Sem lutar há três anos, Jon Jones revela motivação por retorno ao UFC

Igor Ribeiro | 02/03/2023 - 12:05

Jon Jones está de volta. Protagonista do UFC 285, evento que acontece no próximo sábado (4/3), “Bones” faz os últimos ajustes para a aguardada estreia nos pesos-pesados (até 120,2kg), em confronto diante de Ciryl Gane pelo cinturão vago da categoria.  

Em entrevista no media day, o norte-americano abriu o jogo sobre sua principal motivação no retorno ao Ultimate. Sem atuar desde fevereiro de 2020, ele revela ainda estar batalhando para provar que é o maior lutador da história do esporte, sem se preocupar com o ranking peso-por-peso da organização, que elenca as posições dos lutadores.  

— Estou honrado por ainda estar aqui. É ótimo. Eu estive inativo nos últimos três anos quando se trata do UFC. (…), estou lutando para ser o maior lutador de todos os tempos, não para ser o melhor peso por peso agora –, declarou.

A geração que viu Jon Jones 

Apontado por parte da comunidade do MMA como um dos maiores nomes da história do esporte, Jones também deixa a vaidade de lado e entende que vive outro momento na carreira. Ele se diz confiante que o tempo em inatividade não vai pesar para a disputa de cinturão vago dos pesos-pesados contra Ciryl Gane. 

— Já estou aqui há muito tempo e tenho cabelos grisalhos em minha barba, mas me sinto pronto para dominar (Ciryl Gane). Se eu não dominar e a luta durar cinco rounds, posso seguir bem com isso. Estou pronto para deixar meu coração por lá e preparado para a vitória –, disse.

A volta da lenda 

Jon Jones em bate-papo com os jornalistas antes do UFC 285. Foto: Reprodução/Instagram @UFC

Jon Jones, enfim, vai ter seu retorno ao octógono do Ultimate. Aos 35 anos, a lenda das artes marciais mistas precisou passar por um trabalho especial de preparação para ganhar força física e competir em outra divisão, além de deixar seu título dos meio-pesados (até 93kg.).  

Bones”, como é conhecido, também lidou com um imbróglio salarial e só aceitou voltar à organização após um reajuste nos valores recebidos por luta. Ícone do esporte, ele soma um cartel de 26 triunfos e apenas um revés, além de já ter lutado contra nomes conhecidos pelo público brasileiro, como Lyoto Machida, Vitor Belfort, Glover Teixeira e Thiago Marreta.