PFL Challenger Resultados – Semana 4 – 17/02/2023

Payciuma Luiz | 17/02/2023 - 22:58

Na noite desta sexta-feira (17), o PFL Challenger chegou em Orlando para mais uma disputa de contrato na organização. Em quatro lutas, uma delas reservou o duelo entre os brasileiros Manoel Souza x Paulo Lala. Confira, a seguir, os detalhes de cada luta do card único da 4ª edição em 2023.

PFL Challenger Resultados – Semana 4

Card único

Elvin Espinoza x Damir Ferhatbegovic – A ousadia foi castigada pelo veneno adversário

Desde os primeiros instantes de luta, Elvin Espinoza tentou a queda, ao levar Ferhatbegovic para a grade. Até que, exatamente na metade do 1º round, conseguiu o objetivo. Nos últimos segundos, a trocação ameaçou das as caras, mas nada muito intenso, ao ponto de mudar o cenário dos primeiros cinco minutos.

No início do 2º round, Ferhatbegovic tentou devolver a queda, mas acabou sendo o bósnio quem encostou as costas no solo e que, em seguida, sofreu com os golpes e tentativa de finalização de Espinoza. Até que, de tanto tentar, conseguiu finalizar ao puxar o oponente balcânico pelas costas e, assim, o nicaraguense ficou com a vitória e com o contrato do PFL Challenger.

Manoel Souza x Paulo Laia – Chegou aos 15 minutos por pura resistência

No começo de combate, Paulo tentou levar a luta para o solo, tentando pegar Manoel pelas pernas, mas foi ele quem foi derrubado, levando queda pelas costas. Em seguida, sob pressão na grade, sofreu algumas joelhadas notáveis de Manoel. Também na luta agarrada, Paulo Laia ficou refém das várias tentativas de finalização, por chave de perna, de Manoel.

Em seguida, no 2º round, Paulo Laia até tentou arriscar alguns golpes, dentro do pouco espaço que tinha, mas as tentativas de finalização de Manoel foram mais precisas e contundentes, castigando seriamente os braços do oponente. Mesmo assim, Laia resistiu até o fim do assalto mais uma vez, mesmo com derrota evidente também nestes cinco minutos.

Diferente dos dois rounds anteriores, a trocação em pé foi o cenário inicial do último assalto, mas em seguida, o combate voltou ao solo. Novamente, Manoel Souza dominou no chão, com incessante tentativa de buscar a finalização por chave de braço. Mesmo assim, Paulo Laia sustentou e soube se defender, além de escapar das investidas do oponente. Com a decisão na mão dos jurados, a vitória, de forma dividida, ficou com Manoel Souza.

Tony Caruso x Anthony Romero – a luta mais equilibrada da noite

Após uma leve trocação no começo, Romero conseguiu carregar a luta para o corner, onde pressionou e derrubou Caruso pelo menos três vezes. Na sequência, Caruso quase devolveu na mesma moeda, mas o domínio no solo era único e exclusivo do canadense.

No 2º round, as melhores investidas iniciais foram de Caruso, com direito a um chute que quase pegou em cheio no rosto de Romero. Até que, na tentativa de revidar o chute, Romero sofreu queda e chuva de socos na sequência. Além disso, Caruso tentou a finalização, mas não conseguiu.

Na primeira investida do último round, Caruso tentou a queda, mas o tiro saiu pela culatra e foi o australiano quem caiu com as costas no solo. No entanto, a resposta foi dada em sequência, com bons socos no clinch. Por outro lado, Romero tomou as ações novamente, subindo nas costas do oponente e buscando imobilizar o braço do adversário. Romero ainda tentou por mais algumas vezes, a finalização, mas sempre faltava o outro braço, que era bem defendido por Caruso. Com todo esse domínio na parte final, a decisão dos jurados foi de vitória para Anthony Romero, de forma unânime.

Charlie Decca x José Aguayo – Valeu a persistência para José Aguayo

Charlie Decca sofreu a primeira pancada com apenas cinco segundos de luta, em um direto bem no rosto, que o chegou a derrubar. Mas logo em seguida, revidou com um chute no rosto e uma queda, para o domínio do combate no solo, com socos de cima para baixo. Mesmo no solo, Aguayo tentou uma chave de perna, mas sem sucesso.

No 2º round, a luta passou a ser mais em pé, com bons socos de ambos os lados, com leve superioridade de Decca. Por fim, socos mais tímidos e de bastante equilibrio, por parte dos dois oponentes.

O último round começou com bastante estudo, até que Decca levou a luta para o solo e castigou, em socos, sobre o corpo de Aguayo. Em seguida, Decca pressionou Aguayo contra a grade, na tentativa de imobilizar. Por fim, encerrou com socos e joelhadas, com o adversário em posição quase fetal. Dessa forma, por decisão unânime dos jurados, a vitória ficou com Charlie Decca.

 

Foto destaque: Divulgação/PFL 

Escrito por Payciuma Luiz
Setorista de MMA no Quinto Quarto e de futebol nos demais sites do NSN. @payciuma 24 anos de muita felicidade. Estudante de Jornalismo na UNIBRA.