COLUNAS

O efeito Conor McGregor no mundo das lutas

Em 2007, um jovem irlandês de apenas 19 anos estreava no MMA amador com uma vitória fulminante por nocaute em menos de dois minutos, e ganhando como prêmio a bolsa de trezentos dólares americanos.

Assim, 13 anos depois, esse mesmo atleta lidera a lista da Forbes como atleta mais bem pago do mundo, superando nomes como Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo, Lewis Hamilton, Lebron James, Roger Federer, Tom Brady e todos os outros. Seu nome? Conor Anthony McGregor.

Você pode gostar ou não, aprovar seu jeito, sua “persona”, suas manias e extravagancias e tudo bem. McGregor de fato tem uma personalidade que gera polarização, ou você se apaixona por ele ou vai odiá-lo. E também ninguém pode negar seus feitos, tanto desportivos, como primeiro atleta do UFC a ostentar simultaneamente cinturões em duas categorias de peso diferentes. Você pode argumentar em que circunstâncias isso ocorreu, mas não pode negar. Bem como ninguém pode deixar de notar que Conor McGregor é uma máquina comercial das mais eficientes que existem, senão vejamos o prefacio desse texto, onde ele passou de trezentos dólares para o esportista mais bem pago do mundo.

Conor McGregor of Ireland enters the Octagon before facing Khabib Nurmagomedov of Russia in their UFC lightweight championship bout during the UFC...

Esse artigo é para falar sobre um ponto bem especifico do carisma comercial do McGregor, vamos tratar sobre “os efeitos comerciais” que nele são exponenciais.

O que seriam esses efeitos?

Conor McGregor por ser essa máquina comercial arrebatadora, simplesmente carrega consigo um poder comercial muito grande. Afinal, é o atleta mais bem pago do mundo. Sua bolsa no UFC é a mais alta. Os eventos em que ele encabeça, o card são sempre os com mais vendas globais em PPV. Transforma uma marca de whisky de inexistente a mais vendida no globo. Veste centenas de milhares de homens com seus ternos e relógios. Enfim, ele é o verdadeiro “Rei de Midas” dos contos.

Mas o seu mérito comercial é exponencial por uma razão, esse efeito não se limita apenas ao McGregor, assim que ele “toca” em algo, esse efeito é imediatamente transferido e duradouro, senão vamos aos exemplos:

Nate Diaz

Passou de irmão mais novo do Nick, para o patamar de principal estrela americana no MMA mundial, e isso porque ele se tornou um atleta brilhante devorador de mundos? Não! Pelo contrário, continua sendo bem medíocre como lutador, porém ele fez o que para o público médio normal era impossível, ele venceu McGregror. E mais, na revanche imediata deu mais uma luta dura em que um dos juízes marcou empate e pronto, de irmão mais novo e maconheiro, para o patamar de estrela.

Conor McGregor of Ireland and Nate Diaz raise their hands and wait to hear the judges decision after their welterweight bout during the UFC 202 event...

Joe Duffy

Com uma carreira razoável no Cage Warriors, foi contratado da noite para o dia pelo UFC, assim que McGregor nocauteou Chad Mendes, por uma simples razão, ele tinha sido o último homem a bater McGregor. E nesse recorte do tempo, para o fã médio, vencer McGregor já era algo inimaginável para qualquer mortal, pois ele já tinha alçado o status de imbatível. E assim, de atleta mediado de um torneiro regional europeu, ao maior contrato da vida com a maior organização de MMA do mundo.

Arten Lobov

Sem nos alongarmos muito sobre ele, lutador absolutamente medíocre,. Nota seis e meio com alguma boa vontade. Participante do TUF chancelado e avalizado pelo melhor amigo Conor McGregor, só isso lhe garantiu de cara um contrato com a organização, com direito a lutas com bons nomes. Em todas derrotas, é claro. E em algum momento Arten Lobov tentou renegociar seu contrato com a organização dizendo que recebia muito pouco e assim ganhou uma demissão. Porém, como melhor amigo do irlandês continuou e continua se apresentando com essa fama, além do fato que ele foi pivô da rivalidade entre McGregor e Khabib.

Northern Ireland , Ireland - 19 November 2016; UFC Lightweight and Featherweight champion Conor McGregor celebrates with fellow SBG gym fighter Artem...

