NFL

Prazer, quarterback: a posição mais importante dos esportes coletivos

Tom Brady, quarterback do New England Patriots

No futebol, o meia centralizado (se for canhoto, melhor ainda), o camisa 10. No basquete, o armador dita o ritmo. No beisebol, o arremessador. Em cada modalidade, há um jogador que é crucial para o coletivo. Mas nenhum desses mencionados chega a ter uma importância tão grande quanto a do quarterback no futebol americano.

Verdadeiro cérebro, alma e coração do ataque, é o quarterback (ou signal caller, em um termo que os americanos usam bastante) o responsável por chamar as jogadas, por fazer a leitura da defesa e, logo em seguida, os ajustes necessários (os chamados ‘audibles’) e assim ditar o ritmo ofensivo.

E, claro, também é responsável por fazer os passes para touchdowns, primeiras descidas e entregar a bola nas mãos dos running backs/fullbacks/qualquer outro skill player que deseje correr para conquistar jardas pelo chão.

Além de decorar o playbook de cabeça com um zilhão de jogadas diferentes, o quarterback ainda precisa ter sangue frio, concentração, precisão digna de um atirador de elite e força no braço. Se tiver mobilidade e souber correr ainda, basta ele pedir quantos milhões quiser que haverá um time disposto a pagar (não é mesmo, sr. Kirk Cousins?).

Enfim, já deu para entender a dimensão da importância do QB no futebol americano, certo? Se tiver ainda alguma dúvida, mande um WhatsApp rapidamente para qualquer general manager da National Football League e ele te mandará um daqueles áudios gigantescos explicando melhor.

Por que chama quarterback?

Que o quarterback é o jogador mais visado em campo e o mais importante entre os que pisam em um gramado da NFL, da CFL ou de qualquer liga organizada de gridiron football (o nome técnico da modalidade) não é novidade alguma. Ele o maior responsável pelo sucesso ou fracasso de um time.

Mas de onde surgiu o termo “quarterback”? A explicação é bem simples.

O nome deriva da posição em que o QB se encontra em campo. O center (jogador da linha ofensiva que inicia a jogada com o snap) e o running back (halfback, no termo mais clássico) ficam alinhados normalmente. O halfback fica mais afastado da linha de scrimmage, com o quarterback ficando usualmente atrás do seu center e à frente do halfback.

Metade da distância do halfback é igual a um quarto. Ou seja, quarterback. Simples assim.

Segundo registros históricos, a origem da posição de quarterback data do final dos anos 1800, quando o futebol americano começou a surgir nas universidades como uma adaptação do rugby union importado do Reino Unido.

Walter Camp, conhecido como o ‘Pai do Futebol Americano’, criou todo o sistema de linha de scrimmage e downs que fez o esporte como conhecemos hoje começar a se desenvolver. E a invenção do que hoje conhecemos como quarterback é, em grande parte, devido a ele.

Os melhores quarterbacks da história da NFL

Na hora de mencionar grandes quarterbacks da história a NFL, eu poderia fazer uma lista bastante extensa. Porém, para não deixarmos esse texto maior do que a Bíblia, vou me ater a três nomes ainda em atividade e outros três nomes históricos (leia-se já aposentados) da posição.

  • Quarterbacks em atividade

Tom Brady

O famoso “ah, vá!”, não colocar o astro do New England Patriots nesta lista seria como fazer uma lista de grandes apresentadores da TV brasileira e não mencionar Celso Portiolli. Tom Brady é considerado por muitos o melhor de todos os tempos na posição. Eu me coloco nesta lista, devo admitir.

O lendário camisa 12 é cinco vezes campeão do Super Bowl, quatro vezes eleito MVP do Super Bowl, três vezes MVP da NFL, já foi selecionado para 13 Pro Bowls e foi três vezes para o primeiro time All-Pro da NFL, entre outras inúmeras conquistas. Brady já ultrapassou as 66 mil jardas passadas (ao final da temporada regular de 2017) e já conectou para 488 touchdowns, com apenas 160 interceptações sofridas.

Ah, e ele ainda é lindo e é casado com Gisele Bündchen. Chega, já estou me corroendo suficientemente de raiva!

Nada mal para um cara selecionado apenas na sexta rodada do draft de 2000 (199ª escolha geral), não é mesmo?

Aaron Rodgers, quarterback do Green Bay Packers

Aaron Rodgers (Crédito: Instagram/reprodução)

Aaron Rodgers

O astro do Green Bay Packers é aquele cara que, basicamente, pode criar qualquer coisa com a bola em mãos, mesmo em situação nas quais tudo parece perdido. Rodgers tem um braço potente, é preciso, sabe lançar perfeitamente contra o movimento do corpo e ainda tem mobilidade o suficiente para ganhar jardas com as pernas.

