NFL

Black Monday NFL: contratações/demissões de técnicos, GMs, coordenadores e +

Na última sexta-feira de todo mês de novembro, as principais lojas do mundo realizam a tradicional Black Friday, quando muitos descontos são oferecidos aos consumidores. A National Football League tem seu período de queima de estoque em um momento diferente do ano: após a última rodada. Nesta data, as equipes que decepcionaram começam a fazer a limpa nas comissões técnicas e na diretoria. É a famigerada Black Monday!

Pensando em vocês, que estão sedentos para saberem quem foi ceifado e buscando uma esperança no fim do túnel para suas franquias, o Quinto Quarto preparou um listão com as principais movimentações da Black Monday.

Nomes importantes contratados

– Andrew Berry

No dia 27 de janeiro, o Cleveland Browns acertou a contratação do executivo Andrew Berry para ser o general manager e vice-presidente executivo de operações de futebol americano da franquia. O acordo é de cinco anos de duração.

Atualmente com 32 anos de idade, ele se torna o GM mais novo em toda a NFL e ele terá controle sobre o elenco de 53 jogadores para a temporada.

Berry retorna aos Browns depois de um ano no Philadelphia Eagles. Ele trabalhou na franquia de Cleveland de 2016 a 2018 como vice-presidente do departamento de jogadores.

Andrew Berry chega para substituir John Dorsey, demitido no dia 31 de dezembro, após duas temporadas no cargo.

Atualização: no dia 29 de janeiro, três executivos deixaram a franquia em meio a uma reestruturação da diretoria, depois que o time contratou Berry como novo GM.

Alonzo Highsmith, vice-presidente de elenco, disse à jornalista Josina Anderson, da ‘ESPN’ norte-americana, que ele e o time chegaram a um acordo mútuo para que ele saísse da organização. O general manager assistente Eliot Wolf também está deixando o time, segundo Chris Mortensen, também da ‘ESPN’. E o diretor de scouting universitário Steve Malin também chegou a um acordo com os Browns para sair, de acordo com Jake Trotter, igualmente da ‘ESPN’.

Wolf saiu dos Browns apesar dos esforços do novo regime para convencê-lo a permanecer. Vale lembrar que todos os três executivos foram contratados pelo ex-general manager John Dorsey.

– Kevin Stefanski

O Cleveland Browns chegou ao seu novo head coach. Kevin Stefanski, coordenador ofensivo do Minnesota Vikings, está chegando à franquia de Ohio para ser o novo técnico principal do time. A informação foi confirmada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e Jake Trotter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Atualmente com 37 anos de idade, Stefanski chega para substituir Freddie Kitchens, demitido pelos Browns no dia 29 de dezembro, após apenas uma temporada e com campanha de 6-10. Stefanski era um dos finalistas para o cargo nos Browns em 2019 antes de a organização decidir promover Kitchens do cargo de coordenador ofensivo para head coach.

Stefanski se torna o 18º head coach da história dos Browns, mas já o 12º (incluindo interinos) desde que a franquia retornou à NFL em 1999. Ele também será o quinto técnico contratado por Jimmy e Dee Haslam, proprietários do time, desde que eles compraram a organização em 2012.

Com a contratação de Stefanski pelos Browns, não há mais nenhum time da NFL sem um técnico.

Em 2019, o Cleveland Browns chegou a 17 anos sem ir aos playoffs, maior seca da NFL. Eles também não ganham um título de divisão desde 1989, que também é a maior sequência em toda a liga.

– Joe Judge

O New York Giants está trazendo Joe Judge, treinador de wide receivers e coordenador de special teams do New England Patriots, para ser o próximo head coach da franquia. A informação foi confirmada pelos jornalistas Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Atualmente com 38 anos de idade, Judge era o mais jovem dos sete candidatos que haviam sido mencionados publicamente para a vaga nos Giants e teve como mentores Nick Saban, técnico de Alabama, e Bill Belichick, técnico dos Patriots.

Judge chega para substituir Pat Shurmur, demitido pelos Giants no dia 30 de dezembro, após duas temporadas. E ele será o 19º head coach na história da organização nova-iorquina.

Joe Judge estava concorrendo ao cargo de head coach na Universidade de Mississippi State. Ele chegou aos Patriots em 2012, após três anos como analista de futebol americano em Alabama. Judge se tornou coordenador de special teams dos Pats em 2015 e, no ano passado, também assumiu a função de treinador de wide receivers.

– Matt Rhule

Matt Rhule, treinador da Universidade de Baylor, chegou a um acordo com o Carolina Panthers no dia 7 de janeiro para se tornar o novo head coach da franquia da Carolina do Norte. O contrato é de sete anos de duração, com valor de US$ 60 milhões, e o acordo pode chegar a US$ 70 milhões com base em metas.

A informação foi confirmada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Os Panthers anunciaram a contratação de maneira oficial pouco depois. E postaram um vídeo da ligação que selou o aperto de mãos.

Rhule teve um ano de experiência na NFL, em 2012, como assistente de linha ofensiva do New York Giants. Ele ia se reunir com os Giants na terça para ser entrevistado para o cargo de head coach, mas cancelou o encontro após ser entrevistado por David Tepper, proprietário dos Panthers.

Atualmente com 44 anos de idade, Rhule vai assumir uma equipe dos Panthers que terminou com campanha 5-11 nesta última temporada e teve três temporadas com mais derrotas do que vitórias nos últimos quatro anos, depois de ir ao Super Bowl 50. Ele vai substituir Ron Rivera, que foi demitido com quatro jogos remanescentes na temporada 2019, mas que foi o treinador mais vitorioso na história do Carolina Panthers.