Dillon Denis

Treinador de jiu-jitsu e amigo pessoal de McGregor, conseguiu um contrato com o Bellator, e por lá está com um cartel em 2-0. Não que ele seja um bom lutador, porque ele não é. Mas é que ele é um striker unidimensional e o evento lhe serviu com dois strikers também unidimensionais horríveis. Penas “carne” para ele mastigar, uma vez que o fato de ser amigo de McGregor “vende” muito bem. Além disso, no momento ele também é alvo dos irmão Paul, que querem uma única coisa, chamar a atenção de McGregor

Paulie Malignaggi

O ex-boxeador que participou do camp de McGregor para a luta contra Floyd Mayweather, e “acidentalmente” teve um vídeo de treino vazado onde McGregor aplicava um knockdown nele e pronto. De ex-lutador aposentado e falido, para as manchetes mundiais. E mais tarde, justamente por essa rivalidade criada, ele conseguiria um contrato com a Bare Knuckle para lutar contra Arten Lobov e tirar essa rixa a limpo, luta essa que até hoje é uma das mais vendidas pela organização. Óbvio, que tudo por conta do relacionamento de ambos com McGregor.

Floyd Mayweather

É claro que ele não precisava de Conor McGregor para ter o que tem, e ser quem é. Entretanto, a luta entre os dois, esse encontro de dois devoradores de mundos, culminou simplesmente na segunda maior venda de PPV da história dos esportes de combate, tornando ambos ainda maiores. Nesse caso (e acho que único) foi uma ganha-ganha.

Khabib Nurmagomedov

Aqui temos o melhor peso leve da história? Sim! Carrega com ele todo o mercado russo? Sim! Até dias atrás era a segunda maior estrela do UFC e segundo atleta mais bem pago pela organização? Sim! Era! Mas isso tudo construído por muito trabalho, muita dedicação, uma vida inteira dedicada ao esporte, abdicando de vida social e lazer. E por uma rivalidade criada justamente com a outra maior estrela da companhia, Conor McGregor. Rivalidade que deu direito a tudo. Ofensas a pessoas e a família. Tapa na cara do melhor amigo. Ataque com gangue ao ônibus dos lutadores. Quebra quebra depois da disputa de cinturão entre os dois.

Essa sempre será lembrada como uma das maiores rivalidades do esporte, e não por ter sido competitivo, porque não foi. McGregor nunca chegou perto de ser o atleta que Khabib foi, mas sim por todo esse contexto. E contexto esse puxado pelo próprio McGregor, que fez questão de dar voz e coro a essa rivalidade que no fim, foi muito lucrativa para ambos.

Conor McGregor of Ireland and Khabib Nurmagomedov of Russia exchange words after the second round in their UFC lightweight championship bout during...

Manchester United e Celtic

McGregor já se declarou torcedor do Manchester United, e em maio desse ano declarou que estava pensando em comprar o clube inglês e o Celtic da Escócia. Assim, imediatamente os dois clubes batem recorde de seguidores em suas redes sociais e o Celtic bate recorde de vendas de produtos nas lojas oficiais do clube.

Jorge Masvidal

Por si só é um atleta muito carismático, pelo seu perfil, pela sua história de vida, pelo seu estilo bem agressivo dentro do octógono, mas o que tornou Masvidal nesse fenômeno comercial que ele é hoje? Foi o desafio feito pelo Nate Diaz logo após a vitória sobre Anthony Pettis onde ele sugeriu que quem vencesse seria “O Cara Mais Durão”. Masvidal, que estava acompanhando a luta, aceitou de pronto. Assim, um cinturão BFF foi criado para essa luta. E esse hype todo só ocorreu, porque lá atrás Nate fez o improvável, venceu McGregor e se tornou também um “monstro comercial” a ponto de conseguir transferir todo esse potencial. A partir daí, criando mais um monstrinho, que passou o trator em Nate fazendo parecer fácil. Hoje, Masvidal é um atleta que luta com quem quer, quando quer e pela bolsa que ele escolher, bem ao estilo McGregor

Enfim amigos e amigas, McGregor é um fenômeno ao estilo Juliette do BBB, absolutamente inexplicável. Você pode gostar ou odiar, mas é impossível ficar inerte a sua presença, a sua existência. E bem ou mal, mesmo aqueles que nunca assistiram a uma luta de MMA na vida, sabem quem é e o que faz o Notório, Conor McGregor.

Foto: Reprodução / Getty Imagens

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top