NFL: DeAndre Hopkins é alvo de favoritos após saída repentina dos Cardinals

Pedro Rubens Santos | 30/05/2023 - 18:00

Um dos melhores wide receivers da NFL, DeAndre Hopkins foi cortado pelo Arizona Cardinals na última sexta-feira (26) e logo ligou o alerta nos demais times da liga, interessados em contar com o talento do astro.

A tendência é que o veterano não fique muito tempo livre no mercado. Ele completará 31 anos na próxima semana, mas ainda atrai o interesse de equipes importantes e favoritas ao título. Segundo o repórter Jeremy Fowler, da ESPN, dois dos principais times da AFC estão no meio de uma briga para contar com o WR recém-liberado pelos Cardinals: Buffalo Bills e Kansas City Chiefs.

VEJA TAMBÉM

+ Le’Veon Bell quebra o silêncio sobre consumo de maconha antes de jogos

++ NFL: as maiores e mais fervorosas rivalidades da história do futebol americano

Protagonistas de disputas recentes pelo topo da conferência, as equipes buscam adicionar talento a seus elencos — o que Hopkins, três vezes eleito para o All-Pro, já provou ter de sobra — e, ao mesmo tempo, impedir que um rival contrate o astro e aumente suas chances de ir ao Super Bowl.

O problema para os interessados é o dinheiro. De acordo com o site especializado Sportrac, Bills e Chiefs são os dois times com menos espaço na folha salarial atualmente, com US$  1,6 milhão e US$ 1,1 milhão disponíveis para investir, respectivamente. O último contrato do recebedor com Arizona foi assinado no valor de US$ 54,5 milhões por duas temporadas, o que dá uma média de US$ 27,25 milhões por ano.

A disparidade entre o que o wide receiver espera e o que Buffalo e Kansas City podem pagar pode acabar atrapalhando o negócio. No entanto, não se pode descartar uma operação que reestruture acordos atuais nos elencos e abra espaço para a chegada de Hopkins em uma das equipes com maiores chances de buscar a taça em 2023.

Em participação no podcast I AM ATHLETE, DeAndre Hopkins citou alguns quarterbacks dos quais gostaria de receber passes. Sua primeira resposta foi Josh Allen, QB dos Bills.

— Um dos meus quarterbacks favoritos que eu tenho assistido desde que entrou na liga é Josh Allen — afirmou. — Eu o amo.

Além do líder do ataque de Buffalo, Hopkins mencionou Jalen Hurts, do Philadelphia Eagles, Patrick Mahomes, dos Chiefs, Lamar Jackson, do Baltimore Ravens, e Justin Herbert, do Los Angeles Chargers.

Curiosamente, as casas de apostas apontam Bills, Chiefs e Ravens entre os favoritos para contratar o QB ex-Cardinals, mas também o New York Jets, nova equipe de Aaron Rodgers.

Quem também já está de olho na possível chegada do WR é seu ex-colega Deshaun Watson. Os dois jogaram juntos por anos em Houston, onde construíram uma amizade, e o agora quarterback do Cleveland Browns disse que “amaria” jogar novamente ao lado do astro.

Por que DeAndre Hopkins saiu dos Cardinals?

A liberação de Hopkins pegou muita gente de surpresa, mas parecia uma saída inevitável a essa altura da carreira do astro. Seu novo contrato “roubaria” quase US$ 30 milhões do teto salarial em 2023 e cerca de US$ 25 milhões em 2024, uma quantia considerável para uma equipe que aparenta entrar em um ano de reformulação.

Sem muitas perspectivas de brigar pelo título neste ano, os Cardinals tentaram encontrar times para trocar o jogador, sem sucesso. Nenhum rival demonstrou interesse em assumir o valor do contrato, então a saída foi dispensar o WR, que agora é um agente livre e pode assinar com qualquer franquia. Arizona aceitou perder US$ 21 milhões do cap space, mas economizar praticamente US$ 9 milhões.

O desempenho de Hopkins nas últimas temporadas também pesou na decisão. Acostumado a estar disponível para todos os jogos de seus times e ter temporadas de mais de mil jardas recebidas, o wide receiver viveu dois anos atípicos em 2021 e 2022. Em meio a suspensão e lesões, ele ficou de fora de 14 de 33 partidas dos Cards e não superou a média de 80 jardas por confronto.

Escrito por Pedro Rubens Santos
Pedro Rubens começou a trabalhar na cobertura de futebol americano no site Torcedores.com e teve uma passagem de três anos pela ESPN, onde atuou também na produção digital. Foi repórter do Quinto Quarto até julho de 2023.