NBA: Dejounte Murray nos Lakers? Como o armador poderia ajudar LeBron James

Antônio Henrique Pires Collar | 14/01/2024 - 20:55

O Los Angeles Lakers parece ter definido seu alvo principal antes da trade deadeline. De acodro com o repórter norte-americano Chris Haynes, da TNT e do Bleacher Reporter, a equipe da Califórnia vê em Dejounte Murray uma figura capaz de resolver os problemas enfrentados pelos campeões da Copa NBA. No último mês, o time mergulhou em uma crise e caiu da quarta para a 10ª posição na Conferência Oeste, com apenas quatro vitórias em 15 jogos.

Nesta segunda-feira (15), nomes como Austin Reaves e Rui Hachimura tornam-se disponíveis para trocas. General Manager dos Lakers, Rob Pelinka já sinalizou diversas vezes ao mercado que não tem interesse de negociar Reaves, em quem a franquia faz uma aposta a longo prazo. Diante da necessidade de melhora imediata, no entanto, nenhuma troca pode ser descartada.

O Atlanta Hawks, ao que se sabe, não fará força para segurar o armador. Segundo jornalistas dos Estados Unidos, ele quase enviado para o New York Knicks antes de os nova-iorquinos fecharem o acordo por OG Anunoby, do Toronto Raptors.

Aposta dos Hawks para voltar a brigar pelo título na temporada passada, Murray não conseguiu ajudar a equipe a passar a primeira rodada dos Playoffs. Com o desempenho deste ano, apenas a 11ª posição no Leste, a diretoria parece pronta para partir para outra.

Dejounte Murray seria uma boa para o Los Angeles Lakers?

Hoje, a principal dificuldade vivida pelo time de Darvin Ham é no ataque. A aposta feita em D'Angelo Russell não deu o retorno técnico esperado, e Gabe Vincent teve 5.4 pontos de média nos cinco jogos em que conseguiu estar disponível. Mais do que uma estrela, os Lakers precisam de alguém que igualmente pontue com regularidade e seja capaz de conduzir o ataque.

Dos nomes especulados até o momento em LA, Dejounte Murray parece ser o que mais faz sentido dentro desta lógica. Mesmo com os problemas da equipe, o ex-San Antonio Spurs faz uma grande temporada ofensiva, melhor até do que no seu ano de All-Star, em 2022. Sua média de pontos é a mesma, 21.1 por partida, mas a eficiência é 53.7%, a mais alta que já registrou.

Murray faz ainda seu melhor ano arremessando do perímetro. Além da média de 39.1%, aumentou também o volume, com 6.1 chutes de 3 pontos. Em Atlanta, transformou-se em um dos principais chutadores da NBA. Hoje ele é o 29º em tentativas e tem o 12º melhor aproveitamento entre os 30 que mais arriscam.

Neste ponto, Murray ajudaria a minimizar um dos principais problemas dos Lakers, que têm a menor média de chutes triplos tentados na NBA. Acrescenta-se a isso o baixo aproveitamento, apenas o 22º entre todos os times.

Outra característica que casaria bem com o que busca Darvin Ham é sua capacidade como armador principal. Ter alguém de confiança no comando de ataque é uma busca constante em Los Angeles desde a chegada de LeBron James. No melhor momento da equipe, em 2020, o camisa 23 foi o armador. Com 39 anos, no entanto, LeBron rende melhor tendo ao seu lado alguém que possa fazer esta parte do trabalho.

No seu último ano em San Antonio, Murray ficou em 4º no ranking de assistências em toda liga, com média de 9.2 por jogo. Conseguiu levar um elenco de pouco brilho ao Play-in, terminando a temporada à frente dos próprios Lakers. Foi também o 4º com mais toques, 87.5 por partida, atrás apenas de Nikola Jokic, James Harden e Luka Doncic.

Nos últimos anos, vem se mostrando capaz de continuar eficiente sem dominar tanto a bola. Sua média de toques baixou para 73.2, mas ainda assim pontua do mesmo nível, além de contribuir com mais de cinco assistências por noite. Nos dois jogos sem Trae Young que disputou, teve médias de 26.0 pontos e 9.5 assistências.

Escrito por Antônio Henrique Pires Collar
Formado em jornalismo pela PUCRS e em Basketball Analytics pela Sports Management Worldwide. Com passagem de 6 anos e meio pela editoria de Esportes do jornal Zero Hora e do portal GZH, de Porto Alegre.