NBA

Scalabrinão de Ouro: depósito da temporada 2017/18

Scalabrinão de Ouro Brian Scalabrine

Começamos neste sábado a terceira edição do Scalabrinão de Ouro, o MVP do Quinto Quarto. Stephen Curry e Russell Westbrook podem ser orgulhar de serem os dois primeiros vencedores desse troféu de peso, ao invés de serem mais dois a vencerem o MVP da NBA. E nesta temporada 2017/18, eles vão tentar o bi contra uma concorrência pesada em uma liga cheia de talento.

A forma de disputa é simples: todo jogo, um colégio de jurados, inclusive o lendário Brian Scalabrine, ala-pivô por diversos times que tiveram sorte em tê-lo por 10 temporadas e vencedor de um título, porque ele não quis mais, votará em quem foi o melhor jogador da noite. Scalabrine envia seu voto por pombo-correio e dependendo do vento, ele demora mais para chegar de Boston para São Paulo.

Quem tiver mais troféus Brian Scalabrine vence o Scalabrinão de Ouro. Nada difícil, não é mesmo? Então vamos lá.

Atualização 15/01: para o post não ficar um inferno de carregar, separamos este post como arquivo. Caso você queira saber as atualizações do  Scalabrinão de Ouro, aqui está.

 

LeBron James (15), Russell Westbrook (14), James Harden (12), Anthony Davis (11), Damian Lillard (8), Giannis Antetokounmpo (7), Stephen Curry (7), Karl-Anthony Towns (5), DeMarcus Cousins (5), Kyrie Irving (5), Nikola Jokic (5), Bradley Beal (4), C.J. McCollum (4), Joel Embiid (3), Klay Thompson (3), Kevin Durant (3), DeMar DeRozan (3), Victor Oladipo (3), LaMarcus Aldridge (2), Donovan Mitchell (2), Ben Simmons (2), Andre Drummond (2), Kyle Kuzma (2), Blake Griffin (2), Jimmy Butler (2), Devin Booker (2), Lou Williams (2), Paul George (2), Kemba Walker (2), Kristaps Porzingis (2), Aaron Gordon (2), Jordan Clarkson (2), Chris Paul (2), John Wall, Kris Dunn, Tobias Harris, Kelly Olynyk, Kevin Love, Kentavious Caldwell-Pope, T.J. Warren, Tim Hardaway Jr., Lonzo Ball, Andrew Wiggins, Brandon Ingram, Ricky Rubio, Al Horford, Gary Harris, Julius Randle, Eric Bledsoe

11/04 – Karl-Anthony Towns (5)

Sabemos que isto aqui será polêmico, mas Russell Westbrook não levou o último Troféu da temporada regular, que faria ele vencer a corrida pelo Scalabrinão de Ouro junto com LeBron James. Mas como já dissemos aqui várias vezes, contexto importa. Westbrook jogou contra um Grizzlies de G League, fez a corrida dele pela média de triplo-duplo, acertou apenas 2 de 9 arremessos e terminou o jogo com 6 pontos.

Towns pegou o Nuggets em um jogo de vida ou morte e saiu morto dele, como admitiu, mas de cansaço, já que os Timberwolves venceram muito por causa dos 26 pontos, com 12 arremessos certos em 19, e 14 rebotes. Towns leva o último Troféu Brian Scalabrine da temporada. E LeBron irá o deserto do Mojave com a equipe do Quinto Quarto e Brian Scalabrine.

10/04 – John Wall

Demorou um pouco, mas John Wall finalmente apareceu nesta relação, no penúltimo dia da temporada regular. Enfrentando o Boston Celtics, que ainda pode ser o rival na primeira série dos playoffs, o armador teve 29 pontos, sete rebotes e 12 assistências. Ele chegou a 5 mil assistências na carreira.

As posições seis, sete e oito ainda precisam ter a ordem definida. Mesmo com os Celtics enfraquecidos sem Kyrie Irving, o time ainda conseguiu 21 pontos de Jaylen Brown só no primeiro quarto. Mas Wall assumiu controle do jogo, chegou às 5 mil no meio do terceiro quarto e os Wizards entraram no último quarto vencendo. Os Wizards ainda podem ser sexto e tem um jogo contra o Magic no último dia da temporada regular.

