O que é punt? Conheça mais sobre o chute que é vital na NFL

Marcelo Cartaxo | 20/03/2024 - 20:00

Ao explicar o que é um punt, é bom você entender o futebol americano como um jogo de conquista de território entre dois “exércitos”.

Como o objetivo do jogo é marcar pontos e você tem quatro tentativas (downs) para avançar 10 jardas, o punt é o reconhecimento de um dos times que não conseguirá avançar o necessário e devolverá a bola para o adversário o mais longe possível de sua “área protegida” (end zone).

Portanto, o punt é feito na grande maioria das vezes apenas na quarta descida, quando o ataque não quer arriscar tentar esse 4th down. Caso ele arrisque e não consiga as jardas necessárias, a posse da bola será assumida pelo outro time no exato lugar onde a jogada anterior parou.

O que é punt?

O punt portanto é um chute. E esse chute é feito pelo punter. Em algumas ocasiões, o “punter” pode ser confundido  com o “kicker”, mas os dois são jogadores diferentes com funções distintas, que traduzidas para o nosso futebol, representam quem chuta o tiro de meta e quem cobra faltas perto da área.

O punter não tem a necessidade de acertar as traves, enquanto os kickers tem a função de finalizar a bola no meio do “Y” para conseguir três pontos ou um ponto extra após um touchdown.

Um bom punt é aquele que afasta o máximo possível a bola de seu próprio território e consequentemente de sua end zone. Junto do punt também tem o retorno do mesmo, normalmente feito por um dos wide receivers principais da equipe que receberá a bola. 

Neste caso, o time começa com a posse de bola no avanço máximo que o receber teve com a posse de bola. Agora, caso o wide receiver faça o sinal de “fair catch”, o time que terá a posse de bola começa da linha de 25 jardas. 

O que é o fair catch?

Você está vendo um time chutar um punt, o retornador vai pegar a bola com a mão, mas ele decide fazer um aceno e não avança. “Que raios é isso?”, você deve se perguntar.

Simples, o retornador pediu um fair catch, basicamente um acordo de cavalheiros: eu recebo a bola, não vou avançar com ela e em troca você, especialista brutamonte, não pode me derrubar. Ou sequer me tocar. Caso isto aconteça, os juízes marcam uma falta de 15 jardas à partir da linha de 25, onde antes do recebedor ser tocado, o time começaria sua sequência de descidas.

Essa é uma medida que busca preservar os atletas em um lance que pode ser violento, já que estamos falando de uma pancada de um ou dois jogadores em alta velocidade. Se o retornador pede fair catch e avança, esse avanço não vale. Se ele pede fair catch e leva uma pancada, é falta pessoal.

Agora, se o jogador em algum momento após ter a posse de bola soltar a bola, se torna um fumble. Ou seja, a bola fica viva e quem recuperar fica com a posse.

Outra coisa que pode acontecer é o “muff”. Caso o wide receiver do time que receberá a posse de bola toque na mesma e não detenha o controle dela, a bola fica viva em campo e mais uma vez quem pegar tem a próxima sequência de downs.

Melhores punters da história

Ray Guy (Oakland/Los Angeles Raiders, 1973/1986): Guy foi o primeiro punter “e nada mais” a ser draftado na primeira rodada do Draft e também o primeiro punter em tempo integral a ser selecionado para o Hall da Fama do futebol americano.

Shane Lechler (Oakland Raiders/Houston Texans, 2000/atualmente): Lechler é um nome que já está na história mesmo ainda jogando. Nove vezes All-Pro (seleção dos melhores da temporada), o jogador dos Texans tem um chute violentíssimo e desde 2003 não perde um jogo de seu time.

Sammy Baugh (Washington Redskins, 1937/1952): Baugh mostra bem como o futebol americano era uma loucura ainda maior que atualmente. Ele atuava não só como punter, mas principalmente como quarterback e também na defesa. Excelente QB, ele foi o jogador do ano em 1947 e 1948 e campeão da NFL pelos Redskins. Mas como aqui estamos falando de punters, o que importa mesmo é que liderou a liga em jardas por punt em cinco ocasiões. Obviamente, está no Hall da Fama.

Atualmente: Marquette King (Denver Broncos), Sam Koch (Baltimore Ravens) e Johnny Hekker (Los Angeles Rams) estão entre os melhores.

Portanto, na próxima vez que você ver o ataque saindo de campo e o punter entrando, não vá para o banheiro ou corra pegar algo para comer e beber. Coisas boas podem acontecer.

Escrito por Marcelo Cartaxo
Marcelo Cartaxo é um estudante de jornalismo na Universidade Veiga de Almeida, cujo interesse e paixão pelo jornalismo esportivo o levaram a acumular experiências em várias plataformas renomadas. Sua trajetória inclui colaborações notáveis em veículos como Premier League Brasil, Minha Torcida, Esportelandia, Futebol na Veia e ShaftScore.