UFC: como ex-campeão pode frustrar planos de Alex Poatan nos meio-pesados

Igor Ribeiro | 18/05/2023 - 06:00

Ex-campeão dos pesos-médios (até 83,9 kg), Alex Poatan fará a sua estreia pela categoria dos meio-pesados (até 93 kg) no UFC 291, em julho de 2023. Na luta co-principal da noite, o brasileiro fica frente a frente com Jan Blachowicz. 

Além do peso de estrear em nova divisão, Poatan também precisa estar em alerta com Blachowicz. O polonês, que é ex-campeão da categoria, vem em busca de nova chance de disputar o cinturão e pode representar um duro desafio ao paulista. Com isso, o Quinto Quarto BR reúne os principais cuidados que Alex deve ter para não acabar frustrado.  

Blachowicz é ex-campeão e lenda polonesa 

Apesar de ser carimbado na trocação e chegar com moral do KSW, Jan Blachowicz foi subestimado em grandes momentos dentro do UFC. Era constantemente visto como zebra nas lutas e precisou de vitórias expressivas contra Luke Rockhold, Ronaldo Jacaré e Corey Anderson para carimbar a chance pelo título. Ainda assim, entrou como zebra e chocou o mundo ao nocautear Dominick Reyes — que havia acabado de fazer luta parelha com Jon Jones.  

Aos 40 anos, porém, o polonês segue precisando provar que ainda não perdeu a intensidade que lhe foi atribuída durante boa parte de sua trajetória. Nas últimas três apresentações, ele não brilhou. Acabou sendo finalizado por Glover Teixeira e empatou com Magomed Ankalaev pelo cinturão, mas irritou os fãs e até Dana White, presidente do UFC. No único triunfo que teve, viu Aleksandar Rakic se lesionar e venceu por nocaute técnico.  

Frustrou Adesanya 

Alex Poatan deve ter cuidado para não cair nos ilusórios discursos de que terá vida fácil. Afinal, como referência, o brasileiro pode estudar a subida de seu rival histórico, Israel Adesanya, que tentou se tornar duplo campeão e subiu aos meio-pesados.  

O sonho, no entanto, virou pesadelo. Com estilo de grappling e afiado na luta agarrada, Blachowicz foi uma verdadeira pedra no sapato. Quedou o nigeriano, fez pressão constante e conquistou a vitória na decisão dos juízes. Se precisar fazer o necessário apenas para sair com os braços erguidos, o europeu vai fazer. E, para Poatan, é fundamental que esteja preparado.  

O que fazer? 

Embora tenha um desafio para lidar, Alex também conta com grandes trunfos. Um deles é Glover Teixeira, seu mentor e parceiro de treinos. O veterano, enquanto desafiava Blachowicz pelo cinturão, passou o carro. Levou vantagem em pé e no chão. Finalizou no segundo round com um mata-leão. Ele já tem o caminho das pedras.  

Para o confronto, é difícil imaginar Poatan optando por levar ao solo. Por isso, ele tem a alternativa de explorar uma das brechas de Blachowicz contra trocadores: pressão junto à grade e contragolpes — características que o paulista é capaz de fazer como poucos.  

UFC 291 

Programado para 29 de julho, o UFC 291 promete fortes emoções para os fãs de MMA. Na luta mais importante da noite, Dustin Poirier enfrenta Justin Gaethje em revanche pelo cinturão BMF.  

Além de Poatan, Paulo Borrachinha, Michel Pereira, Marcos Pezão e Vinicius Salvador serão outros representantes brasileiros. Eles duelam com Ikram Aliskerov, Stephen Thompson, Derrick Lewis e CJ Vergara, respectivamente.