– Mike McCarthy

Mike McCarthy foi contratado pelo Dallas Cowboys para substituir Jason Garrett e ser o nono head coach em tempo integral da história da franquia texana. A chegada do novo treinador foi confirmada no dia 6 de janeiro, horas depois da oficialização da demissão de Garrett.

Segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, o contrato de McCarthy com os Cowboys é de cinco anos de duração.

Ex-técnico do Green Bay Packers, McCarthy liderou a franquia de Wisconsin em uma vitória sobre o Pittsburgh Steelers, no Super Bowl XLV, no AT&T Stadium. E este, curiosamente, será o estádio que ele agora chamará de casa.

Nos Packers, McCarthy somou 125 vitórias, 77 derrotas e dois empates, tendo levado o time aos playoffs em nove de suas 13 temporadas como técnico. Além da temporada que terminou com o título do SB, os Packers do head coach chegaram à final da Conferência Nacional (NFC) em duas oportunidades.

Entretanto, a passagem do head coach por lá terminou de maneira amarga, ficando fora dos playoffs em 2017 e sendo demitido após 12 jogos em 2018.

E quem está chegando para compor o staff de McCarthy é Mike Nolan, que será o novo coordenador defensivo dos Cowboys. Ele passou as últimas três temporadas como treinador de linebackers do New Orleans Saints e sua saída deixará um buraco a ser preenchido na equipe de Dennis Allen, coordenador defensivo dos Saints.

– Ron Rivera

Não demorou muito para o ex-técnico do Carolina Panthers encontrar um novo emprego. Rivera acertou um contrato de cinco anos de duração para se tornar o próximo head coach do Washington Redskins no dia 31 de dezembro de 2019. Tem alguém que vai passar um Réveillon de emprego novinho.

Rivera somou 76 vitórias, 63 derrotas e um empate em seu tempo como comandante dos Panthers antes de ser demitido em meio à temporada 2019.

A contratação de Rivera se dá após um dia de início de mudanças profundas nos Redskins, já que o presidente/general manager Bruce Allen foi demitido na última segunda, após 10 temporadas na diretoria da franquia da capital dos Estados Unidos.

Junto com ele chega Jack Del Rio, ex-head coach do Oakland Raiders, como coordenador defensivo.

Nomes de destaque que rodaram

– Jason Garrett

Depois de muitas reuniões, o destino de Jason Garrett no Dallas Cowboys foi selado e o futuro do head coach não é mais na franquia texana. A informação foi apurada por Ed Werder, da ‘ESPN’ norte-americana.

Uma fonte disse a Werder que, após mostrarem uma “abundância de cuidado e respeito” por Garrett, o proprietário Jerry Jones e o vice-presidente executivo Stephen Jones decidiram que o treinador não fará mais parte dos planos da organização.

Segundo várias fontes, a família Jones e Garrett não fizeram uma reunião agendada para esta quinta, após duas reuniões na segunda e na terça que terminaram sem qualquer resolução sobre o status do head coach.

O contrato de Garrett deve expirar no dia 14 de janeiro. Então, tecnicamente, não chega a ser uma demissão.

Os Cowboys de Garrett ficaram fora dos playoffs na temporada 2019 e terminaram com campanha 8-8 pela quarta vez em nove temporadas de Garrett como treinador.

Jason Garrett está finalizando sua passagem pela franquia como o segundo mais longevo da história da organização e o segundo head coach mais vitorioso dos Cowboys, atrás apenas de Tom Landry. Garrett somou 85 vitórias e 67 derrotas, mas ganhou apenas dois jogos de playoffs em sua trajetória no time e jamais passou do divisional round.

Assim que o desligamento for oficial, os Cowboys vão iniciar a primeira busca por um novo comandante desde que Bill Parcells se aposentou, ao término da temporada 2006.

Atualização: a demissão de Garrett oficialmente foi confirmada pelos Cowboys no dia 5 de janeiro.

– John Dorsey

O ano extremamente decepcionante do Cleveland Browns fez mais uma vítima além do técnico Freddie Kitchens, que rodou no domingo (veja mais abaixo). Neste dia 31 de dezembro, a franquia de Ohio anunciou a demissão do general manager John Dorsey, após duas temporadas dele no comando da organização.

O time anunciou a decisão de maneira oficial e concluiu a ‘limpa’ nos dois cargos mais importantes diretamente ligados às operações de futebol americano.

Dorsey teve uma reunião com o proprietário Jimmy Haslam. O jornalista Tom Pelissero, da ‘NFL Network’, apurou que Haslam estava considerando mudanças estruturais que tirariam um pouco da autoridade de Dorsey como GM. Mas as duas partes não puderam chegar a um acordo em relação a essa reestruturação.

– Pat Shurmur

A segunda tentativa de Shurmur como treinador não rolou. Depois de ser demitido pelos Browns após dois anos, com nove vitórias e 23 derrotas, ele foi demitido dos Giants após dois anos, com nove vitórias e 23 derrotas. Claro que não foi só culpa dele, dando para culpar a montagem do elenco e jogadores descomprometidos em alguns momentos. Mas Shurmur falhou em diversos aspectos: não aproveitar Saquon Barkley ao máximo – pergunte para um torcedor dos Giants sobre as corridas pelo meio -, a falta de perspectiva de melhora e o fato do trabalho com Daniel Jones ser questionável também.