09/04 – Nikola Jokic (5)

Como sempre vale destacar, contexto importa. Com a temporada dependendo de uma vitória, os Nuggets superaram uma desvantagem de 11 pontos no segundo tempo contra os Blazers e venceram por 88 a 82. E Nikola Jokic, com um triplo-duplo, merece a homenagem de hoje.

Foram 15 pontos, 20 rebotes – maior marca de sua carreira – e 11 assistências para o pivô, que apesar de não ser considerado um bom defensor, ajudou no esforço defensivo incrível dos Nuggets, permitindo apenas 13 pontos dos Blazers no último quarto.

08/04 – Donovan Mitchell (2)

Klay Thompson teve uma bela partida contra o Phoenix Suns, com 34 pontos e uma chuva de bolas de três. Mas os Warriors já estão de férias basicamente, os Suns mais ainda e o jogo não valia nada. Como contexto importa, o Troféu de domingo vai para Donovan Mitchell.

O Jazz ficou de fora da zona de classificação para os playoffs por boa parte da 1ª metade da temporada regular. Mas com a evolução de Mitchell e a volta de Rudy Gobert, o Jazz não parou de vencer. Com 28 pontos, 9 rebotes e 8 assistências contra os Lakers, Mitchell liderou o Utah Jazz para a garantia de sua vaga nos playoffs. Temporada incrível da equipe de Salt Lake City e do provável calouro do ano.

07/04 – Anthony Davis (12)

Os Pelicans estavam começando a correr perigo de perder sua vaga nos playoffs.  Mas com Anthony Davis há sempre uma boa chance de reação. Jogando contra o Golden State Warriors em Oakland, Davis foi dominante mais uma vez, com 34 pontos, 12 rebotes e basicamente garantindo sua segunda ida aos playoffs na carreira.

O jogo inteiro foi pegado e Davis x Kevin Durant foi o duelo da noite, com os dois disputando lance a lance e se marcando muitas vezes. Davis fez 19 pontos só na primeira metade do jogo. Durant teve 10 pontos no terceiro quarto. Com a diferença em seis pontos para os Pelicans, Davis conseguiu um arremesso de média distância para aumentar a distância para 8. Os Warriors cortaram, mas um turnover de Durant e um arremesso livre de Davis no fim sacramentaram a vitória de New Orleans. E praticamente garantiu o time nos playoffs.

06/04 – Ben Simmons (2)

Sem dúvidas o jogo da sexta-feira foi Cleveland Cavaliers e Philadelphia 76ers. O mesmo roteiro de quinta (veja abaixo) foi seguido pelos Cavs: longa desvantagem, LeBron começa sua sequência de destruição e no fim o jogo está apertado. Mas dessa vez o time encontrou um rival mais potente e Ben Simmons não deixou o jogo escapar.

Simmons teve 27 pontos, 15 rebotes e 13 assistências em uma noite que ele ficou pau a pau com o melhor jogador do mundo. No fim, quando a vantagem de 30 pontos tinha evaporado, o australiano teve uma bela infiltração para bandeja e logo depois achou J.J. Redick para uma bola de três que fez os Cavs esfriarem o ímpeto. LeBron poderia ter empatado no fim com os lances livres, mas ele errou o segundo e teve que errar de propósito o terceiro para alguém tentar botar para dentro no aro. Nada feito, 76ers vencem e tomara que os dois times se encontrem nos playoffs.

05/04 – LeBron James (15)

LeBron James conseguiu passar Russell Westbrook logo quando a semana final da temporada regular está batendo. Com certeza ciente que a corrida pelo Scalabrinão de Ouro é mais importante que qualquer coisa, ele fez os Cavaliers se recuperarem de uma vantagem de 17 pontos e bater os Wizards.

Quando LeBron entrou em quadra no último período, faltando pouco mais de sete minutos e meio, a diferença era de 14. Logo chegou a 17. Mas o camisa 23 fez 13 pontos nos minutos finais, para quase completar um triplo-duplo: 33 pontos, 9 rebotes e 14 assistências. Os playoffs estão chegando e LeBron está em quinta já.

04/04 – Kyle Kuzma (2)

Kyle Kuzma mostrou mais uma vez que os Lakers conseguiram uma pepita de ouro em uma posição onde normalmente não sai nada do Draft. O calouro escolhido na 27ª posição do Draft fez 30 pontos contra o San Antonio Spurs em uma vitória na prorrogação.

