LeBron x Curry: uma rivalidade de estilos, influência e anéis de campeão

Samir Mello | 02/05/2023 - 06:00

Parecia que estava acabado. Lesões, a passagem do tempo e montagens equivocadas de elenco levaram o fã da NBA a pensar que os dias de Stephen Curry e LeBron James competirem por um título estavam acabados. No entanto, os dois jogadores mais influentes da última década da liga se recusam a aceitar a irrelevância.

Saudáveis, os Warriors voltaram a vencer um título na temporada passada, o quarto em oito anos. Já os Lakers salvaram a temporada na data-limite para trocas, remontaram um time competitivo, superaram o play-in e se classificaram para os playoffs. Ambos tiveram que superar times jovens, famintos, na primeira rodada. Agora, Stephen Curry e LeBron James voltam a se encontrar para um tira-teima decisivo, pela sexta vez nas últimas oito temporadas.

Foram quatro encontros em Finais e um em play-in. Os Warriors de Curry têm a vantagem, batendo o Cleveland Cavaliers de LeBron James nas Finais de 2015, 2017 e 2018. James levou a melhor na inesquecível decisão de 2016 – que levou Golden State a contratar Kevin Durant para a temporada seguinte –, e no play-in de 2021, quando LeBron acertou uma cesta de três decisiva, no minuto final, enquanto estava sendo marcado por Curry.

Narrativa

Mais que a disputa por títulos e vaga em playoffs, a rivalidade entre LeBron James e Stephen Curry é também definida por uma briga por influência e narrativa.

Após finalmente ter conseguido vencer os primeiros títulos da carreira pelo Miami Heat, LeBron retornou ao Cleveland Cavaliers, franquia do seu estado natal e seu primeiro time da NBA, para tentar liderar o time ao primeiro título de Ohio desde 1951. Apesar de ter completado a missão de forma épica em 2016, a sequência inacreditável de marcar presença em oito finais consecutivas (resultando em três títulos) coincidiu com a ascensão de Curry e os Warriors como a maior potência da liga.

Se LeBron tinha o físico, o QI e cada vez mais se aproximava de Jordan no debate sobre Melhor de Todos os Tempos, Curry adicionou algumas vírgulas nessa conversa. O físico franzino e o rosto de criança ajudaram a criar mais identificação – afinal, com muito trabalho seria possível se transformar em Stephen Curry, diziam os debates da época. Porém, foi o basquete coletivo dos Warriors, a movimentação imparável e, claro, os arremessos certeiros de três de qualquer lugar da quadra, que colocaram o ‘Brinquedinho Assassino’ na conversa sobre quem seria o jogador mais popular da NBA – e também o melhor.

Os títulos e dois prêmios de MVP – um deles, em 2016, unânime – acirraram ainda mais o debate.

Gerações

Kawhi Leonard, Giannis Antetokounmpo, Luka Doncic, Ja Morant, Jayson Tatum, etc. A NBA tem uma geração pronta para destronar Curry e LeBron. Porém, os novos talentos parecem que vão ter que esperar um pouco mais.

Mesmo em seus 30 e tantos, a dupla continua adicionando elementos aos seus já impressionantes currículos. Já nos Lakers, LeBron venceu o quarto título da carreira e se tornou o maior pontuador da história da NBA. Curry sofreu com lesões, suas e de seus companheiros, mas ainda assim liderou os Warriors ao quarto título em oito temporadas, contra o Boston Celtics de Tatum e Brown, e entregou uma performance de 50 pontos, fora de casa, para encerrar uma temporada de conto de fadas do jovem e talentoso Sacramento Kings.

Além disso, a dupla ainda é a que mais vende camisas na NBA. Nos últimos 10 anos, LeBron liderou a lista em seis ocasiões, contra três de Curry (Carmelo Anthony, em 2013, foi o nome mais procurado pelos fãs).

Nesta terça (2/5), dois titãs do jogo voltam a se encontrar para continuar a conversa. Mais populares e influentes do que nunca.