Bellator 291 Resultados – Amosov x Storley – 25/02/2023

Payciuma Luiz | 25/02/2023 - 13:50

Neste sábado (25), em Dublin, na Irlanda, o Bellator 291 tomou conta da 3Arena, com um super card. Em destaque, o duelo da luta principal, entre os meio-médios Yaroslav Amosov x Logan Storley. O nome brasileiro no evento é o de Rafael Hudson, que enfrenta o russo Khazan Magomedsharipov. Confira, a seguir, os detalhes de todos os duelos pelos cards preliminar e principal do Bellator 291.

Bellator 291 Resultados

Card principal Bellator 291

Yaroslav Amosov x Logan Storley – ucraniano venceu duas guerras

Ambos os lutadores capricharam nos socos no começo da luta, até que Amosov se destacou, ao imprimir sequência de socos e até um chute alto e perigoso para Storley. No 2º round, a tentativa de Storley de levar a luta para o solo acabou não dando certo e Amosov revidou com tentativa de joelhada e socos, além de mais um chute alto, que passou perto da cabeça do americano. Em mais um gancho que deu errado para Storley, Amosov repetiu os socos da primeira vez. Na sequência, o ucraniano aplicou bons chutes à meia altura.

Com uma boa trocação no começo do 3º round, Amosov castigou o rosto de Storley, com socos precisos e dessa vez também com chutes que alcançaram o objetivo. Após mais uma dose de golpes, o ucraniano deitou o oponente e buscou a finalização no corner. Na sequência, para fechar um terceiro round fulminante, Amosov encaixou mais golpes que colocaram em evidência a superioridade do ucraniano naquele momento do combate.

No 4º round, o ritmo diminuiu, mas os golpes de Amosov continuaram sendo precisos, aumentando ainda mais o nível de sangue no rosto de Storley. Por fim, no último round, Storley buscou as pernas de Amosov, mas recebeu chute no rosto por parte do ucraniano. No final do combate, a trocação ficou mais equilibrada, com Storley na busca das pernas de Amosov, mas com boa defensiva do ucraniano. Assim, por decisão unânime dos jurados, a vitória heróica e de superação, após participar da guerra entre Ucrânia e Rússia, Yaroslav Amosov levou a melhor e continuou com o cinturão.

Pedro Carvalho x Jeremy Kennedy – a estratégia deu certo

No começo do combate, Kennedy começou por cima, no solo, mas sem muita efetividade, por conta da boa defesa de Pedro Carvalho. Nos últimos segundos do round inicial, uma queda provocada por Kennedy para encerrar o round.

Com um duelo mais pegado, Kennedy dominou novamente nas quedas e na grade durante o 2º round. No 3º round, Kennedy tentou a finalização, por trás de Pedro Carvalho, mas não rolou e a decisão ficou com os jurados. Para os três, a vitória é de Jeremy Kennedy.

Peter Queally x Bryce Logan – Reviravolta fantástica

Após um começo de bastante esquiva dos dois oponentes, Queally botou as luvas à mostra, com bons golpes e chutes sobre Logan. No entanto, no 2º round, Logan tomou a iniciativa, levou o combate para a grade e, quando Queally foi ao solo, castigou o oponente com muitos socos até o árbitro interromper a luta, decretando assim o nocaute técnico favorável para Bryce Logan.

Sinead Kavanagh x Janay Harding – duelo equilibrado, mas a lutadora da casa levou a melhor

Após um início de round de muito estudo, os instantes finais foram bem tensos, com golpes das duas oponentes. Por outro lado, 2º round, a disputa acelerou, com direito a trocação e queda pelos golpes desferidos por Kavanagh sobre Harding. No final, Harding reagiu, com trocação e chute, mas não deu tempo de fazer muita coisa.

Com golpes vagos, o combate no 3º round foi muito mais em pé, com socos por parte de Kavanagh e chutes de Harding. Assim, por decisão unânime dos jurados e festa dos presentes na arena, Sinead Kavanagh levou a melhor.

Ciaran Clarke x Leonardos Sinis – Domínio no solo e nos socos

Em poucos segundos de luta, Clarke colocou a luta para o solo e, por incrível que pareça, rolou trocação no corner, com alto predomínio dos golpes de Clarke, em socos potentes. Na sequência, o irlandês também tentou golpes com o cotovelo, além de mais espaços para desferir golpes.

No 2º round, mais uma vez Clarke dominou no solo, travando os movimentos de Sinis e desferindo golpes na direção das costelas. Assim como no round inicial, não deu para o irlandês, mesmo com todas as tentativas de nocaute técnico e finalização.