No mesmo dia em que demitiu Shurmur, os Giants também anunciaram que o general manager Dave Gettleman não está ameaçado e segue no cargo.

“Steve e eu tivemos muitas conversas extensas sobre o estado dos Giants. Nesta manhã, tomamos a decisão muito difícil de que seria no melhor interessa da franquia que liberássemos Pat de suas funções. As últimas três temporadas foram extremamente decepcionantes para a organização e nossos torcedores. Pat tem sido um técnico da NFL bem-sucedido e altamente respeitado por 21 anos e ele não é o único responsável por nosso retrospecto. Mas chegamos à conclusão de que é melhor ter um recomeço com a comissão técnica”, disse John Mara, presidente dos Giants, em nota oficial.

Quando a temporada 2020 começar, o NY Giants, que antes era considerado um modelo de estabilidade na NFL, terá o seu quinto técnico diferente (incluindo interinos) nas últimas seis temporadas.

– Freddie Kitchens

Não precisou nem chegar na segunda-feira, o que é triste. A experiência Kitchens como head coach não rolou bem e ele foi demitido após um fim de temporada horrível, com derrotas, uma estrela desafiando seu poder para todos verem e os Bengals comemorando sua segunda vitória na temporada nesta semana 17. Uma verdadeira e legítima temporada perdida para os Browns.

A demissão foi confirmada logo após o revés por 33 a 23 para os Bengals, que fechou a campanha extremamente decepcionante de 6-10 para os Browns.

“Eu gostaria de agradecer Freddie por sua dedicação e esforços nesta última temporada. Nós estamos decepcionados com nossos resultados e sentimos que uma mudança é necessária. Freddie é um bom homem e um bom treinador de futebol americano. Desejamos a ele e sua família todo o sucesso”, falou o general manager John Dorsey, em nota oficial.

Após demitirem Kitchens, os Browns vão contratar seu nono head coach diferente desde 2000. Kitchens é apenas o segundo técnico da história dos Browns a ser demitido após apenas uma temporada no cargo. O outro é Rob Chudzinski, em 2013.

– Bruce Allen

Após uma década de trabalho na capital dos Estados Unidos, Bruce Allen foi demitido do cargo de presidente do Washington Redskins. Apesar das reportagens iniciais de que Allen seria remanejado dentro da organização a franquia resolveu liberá-lo de suas funções.

Dan Snyder, proprietário dos Redskins, emitiu um comunicado confirmando a saída de Allen.

“Enquanto chegamos ao fim desta temporada, Bruce Allen foi dispensado de suas funções como presidente do Washington Redskins e não está mais na organização. Como nossa apaixonada torcida, eu reconheço que não alcançamos os altos padrões estabelecidos pelos grandes times dos Redskins, técnicos e jogadores que vieram antes de nós. Enquanto reavaliamos nossa liderança, cultura e processo para vencer jogos de futebol americano, estou empolgado com as oportunidades que temos pela frente para renovar nosso foco e propósito únicos de fazer o futebol americano campeão de volta a Washington D.C.”, falou Snyder.

Desde que Allen assumiu o posto, em 2010, os Redskins tiveram temporadas de derrotas seguidas de temporadas de derrotas. Com ele como presidente, foram 62 vitórias, 97 derrotas e um empate em 10 anos. O time é o último da divisão NFC East em aproveitamento (39,1%), em términos de campanha na última colocação da divisão (cinco) e está empatado em último em classificações para os playoffs (duas).

A decisão de removê-lo do cargo representa uma mudança organizacional tremenda dentro dos Redskins.

Mais mudanças nos Redskins

O Washington Redskins anunciou várias mudanças no dia 9 de janeiro, incluindo uma reorganização completa da diretoria. Pouco mais de uma semana depois de demitir o presidente Bruce Allen, a franquia da capital dos Estados Unidos anunciou a demissão do vice-presidente sênior de operações de futebol americano Eric Schaffer, após 17 temporadas dele na organização.

Os Redskins também anunciaram que Doug Williams foi realocado do departamento pessoal e será nomeado vice-presidente sênior de desenvolvimento de jogadores. Ele vai se reportar diretamente ao head coach Ron Rivera.

Em relação às contratações, os Redskins anunciaram a chegada de Rob Rogers para substituir Schaffer como novo vice-presidente sênior de administração de futebol americano.

A Black Monday antes da hora

– Ron Rivera: Duas vezes treinador do ano da NFL, Ron Rivera não resistiu à má temporada dos Panthers e foi demitido com semanas para 2019 terminar. A ideia em Carolina era começar o processo antes de todo mundo e poder escolher quem quiser. Rivera também não deve ficar parado e nós escolhemos alguns destinos interessantes para ele.

Atualização: Ron Rivera acertou com o Washington Redskins no dia 31 de dezembro para ser o novo head coach da franquia.

– Jay Gruden: o técnico Jay Gruden foi demitido pelo Washington Redskins no dia 7 de outubro, depois de um início de temporada com cinco derrotas nos cinco primeiros jogos. Gruden já entrou na temporada 2019 na corda bamba.

– Tom Coughlin: foi demitido do cargo de vice-presidente executivo de operações de futebol americano do Jacksonville Jaguars no dia 18 de dezembro. A segunda passagem do profissional de 73 anos de idade pela organização durou pouco menos de três temporadas. O general manager Dave Caldwell segue empregado.