E o jogo foi especial para ele, se tornando o primeiro calouro na história a ter 1.200 pontos, 450 rebotes e 150 bolas de três em uma temporada. Para os Lakers, o mais importante foi ele ter começado a prorrogação com uma bola de três e um gancho, dando início a um passeio do time contra os texanos no tempo extra (14 a 4). Os Lakers podem estar eliminados, mas pelo menos a temporada trouxe uma esperança de um futuro melhor.

03/04 – James Harden (12)

O trio que fez o Oklahoma City Thunder ser conhecido no mundo inteiro teve uma terça-feira incrível nos números individuais. Russell Westbrook fez 44 pontos e ainda pegou 16 rebotes, mas seu Thunder perdeu. Justamente para Kevin Durant – 34 pontos e 10 rebotes – e os Warriors. O Troféu, entretanto, vai para o primeiro que saiu de OKC, James Harden.

O provável MVP da NBA teve mais uma noite para confirmar sua fama, com 38 pontos, 10 rebotes e 9 assistências contra o Washington Wizards, na vitória tranquila dos Rockets. Mais uma vez ele foi imparável, com 12 arremessos certos em 18 tentados e ainda foi 10 vezes até a linha de lance livre, acertando 9. Scott Brooks, treinador de Harden no Thunder, disse que tentou de tudo, mas não tinha como parar seu ex-comandado. O mundo da NBA sabe disso.

01/04 – Nikola Jokic (4)

Russell Westbrook teve um jogo incrível contra os Pelicans e poderia recuperar a liderança isolada na corrida pelo Scalabrinão de Ouro. Mas Jokic roubou dele com uma prorrogação incrível, curiosamente contra os Bucks, que já tinham vencido na prorrogação na noite anterior com Bledsoe pegando fogo.

Jokic teve 35 pontos e 13 rebotes e se ele errou o arremesso que decidiria a partida no tempo normal, ele acertou uma linda bola de 3 para colocar a diferença em sete pontos na prorrogação. Entre os unicórnios da liga, Jokic com certeza é um deles.

30/03 – Eric Bledsoe

LeBron James teve uma noite histórica, mas Eric Bledsoe mereceu seu primeiro Troféu da temporada com uma vitória incrível dos Bucks contra os Lakers com 39 pontos do armador.

E não foram 39 pontos quaisquer. Depois de errar o arremesso que poderia ter dado a vitória no tempo normal, Bledsoe não ficou depressivo, simplesmente dominando no tempo extra com 11 dos 12 pontos dos Bucks na prorrogação. Merece ou não um Troféu por esse poder de decisão?

29/03 – Andre Drummond (2)

Um dos poucos pontos positivos do Detroit Pistons nesta temporada é que Andre Drummond subiu uns cinco níveis. O pivô mostrou isso nesta quinta com 24 pontos e 23 rebotes na vitória contra o Washington Wizards.

Os dois times arremessaram muito mal no primeiro tempo, então para o segundo, Drummond pediu a bola embaixo da cesta e começou a trabalhar, somando 13 pontos só no terceiro quarto. Os Wizards chegaram a encostar, mas Reggie Jackson mostrou inspiração para completar o serviço que teve Drummond como destaque.

28/03 – LeBron James (14)

LeBron James finalmente conseguiu parear com Russell Westbrook. O 14º Troféu Brian Scalabrine veio na vitória dos Cavaliers contra os Hornets, com 41 pontos, 10 rebotes e 8 assistências. Ele parecia ter definido o jogo para sua equipe com 10 arremessos certos em 15 tentados, inclusive 4 de 6 atrás do arco.

Mas os Cavs deixaram os Hornets encostarem e precisaram da ajuda de seu maior ídolo mais uma vez. Duas enterradas, uma delas depois de ter roubado a bola, acabaram com a vontade dos mandantes de viver. LeBron James, ofensivamente, ainda está no seu auge.

27/03 – Damian Lillard (8)

Lillard passou Stephen Curry e Giannis Antetokounmpo em mais uma performance brilhante e em mais uma vitória do Portland Trail Blazers. Mesmo com o New Orleans Pelicans também disputando uma vaga nos playoffs e Anthony Davis jogando muito (36 pontos e 14 rebotes), Damian Lillard simplesmente deitou.