Também ostentando a camisa 12 (eita número mágico), Aaron Rodgers já ganhou um Super Bowl, também sendo eleito MVP do mesmo Super Bowl XLV. Ele já foi eleito MVP da NFL em duas oportunidades, foi a seis Pro Bowls e também foi duas vezes selecionado para o primeiro time All-Pro da NFL.

Ainda com 34 anos de idade, Rodgers tem chance de ganhar mais títulos e rechear ainda mais seu currículo. Vale lembrar que ele é o recordista da NFL em passer rating em uma temporada (122.5) e também é o atual recordista de passer rating na carreira (103.8).

Drew Brees

Pode reclamar dizendo que só coloquei Drew Brees porque sou torcedor do New Orleans Saints e blábláblá. Mas o camisa 9 da franquia da Louisiana merece muito estar aqui.

Mesmo com sua estatura diminuta para os padrões de quarterbacks da NFL (tem 1,83m), Brees é um verdadeiro gigante com seu jogo. Um verdadeiro semideus em Nova Orleans, Brees trouxe o único título de Super Bowl da história dos Saints até hoje (Super Bowl XLIV), sendo eleito o MVP daquela decisão.

Em seu currículo, 11 seleções para o Pro Bowl e uma seleção para o primeiro time All-Pro.

Drew Brees está empatado em terceiro em todos os tempos em passes para touchdown, com 488, e é o terceiro da história da NFL no momento em jardas lançadas na carreira, com 70.445 no total.

  • Grandes quarterbacks da história

Joe Montana, ex-quarterback do San Francisco 49ers

Joe Montana (Crédito: YouTube/reprodução)

Joe Montana

Um dos quarterbacks mais vencedores da NFL em todos os tempos. O ídolo do San Francisco 49ers ganhou todos os quatro Super Bowls que disputou em sua carreira, todos com a camisa dos Niners, e foi eleito MVP de três deles.

Montana também foi MVP da NFL em duas oportunidades, foi selecionado para oito Pro Bowls e foi três vezes para o primeiro time All-Pro, entre outras honrarias durante sua premiada carreira.

Quarterback de porte clássico e muito frio na hora de decidir, Joe Montana encerrou sua carreira profissional com 40.551 jardas aéreas, 273 passes para touchdown e 139 interceptações.

Entrou para o Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF) em 2000.

Peyton Manning

Um verdadeiro crânio da posição de quarterback, Peyton Manning basicamente aperfeiçoou a função de signal caller de tal forma que foi um dos nomes mais prolíficos da posição em todos os tempos.

Manning disputou impressionantes 18 temporadas na National Football League, sendo 14 delas com a camisa do Indianapolis Colts e as últimas quatro defendendo as cores do Denver Broncos.

Peyton Manning foi campeão de dois Super Bowls na carreira (Super Bowl XLI com os Colts e Super Bowl 50 com os Broncos) e foi eleito MVP do Super Bowl XLI. Ele também foi selecionado para 14 Pro Bowls, foi sete vezes para o primeiro time All-Pro e foi cinco vezes eleito MVP da NFL, entre outras inúmeras conquistas individuais.

Manning é detentor de muitos recordes da NFL atualmente, incluindo jardas aéreas (71.940), passes para touchdown (539), prêmios de MVP (cinco), aparições no Pro Bowl (14), temporadas com pelo menos 4 mil jardas lançadas (14), jardas lançadas em uma temporada (5.477 em 2013) e passes para TD em uma temporada (55 em 2013).

Como se aposentou após a temporada 2015, Manning ainda não entrou para o Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF). Mas estará na galeria dos imortais do esporte em um futuro bem próximo.

Brett Favre

Que me desculpe Johnny Unitas (tive dificuldade para escolher o terceiro aqui), mas Brett Favre é o cara. Afinal, ele é o Gunslinger. Nada poderia defini-lo melhor do que ‘Pistoleiro’.

Quarterback ousado e que não tinha medo nenhum de arriscar (o alto número de interceptações em sua carreira é uma prova disso), Favre até hoje é um exemplo de como se jogar na posição mais importante do futebol americano.

Campeão do Super Bowl XXXI com a camisa do Green Bay Packers, Favre é ídolo na franquia de Wisconsin e também passou pelo Minnesota Vikings na reta final de sua carreira. Ele foi draftado pelo Atlanta Falcons em 1991 e também teve outra passagem breve pelo New York Jets.

Favre foi 11 vezes selecionado para o Pro Bowl, foi três vezes eleito MVP da NFL e foi três vezes para o primeiro time All-Pro, encerrando a carreira profissional com 71.838 jardas aéreas, 508 passes para touchdown e 336 interceptações.

Brett Favre entrou para o Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF) em 2016.

PS: por favor, me perdoem se não coloquei o seu QB favorito por aqui. Se ficou chateado, mande um e-mail me xingando ([email protected]) ou, melhor ainda, xingando Miguel Amado, mesmo sem ele sequer ter escrito uma linha deste texto. Ele é o garoto-telefonista em (11) 9492-08437.

Comments
To Top