Los Angeles Lakers pode ser campeão? As lições deixadas pela Copa NBA

Antônio Henrique Pires Collar | 11/12/2023 - 15:58

Vai levar algum tempo para termos a dimensão do que significa historicamente vencer a primeira edição da Copa NBA. Já é possível, no entanto, fazer algumas leituras sobre o impacto que a conquista do Los Angeles Lakers pode ter no futuro imediato da equipe dentro da temporada 2023-2024. O título veio após duas vitórias tranquilas sobre New Orleans Pelicans e Indiana Pacers no Final Four realizado em Las Vegas.

O primeiro passo para torcedores, bem como para o próprio Lakers, é ser realista a respeito da campanha. As sete vitórias em sete jogos empolgam, é claro, mas precisam ser colocadas em contexto. Dos seis times que os angelinos enfrentaram pelo caminho, apenas o Phoenix Suns pode hoje ser colocado como um candidato ao título da NBA. Ainda assim, a franquia do Arizona ocupa a 7ª posição na Conferência Oeste. Foram duas partidas contra os Suns, sendo a última em confronto eliminatório, nas quartas de final.

Os outros cinco confrontos foram contra os também já citados Pacers e Pelicans, além de Memphis Grizzlies, Portland Trail Blazers e Utah Jazz, todos pela fase de grupos. Destes, o melhor posicionado Oeste é o Pelicans, que ocupa o 10º lugar- insuficiente para garantir classificação direta aos playoffs.

Se a Copa NBA não coloca o Lakers como favorito a ser o campeão, nada diminui o feito do grupo montado pelo General Manager Rob Pelinka. No confronto de duplas, LeBron James e Anthony Davis levaram a melhor sobre Kevin Durant e Devin Booker. Nas semifinais, o placar de 133 a 89 escancarou as diferenças entre as duas equipes. Por fim, o jogo da taça se deu contra um adversário que havia batido Boston Celtics e Milwaukee Bucks, os dois primeiros do Leste. Abaixo, listo algumas lições que o torneio da temporada deixaram para o Lakers na briga pelo título da NBA.

Jogadores de apoio

LeBron James segue quase o mesmo. Prestes a completar 39 anos, seus números ainda impressionam e o troféu de MVP da Copa não poderia ter outro dono. Mas para conquistar a Larry O'Brien, Darvin Ham terá de contar com mais jogadores além do Rei e de Anthony Davis. Contra Suns e Pacers, Austin Reaves saiu do banco e contribuiu com 20 e 28 pontos, respectivamente. Contra os Pelicans, nove jogadores tiveram 10 ou mais pontos, e Cam Reddish terminou com 9 – este, aliás, foi um dos destaques defensivos da final, com 3 tocos. Taurean Prince, com 5 bolas de 3 na semifinal, pode ser um desafogo em um dos pontos mais fracos de Los Angeles.

Anthony Davis dominante

Se LeBron ficou com o MVP do torneio, o MVP da final, caso houvesse, seria de Anthony Davis. O pivô teve sua melhor atuação no ano, com 40 pontos, 20 rebotes e 20 tocos. Contestou 17 arremesos, sendo 12 no garrafão e 5 da linha dos três pontos, o que mostra sua versatilidade como defensor. Não por acaso é o 2º jogador com mais rebotes e 2º com mais tocos na temporada (fica atrás de Nikola Jokic e Brook Lopez nestas estatísticas). Defensivamente, Davis está em uma liga dele próprio. Quando consegue aliar a isso a agressividade dentro do garrafão apresentada no sábado, se torna um dos melhores do mundo e coloca o Lakers uma prateleira acima.

Austin Reaves como sexto homem

Uma das surpresas positivas de 2022-2023, Reaves virou uma das esperanças dos Lakers para o futuro. Teve contrato renovado, começou o ano como titular e, depois de alguns tropeços, precisou voltar para o banco. À época, o próprio opinou: não estava sendo rebaixado, mas adaptado. De fato, a importância do camisa 15 em nada diminuiu por ter deixado o quinteto inicial. Vindo do banco, tornou-se o líder da segunda unidade e mostrou que é como mais consegue ser efetivo. A pontuação da equipe está segura com ele quando os titulares precisam descansar. Um acerto de Darvin Ham que pode fazer a diferença nos playoffs.

Elenco saudável, Los Angeles Lakers competitivo

Depois de uma offseason elogiada, com a chegada de reforços importantes, o início de temporada foi de oscilação e questionamentos. Jarred Valderbilt estreou apenas no dia 2 de dezembro. Rui Hachimura ficou de fora por 9 jogos. Gabe Vincent, principal contratação do ano, não entra em quadra desde 1º de novembro.

Com todas (ou quase todas) as peças à disposição, os Lakers podem competir contra qualquer elenco da NBA. A volta de algumas peças vai ser importante inclusive para que Ham consiga pôr em prática a tão desejada restrição de minutos a LeBron James, que vem atuando mais de 33 minutos por noite. Com o elenco completo, o camisa 23 pode ter mais tempo de descanso para chegar aos playoffs em seu melhor condicionamento.

Escrito por Antônio Henrique Pires Collar
Formado em jornalismo pela PUCRS e em Basketball Analytics pela Sports Management Worldwide. Com passagem de 6 anos e meio pela editoria de Esportes do jornal Zero Hora e do portal GZH, de Porto Alegre.