Foram 41 pontos, mais 9 rebotes e 6 assistências. 20 desses pontos vieram no último quarto para dar uma vitória apertada por quatro pontos, que solidificou a terceira posição dos Blazers. E tudo isso às vésperas de ter o primeiro filho, já que sua namorada entrou em trabalho de parto logo antes do jogo. Lillard realmente está iluminado.

26/03 – Kemba Walker (2)

Não foi uma grande noite de performances e as duas maiores vieram no jogo entre New York Knicks e Charlotte Hornets. Kemba Walker encarou a concorrência de Trey Burke e se não conseguiu fazer mais pontos (42 x 31), saiu com a vitória e o Troféu Brian Scalabrine da noite.

O triunfo dos Hornets veio na prorrogação e muito por causa de Walker, que marcou 11 pontos só nos 5 minutos finais, mesmo número que todos os Knicks. Foram quatro arremessos certos em quatro tentados nesse período, inclusive três atrás do arco, para três pontos. Então mesmo que o resto da NBA não tenha sido brilhante na terça, o Troféu é merecido.

25/03 – LeBron James (13)

Pode ter certeza que este é o melhor ano na corrida pelo Scalabrinão de Ouro. Russell Westbrook tinha aberto uma vantagem boa, mas LeBron James, Anthony Davis e James Harden não vão deixar quieto e abrir passagem para o bi de Westbrook.

LeBron mostrou isso neste domingo com 37 pontos, 10 rebotes e 8 assistências contra os Nets. Mesmo o rival sendo fraco, eles mostraram os dentes em casa e o camisa 23 respondeu com ferocidade. Depois dos Nets terem ficado à frente por um ponto, LeBron liderou seu time em uma sequência de oito pontos, com duas enterradas de pura força. E no minuto final, só de sacanagem, ordenhou o relógio e arremessou de três de forma perfeita. 14 de 19 tiros certeiros e mais um Troféu para ficar apenas um atrás de Russell Westbrook.

 

24/03 – James Harden (11)

Não foi uma grande noite de exibições neste sábado. Não teve um triplo-duplo enorme – Ben Simmons conseguiu um, mas magro – e Dwight Howard teve mais uma noite de dominância nos rebotes (23), mas contra os Mavericks que só estão tentando perder jogos de formas diferentes agora.

Então o troféu vai para James Harden, que liderou os Rockets em uma vitória tranquila contra um time que será de playoffs. Ele teve 27 pontos, 8 assistências e 6 rebotes contra os Pelicans e mesmo não sendo dos mais afiados – 11 de 24 nos arremessos, 3 de 11 nas bolas de três – ele conseguiu entregar momentos incríveis, como você pode ver no vídeo. No último quarto ele nem precisou jogar.

23/03 – LaMarcus Aldridge (2)

O Utah Jazz tem uma das melhores defesas da NBA. Por isso LaMarcus Aldridge ter feito 45 pontos e pegado nove rebotes é ainda mais significativo. E faz ele merecer o Troféu Brian Scalabrine desta sexta-feira. Ainda mais por ter superado Donovan Mitchell que estava simplesmente endiabrado.

O calouro fez duas bolas de três impossíveis no final da partida para forçar a prorrogação. Mas esse tempo extra só existiu porque Aldridge colocou os Spurs nas costas, com 28 pontos só no primeiro tempo, acertando 12 de seus 16 arremessos. No fim, ele acabou com 19 certos em 28 tentados e sua maior marca em pontos na carreira. E claro, o mais importante, o Troféu Brian Scalabrine.

 

22/03 – Kemba Walker

Kemba entrou nesta lista em grande estilo. O contexto não ajudaria muito ele, já que o jogo entre Hornets e Grizzlies não valia muito e os Grizzlies são possivelmente o pior time da liga, ainda mais sem Mike Conley e Marc Gasol. Mas 46 pontos em 28 minutos não dá para discutir e nem tirar o troféu Brian Scalabrine da noite.

Desde a criação do tempo de arremesso – em 1954/55 -, nunca um jogador demorou tão pouco tempo para fazer 45 pontos ou mais. Ele acertou absurdos 10 de 14 arremessos de três e 13 de 18 no geral. Obviamente em uma vitória de 61 pontos, a sexta maior da história da NBA, ele nem voltou para o último quarto. Mas mesmo assim levou o troféu com méritos.