Quais head coaches estão a salvo

– Doug Marrone (Jacksonville Jaguars)

Shad Khan, proprietário do Jacksonville Jaguars, anunciou neste dia 31 de dezembro que tanto o head coach Doug Marrone quanto o general manager Dave Caldwell seguem em seus cargos em 2020, apesar de uma campanha decepcionante de 6-10 na temporada 2019.

“Eu me reuni em várias ocasiões ao longo dos últimos dias com Dave Caldwell, Doug Marrone e seus staffs para compreender totalmente os planos deles para reverter nosso curso e competir por uma vaga na pós-temporada em 2020”, declarou Khan, em nota oficial. “Além disso, eu tive numerosos encontros individuais com jogadores na segunda e apreciei sua sinceridade e opiniões atenciosas – algumas esperadas, outras não – sobre a temporada que passou e para onde vamos a partir daqui”, completou.

Khan frisou que a campanha em 2019 foi “inaceitável”, incluindo um “colapso” na segunda metade que viu os Jags serem engolidos em cinco jogos seguidos. Mesmo assim, o dono da franquia da Flórida acredita que é melhor seguir com um staff que chegou muito próximo do Super Bowl há duas temporadas.

O dono do time também notou que o cargo de vice-presidente executivo, vago desde a demissão de Tom Coughlin, há duas semanas, não será ocupado em 2020 e o head coach e o general manager vão se dirigir diretamente a Khan na próxima temporada.

– Matt Patricia (Detroit Lions)

Patricia e o general manager Bob Quinn receberam um voto de confiança de Martha Ford, proprietária do Detroit Lions, no dia 17 de dezembro. Ford disse que tanto o técnico quanto o GM permaneceriam para a temporada 2020.

Em duas temporadas como comandante dos Lions, Patricia somou nove vitórias, 21 derrotas e um empate.

– Dan Quinn (Atlanta Falcons)

Quinn e o general manager Thomas Dimitroff foram bancados em seus cargos para a temporada 2020 pelo proprietário Arthur Blank, no dia 27 de dezembro.

Quinn está em Atlanta desde 2015 e somou 43 vitórias e 37 derrotas na temporada regular, com duas classificações aos playoffs, um título da divisão NFC South e uma aparição no Super Bowl.

Técnicos assistentes importantes que estão saindo

– Chicago Bears

O ano ruim ofensivamente dos Bears custou o emprego de alguns. A franquia de Illinois demitiu o coordenador ofensivo Mark Helfrich, o treinador de linha ofensiva Harry Hiestand, o treinador de tight ends Kevin Gilbride e o treinador assistente de special teams Brock Olivo, como anunciou o time.

O nome mais chamativo é Helfrich, que se juntou ao head coach Matt Nagy em 2018 como coordenador, depois de sair da Universidade de Oregon.

O ataque dos Bears teve um considerável retrocesso em 2019, com o quarterback Mitchell Trubisky enfrentando dificuldades em grande parte da temporada. O QB completou 63,2% de seus passes para uma taxa de 17 touchdowns e 10 interceptações, com um passer rating mediano de 83.0. O general manager Ryan Pace deixou claro que Trubisky seguirá sendo o titular do time em 2020.

– Dallas Cowboys

O Dallas Cowboys decidiu demitir o treinador de wide receivers Sanjay Lal, como disse o próprio Lal à jornalista Jane Slater, da ‘NFL Network’. Lal disse que estava especialmente orgulhoso do trabalho que fez com os wide receivers Amari Cooper, Michael Gallup e Randall Cobb.

– Denver Broncos

O Denver Broncos demitiu o coordenador ofensivo Rich Scangarello após uma temporada dele no cargo. O anúncio foi feito pela franquia do Colorado na tarde do dia 12 de janeiro.

Isso significa que o promissor quarterback Drew Lock terá um novo ‘chamador de jogadas’ em 2020, quando o signal caller estará em sua segunda temporada na NFL.

“Após muita consideração e debate após a temporada, eu determinei que uma mudança de coordenador ofensivo no final das contas seria melhor para nosso time. Nós precisamos fazer tudo que pudermos para melhorarmos – em todas as áreas – enquanto começamos a trabalhar para o próximo ano”, falou o técnico Vic Fangio, em nota oficial. “Rich é um técnico brilhante com um grande futuro à sua frente. Eu aprecio todo o trabalho duro dele e o agradeço por suas contribuições aos Broncos”, completou.

Atualmente com 47 anos de idade, Scangarello se juntou ao staff de Fangio em 2019, após duas temporadas no San Francisco 49ers como treinador de quarterbacks na comissão de Kyle Shanahan.

– Detroit Lions

Enquanto Matt Patricia fica na franquia, o head coach anunciou que os Lions estão demitindo seis treinadores assistentes: o coordenador de special teams John Bonamego, o treinador de linebackers Al Golden, o treinador assistente de força e desempenho Rodney Hill, o coordenador de desempenho de futebol americano Harold Nash, o treinador de defensive backs Brian Stewart e o treinador de tight ends Chris White.

“Essas decisões nunca são fáceis e eu sou grato pelo esforço que esses homens deram em nosso time. Eu vou continuar a avaliar toda a nossa operação nos próximos dias e semanas e sempre tomarei decisões no melhor interesse do time. Eu desejo a esses treinadores o melhor em suas empreitadas futuras”, falou Patricia em nota oficial.

O principal nome é Bonamego, que passou duas temporadas na mesma função em Detroit em 2013 e 2014, retornando em 2019. Sua unidade teve dificuldades com faltas na temporada 2019 e, como resultado disso, a segunda passagem de Bonamego pela franquia de Michigan não durou mais do que uma temporada.

