Nas Finais de 2024, Jayson Tatum quer provar por que é a grande estrela do melhor time da NBA

Márcio Júnior | 06/06/2024 - 13:00

Sete temporadas completas e sete participações nos Playoffs; 5 vezes selecionado para o All-Star e dois títulos da Conferência Leste. Este é o currículo de Jayson Tatum, ala e estrela do Boston Celtics na principal liga de basquete do mundo. Aos 26 anos, o camisa 0 conquistou em pouco tempo de carreira na NBA o que muitos jogadores levariam uma vida inteira sem chegar nem perto.

Mas, ainda assim, Tatum quer provar que pode mais. A derrota nas Finais de 2022 para o Golden State Warriors – a primeira que jogou -, e as atuações do ala naquela série, colocam em cheque a sua capacidade de enfrentar e superar grandes desafios. Nos últimos três jogos da série que carimbou o quarto título da franquia da Califórnia, Tatum acertou apenas 39% dos arremessos e teve média de apenas 21 pontos. No último e derradeiro Jogo 6 daquele ano, foram apenas 13 pontos e 33%.

Agora, em 2024, a fama de “pipoqueiro” o persegue, mas essa ferida está muito perto de cicatrizar. Desta vez, contra um adversário diferente e, ao mesmo tempo, velho conhecido: o Dallas Mavericks de Kyrie Irving, seu ex-companheiro por duas temporadas. A partir desta quinta-feira (6), os dois vão se reencontrar para definir qual história será contada. Mais uma oportunidade de mudar a narrativa e superar o principal obstáculo da sua carreira.

MVP das Finais do Leste em 2022 e estrela do time, Jayson Tatum quer entrar para a história e desempatar rivalidade

A virada sofrida nas Finais de 2022 para o Golden State Warriors após estar vencendo por 2-1, deixou marcas no Boston Celtics e em Jayson Tatum. Na temporada seguinte, mais uma derrota amarga e decepcionante, desta vez contra o Miami Heat nas Finais do Leste.

Mas, em 2024, a história foi diferente. Depois de uma temporada regular tranquila, liderança sem sustos e um título no Leste para ninguém botar defeito – varrida contra o Indiana Pacers -, o Boston Celtics e Jayson Tatum chegam muito mais fortes e renovados para a segunda Final em três anos e colocar de vez um ponto final nas críticas ao seu jogo e capacidade de decisão.

— Isso ficou velho? Sim, mas, você sabe, são as Finais. Eles não falariam sobre mim se eu não fosse bom. Então, tento tirar alguns aspectos positivos disso e mudar a história. Não chegamos às finais (ano passado). Este ano coloquei as coisas em perspectiva. Vocês viram ver nossa empolgação quando vencemos a conferência. Obviamente, isso não é tudo, mas é realmente difícil chegar a este momento.–, disse Jayson Tatum.

Em 2024, um caminho mais tranquilo se apresentou para os celtas, com novas peças que elevaram o nível de competitividade da equipe a um patamar de protagonismo e favoritismo contra um adversário que tem Luka Doncic e Kyrie Irving. As chegadas de Kristaps Porzingis e Jrue Holiday fizeram dos Celtics um time com mais força ofensiva e defensiva, capaz de enfrentar e vencer qualquer adversário.

Para os Celtics e Jayson Tatum, vencer em 2024 significa muito mais do que superar uma desilusão recente, mas também a possibilidade de sair da fila após 16 longos anos. E, de quebra, tomar a frente do seu maior rival e levantar o 18º banner de campeão da NBA.

Líder entre os melhores: Jayson Tatum foi o grande nome da ótima temporada dos Celtics

A chegada de Jayson Tatum ao Boston Celtics como a primeira escolha do Draft de 2017 foi carregada de expectativas. Em quadra, ele não decepcionou. Em cinco das suas sete temporadas com a camisa celta, o camisa 0 liderou o time em pontos por jogo. Este ano, ainda liderou o time em rebotes nos 74 jogos em que esteve em quadra.

Nos Playoffs, a influência da estrela é ainda maior. Jayson Tatum lidera o time em pontos, rebotes e assistências. Nos 14 jogos dos Celtics nesta pós-temporada, o ala foi o cestinha do time em oito deles, com uma média de 26 pontos por jogo. Ano após ano, o jogador de 26 anos mostra evolução e repertório capaz superar.

Defensivamente, Tatum também melhorou. Líder do time em rebotes ofensivos, o jogador faz o seu melhor ano em relação ao cuidado com a bola e o baixo número de turnovers, característica que vai ser importantíssima contra um time que tem dois jogadores ágeis e de mãos leves com um bom número de roubos por jogo e aproveitamento de erros adversários: Luka Doncic e Kyrie Irving.

Mas na missão de liderar os Celtics na histórica campanha, Tatum, é claro, teve ajuda. Ao seu lado, seu parceiro Jaylen Brown e seus 23 pontos de média e 50% de aproveitamento nos arremessos de quadra, além dos novos companheiros Jrue Holiday e Kristaps Porzingis. Holiday, inclusive, campeão em 2021 com o Milwaukee Bucks, chegou aos Celtics depois da negociação que levou Damian Lillard para a franquia Wisconsin.

Escrito por Márcio Júnior
Márcio Júnior é baiano formado pela Faculdade Regional da Bahia. Cobriu de carnaval a Copa do Mundo na TVE Bahia, onde venceu o prêmio de reportagem do mês. Apaixonado por futebol, NBA, NFL e games de história. Torcedor do Bahia e Los Angeles Lakers. Passei pela ALBA, Rádio Educadora, Superesportes e Trivela. No Quinto Quarto desde julho de 2023.