COLUNAS

Cain Velásquez – Notícias, estatísticas e salário

CAIN VELASQUEZ

Em primeiro lugar, vamos falar um pouco nesta nova coluna um pouco sobre as grandes lendas deste esporte que tanto amamos, o MMA. Desta vez, o escolhido é Cain Velásquez, reconhecido como um dos maiores pesos-pesados da história do UFC, aonde conquistou grandes vitórias e títulos.

Aos quem não o conhece, em resumo, Cain Ramirez Velásquez é um ex-campeão do peso-pesado do UFC e, atualmente, luta em eventos de pro-wrestling. Além disso, no MMA, o estadunidense de ascendência mexicana recebeu o prêmio como “Lutador do Ano”, em 2010. Aliás, em 2012 e 2013, indicaram ao prêmio, mas não chegou a ser consagrado nesses anos.

Depois disso, como wrestler, assinou com a maior organização de telecatch, a WWE, em 2019. No entanto, ocorreu a demissão em 2020, devido ao alto salário e à pandemia do covid-19, que dificultou as finanças da empresa. Vamos conferir abaixo como foi a carreira deste grande lutador.

INÍCIO DE CARREIRA

Cain Velásquez nasceu nos EUA, porém se mudou para o México após o nascimento, voltando para o país natal ilegalmente. No entanto, se formou na Kofa High School, onde lutou wrestling e jogou futebol americano. No High School, o estadunidense de ascendência mexicana teve um cartel de 110-10 em quatro anos de wrestling, além de ser bicampeão do Arizona Wrestling Championship. Assim, preferiu continuar no wrestling na faculdade.

Velásquez no wrestling colegial

Velásquez no wrestling colegial – Foto: Arquivo Pessoal

Durante os primeiros anos de ensino superior, Velásquez estava no Iowa Central Community College, onde venceu o NJCAA na divisão dos pesos-pesados. Depois, o transferiram para a Universidade Estadual do Arizona, onde se tornou duas vezes All-American, ou seja, ficou durante dois anos entre os oito melhores wrestler da sua categoria.

Logo após sua formatura, Cain migrou para o MMA, ingressando na AKA, onde recebeu sua faixa preta de jiu-jitsu de Leandro Vieira. Como já tinha um background muito bom na luta agarrada, Velásquez estreou no MMA em um grande evento da época, o Strikeforce. A sua estreia foi contra Jesse Fujarczyk, onde venceu por nocaute no primeiro round. Porém, não ficou na empresa por muito tempo, saindo logo após a vitória, para lutar em um evento regional, já sendo contratado pelo UFC.

ASCENSÃO

Já no UFC, o estadunidense de ascendência mexicana estreou na organização em 2008, nocauteando Brad Morris no primeiro round, no UFC 83. Após isso, conquistou mais cinco vitórias, incluindo adversários de peso como Cheick Kongo, Ben Rothwell e o Minotauro. Assim, de forma incontestável, Cain Velásquez se tornou o desafiante ao cinturão, o que fez o UFC casar uma luta contra o campeão Brock Lesnar, pelo cinturão linear peso-pesado no UFC 121.

Na disputa de cinturão, contra Brock Lesnar, a luta foi bem rápida, durou um pouco mais de quatro minutos, acabando já no primeiro round. Enfim, o duelo começou com o campeão sendo bem agressivo, que buscou a iniciativa a todo instante, principalmente, em tentativas de queda, já que era sua principal qualidade. Porém, como sabemos, Velasquez é duas vezes All-American, e não ficou muito tempo no solo.

Depois de um tempo no jogo de grade, Cain achou a distância e conseguiu conectar bons golpes. Após isso, Lesnar até tentou dar um overhand, mas se desequilibrou. Aproveitando esse vacilo, Velásquez conectou um ground and pound bem brutal, forçando a interrupção do árbitro Herb Dean, aos 4min 12segs. Sendo assim, Cain Velasquez se tornou campeão dos pesos-pesados pela primeira vez em sua carreira.

