COLUNAS

Campeões esquecidos do UFC – Tim Sylvia

Inicialmente, o Desbravando Lendas trata de mais um campeão do UFC esquecido do grande público. Aquele lutador que geralmente não sabem ou demoram a se lembrar que já foi campeão da maior organização de MMA do mundo. Dessa vez, vamos falar de Tim Sylvia, ex-campeão peso-pesado do UFC, conquistando o cinturão linear do evento duas vezes, além de conquistar o interino uma vez. Assim, construiu uma rivalidade com o também ex-campeão da categoria, Andrei Arlovski. Porém, ao contrário do mesmo, este é muito mais lembrado que Sylvia. Vamos conferir o porquê.

ANTES DO UFC

Nesse sentido, Tim Sylvia foi nascido e criado em Keosauqua, Iowa, Estados Unicos. Começou a praticar esportes de combate em uma escola de karatê e iniciou a competir no ensino médio. No entanto, antes de ingressar nas artes marciais mistas, ele trabalhou em construção civil, jardinagem e segurança, além de ter jogado futebol americano por três anos.

Após esse período, ele se interessou pelo MMA e começou a treinar com Marcus Davis, inicialmente, boxe e grappling. Nos anos seguintes, ele fez sua primeira luta amadora, vencendo em 17 segundos. Entretanto, no ano seguinte passou a treinar na Miletich Fighting Systems, integrando um time com atletas ex-campeões do UFC, como Matt Hughes Jens Pulver. Vale ressaltar também, que Sylvia sofreu “bullying” por parte de Hughes, sendo constantemente humilhado pelo próprio. Contudo, isso não foi um obstáculo que pudesse interromper sua jornada. Assim, fez sua estreia no MMA profissional em 2001.

CHEGADA NO UFC E CORRIDA ATÉ O CINTURÃO

Nesse sentido, chegou ao UFC, em 2002, após ter passado por eventos como o Extreme Challenge e o IFC, acumulando um cartel invicto com 12 vitórias e nenhuma derrota, com dez interrupções nesse período, enfrentando adversários que passaram pelo UFC, como Jason Lambert Mike Whitehead.

Enfrentou na sua primeira luta no UFC, Wesley Correira, no UFC 39, vencendo por nocaute no segundo round. Logo, foi escalado para enfrentar Ricco Rodriguez, no UFC 41, no dia 28 de fevereiro de 2003, logo na sua segunda luta no evento (coisa que era normal na época).

CONQUISTA DO CINTURÃO

Assim, a luta contra Ricco Rodriguez foi rápida, durou menos de um round, com Rodriguez buscando a queda para usar o seu jiu jitsu e conseguindo após o primeiro minuto, com Sylvia ficando por cima e tentando aplicar o ground and pound, Rodriguez fez guarda e quase encaixou um armlock. Logo após esse momento, eles ficaram de pé e Sylvia cresceu na luta conseguindo bons golpes retos, aproveitando sua boa envergadura, nocauteando Ricco Rodriguez, aos 3:09 do primeiro round.

Sendo assim, Tim Sylvia se tornou nono campeão peso-pesado do UFCDefendendo o cinturão logo depois contra Dan Mcgee, vencendo por nocaute no primeiro round.

DOPING, PERDA DO CINTURÃO E RIVALIDADE COM ARLOVSKI

Depois de sua primeira defesa de cinturão, acabou pego no exame anti-doping por stanozolol, resultando em uma suspensão de seis meses e a perda de seu cinturão. Contudo, logo após o término da suspensão, foi escalado para enfrentar Frank Mir, em junho de 2004, perdendo por finalização técnica, por ter quebrado o braço durante um armlock aplicado por Mir. Sendo assim, sofreu seu primeiro revés na carreira.

Contudo, seis meses depois de sua lesão, tendo passado por uma cirurgia no período, ele voltou fazendo uma luta no Superbrawl, contra Wes Sims, vencendo por nocaute técnico no primeiro round, em dezembro do mesmo ano. Porém, ele novamente voltou em uma luta valendo cinturão, dessa vez o interino, contra Andrei Arlovski, que na época era uma grande promessa do UFC.

