Sem categoria

O dia que Michael Jordan não quis decidir e passou para Steve Kerr

kerr winning shot

Pode se considerar uma surpresa quando a bola decisiva de uma partida para na mão do líder na história da NBA em aproveitamento de bolas de três? Nem Reggie Miller, nem Ray Allen ou Larry Bird tem os 45,4% de acerto atrás da linha que Steve Kerr tem. Mas também não dá para negar que em um time com Michael Jordan, Scottie Pippen, Dennis Rodman e Toni Kukoc, o ruivo de 1,90 era um candidato a herói improvável.  Mas acabou sendo.

Com esse timaço os Bulls já tinham sido campeões em 95/96 e chegou novamente às finais em 1997. O rival era o Utah Jazz de John Stockton e Karl Malone, outra equipe memorável da história da liga. Depois de dividirem as quatro primeiras partidas, os Bulls venceram em Salt Lake City no “Flu Game”, quando um Jordan baleado por causa de uma intoxicação alimentar decidiu mesmo assim e fez a série voltar para Chicago com vantagem para os “touros”.

No sexto jogo, o equilíbrio se manteve, e faltando menos de 10 segundos para acabar os Bulls tinham a bola com o placar empatado em 86. Quando a redonda chegou na mão de Michael Jordan, o mundo esperava que o camisa 23 desse seu golpe final mais uma vez. Mas o surpreendente e certeiro passe para Steve Kerr não foi algo tirado do nada, como pode ser visto no vídeo abaixo.

No timeout anterior à jogada, Kerr conversou com Jordan e terminou com “se ele sair, eu estarei pronto”. Ele, no caso, é John Stockton.

O armador subiu em Kerr logo no começo da jogada, porém, com o decorrer dela, Stockton saiu da marcação homem a homem para fechar o meio e logo depois correr para fazer uma marcação dupla com Bryon Russell em Jordan. Novamente, saliento: Jordan era o primeiro, o segundo e o terceiro homem para decidir pelos Bulls. Mas naquele dia não foi assim.

Bulls x Jazz

Com o buraco livre no meio, Kerr, já sozinho, cortou seco e só teve que esperar a assistência. Para os mais leigos, pode parecer um erro infantil de John Stockton, jogador que está no Hall da Fama do basquete e se não é o melhor de sua posição na história, com certeza está no top 3. Mas o Jazz, dirigido pelo também incontestável Jerry Sloan, correu o maior risco de fazer uma marcação dupla: se fica mais difícil para quem recebe a pressão, alguém vai sobrar em alguma parte da quadra.

Bulls x Jazz 2

 

Uma das mais de 500 razões para Jordan ser um gênio do basquete também é a facilidade para se livrar de situações aparentemente sem saída. Em dois segundos, o camisa 23 foi para a esquerda, cortou para a direita e mesmo acuado, se livrou de Bryon Russell e pulou como se fosse arremessar, para fugir de Stockton. Como podemos ver na captura exata, no momento acima Jordan poderia ter arremessado. Rudy Gay teria feito isso, assim como Carmelo Anthony. O corte para dentro matou a defesa do Jazz, que ficou mais perdida que a defesa do Brasil contra a Alemanha.

Ok exagerei. Mas além do arremesso, MJ poderia ter tentado o passe para Toni Kukoc, livre na ala direita e outro grande arremessador. Mas o camisa 23 se manteve no plano, porque Kerr fez a movimentação perfeita e teria um “clean shot” como manda o manual.

Bulls Jazz 3

 

Dói no coração ver uma imagem dessa, mas John Stockton catou cavaco e caiu de quatro no chão do United Center. Com dois segundos restando no relógio do arremesso Steve Kerr, a dezessete pés da cesta, com a precisão monstra desde que estava na Universidade do Arizona, só acertou a rede, não dando nem um pouco de participação para o aro na jogada histórica. Os Bulls eram pela quinta vez e segunda seguida, campeões da NBA. Kerr, que ganharia outro anel pelos Bulls e mais dois pelo San Antonio Spurs, foi o herói da noite.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top