No dia 2 de janeiro de 2020, os Lions ainda anunciaram que o coordenador defensivo Paul Pasqualoni e o treinador de linha ofensiva Jeff Davidson estão se afastando do futebol americano. Ambos chegaram à franquia de Michigan em 2018, quando Patricia assumiu o cargo de head coach.

– Houston Texans

O Houston Texans não vai manter Romeo Crennel como coordenador defensivo para a temporada 2020 da National Football League, como apuraram os jornalistas Tom Pelissero, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, no dia 20 de janeiro.

A franquia texana promoveu o treinador de linha defensiva Anthony Weaver para substituí-lo no cargo.

Crennel estava no staff do head coach Bill O’Brien desde 2014. Ele foi coordenador defensivo até 2016 e foi promovido para head coach assistente em 2017, quando Mike Vrabel assumiu como coordenador defensivo. Mas, depois da saída de Vrabel para ser o novo head coach do Tennessee Titans, Crennel reassumiu o posto de DC e continuou também na função de assistente.

Na temporada 2019, a defesa de Houston enfrentou dificuldades, cedendo uma média de 388,3 jardas por jogo, quinta pior marca na NFL. E, na derrota para o Kansas City Chiefs, na rodada de divisão dos playoffs da AFC, a equipe de Houston cedeu 51 pontos após chegar a estar vencendo por 24 a 0 no segundo quarto.

Atualmente com 72 anos, Crennel é treinador na NFL desde 1981, incluindo passagens como head coach do Cleveland Browns e dos Chiefs.

– Jacksonville Jaguars

Em uma decisão um tanto quanto surpreendente, o Jacksonville Jaguars e o coordenador ofensivo John DeFilippo concordaram no dia 13 de janeiro a encerrarem o vínculo de trabalho do profissional com a organização.

DeFilippo passou apenas uma temporada em Jacksonville. E, contando com uma linha ofensiva que não foi bem e um ataque terrestre que não rendeu o esperado, o coordenador não conseguiu extrair o melhor do ataque. Assim, a unidade fechou a temporada 2019 ranqueada em 26ª na NFL em pontos e 20ª em jardas, tendo uma média de 342 por jogo. O time fechou a temporada com campanha 6-10.

Ele se tornou o coordenador ofensivo dos Jags após ser demitido pelo Minnesota Vikings após 13 jogos em 2018. Ele era o treinador de quarterbacks do Philadelphia Eagles em 2016 e 2017. Atualmente com 41 anos de idade, DeFilippo também foi coordenador ofensivo do Cleveland Browns em 2015.

Ao desligar DeFilippo, os Jaguars terão seu terceiro coordenador ofensivo nos últimos três anos.

– Los Angeles Rams

O Los Angeles Rams não vai manter o coordenador defensivo Wade Phillips em seu staff, como apurou o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, no dia 6 de janeiro. O contrato de Phillips expirou ao final da temporada 2019 e a franquia californiana decidiu não renovar com o profissional.

Em termos de jardas cedidas por jogo, os Rams melhoraram de 2018 para 2019, indo de 358,6 jardas cedidas por jogo em 2018 (19ª marca na NFL) para 339,6 por partida em 2019 (13ª marca). Contudo, como a campanha do time caiu bastante e a equipe não foi aos playoffs, o head coach Sean McVay e a direção sentiram que era o momento de fazer algumas mudanças.

Phillips deixou claro no mesmo dia 6 que ele não pretende parar de treinar, desde que um time o queira em 2020.

E, pouco depois da notícia da saída de Phillips, os Rams anunciaram também que estão mandando embora o treinador de running backs Skip Peete.

– Miami Dolphins

O Miami Dolphins demitiu o coordenador Chad O’Shea após apenas uma temporada com a franquia, como apurou o jornalista Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. A franquia da Flórida também não vai manter o treinador de linha ofensiva Dave DeGuglielmo.

Os Dolphins tiveram muitas dificuldades no ataque em 2019, fechando na 27ª posição em jardas totais por jogo, com 310. Um pouco disso teve a ver com a mudanças de quarterback entre Josh Rosen e Ryan Fitzpatrick. Mas, assim que o head coach Brian Flores decidiu manter Fitzpatrick, o ataque melhorou bastante. O time passou de 20 pontos por jogo em cada um dos últimos seis jogos, com três vitórias nestes compromissos.

Quem também está deixando a organização é o treinador de safeties Tony Brown.

No dia 20 de janeiro, foi noticiado que o veterano treinador Jim Caldwell não vai retornar à comissão do Miami Dolphins em 2020. Caldwell, que foi contratado pelo novo técnico Brian Flores em fevereiro como head coach assistente e treinador de quarterbacks, nunca trabalhou em um jogo sequer da franquia da Flórida.

Ele recebeu uma licença por tempo indeterminado em julho em 2019, devido a um problema de saúde não revelado, e não retornou ao seu cargo.

Caldwell está pronto para voltar a treinar. Ex-head coach de Indianapolis Colts e Detroit Lions, ele foi mencionado como candidato a várias vagas nesta offseason, incluindo o cargo de coordenador ofensivo do Philadelphia Eagles.

– Oakland Raiders

O Oakland Raiders demitiu o treinador de linha defensiva Brentson Buckner, após apenas uma temporada do profissional no cargo. E isso mesmo depois de a unidade ir de 13 sacks em 2018, pior marca da NFL, para 32 em 2019.