A luta durou pouco mais de 40 segundos, pois The Pitbull, conseguiu um knockdown no primeiro direto. Na queda de Sylvia, Arlovski conseguiu encaixar uma chave de calcanhar. Sylvia não conseguiu sair e perdeu a luta por finalização. Sendo assim, Arlovski se tornou campeão interino peso-pesado

Tim voltou a lutar em agosto de 2005, contra Tra Telligman vencendo por nocaute no primeiro round e contra Assuério Silva, a quem derrotou por decisão unânime. Assim, novamente escalado para lutar pelo cinturão. Seria sua terceira luta contra Andrei Arlovski, que acabará de ser promovido a campeão linear devido a inatividade de Frank Mir.

A RETOMADA DO CINTURÃO

Como dito anteriormente, Sylvia foi escalado para lutar pelo cinturão linear contra Andrei Arlovski no UFC 59, no que foi talvez a luta mais emocionante da carreira de Sylvia. A luta durou pouco mais de dois minutos. No entanto, certamente foi uma das maiores reviravoltas do UFC em lutas valendo o cinturão, já que Arlovski começou bem a luta, dominando as ações, conseguindo um knockdown com um direto de direita. Em contrapartida, Sylvia conseguiu resistir, e ainda tonto, encaixou um uppercut de direita derrubando Arlovski e finalizando o combate.

Sendo assim, Tim Sylvia se retomou seu cinturão pela segunda vez e vingando sua primeira derrota por nocaute para Arlovski.

Logo, teve marcada a revanche imediata, com Sylvia defendendo o cinturão contra Arlovski. Em uma luta pouco emocionante, assim como contra Jeff Monson, Tim derrotou novamente o bielorrusso, o que deixou os fãs irados, pois já não simpatizavam com Sylvia.

NOVA PERDA DO CINTURÃO E LUTA PELO INTERINO

Em março de 2007, no UFC 68, Sylvia defendeu o cinturão contra a estrela Randy Conture, que voltava da aposentadoria e buscava ser campeão peso-pesado pela terceira vez. O que seria um recorde até então. Em uma luta de dominância de Couture, com o knockdown nos primeiros segundos de luta, e controlando o combate com inúmeras quedas, com seu conhecido dirty boxe, Randy venceu os cinco rounds, se tornando campeão peso-pesado pela terceira vez.

Após a sua perda, Tim lutou contra Brandon Vera, atualmente no ONE FC, vencendo por decisão unânime. Depois disso, em uma verdadeira confusão durante o reinado de Brock Lesnar como campeão do UFC. O norte-americano lutou contra Rodrigo Minotauro pelo cinturão interino peso-pesado.

Nesta luta, tentava usar sua envergadura superior e usar sua trocação, com Minotauro buscando a queda e usar o seu jiu jitsu. Porém, no terceiro round, conseguiu a queda fazendo guarda por baixo, raspando e conseguindo a guilhotina. Dessa forma, Sylvia teve seu quarto revés na carreira, e Minotauro se tornou o primeiro e até hoje o único a conquistar cinturões no Pride e no UFC.

APÓS O UFC

Por fim, Sylvia teve seu contrato encerrado. Isso porque perdeu a sua luta contra Minotauro e por não ser um campeão rentável e regular. Ficando esquecido inclusive pelo próprio o UFC que quando teve a oportunidade de recontratá-lo não o fez. O próprio Dana White afirmando que Sylvia foi o pior campeão da história do UFC.

De fato, sua impopularidade colaborou com esse esquecimento. Sylvia era um peso-pesado e não entregava lutas empolgantes, como por exemplo em sua revanche com Andrei Arlovski e contra Jeff Monson. Soma-se a isso o fato que muitos preferiam acompanhar o Pride na época de seu auge.

Em julho de 2008, acabou derrotado para Fedor Emelianenko. Sylvia fez mais algumas lutas em eventos regionais, com um relativo sucesso. Entretanto, passou por problemas físicos, chegando a competir como superpesado, categoria sem limite de peso. Hoje, Sylvia está aposentado e já tentou carreira no pro-wrestling (WWE), sem sucesso.

Foto: Reprodução / Getty Imagens

3 Comments

3 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

NFL, NBA MMA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: contact@quintoquartobr.com
Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18


Jogue com responsabilidade


To Top