Cain Velasquez

Cain Velásquez com o cinturão – Foto: UFC

PERDA DO CINTURÃO

Dessa forma, depois da conquista do cinturão dos pesados, Velásquez até então, invicto, foi escalado para fazer a primeira defesa de seu título contra Junior dos Santos, o Cigano, que também vivia um grande momento na época. A primeira defesa de cinturão do Cain seria realizada no UFC on Fox, a primeira edição do evento no canal aberto.

No entanto, a luta foi ainda mais rápida que sua conquista contra Brock Lesnar. Logo no começo da luta, como é comum na categoria dos pesos-pesados, Cigano encaixou seu pesado overhand de direita aos 1min 06segs, que derrubou Cain Velásquez. Assim, o brasileiro conseguiu um grande nocaute contra o até então campeão invicto. Sendo assim, o estadunidense de ascendência mexicana perdeu o cinturão na sua primeira defesa de cinturão, mas não demorou muito para realizar sua volta ao octógono.

AUGE

A afirmação de que Cain Velásquez como o maior peso-pesado da história do UFC veio após uma boa vitória contra Antônio Pezão por nocaute no primeiro round, e na primeira revanche com o campeão Junior dos Santos, que estava marcado para o UFC 152, mas depois alterada para o UFC 155.

Dessa forma, a segunda luta entre Cain e Dos Santos foi um dos maiores domínios da história do UFC, com Velásquez dominando a luta do início ao fim. Além disso, com o Cigano demonstrando muita garra não se dando por vencido em nenhum instante. No final das contas, Cain Velásquez venceu por decisão unânime dos juízes, com um domínio impressionante em toda a luta. Deste modo, reconquistou o título dos pesos-pesados do UFC.

Após a conquista do cinturão pela segunda vez, o mexicano se consolidou na época como o melhor peso-pesado do mundo, defendendo seu cinturão com sucesso duas vez, contra Antônio Pezão com mais um nocaute no primeiro round. E, na trilogia contra Junior Cigano, tivemos novamente uma luta onde Cain dominou do início ao fim, mas, dessa vez, nocauteou no quinto assalto.

LESÕES E NOVA PERDA DO CINTURÃO

As lesões sempre foram uma grande pedra no sapato do campeão. Porém, desta vez, essas contusões acabaram custando alguns anos do auge de mexicano. Antes de seu segundo reinado como campeão, Cain já havia tido uma grave lesão no ombro, que teve que adiar a revanche com Cigano. Após a ultima luta da trilogia contra o Junior, Velásquez participaria do TUF: América Latina, contra Fabrício Werdum, mas teve uma lesão de menisco, o que o tirou de ação por quase dois anos.

Desta forma, devido ao tempo fora dos cages criaram um cinturão interino, o qual foi disputado em uma luta entre Fabricio Werdum e Mark Hunt, onde teve a vitória do brasileiro por nocaute. Assim, o UFC marcou a luta de unificação dos cinturões, em 13 de junho de 2015, no UFC 188, na Cidade do México, terra do campeão, já que é mexicano por parte de pai.

Contudo, depois de seu hiato, Velásquez novamente perdeu o cinturão dos pesados, por finalização, no terceiro assalto. Para muitos, foi uma luta um tanto estranha, pois uma característica muito conhecida de Cain era o seu excelente condicionamento físico e a sua capacidade de aumentar o ritmo nas lutas. Porém, o próprio disse, em entrevista, que não havia se preparado para a altitude da capital mexicana. Enquanto, o ‘Vai Cavalo' levou seu camp para o México um mês antes da luta, para se habituar ao ar rarefeito.

Após a recente perda, levou mais 13 meses para enfrentar promessa Travis Browne, onde conseguiu uma boa vitória por nocaute. Porém, as lesões novamente voltaram e, assim, vetaram para a revanche com Fabricio Werdum devido a esporas ósseas. Contudo, só foi retornou ao octógono em 2019, no UFC on ESPN 1, contra Francis Ngannou, sendo nocauteado em poucos segundos. Depois disso, anunciou aposentadoria do MMA pouco tempo depois.

