NBA: só um time foi contra a venda da franquia de Michael Jordan

Pedro Rubens Santos | 24/07/2023 - 19:30

Depois de 13 anos, chegou ao fim a trajetória de Michael Jordan como dono de franquia na NBA. No último domingo (23), foi aprovada a venda do Charlotte Hornets ao grupo liderado pelos empresários Gabe Plotkin e Rick Schnall.

A aquisição foi votada no Board of Governors, grupo formado pelo comissário Adam Silver e os donos das 30 franquias da liga. O resultado foi 29 a 1 — o único voto contrário veio de James Dolan, dono do New York Knicks.

VEJA TAMBÉM

+ Por que os Warriors ainda não fecharam com Gui Santos?

+ Com negativa de Mbappé, estrela da NBA se coloca à disposição do Al-Hilal

O motivo da recusa segue um mistério, mas foi um fato curioso da votação quase unânime que aprovou a venda dos Hornets. O valor da compra é de cerca de US$ 3 bilhões, segundo a ESPN.

Os novos donos do time não são caras novas na NBA — Plotkin já atuava como acionista minoritário da equipe de Charlotte, e Schnall tinha a mesma posição no Atlanta Hawks. Agora, com a compra, Jordan manterá uma pequena parte das ações.

LaMelo Ball, armador do Charlotte Hornets (Foto: SUSA/Icon Sport)
LaMelo Ball é a principal estrela do Charlotte Hornets, agora sob nova direção. (Foto: SUSA/Icon Sport)

Lucro de Michael Jordan na venda dos Hornets

Michael Jordan comprou participação majoritária no Charlotte Hornets em 2010 pelo valor de US$ 275 milhões e decidiu vendê-la por aproximadamente US$ 3 bilhões, segundo a ESPN norte-americana.

Isso representa um lucro de mais de 10 vezes o investimento inicial, obtido em 13 anos de uma gestão mediana. Sob o comando de Jordan, os Hornets só chegaram aos playoffs da NBA duas vezes, em 2014 e 2016, e foram derrotados na primeira rodada em ambas as oportunidades.

Depois de uma série de campanhas ruins e reclamações dos torcedores pela falta de investimentos na free agency para montar um elenco forte, o lendário jogador do Chicago Bulls decidiu abandonar o barco. Agora, a franquia tomará novos rumos.

A crítica mais recente a Jordan foi a escolha de Draft dos Hornets em 2023. A equipe selecionou o ala Brandon Miller, na segunda posição geral, e muitos fãs se revoltaram pela oportunidade perdida de trazer o armador Scoot Henderson.