NFL

Júri absolve ex-tight end Aaron Hernandez em julgamento de assassinato duplo

Aaron Hernandez, ex-tight end da NFL

(Crédito: reprodução)

Aaron Hernandez, ex-tight end da NFL, foi absolvido nesta sexta-feira (14) por um júri da acusação de assassinato duplo ocorrido em 2012. O ex-astro do New England Patriots já está cumprindo uma pena de prisão perpétua por um assassinato ocorrido em 2013.

Hernandez foi absolvido de todas as acusações, exceto uma (posse ilegal de arma), relacionada aos assassinatos de Daniel de Abreu e Safiro Furtado. Assim, o juiz deu a sentença de mais quatro ou cinco anos de prisão, separada da perna de prisão perpétua.

Os jurados deliberaram sobre as acusações de assassinato por mais de 40 horas ao longo de seis dias.

Aaron Hernandez foi acusado de disparar de maneira fatal contra de Abreu e Furtado em 2012. Os promotores afirmaram que o ex-tight end abriu fogo em direção ao carro das vítimas após se sentir desrespeitado quando um dos homens bateu nele e derramou bebida em uma casa noturna de Boston.

Os advogados de defesa apontaram o dedo para Alexander Bradley, amigo próximo de Hernandez que estava com ele na noite dos assassinatos.

Bradley alegou que Aaron Hernandez ficou furioso depois que Daniel de Abreu deu uma trombada nele enquanto dançava, o que o fez derramar seu drink. O amigo de Hernandez acrescentou que, mais tarde, o então tight end atirou contra o carro dos dois homens enquanto eles estavam parados em um semáforo.

Bradley também acusou Hernandez de ter dado um tiro em seu rosto meses depois, após ele ter testemunhado sobre outros tiroteios. Alexander Bradley acabou perdendo o olho direito com o tiro e, assim, Aaron Hernandez também foi indiciado por intimidação de testemunha.

Os advogados de Hernandez disseram que foi Bradley – um traficante de drogas – que atirou contra os dois homens devido a uma dívida. A defesa então se apoiou na credibilidade questionável da testemunha, mencionando seu acordo de imunidade com os promotores para depor contra Hernandez, em seu papel de motorista do carro na noite dos assassinatos e em sua ficha criminal.

Atualmente com 27 anos de idade, Hernandez já está cumprindo pena de prisão perpétua pelo assassinato de Odin Lloyd, um jogador de futebol americano semiprofissional que estava saindo com a irmã da noiva de Hernandez. Esse caso ocorreu em 2013.

No primeiro julgamento de Hernandez, os membros do júri deliberaram por 36 horas ao longo de uma semana antes de considerar o ex-jogador culpado pela morte de Lloyd.

Aaron Hernandez vestiu a camisa dos Patriots de 2010 a 2012. Cerca de seis semanas depois das mortes de Daniel de Abreu e Safiro Furtado, ele assinou um contrato de cinco anos, com valor de US$ 40 milhões, com a franquia de Foxborough e ainda chegou a atuar por mais uma temporada antes de Lloyd ser assassinado.

Ele foi cortado pelo time logo após ser preso sob acusação de ter matado Lloyd. O ex-tight end só foi acusado em 2014 pelos assassinatos de 2012.

Comments
To Top