NCAA: UConn derruba gigante de Purdue e fica com título do basquete universitário

Victor Romualdo Francisco | 09/04/2024 - 00:57

O fim do March Madness, com a final universitária americana, é tão louca que termina em abril. Se ontem, a audiência da TV foi incrível com a final feminina da NCAA, hoje, o estádio do Arizona Cardinals, de futebol americano, recebeu mais de 70 mil pessoas para um jogo de basquete. Os times chegaram à final com campanhas parecidas. O UConn Huskies (Connecticut) com 36-3 e Purdue Boilermakers (Indiana) com 34-4.

O pivô Zach Edey, de 2,24m, começou dominante na partida, marcando 11 dos 16 primeiros pontos de Purdue. Mas quem estava à frente era a equipe da costa leste, com 18 pontos bem distribuídos, dentro e fora do garrafão, com destaque para o armador Tristen Newton. E no final do primeiro tempo, a variação de jogadas venceu por 36 a 30.

A tendência não mudou no segundo tempo, com UConn chegando a 13 pontos na liderança aos 47 a 34, com duas pontes-áreas de Samson Johnson, com passes de Newton. Com muitas faltas, bloqueios e erros, o jogo tinha baixa pontuação, o que favorecia a manutenção da vantagem do time de Connecticut.

Purdue mudou a marcação para pressão toda a quadra, na tentativa de diminuir a diferença. O jogo, até então lento, ficou rápido e avançou em pontos. No entanto, UConn conseguia quebrar a marcação e cadenciava o jogo na quadra de ataque, convertendo pontos e ampliando a vantagem lentamente. O placar final apontou 75 a 60 para UConn, campeã pela segunda vez seguida da NCAA.

Destaques da final do NCAA 2024: UConn x Purdue

Foi o segundo título seguido de UConn (do total de seis) e a segunda vez que Tristen Newton foi eleito o MVP da grande decisão da NCAA. O armador fez 20 pontos, sete assistências e cinco rebotes.

O cestinha foi o pivô de Purdue, o canadense Zach Edey, com incríveis 37 pontos e 10 rebotes – um incrível prospecto para a NBA.

Escrito por Victor Romualdo Francisco
Antes de ser coordenador de conteúdo do Quinto Quarto, Victor Francisco atuou por 18 anos em comunicação corporativa. Paralelamente, foi criou o projeto Salão Oval, maior plataforma de comunicação dedicada ao futebol americano nacional (FABR). Foi campeão brasileiro pelo Corinthians Steamrollers (2011). Narrou e comentou o esporte no BandSports, Fox Sports, Globo Esporte e ESPN. Também atuou como Social Media para a Premier League e FIVB (Federação Internacional de Voleibol).