunfo histórico, a equipe espera o vencedor de Philadelphia Eagles e Tampa Bay Buccaneers, que encerram a fase nesta segunda (15).

Lions x Rams: foi lá e cá!

Depois de uma campanha afinada, na cara do ‘gol' o time da casa escolheu uma power play para entrar na endzone com o running back Jahmyr Gibbs. Michael Badgley chutou e garantiu o 7 a 0 no placar.

Os Rams responderam com uma campanha que também chegou muito perto da linha final, mas não conseguiu um touchdown (quase sim, uma interceptação). O jeito foi partir para um field goal, com Brett Maher – 7 a 3 Lions.

Os Lions não perdoaram também na segunda campanha. Em um play action maroto, Gibbs correu, Goff fingiu e o running back parou só dentro da endzone: 14 a 3 após o chute dos donos da casa.

Os Rams voltaram inspirados no segundo quarto. Em um rota ultrassonica de Puca Nacua, o novato wide-receiver recebeu uma bola perfeita de Stafford para diminuir a vantagem dos anfitriões: 14 a 10, Lions.

O jogo continou frenético, com as defesas tentando segurar os ataques, em vão. Em uma quarta pra 1, na linha de duas jardas, Goff passou para o tight-end Sam LaPorta receber no meio da enzone – 21 a 10, após o ponto-extra.

Os Rams responderam com uma rota espetacular do wide-receiver Tutu Atwell, que mudou de direção na recepção, quebrou dois tackles e só para na endzone: 21 a 17, o placar final da primeira etapa.

No começo do terceiro quarto, a defesa dos Rams conseguiu fazer com que Goff perdesse jardas em um sack que forçou uma terceira descida para 21 jardas. Na linha de 35 jardas, Badgley tentou um field goal de 54 jardas com extrema competência – 24 a 17, Lions.

Explorando mais passes que corridas e usando muito o novato Nacua, os Rams chegaram no campo de ataque e até a redzone com o tight-end Davis Allen. Mas foi até aí que chegaram e assim como os Lions, tiveram que se contentar com o field goal: 24 a 20.

Matthew Stafford saiu da partida sentindo uma contusão após pancadas dos linhas dos Lions, causando apreensão sobre sua continuidade na partida.

Carson Wentz partiu para o aquecimento, mas Stafford voltou para o jogo, contando com Nacua e sua técnica apurada para chegar novamente em condições de pontuar. No entando, a defesa da casa atuou e o máximo que os visitantes conseguiram foi mais um field goal: 24 a 23, Lions.

Na campanha seguinte, Jared Goff não conseguiu levar o time para o campo de ataque e os Lions tiveram que recorrer ao punt. Com sete minutos e meio no placar, o tempo ainda não pressionava os Rams de forma impiedosa. Era o timing perfeito para uma campanha da virada.

E a campanha começou com a recepção de Nacua, que passou de 160 jardas no jogo estabeleceu o maior número de jardas recebidas por um novato em jogo de wild card na NFL. O recorde anterior era de DK Metcalf. No entanto, a campanha morreu com o recorde e não gerou pontos ou a tão esperada virada.

A missão dos Lions, com três minutos e meio (e os Rams com apenas um tempo), era cuidar da bola e gastar o relógio. Após o aviso dos dois minutos, o passe de Goff para Amon-Ra deu uma primeira descida crucial para o time de Detroit, que ajoelhou três vezes para garantir o 24 a 23 no placar.

 

 

Escrito por Victor Francisco
Campeão Brasileiro de Futebol Americano pelo Corinthians Steamrollers (2011), Victor é jornalista, com experiência na área esportiva como Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League. É fundador da plataforma de mídia Salão Oval, destinada ao futebol americano no Brasil. Foi narrador e comentarista do futebol americano praticado no Brasil no BandSports, Fox Sports, Globo Esporte.com e ESPN.