21/03 – LeBron James (13)

Dwight Howard teve um jogo 30/30 (até mais, com 32 pontos e 30 rebotes), mas contexto é sempre algo importante para Brian Scalabrine e nós do Quinto Quarto. O jogo era contra o Brooklyn Nets, um dos piores times da liga e que joga com quintetos baixos.

LeBron James pegou o melhor time do Leste, o Toronto Raptors. E entregou um jogo de 17 assistências e nenhum turnover. Ah, ainda teve 35 pontos e 7 rebotes. É claro que isso é ainda mais impressionante e assim LeBron encosta em Russell Westbrook.

20/03 – James Harden (10)

Ontem James Harden tirou a dúvida de quem ainda tinha sobre ser o MVP da temporada. Mas como dizemos e repetimos, o mais importante foi ele ter garantido o Troféu Brian Scalabrine com 42 pontos, 6 rebotes e 7 assistências contra o Portland Trail Blazers, que vinha em uma série de 13 vitórias seguidas.

Harden assumiu o jogo de ontem para mandar uma mensagem, fazendo os 9 pontos iniciais de seu time no primeiro tempo e exatamente o mesmo no segundo. Quando os Blazers encostaram no último quarto, Harden acertou duas bolas de três matadoras. O time de Portland ainda teve uma sequência de 9 pontos sem resposta, mas Damian Lillard errou um arremesso no fim.

 

19/01 – LeBron James (12)

LeBron James não vai poder descansar como em outros anos neste final de temporada regular. Ainda derrapando, os Cavaliers entraram em quadra sem Tyronn Lue no banco, que pediu uma licença médica. Pelo menos Kevin Love voltou a e contribuiu com 18 pontos. O resto LeBron tomou conta.

O camisa 23 fez 40 pontos no Milwaukee Bucks. Com 12 rebotes e 10 assistências ele completou o 16º triplo-duplo da temporada e 71º na carreira. Ele fez 17 pontos só no terceiro quarto e no último, já no final, quando os Bucks tentaram roubar a partida, ele pegou a bola na sua cesta e com sua força habitual só terminou com uma enterrada do outro lado.

18/01 – Russell Westbrook (14)

Russell Westbrook está aparecendo neste post quando o bicho começa a pegar e assim conserva sua liderança. James Harden teve mais uma boa partida, assim como Anthony Davis. Mas com seu quinto triplo-duplo seguido – 37 pontos, 14 rebotes e 13 assistências – contra os Raptors, no Canadá, é óbvio que é dele este troféu.

O jogo foi mais do que quente. Dwane Casey, Kyle Lowry, Serge Ibaka e DeMar DeRozan, que reclamou de uma falta clamorosa que recebeu, foram ejetados. Westbrook, voando pela quadra, teve 10 pontos seguidos do Thunder no fm do jogo e ainda botou o time à frente com uma bandeja com 39 segundos faltando e teve mais um jumper para encerrar o jogo no fim. Isso é uma performance dominante de carteirinha.

17/01 – James Harden (9)

LeBron James conseguiu um triplo-duplo, mas temos que considerar que ele enfrentou o Chicago Bulls. Já James Harden, contra o New Orleans Pelicans e Anthony Davis conseguiu 32 pontos, 11 rebotes e 8 assistências em uma noite que não foi das suas mais brilhantes.

Ele acertou apenas 11 de 28 arremessos, mas para variar conseguiu ser decisivo: no último período, ele encerrou o jogo com uma bola de três nos dois minutos finais e pouco antes disso forçou uma falta quando tentava uma bola de três. A falta é mais do que discutível e levou o treinador Alvin Gentry à loucura. Resultado disso, falta técnica e mais um lance livre para Harden. Os Rockets ganharam 21 dos últimos 22 jogos e o MVP da liga é uma das razões para isso.

16/01 – Goran Dragic

Apesar de ter ido para o All-Star Game, Goran Dragic ainda não tinha aparecido aqui no Troféu Brian Scalabrine. Mas em uma noite em que não teve nenhum jogador arrasando, o fato dele ter feito quase um terço dos pontos do Miami Heat na vitória contra os Lakers é algo impressionante.