O mesmo roteiro se repetiu no último round, mas sem a quantidade de golpes desferidos por Clarke nos assaltos anteriores. Mesmo assim, por decisão unânime dos jurados, a vitória ficou com Ciaran Clarke, para a alegria do público na 3 Arena, em Dublin.

Card Preliminar Bellator 291

Karl Moore x Maciej Rozanski – Quedas importantes para a vitória

Em um duelo muito travado no início, o destaque foi para o controle de Moore no corner, enquanto Rozanski se defendia do jeito que dava, para não sofrer golpes mais pesados. No 2º round, após chute, Rozanski levou a luta para o solo, mas por pouco tempo, pois a luta ficou em pé e com mais um chute sobre Rozanski. Quando o combate esteve mais uma vez na grade, Moore fez o gancho e derrubou Rozanski três vezes.

Por fim, o último round foi da mesma forma, no solo, mas dessa vez o comando foi de Rozanski, por cima. Mesmo assim, a decisão dos jurados foi unânime pela vitória de Karl Moore.

Charlie Ward x Mike Shipman – Cardápio variado, mas o mesmo gosto

Em um começo de luta muito estudado, o combate ficou mais no solo, com o domínio de Shipman, que tentou travar os movimentos de Ward. Por outro lado, o 2º round foi de luta em pé, mas com pouco golpes de ambos os lados. Até que Shipman conseguiu derrubar Ward após levar o combate para a grade.

Por fim, após mais um bom tempo de duelo travado, Shipman encaixou alguns golpes de cima para baixo sobre Ward. Dessa forma, por decisão unânime dos jurados, a vitória ficou com Mike Shipman.

Gokhan Saricam x Oleg Popov – Russo mostrou o que sabe

O começo da luta foi marcado por pressão de Popov sobre Saricam na grade. Em seguida, o russo tentou a queda, mas o duelo foi para o solo de outra forma, sob investidas na grade, provocadas por Popov. Com menos de 20 segundos para o fim do assalto, mais uma queda, provocada por Popov.

Para o 2º round, mesmo cenário, com Popov por cima, travando os movimentos de Saricam. Em seguida, o duelo foi para a grade, mas sem grandes alterações, o domínio seguiu sendo russo, com direito a uma queda no final do assalto.

No último round, a repetição dos outros dois anteriores, controle de Popov e tentativas de queda sobre Saricam. Mas quando a luta esteve em pé, domínio de Saricam, que conseguiu conectar alguns bons golpes e quase finalizou Popov. Mesmo assim, pelo conjunto de todo combate, a vitória foi unânime para Oleg Popov.

Norbert Novenyi Jr. x Andy Manzolo – Golpeou e completou no solo

Mesmo com muito estudo, Manzolo tentou joelhada como primeiro golpe, mas Novenyi se defendeu bem e conseguiu até levar o oponente ao solo. Na sequência, mesmo deitado, Manzolo inibiu os chutes do oponente. Porém, após joelhada no corner, Novenyi chegou ao nocaute ao desferir um direto de direita no rosto de Manzolo.

Brian Moore x Luca Iovine – pegou fogo, hein

Moore antes do minuto inicial, já havia carimbado o rosto de Iovine, que respondeu com uma tentativa de trocação, mas logo recebeu outro soco, que o levou ao solo, onde seguiu sendo duramente castigado por Moore. Por fim, mais sofrimento para Iovine, dessa vez, além dos socos, o cotovelo direito de Moore encontrou o seu rosto.

No 2º round, a trocação rolou solta nos dois minutos iniciais, com bons socos, em alta precisão. Na sequência, com ambos no solo, Iovine exerceu pressão e desferiu mais alguns golpes, além de tentativas de finalização.

Para fechar, o último round foi, novamente, de predomínio no solo, com Iovine na tentativa de finalização, enquanto Moore se segurava. Em pé, Moore encerrou com duas tentativas de socos giratórios, na esperança de equilibrar o round. E deu certo, pois o irlandês Brian Moore venceu por decisão dividida dos jurados.

Piotr Niedzielski x Richie Smullen – nenhum dos oponentes dominou por completo

Após um começo bem amarrado, Niedzielski se soltou e desferiu mais golpes pontuais no primeiro assalto, enquanto Smullen buscou a queda e até conseguiu inibir as ações do oponente. No 2º round, mais uma queda de Smullen, mas o tiro saiu pela culatra, quando Niedzielski ficou por cima e quase conseguiu a finalização. Por fim, o último round novamente foi de predomínio no solo. Assim, por decisão dividida, a vitória ficou com Richie Smullen.

