UFC: Machida faz 44 anos com ‘chute do dragão’ entre nocautes espetaculares

Igor Ribeiro | 30/05/2023 - 17:00

O 30 de maio é especial para Lyoto Machida. Em seu aniversário de 44 anos, é impossível falar de UFC sem mencionar o brasileiro, conhecido por seu estilo único. O legado é amplo, com grandes vitórias e momentos icônicos, sempre usando o karate como base. O Quinto Quarto analisa agora a carreira de um dos maiores nomes da história do país.  

O legado de Lyoto Machida vai além de suas conquistas no octógono. Ele se tornou uma figura inspiradora para muitos lutadores e fãs de MMA. Disciplina, trabalho árduo, dedicação e humildade. É um exemplo a ser seguido! 

Estilo único 

Lyoto Machida x Chael Sonnen Bellator MMA. Foto: Icon Sports
Lyoto Machida Bellator MMA. Foto: Icon Sports

Lyoto fugiu do convencional de que um lutador de MMA, oriundo da trocação, que deveria ter apenas uma base de boxe ou muay thai.

Especialista na arte chinesa, ele se tornou um exemplo de como os atletas podem se dedicar a múltiplas áreas e se destacar todas elas. Foi um dos primeiros e mais completos que o esporte já viu. 

A influência do Dragão, como é conhecido, foi notória. Outros lutadores, como Stephen Thompson e Robert Whittaker, tiveram estilos parecidos e acabaram moldados pelo ritmo, contra-ataque e precisão nos golpes.  

Aos 44, o brasileiro ainda tem a vontade de competir no Bellator — empresa em que é contratado. Ele, contudo, já está eternizado como um verdadeiro ícone. Lutadores, fãs e futuros praticantes têm sua influência.  

VEJA TAMBÉM

UFC: rival rompe o silêncio e revela estratégia para vencer Charles do Bronx

++ UFC: Poatan e Adesanya se encontram em aeroporto e empolgam fãs

Momentos marcantes de Lyoto Machida 

Dentro do octógono do Ultimate, Lyoto Machida acabou sendo um dos únicos representantes da base karateca. Emblemático e talentoso, o baiano já foi campeão dos meio-pesados (até 93 kg) e chegou a competir nos pesos-médios (até 83,9 kg). 

Ele bateu nomes como Maurício Shogun, Gegard Mousasi e Tito Ortiz, além de protagonizar confrontos marcantes contra Jon Jones, Chris Weidman e Luke Rockhold. Para relembrar e homenagear o atleta, confira alguns dos melhores desfechos com as luvas do UFC.  

Nocaute em Rashad Evans: em maio de 2009, Lyoto Machida enfrentou Rashad Evans pelo cinturão dos meio-pesados do UFC. A luta, na ocasião, marcou um encontro de dois invictos e aparece na mente dos fãs de MMA pelo alto nível.  

O brasileiro acertou um golpe de esquerda, com um direto que nocauteou e envergou o norte-americano. É, até hoje, um dos melhores desfechos de um lutador na carreira pelas artes marciais mistas.  

Chute frontal em Randy Couture: quase dois anos depois, enquanto já não era mais campeão, Lyoto Machida enfrentou o lendário Randy Couture, que fazia sua última luta na carreira.  

Também no segundo assalto, Machida fez valer o apelido de Dragão e, tal qual o filme protagonizado por Jean-Claude Van Damme, aplicou um chute frontal devastador, que pegou no queixo do veterano. Na repetição, inclusive, as câmeras mostraram o dente do norte-americano voando.   

Filme parecido com Vitor Belfort: Lyoto Machida e Vitor Belfort se enfrentaram em uma luta muito aguardada pelos fãs brasileiros. No confronto, em maio de 2018, o baiano mostrou que assistiu o desfecho de Anderson Silva e garantiu um chute frontal semelhante, que levou o Fenômeno a nocaute.  

O momento reforçou a reputação de Machida como um trocador habilidoso e o destacou como um dos melhores lutadores brasileiros do UFC. 

Retrospecto de Lyoto Machida 

Profissional desde 2003, Lyoto Machida faz 44 anos justamente quando completa 20 anos de carreira. Ele ostenta um retrospecto de 26 resultados positivos e 12 negativos, mas não atua há um ano.  

Atualmente, o Dragão faz parte do plantel no Bellator e não sabe o que é ter os braços erguidos desde junho de 2019, quando superou Chael Sonnen.  

Escrito por Igor Ribeiro
Igor Ribeiro é especialista em lutas e MMA e começou a carreira na área como redator e repórter do site Super Lutas, até se tornar coordenador. Foi reporter do Quinto Quarto até julho de 2023.