Atualmente com 48 anos de idade, Buckner foi o responsável por ajudar os defensive ends Clelin Ferrell e Maxx Crosby em suas temporadas de calouro e o pass rush dos Raiders melhorou bem com a linha defensiva sob seu comando. Ainda assim, foi apenas a 24ª da NFL em sacks. Buckner trabalhou no Tampa Bay Buccaneers antes de sua única temporada nos Raiders.

– Philadelphia Eagles

O Philadelphia Eagles demitiu o coordenador ofensivo Mike Groh e o treinador de wide receivers Carson Walch, como anunciou o head coach Doug Pederson no dia 9 de janeiro.

Groh ocupou o cargo de coordenador ofensivo nas últimas duas temporadas, após chegar aos Eagles como treinador de wide receivers em 2017. Já Walch foi treinador assistente de wide receivers em 2018 e foi promovido a treinador de WRs em 2019.

Técnicos assistentes importantes que estão chegando

– Atlanta Falcons

O Atlanta Falcons contratou Tosh Lupoi para ser coordenador de linha defensiva/jogo corrido. Lupoi trabalhou mais recentemente como treinador de linha defensiva do Cleveland Browns, após cinco temporadas trabalhando na comissão técnica de Nick Saban em Alabama. A franquia da Geórgia também trouxe Joe Whitt Jr., outro ex-funcionário dos Browns, para ser treinador de defensive backs e coordenador de jogo de passe.

– Buffalo Bills

O Buffalo Bills contratou Eric Washington no dia 10 de janeiro para o cargo de treinador de linha defensiva. Washington chega à comissão técnica de Sean McDermott após passar as últimas duas temporadas como coordenador defensivo do Carolina Panthers.

– Carolina Panthers

Um dia depois de apresentar Matt Rhule como o quinto head coach da história da organização, os Panthers já iniciaram o processo de formar a comissão técnica do novo comandante. E Rhule deve iniciar a formação de seu staff com o coordenador defensivo Phil Snow, que ocupava o mesmo cargo na sua comissão na Universidade de Baylor e chegará à NFL na mesma função. A informação foi apurada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Snow tem trabalhado com Rhule desde 2013, quando o técnico foi contratado pela Universidade de Temple. E o coordenador acompanhou o amigo até Baylor em 2017, onde os dois ajudaram a transformar o time.

Atualmente com 64 anos, Snow já trabalhou na NFL anteriormente como assistente defensivo e treinador de linebackers de 2005 a 2008, mas ele passou a maior parte de seus 44 anos como treinador trabalhando no college football.

Os Panthers também contrataram seu novo coordenador ofensivo e Joe Brady está chegando para ocupar o cargo. Brady chegou ao elenco no dia 14 de janeiro, menos de 24 horas depois de ajudar LSU a ganhar o título nacional no futebol americano universitário.

Atualmente com 30 anos de idade, Brady ficou um ano como coordenador de passe na Louisiana State University e agora vai retornar à NFL para se tornar o coordenador ofensivo mais jovem em atividade na liga.

Os Panthers também estão trazendo Al Holcomb para ser coordenador de contenção de jogo terrestre, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

– Chicago Bears

O Chicago Bears está trazendo o treinador assistente veterano Juan Castillo para ser treinador de linha ofensiva, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. Castillo foi treinador de linha ofensiva do Philadelphia Eagles por um bom tempo e, posteriormente, foi coordenador defensivo na comissão técnica de Andy Reid.

Os Bears estão contratando Bill Lazor como próximo coordenador ofensivo da franquia, como noticiou Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, no dia 13 de janeiro. Lazor, que foi coordenador ofensivo do Cincinnati Bengals, chega para substituir Mark Helfrich, demitido juntamente com outros vários assistentes ofensivos ao final da campanha 8-8 dos Bears.

Atualmente com 47 anos de idade, Lazor passou a temporada 2019 fora do futebol americano, depois de ser demitido do cargo de coordenador ofensivo dos Bengals após quase duas temporadas. Segundo Rapoport, ele era um consultor voluntário da Universidade de Penn State.

Esse será o terceiro emprego de Lazor como coordenador ofensivo na NFL, tendo estado ele com o Miami Dolphins sob Joe Philbin e Dan Campbell em 2014 e 2015.

Quem também está chegando aos Bears é John DeFilippo, ex-coordenador ofensivo do Jacksonville Jaguars, para ser treinador de quarterbacks. E o head coach Matt Nagy igualmente anunciou as promoções de Brian Ginn para o cargo de treinador assistente de special teams, de Chris Jackson para o cargo de treinador assistente de wide receivers e de Shane Toub para o cargo de controle de qualidade defensiva.

– Cincinnati Bengals

O Cincinnati Bengals está contratando Al Golden para ser o novo treinador de linebackers da franquia, segundo Ian Rapoport e Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. Golden foi assistente defensivo do Detroit Lions, mas saiu ao término da temporada 2019.

– Cleveland Browns

Bill Callahan está de volta ao cargo de treinador de linha ofensiva. O jornalista Tom Pelissero apurou no dia 20 de janeiro que o Cleveland Browns está trazendo Callahan para comandar a OL.

Ele vai compor a comissão técnica do novo head coach Kevin Stefanski.

Callahan há tempos é considerado um dos melhores treinadores de linha ofensiva da NFL. Atualmente com 63 anos de idade, ele foi treinador de OL no Washington Redskins de 2015 a 2019, quando foi promovido ao cargo de head coach interino após a demissão de Jay Gruden.

