As 5 maiores lutas da história do UFC no Brasil

Matheus Costa | 03/05/2024 - 14:42

Conhecido por muitos como o lar das artes marciais mistas, o Brasil tem uma longa relação com o MMA desde os tempos dos desafios de jiu-jítsu que lotavam arenas pelo país, os eventos de vale tudo que criaram rivalidades épicas e, claro, as vindas do UFC ao país ao longo dos anos. Fora que o Ultimate foi criado pelo brasileiro Rorion Gracie, logo, a organização está no DNA brasileiro.

Mas a história do UFC no Brasil não é pequena e também não começou ontem. Desde o primeiro evento no país, em 1998, a organização proporcionou momentos épicos à torcida brasileira que ficaram guardados nas memórias de todos os amantes do esporte, tornando a marca do Ultimate numa verdadeira febre no país.

No aquecimento para mais um evento na história do país com o UFC 301, que será o 40° a ser sediado em terras brasileiras na história da organização, chegou a hora de lembrar algumas das lutas mais marcantes do evento. Por isso, o Quinto Quarto resolveu listar os cinco maiores combates na memória do público brasileiro.

UFC Brazil 1998: Vitor Belfort x Wanderlei Silva

Na luta coprincipal do evento que marcou a estreia do UFC no Brasil, o perigoso Wanderlei Silva foi escalado para enfrentar um jovem Vitor Belfort, que vinha de uma dura derrota para Randy Couture e fazia sua estreia na categoria dos meio-pesados. Porém, a luta quase não aconteceu, já que Belfort sofreu durante a semana da luta com problemas de dores de cabeça. O que o fez lutar, no entanto, foi um motivo especial: sua mãe sonhou que ele nocautearia o ‘Cachorro Louco’ no primeiro round.

Assim como sua mãe previu, Vitor Belfort fez o que havia acontecido em seu sonho. O confronto durou apenas 44 segundos e com incríveis 18 socos em quatro segundos, Belfort chocou o mundo e nocauteou Wanderlei Silva, fazendo seu nome no MMA.

UFC 134: Anderson Silva x Yushin Okami 2

13 anos após o primeiro evento no país, 2011 foi a vez em que o UFC decidiu se reaproximar e retornar ao Brasil para seu segundo evento no país. No auge da popularidade do esporte, o país tinha o campeão dos médios, Anderson Silva, como grande estrela não só do MMA brasileiro, mas do MMA mundial. O ‘Spider’ era uma febre midiática e sua participação na luta principal era mais do que certa.

Ele foi escalado para fazer uma revanche contra o japonês Yushin Okami, responsável por uma das poucas derrotas da carreira do ‘Spider’ até aquele momento e por uma desclassificação cinco anos antes. O segundo encontro, como esperado, foi bem diferente: Anderson, em ritmo de treino, não teve dificuldades para nocautear no segundo round e levar o público brasileiro ao delírio no Rio de Janeiro.

UFC 134: Rodrigo Minotauro x Brendan Schaub

Após sofrer uma dura derrota para Cain Velasquez, o veterano Rodrigo Minotauro precisava de uma boa vitória importante na reta final de sua carreira. Escalado para enfrentar a promessa Brendan Schaub em sua primeira luta no Brasil, ‘Big Nog’ era considerado como franco azarão para o confronto. Mas isso não se transmitiu ao octógono.

Empurrado pela torcida brasileira no UFC 134, no Rio de Janeiro, Minotauro mostrou que ainda tinha lenha para queimar e anotou um impressionante nocaute no primeiro round, levando os fãs à loucura total na HSBC Arena.

UFC 142: José Aldo x Chad Mendes 1

Em sua segunda defesa de cinturão na categoria dos penas, José Aldo foi convocado para protagonizar o UFC 142, no Rio de Janeiro, com o calor da torcida local para enfrentar um perigoso desafiante com Chad Mendes.

O primeiro round foi basicamente dominado por Mendes, que buscou o wrestling para dominar Aldo no clinch. No entanto, o campeão tirou uma carta da manga, se soltando do clinch e virando rapidamente para acertar uma joelhada certeira que nocauteou o americano no último segundo. A euforia foi tanta que o campeão pulou o octógono e foi parar na torcida para comemorar o triunfo.

UFC 198: Fabricio Werdum x Stipe Miocic

Em termos de logística, o UFC 198 foi o maior evento já realizado no Brasil. Afinal, a organização alugou a Arena da Baixada, estádio do Athletico, para promover o épico combate entre o campeão peso pesado Fabricio Werdum e o desafiante Stipe Miocic diante de mais de 45 mil pessoas.

No entanto, a decepção foi muito grande. Nervoso com tamanha pressão, Werdum acabou abandonando seu jogo calculista e estratégico para trocar golpes, buscando o nocaute a todo tempo. Um direto de direita acabou, no entanto, fazendo com que o público fosse ao silêncio instantâneo com a vitória de Miocic, que se tornou o novo campeão.

Escrito por Matheus Costa
Matheus Costa é jornalista, repórter e redator com passagens por MMA Brasil, LANCE!, O Dia, Yahoo! e outros. Sua carreira no jornalismo iniciou na cobertura do MMA, depois se expandindo para a cobertura do futebol e dos bastidores de televisão esportiva brasileira. Já cobriu in loco eventos de MMA, futebol, basquete e jiu-jítsu.