UFC 299: O’Malley se vinga de Vera e mantem cinturão peso-galo

Paola Zanon | 10/03/2024 - 03:25

Sean O'Malley conseguiu se vingar de Marlon Vera ao defender o cinturão peso-galo no UFC 299 e derrotar o equatoriano quatro anos depois de ter sido nocauteado por ele.

O atual campeão começou a luta com chutes baixos contra o equatoriano, mas os dois apostaram mais nas posições defensivas do que no ataque durante a primeira metade do assalto e partindo para mais contatos físicos na reta final. O'Malley foi mais agressivo e ágil e conseguiu deferir 25 golpes significativos contra apenas 11 de Marlon.

Sean manteve o mesmo ritmo no começo do segundo round, enquanto Vera teve dificuldade em calcular a distância do oponente tanto ao atacar, quanto ao se defender. No último minuto, O'Malley intensificou a luta com duas joelhadas e uma sequência de golpes no rosto do equatoriano, que começou a sangrar e devolveu com um direto.

Vera entrou no terceiro round bem mais agressivo do que nos dois primeiros, mas perdeu diversos golpes por novamente não calcular bem a distância. Nos últimos segundos, Marlon encurralou Sean e o levou ao chão, mas não conseguiu finalizar.

Com o oponente vencendo os três primeiros assaltos, apenas o nocaute interessava o equatoriano, que aumentou a agressividade e levou O'Malley para a grade e, com a torcida a seu favor, finalmente conseguiu fazê-lo sangrar.

Sean entrou no último assalto mais agressivo ainda depois de ver a reação do rival e conseguiu acertar um chute no olho dele. O atual campeão conseguiu manter a superioridade ao acertar mais golpes significativos do que o adversário —foram 186 contra 90 ao longo da luta— e conquistou a vitória por decisão unânime dos juízes.

O'Malley se vinga de nocaute após quatro anos

Sean O'Malley subiu ao octógono do Kaseya Center para defender o cinturão da categoria peso-galo do UFC, em uma revanche com Marlon Vera que já era esperada há quatro anos.

No primeiro encontro entre os dois lutadores, o equatoriano levou a melhor ao derrotar o estadunidense por nocaute técnico em 2020 —essa, inclusive, foi a primeira e única derrota por nocaute no cartel de Sean, que lesionou a perna no duelo.

Então dono do cinturão, Sugar viu no UFC 299 a oportunidade de vingar a derrota e consolidar seu reinado no peso-galo em sua primeira defesa do título conquistado em agosto do ano passado.

O nocaute não aconteceu, mas a vitória por decisão unânime dos juízes em cima do equatoriano já foi o suficiente para concretizar a vingança.

Escrito por Paola Zanon
Paola Zanon é jornalista formada pela Cásper Líbero, repórter e redatora com passagens pelo Notícias da TV, R7 e UOL Esporte. A carreira no jornalismo esportivo começou com a cobertura dos Jogos Pan-Americanos de 2019 pelo R7 até chegar ao Quinto Quarto em fevereiro de 2023. São-paulina de coração e apaixonada por basquete, futebol e viagens.