NBA

Acabou a bizarra era Mikhail Prokhorov no Brooklyn Nets

(Crédito: Wikimedia Commons)

Alguns dias atrás entrei em uma discussão no nosso Instagram sobre o que merecia ser chamado de “era”. Tudo bem, admito, eu uso essa palavra libertinamente. Só ver este título. Eu não consigo evitar, preciso dar meu jeito de homenagear Mikhail Prokhorov, um dono que não foi herói e terminou não sendo um vilão. Simplesmente era o que tínhamos para hoje.

Muitas pessoas têm tesão pelos anos 2000 da NBA, mas a verdade é que eles foram um período bastante complicado para a liga. O talento não era nem de perto tão presente como hoje, o estilo não era dos mais bonitos – há quem goste de defesas, mas a tendência é que ataques sempre sejam mais vistosos – e o dinheiro não estava tão presente.

O New Jersey Nets era uma das franquias onde isso podia ser visto. Não estamos falando de um time que só perdia, muito pelo contrário. Chegou a duas finais da NBA seguidas com Jason Kidd no comando das ações. E também não falamos de uma equipe que joga no fim do mundo. New Jersey não é Nova York, mas está perto dela e de várias outras cidades de peso da Costa Leste. Em 2004, os Nets foi vendido por 300 milhões de dólares para Bruce Ratner, que já tinha o projeto na mão para mudar o time para Brooklyn.

Bom, ai veio uma tal de crise mundial, o projeto que já estava atrasado só foi ficando mais complicado, estamos falando de Nova York e 1000 licenças, 100 mil pedidos para embargar a obra, 300 mil hipsters abraçando árvores no Brooklyn, a greve de jogadores estava chegando… tudo isso fez Ratner decidir se livrar do pepino. Eis que chega Mikhail Prokhorov, da nossa querida mãe Rússia, com o golpe de gênio: “eu tiro essa arena do Brooklyn da sua lista de pesadelos e você basicamente me dá os Nets de troco. Coloca esse Halls aqui também”.

O número que ele pagou pelos Nets mesmo não é claro, mas o número mais citado é 223 milhões de dólares, bastante menos que Ratner pagou seis anos antes. Ele fez o projeto da arena ir para a frente e logo o New Jersey Nets jogava no Brooklyn com uniformes pretos. Não é um negócio da China, mas da Rússia. Ele ainda tornou-se o primeiro dono não norte-americano de uma franquia da NBA.

Monstro não é? Sim. Ai ele decide colocar Billy King, também conhecido como a principal razão para Allen Iverson não ter um título da NBA, como manda-chuva do basquete. E encucou que precisava de estrelas, mesmo que decadentes, para causar um splash. Deu contratos gigantes para Deron Williams e Joe Johnson e fez a famigerada troca por Kevin Garnett, Paul Pierce e Jason Terry. Depois de uma temporada de playoffs, ele decidiu que não queria mais pagar a pesada multa por ter tentado fazer um All-Star Team de araque e o futuro tornou-se horroroso.

Por isso eu amei profundamente o comunicado que Joseph Tsai, novo dono dos Nets, lançou para o mundão após fazer a compra, elogiando seu antecessor.

“Ele contratou uma diretoria e comissão técnica focada no desenvolvimento de jogadores” – Verdade

“Ele apoiou a organização com todos seus recursos” – Até que é verdade, ele investiu em estrutura e bons profissionais médicos

“Ele se recusou a entrar no modo tank”

.

.

.

Também pudera, se ele tankasse a pick ia para Boston. Aliás acho que até a cueca que Mikhail Prokhorov comprou entre 2015 e 2018 foi para os Celtics. Venha comigo no replay:

2015/16: 21-61 – Rendeu Jaylen Brown para os Celtas

2016/17: 20-62 – Rendeu Jayson Tatum para os Celtas (Celtics tinham direito a primeira escolha, mas trocaram com os 76ers)

2017/18: 28-54 – Os Celtics trocaram com os Cavs na negociação por Kyrie, os Cavaliers selecionaram Collin Sexton

Os Nets finalmente viram a luz no fim do túnel em 2018/19, com 42 vitórias, ida aos playoffs e D’Angelo Russell sendo um All-Star. Foi um belo trabalho de reconstrução sem pick nenhuma por causa da arte que King e Prokhorov fizeram. O golpe final foi trazer Kyrie Irving e convencer Kevin Durant a trocar de costa para um projeto ambicioso.

Ai Prokhorov, que já tinha vendido 49% do time para Joseph Tsai por 1 bilhão, vendeu os 51% restantes por 1,35 bilhão, com o Barclays Center incluso na conta.

Calcula você esse ROI (Retorno sobre Investimento) que eu vou entrar ali no meu quarto da depressão. A era Mikhail Prokhorov acabou com ele bilionário, mesmo tendo forçado uma das piores trocas da história. Seu time nunca chegou nem perto de um título e também nem perto de ter uma escolha no top 5, algo que nunca deve ter acontecido na história da NBA. Mesmo assim ele saiu com um lucro estratosférico, com a equipe jogando no Brooklyn e não em um ginásio meia-boca em Nova Jersey e com Kyrie Irving e Kevin Durant no elenco.

Explica isso para mim nos comentários.

Comments
To Top