Anteriormente, Callahan comandou a linha ofensiva do Dallas Cowboys e ele exerceu a mesma função no New York Jets (2008 a 2011). Em cada um de seus trabalhos, ele ajudou a melhorar as linhas ofensivas das equipes.

No dia 29 de janeiro, os Browns chegaram a um acordo com Alex Van Pelt, ex-treinador de quarterbacks do Cincinnati Bengals, e ele chega para ser o novo coordenador ofensivo na comissão de Stefanski. Assim, ele saiu de um time da AFC North e vai para um rival.

– Dallas Cowboys

O Dallas Cowboys está contratando Mike Nolan como novo coordenador defensivo e John Fassel como coordenador de special teams. E o coordenador ofensivo Kellen Moore está pretendendo continuar na franquia como OC da comissão técnica do novo head coach Mike McCarthy.

Nolan passou as últimas três temporadas como treinador de linebackers do New Orleans Saints e sua saída deixará um buraco na equipe liderada pelo coordenador defensivo Dennis Allen. Vale lembrar que é um reencontro de Nolan com McCarthy, já que Nolan contratou McCarthy em 2005 para ser seu coordenador ofensivo no San Francisco 49ers, trabalho que McCarthy desempenhou por uma temporada antes de assumir como head coach dos Packers no ano seguinte.

Já Fassel estava ocupando o mesmo cargo de coordenador de special teams no Los Angeles Rams. Ele estava no Rams desde 2012, quando o então técnico Jeff Fisher o contratou após quatro temporadas dele no Oakland Raiders. Quando Fisher foi demitido durante a temporada 2016, Fassel assumiu o posto de head coach interino antes de ser mantido como coordenador de special teams pelo novo head coach Sean McVay.

– Denver Broncos

O Denver Broncos encontrou seu novo coordenador ofensivo no dia 12 de janeiro, mesmo dia em que anunciou o desligamento de Rich Scangarello, e fechou com Pat Shurmur para o cargo. O ex-head coach do New York Giants chega para liderar um ataque com o jovem quarterback Drew Lock.

Em 20 anos como treinador na NFL, Shurmur teve três passagens anteriores como coordenador ofensivo: com os Rams em 2009 e 2010, com os Eagles de 2013 a 2015 e com os Vikings, como interino em 2016 antes de assumir a posição em tempo integral em 2020.

No dia 28 de janeiro, a franquia do Colorado anunciou oficialmente a chegada de Mike Shula para ser o novo treinador de quarterbacks da organização.

– Detroit Lions

O Detroit Lions anunciou a contratação de Brayden Coombs como coordenador de special teams. Coombs passou as últimas 10 temporadas no Cincinnati Bengals, sendo as últimas sete como treinador assistente de special teams.

No dia 13 de janeiro, os Lions anunciaram a contratação de Cory Undlin, ex-treinador de secundária do Philadelphia Eagles, para o cargo de coordenador defensivo. A contratação se dá em meio a uma grande reformulação do staff do head coach Matt Patricia nesta offseason, incluindo a saída do ex-coordenador defensivo Paul Pasqualoni.

A primeira experiência de Undlin como treinador na NFL foi em 2004, quando ele foi assistente defensivo do New England Patriots. Ou seja, ele trabalhou com Patricia em Foxborough. Atualmente com 48 anos, Undlin passou apenas uma temporada em New England antes de ir para o Cleveland Browns, depois para o Jacksonville Jaguars, então para o Denver Broncos e, finalmente, chegar aos Eagles para ser treinador de defensive backs nas últimas cinco temporadas.

– Jacksonville Jaguars

O Jacksonville Jaguars está contratando Jay Gruden, ex-head coach do Washington Redskins, para ser o novo coordenador ofensivo da franquia. A informação foi apurada por Ian Rapoport e Tom Pelissero, da ‘NFL Network’, no dia 21 de janeiro.

Dispensado pelos Redskins em outubro, após pouco mais de cinco anos como técnico principal, Gruden já havia dito a Rapoport, semanas atrás, que queria voltar à NFL, especialmente como head coach. Mas, com tais vagas preenchidas nas equipes que demitiram seus técnicos principais, Gruden aceitou voltar à sua função antiga.

Antes de ser contratado pelos Redskins, Gruden foi coordenador ofensivo do Cincinnati Bengals de 2011 a 2013, período em que o time foi três vezes seguidas aos playoffs e o quarterback Andy Dalton evoluiu bastante.

– Los Angeles Rams

O L.A. Rams está trazendo Kevin O’Connell para ser o novo coordenador ofensivo e Brandon Staley para ser o novo coordenador defensivo, segundo informações de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. O’Connell era coordenador ofensivo do Washington Redskins e Staley era treinador de outside linebackers do Denver Broncos.

Os Rams resolveram se separar de Wade Phillips após três temporadas dele como coordenador defensivo. E os Rams não tiveram um coordenador ofensivo na temporada 2019, mas Rapoport apurou que o técnico Sean McVay “ficou sobrecarregado” com o excesso de responsabilidades. Assim, ele resolveu contratar um CO em 2020.

– Miami Dolphins

O Miami Dolphins está contratando o veterano Chan Gailey, uma grande mente ofensiva, para o cargo de coordenador ofensivo, de acordo com os jornalistas Tom Pelissero e Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Os Dolphins também estão promovendo Josh Boyer ao cargo de coordenador defensivo, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. Ele vai substituir Patrick Graham, que está indo para o New York Giants.

– Minnesota Vikings

O Minnesota Vikings está trazendo Gary Kubiak para ser o novo coordenador ofensivo da franquia. A informação foi confirmada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, no dia 23 de janeiro.

