NFL: 5 motivos para acreditar na vitória dos Chiefs no Super Bowl 58

Marcelo Cartaxo | 08/02/2024 - 21:30

O Kansas City Chiefs é o principal time da NFL nos últimos anos. Somando a participação no Super Bowl LVIII, que acontece em Las Vegas, no Allegiant Stadium, são quatro idas ao Super Bowl nos últimos cinco anos.

Ou seja, os Chiefs vem formando uma dinastia, sendo muitas vezes comparada com o que Tom Brady e os Patriots tiveram entre os anos 2000 e 2019, em que marcaram presença em 10 Super Bowl, vencendo sete e sendo derrotados em outras três ocasiões.

Com as idas ao Super Bowl virando rotina para os Chiefs, a tendência é que Patrick Mahomes e Travis Kelce consigam chegar pelo menos mais duas vezes na grande final da NFL. Ainda assim, para se firmarem como uma das equipes que mais doutrinou na história da liga precisam, antes de mais nada, vencer o Super Bowl 58.

Dessa forma, nós do Quinto Quarto separamos cinco motivos para acreditar que o Kansas City Chiefs leva a vitória contra o San Francisco 49ers.

O retrospecto recente não mente

Chiefs e 49ers estão em conferências diferentes e pouco se enfrentam em temporada regular. No caso dos playoffs é ainda mais difícil, ao passo que só poderiam se encontrar em uma eventual final, e isso já aconteceu.

Em 2019, o Kansas City Chiefs de Patrick Mahomes surpreendeu derrotando o New England Patriots de Tom Brady em seu último ano de contrato com a franquia. A vitória na final da AFC classificou os Chiefs ao Super Bowl contra o San Franciso 49ers, time que teve que passar por Aaron Rodgers e os Packers na NFC.

Os Chiefs conquistaram o primeiro título com Mahomes como quarterback titular. Desde então, os dois times passaram por mudanças, tanto para melhor quanto para pior, e agora se encontram em grande forma. Ainda assim, o retrospecto não favorece aos Niners.

Sem wide receiver principal o ataque dos Chiefs é imprevisível

Travis Kelce aparece como o alvo favorito de Patrick Mahomes na temporada. Ao todo, foram 93 recepções na temporada, alcançando 983 jardas. Ainda assim, Travis é um tight-end, uma posição híbrida que possui jogadores que podem bloquear e receber passes. Ou seja, não é um recebedor de ofício. Por outro lado, a posição de wide receiver carrega o nome da função: receber a bola.

O Kansas City Chiefs é um dos poucos times da NFL que não possui um nome de destaque e já firmado na liga, o que torna o ataque ainda mais perigoso. Como Patrick Mahomes gosta de jogar sem armar jogadas desenhadas, acaba que torna o ataque imprevisível, podendo conectar passes com sete ou mais alvos durante uma partida.

Esse estilo de jogo é chamado de “spread offense”, que visa espalhar a bola pelo campo com múltiplos alvos para evitar que o adversário foque em apenas dois recebedores e tente ao máximo miná-los das jogadas.

Contudo, um nome no corpo de recebedores se destaca: o novato Rashee Rice. O wide receiver recrutado na segunda rodada do draft de 2023 soma mais de 1.100 jardas recebidas e oito touchdowns entre temporada regular e playoffs.

Em uma das “piores” temporadas de Mahomes, os Chiefs chegam ao Super Bowl

Patrick Mahomes vive uma fase que não é das melhores, e ainda assim alguns quarterbacks da NFL desejariam viver na “fase ruim” do jogador. Nesta temporada, Mahomes teve 4,183 jardas, sua pior marca desde 2019 (4,031). Em touchdowns, também teve seu menor desempenho em anos, passando para 27 na temporada regular.

Em 2022-23, Mahomes conectou 41 passes para touchdown, a melhor marca de sua curta carreira até então. Recrutado na 10ª posição do draft de 2017, Patrick Mahomes assumiu a titularidade na temporada seguinte, e desde então tem sido um dos principais quarterbacks da liga.

Mesmo em uma temporada com um rendimento abaixo do que mostrou anteriormente, Mahomes e os Chiefs passaram por Buffalo Bills e Baltimore Ravens para chegar até o Super Bowl, equipes que vinham de grandes desempenhos e tinham tudo para vencer, incluindo o mando de campo.

Contra as probabilidades, os Chiefs fizeram algo que não faziam há sete anos e pela primeira vez em sua carreira Patrick Mahomes teve que jogar uma partida de playoffs na NFL fora do Arrowhead Stadium. Agora, disputam o terceiro título em quatro anos.

Travis Kelce entrou para história da NFL

Travis Kelce nesta temporada fez mais do que apenas se tornar o namorado mais conhecido do mundo.

Assim como Patrick Mahomes, esta não foi sua temporada mais brilhante, e ainda assim aparece como uma força dentro de campo. Ao todo, foram 980 jardas em temporada regular, uma marca considerada baixa para o tight-end que vinha de três temporadas consecutivas de pelo menos 1.000 jardas recebidas. Mesmo assim, Kelce achou um jeito de entrar para a história.

Na partida contra o Baltimore Ravens na final da AFC, Travis Kelce se tornou o jogador com mais recepções em playoffs na história da NFL com 152, ultrapassando a lenda dos 49ers Jerry Rice (151).

Mesmo longe do seu auge físico, Travis mostra que é um dos tight-ends mais prolíferos na história da NFL e que sua grandeza aparece nos momentos que os Chiefs mais precisam.

Kansas City Chiefs tem uma das melhores defesas da NFL

Kansas City tem uma das melhores defesas da NFL em vários quesitos. O sistema defensivo comandado pelo coordernador defensivo Steve Spagnuolo foi um dos mais potentes da liga nesta temporada, tanto protegendo o fundo do campo quanto pressionando o quarterback adversário.

Em sete dos últimos oito jogos a defesa dos Chiefs foi capaz de segurar seus adversários abaixo dos 21 pontos, uma das melhores médias na reta final da temporada e playoffs. Chris Jones e George Karlaftis assombram os quarterbacks adversários enquanto Justin Reid, L'Jarius Sneed e Trent McDuffie defendem um passe jogando em alta velocidade.

A experiência do front defensivo somada com a juventude dos defensive backs é algo único nos Chiefs, e caso possam contar com o linebacker Willie Gay para o jogo, o meio do campo fica ainda mais patrulhado, algo importante enfrentando um dos melhores tight-ends da temporada, George Kittle.

Apesar disso, a defesa de Kansas City é a 7ª melhor enfrentando tight-ends, segurando jogadores desta posição a um rating de 87.5, algo considerado mediano nas métricas da NFL.

O Super Bowl chegou e todas essas estatísticas podem ser bem traduzidas dentro de campo das formas mais sutis, mas os números não mentem e com dois times do melhor calibre da liga se enfrentando, o show é garantido.

Escrito por Marcelo Cartaxo
Marcelo Cartaxo é um estudante de jornalismo na Universidade Veiga de Almeida, cujo interesse e paixão pelo jornalismo esportivo o levaram a acumular experiências em várias plataformas renomadas. Sua trajetória inclui colaborações notáveis em veículos como Premier League Brasil, Minha Torcida, Esportelandia, Futebol na Veia e ShaftScore.