Darragh Kelly x Dorval Jordan – nem tudo estava perdido

Desde os primeiros instantes, o domínio foi completo de Dorval Jordan, com a luta na grade, desferiu socos e chutes sobre Darragh Kelly. Em seguida, a luta ficou mais travada, porém, com uma reviravolta de Kelly, que culminou em um nocaute técnico no final do 3º round.

Asael Adjoudj x Liam McCracken a luta tomou outro caminho ainda no round inicial

De cara, McCracken acertou um chute que balançou Adjoudj. Em seguida, levou a luta para o corner e para o solo também, sempre exercendo pressão com golpes e tentativas de finalização. No entanto, “The Sultan” conseguiu escapar de todas essas ofensivas.

Diferente do round inicial, o segundo começou com Adjoudj colocando a mesma pressão que sofreu anteriormente e ainda aplicando uma queda. A mesma dose foi vista no 3º round, quando Adjoudj começou com tudo mais uma vez. Na metade final do assalto, houve alternância no comando da luta, com tentativas de nocaute técnico dos dois lados, ao ponto de escorrer sangue de Adjoudj pela lona. Mesmo assim, a decisão unânime dos jurados foi pela vitória de Asael Adjoudj.

Khasan Magomedsharipov x Rafael Hudson – Uma luta menor que o nome do russo

Sendo dominado no solo desde o começo do 1º round pelo russo Magomedsharipov, o brasileiro Rafael Hudson ficou refém dos golpes de seu oponente. Até que, quando faltavam apenas 25 segundos para o fim do round, o árbitro interrompeu a luta, o que deu a vitória, por nocaute técnico, para Khasan Magomedsharipov.

Elina Kallionidou x Jena Bishop – as meninas deram show

A tentativa de levar a luta para o solo de Bishop deu certo, por pouco tempo, até que Kallionidou ficou por cima e anulou as ações da oponente americana. De um lado, a a grega tentou a finalização, mesmo por baixo, enquanto Bishop, por cima, se defendeu travando os movimentos da oponente. Por fim, uma “leve” trocação na grade, ainda no solo, deu fim ao round inicial.

Assim como no 1º round, o segundo iniciou com mais uma queda de Bishop, dessa vez melhor sucedida e com socos no comando da americana, por cima de Kallionidou. Em completo domínio de Bishop, a americana encerrou com uma tentativa de finalização nos últimos segundos.

O último round começou com o mesmo cenário dos anteriores, em mais uma queda provocada por Bishop e domínio por cima, com direito a alguns socos. Por fim, com uma luta bem travada no solo, a decisão ficou com os jurados, que deram a vitória, por decisão unânime, para Jena Bishop.

Kenny Mokhonoana x Craig McIntosh – não iria chegar aos 15 minutos

Logo na primeira investida, Mokhonoana levou a luta para a grade, após provocar a queda, e pressionou McIntosh na tentativa de alcançar uma finalização. Com uma sequência fulminante de socos, o árbitro interrompeu o combate, decretando, assim, a vitória de Kenny Mokhonoana.

Daniele Scatizzi x Dmytrii Hrytsenko – precisão do ucraniano foi fundamental

Em duelo eletrizante do começo ao fim, com chutes em bastante quantidade de ambos os lados, Hrytsenko foi levemente melhor no 1º round. Em seguida, no 2º round, Hrytsenko tentou a queda, mas acabou sofrendo joelhadas de Scatizzi com guarda baixa no corner.

Por fim, no último round, Hrytsenko seguiu com predomínio no começo, ao desferir boa sequência de golpes. Por outro lado, Scatizzi tentou responder, mas os golpes não conseguiram atingir em cheio o ucraniano na maioria das vezes. Nos últimos segundos de luta, o italiano acelerou o ritmo, com socos e até uma joelhada no rosto, mas não havia mais tempo. Para os jurados, a vitória foi de Dmytrii Hrytsenko.

Steven Hill x Joel Kouadja – foi tanta pressão no começo que o gás acabou

Kouadja até começou bem, encurralando Hill na grade e deixando o joelho no rosto do adversário, mas a queda sofrida mudou a situação. Na sequência, quando a luta abriu mais, ainda no solo, Hill acertou soco preciso com as costas de Kouadja no chão. Por fim, Kouadja se protegeu do jeito que deu, mas acabou sofrendo ainda mais socos do oponente no minuto final.

Após um começo de 2º round com predomínio no solo e ações totalmente feitas por Hill, Kouadja não aguentou a pressão e sofreu a finalização de seu oponente, na metade do assalto.

 

Foto destaque: Divulgação/Bellator MMA 

Escrito por Payciuma Luiz
Setorista de MMA no Quinto Quarto e de futebol nos demais sites do NSN. @payciuma 24 anos de muita felicidade. Estudante de Jornalismo na UNIBRA.