Kubiak passou a temporada 2019 como head coach assistente e conselheiro ofensivo dos Vikings. E ele recebeu muitos créditos por fortalecer o esquema de jogo corrido bem familiar que marcou suas passagens como head coach do Houston Texans e do Denver Broncos.

Com Kevin Stafanski saindo do cargo de coordenador ofensivo dos Vikings para assumir o cargo de head coach do Cleveland Browns, a promoção de Kubiak ao cargo de OC significa continuidade para o quarterback Kirk Cousins e para o running back Dalvin Cook.

No dia 27 de janeiro, o Minnesota Vikings anunciou uma série de mudanças na comissão técnica. Adam Zimmer, filho do técnico Mike Zimmer, e Andre Patterson foram nomeados co-coordenadores defensivos e eles vão assumir a função ocupada por George Edwards nas últimas seis temporadas. Edwards viu seu contrato expirar ao final da temporada 2019 e foi contratado pelo Dallas Cowboys como assistente defensivo sênior.

Os Vikings também anunciaram oficialmente que Gary Kubiak será coordenador ofensivo depois de servir como head coach assistente/conselheiro ofensivo em 2019.

Outras mudanças de treinadores são a mudança de Andrew Janocko de treinador assistente de linha ofensiva para treinador de wide receivers, a chegada de Daronte Jones, ex-treinador do Cincinnati Bengals e do Miami Dolphins, para o cargo de treinador de defensive backs, e Phil Rauscher, ex-treinador do Washington Redskins e do Denver Broncos, para ser treinador assistente de linha ofensiva.

– New York Giants

O New York Giants está contratando Patrick Graham, ex-coordenador defensivo do Miami Dolphins, para o mesmo cargo. Ele vai compor a comissão técnica do novo head coach Joe Judge em East Rutherford.

Graham passou a temporada 2019 no staff de Brian Flores em Miami, chegando aos Dolphins depois de uma temporada como treinador de linebackers do Green Bay Packers. Ele também foi treinador de linha defensiva do NY Giants em 2016 e 2017.

Judge e Graham já trabalharam juntos. Ambos estavam no staff de Bill Belichick no New England Patriots de 2012 a 2015: Graham era treinador dos defensive linemen e linebackers, enquanto que Judge comandava os special teams.

E, no dia 17 de janeiro, Jason Garrett fechou um acordo para ser o novo coordenador ofensivo da franquia nova-iorquina, no staff de Judge. A informação foi confirmada em primeira mão pela ‘ESPN’ norte-americana.

Garrett vai seguir trabalhando na divisão NFC East. Ele foi o head coach do Dallas Cowboys, rival do NY Giants, até as duas partes decidirem se divorciar ao final da temporada 2019.

Bret Bielema, ex-head coach da Universidade de Wisconsin e da Universidade de Arkansas, está se juntando ao staff do New York Giants. A informação foi confirmada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e por Jordan Raanan, da ‘ESPN’ norte-americana, no dia 21 de janeiro.

Bielema passou as duas últimas temporadas como assistente defensivo do New England Patriots, onde trabalhou com Joe Judge, recém-contratado para ser o novo head coach da organização nova-iorquina.

Os Giants também acrescentaram o veterano Jerome Henderson como treinador de defensive backs, como disse uma fonte ao jornalista Field Yates, da ‘ESPN’.

No dia 23 de janeiro, foi noticiado que os Giants estão importando mais profissionais do rival Cowboys e estão trazendo Marc Colombo, ex-treinador de linha ofensiva de Dallas, para ocupar o mesmo cargo em Nova York.

A franquia nova-iorquina acertou no dia 27 de janeiro a chegada de Freddie Kitchens para o cargo de treinador de tight ends na comissão do novo head coach Joe Judge.

Kitchens durou apenas um ano no cargo de head coach do Cleveland Browns, tendo sido demitido no último dia da temporada regular de 2019, após uma campanha decepcionante de 6-10 da franquia de Ohio.

– Oakland Raiders

Após anunciar a demissão de Brentson Buckner, os Raiders estão trazendo Rod Marinelli para ser o novo treinador de linha defensiva, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. Marinelli foi coordenador defensivo do Dallas Cowboys nas últimas seis temporadas.

A chegada de Marinelli vai reunir o profissional com o técnico Jon Gruden. Isso porque Marinelli foi treinador assistente/treinador de linha defensiva de Gruden no Tampa Bay Buccaneers, na passagem em que a franquia conquistou o Super Bowl XXXVII.

Atualmente com 70 anos, Marinelli vai trabalhar em sua quinta franquia na NFL, inclusive tendo sido head coach do Detroit Lions por três temporadas (2006 a 2008).

– Washington Redskins

O Washington Redskins terá um novo coordenador ofensivo e ele será Scott Turner, filho de Norv Turner, ex-técnico dos Redskins. O profissional chega para compor a comissão técnica do novo head coach Ron Rivera. O ‘SI.com’ noticiou em primeira mão a contratação de Turner.

Kevin O’Connell, que era o coordenador ofensivo dos Redskins na temporada 2019, segue sob contrato, mas recebeu a notícia de que está livre para buscar outras oportunidades. Ele conversou duas vezes com Rivera sobre continuar a comandar o ataque, mas o novo comandante decidiu optar por Turner.

O time da capital dos Estados Unidos também já havia anunciado a chegada de Jack Del Rio para o cargo de coordenador defensivo.

Comments
To Top