PRINCIPAIS TÍTULOS E PRÊMIOS

  • Campeão peso-pesado do UFC;
  • Duas defesas de cinturão dos pesos-pesados;
  • 2° maior nocauteador da história dos pesados (10 nocautes);
  • Maior porcentagem de golpes significativos dos pesados (57,62%);
  • Mais quedas na história dos pesados (34);
  • Mais golpes lançados na história dos pesados (1464);

LUTAS MEMORÁVEIS

BROCK LESNAR X CAIN VELÁSQUEZ

BROCK LESNAR

Brock Lesnar x Cain Velásquez  – Foto: UFC

Em Outubro de 2010, no UFC 121, Cain Velasquez se tornou o campeão do peso-pesado ao nocautear Brock Lesnar no primeiro round. Este embate marcou o encontro do maior estrela comercial da época e, certamente, do maior postulante a sucessor de Fedor Emilianenko, como o maior peso-pesado da atualidade. Além disso, antes de o combate rolar, a grande mídia via esta luta como a maior luta de todos os tempos, devido ao hype que tinha entre ambos no pré-luta. Aliás, a disputa de cinturão, marcou também a primeira conquista de Velásquez no MMA. O duelo, mesmo sendo curto, foi um domínio completo de Cain.

JUNIOR DOS SANTOS X CAIN VELÁSQUEZ 2

CAIN VELASQUEZ X JUNIOR DOS SANTOS 2

Cain Velásquez x Junior dos Santos 2 – Foto: UFC

Sem dúvidas, essa era uma das lutas mais esperadas na história do UFC, Cain Velásquez recuperou o cinturão dos pesos-pesados contra Júnior Cigano, para quem o havia perdido numa luta decidida por um golpe certeiro de Cigano. A disputa de cinturão dos pesados, no UFC 155, marcou o inicio do auge do estadunidense de ascendência mexicana. Já que o domínio do americano foi do começo ao fim do combate, tendo aplicado três dígitos de golpes significativos e dois dígitos de quedas, o que acontecia pela primeira vez na história dos pesados. Desta vez, o jogo de wrestling de Cain simplesmente destruiu as ambições do brasileiro, que por pouco não foi nocauteado ainda no primeiro round.

CAIN VELÁSQUEZ X JUNIOR DOS SANTOS 3

CAIN VELASQUEZ X JUNIOR DOS SANTOS 3

Cain Velásquez x Junior dos Santos 3 – Foto: UFC

Por fim, este combate foi sua afirmação como, até então, o maior peso-pesado da história do UFC, bastão o qual já foi passado para Stipe Miocic. A trilogia aconteceu no UFC 166, onde Cain Velasquez foi dominante em toda a luta, vencendo Junior Dos Santos por nocaute técnico no quinto round. Assim como o outro, o combate foi domínio gigantesco, com americano, dessa vez, nocauteando, e igualando o recorde de defesas de cinturão dos pesados.

CAIN VELÁSQUEZ – HOJE EM DIA

WWE

Brock e Cain em uma luta do WWE – Foto: WWE

Após aposentar do MMA, Cain tentou começar a carreira no pro-wrestling. Em sua estreia, participou de um evento da Lucha Libre AAA WorldWide, uma promoção mexicana. Após isso, Velásquez foi contratado pela maior organização de telecatch, o WWE, o evento inclusive casou uma luta contra Brock Lesnar, em um evento na Arábia Saudita.

No entanto, a sua passagem por lá não durou muito, já que o dispensaram em 2020, devido ao alto salário e à pandemia do covid-19, que dificultou as finanças da empresa. Recentemente, o ex-campeão do UFC anunciou o retorno à Lucha Libre AAA Worldwide, em 4 de Dezembro.

Foto Destaque: Reprodução / Quinto Quarto

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top