Dragic acertou 10 de seus 18 arremessos, 4 de 7 atrás do arco de três terminou com 30 pontos dos 92 do Heat. E ainda mais importante, que honra a memória da carreira de Brian Scalabrine: depois de Kyle Kuzma ter virado o placar com uma bola de três, Dragic conseguiu um floater com 15 segundos faltando para virar o jogo na última cesta da partida. Então pode dar o Troféu para o esloveno.

15/03 – Nikola Jokic (3)

A noite não foi de grandes atuações com vitória de seus times. LeBron fez ótima partida, mas os Cavaliers perderam de novo. Então o troféu de hoje vai para Nikola Jokic, que teve um triplo-duplo de 23 pontos, 12 rebotes e 10 assistências contra o Detroit Pistons.

Os Nuggets precisavam da vitória para seguir na luta por uma vaga nos playoffs na acirrada Conferência Oeste. E mesmo com Andre Drummond em cima dele, Jokic conseguiu seu oitavo triplo-duplo na temporada. E assim leva seu terceiro Troféu na temporada.

14/03 – Bradley Beal (4)

Washington Wizards e Boston Celtics estão sofrendo com as lesões. E não ajuda quando eles são tão parelhos que ainda precisam de duas prorrogação para arrebentar ainda mais corpos. Os Wizards saíram como vitoriosos, por um mísero ponto (125 a 124) e Beal com o Troféu da noite, com 38 pontos, 7 rebotes e 9 assistências.

Os Wizards ficaram 20 pontos atrás no marcador, mas conseguiram uma reação incrível para forçar as duas prorrogações. Na segunda delas, Beal fez 4 pontos vitais, depois de ter marcado 20 no terceiro quarto que botou os Wizards no jogo. Então não tivemos muitas dúvidas para quem dar o Troféu.

13/03 – Karl-Anthony Towns (4)

Russell Westbrook conseguiu seu 100º triplo-duplo na carreira, mas o rival precisa ser considerado para darmos este troféu. O armador do Thunder conseguiu o feito contra o ultra-tank Atlanta Hawks. Já Towns teve uma partida incrível contra os ainda decepcionantes, mas bons Wizards.

Foram 37 pontos e 10 rebotes para o jogador dos Timberwolves, que jogaram na capital americana. Karl-Anthony Towns mostrou um verdadeiro arsenal, acertando todas as bolas de três que tentou e acertando 13 de seus 17 arremessos, a maioria deles dominando a área pintada. E ele não só fez isso como ainda marcou Bradley Beal na jogada decisiva da partida e forçou um passe errado. O quarto troféu é mais do que merecido.

12/03 – Damian Lillard (7)

James Harden tentou com seus 28 pontos na vitória dos Rockets contra os Spurs. Mas Damian Lillard com 32 pontos e 10 assistências deixou o camisa 13 sem poder cortar sua vantagem para Russell Westbrook. E por pouco não foi outro Blazer que ganhou: Jusuf Nurkic dominou na vitória contra o Heat com 27 pontos e 16 rebotes. Foi a 10ª seguida da franquia.

Lillard leva porque ele marcou 21 pontos no segundo tempo – ele é o maior pontuador da liga na metade final de jogos – e foi mais do que necessário quando o Heat cortou uma desvantagem de 19 para 3. O armador dos Blazers acertou então uma bola de três que esfriou a reação. Ele ainda tinha mais uma bola de três na manga e dois lances livres finais para enfiar a adaga no peito de Miami e vencer seu sétimo Troféu na temporada. Poucos jogam mais do que Damian Lillard hoje.

 

11/03 – Julius Randle

Anthony Davis teve um triplo-duplo com 10 tocos, mas seu Pelicans perdeu para o Utah Jazz. Mesmo se tivesse vencido, teria que pensar com bastante carinho se ele foi melhor que Julius Randle, o melhor jogador dos Lakers na temporada e que teve o melhor jogo de sua vida no domingo, contra LeBron James e os Cavaliers.

Randle aproveitou a defesa que é uma mãe dos Cavs para fazer 36 pontos, com mais 14 rebotes e 7 assistências. Foram 23 pontos só no segundo tempo, a maioria deles no garrafão e passando por cima de qualquer marcação – ou falta de – que estava na área pintada. Por isso ele conseguiu outro número impressionante: apenas quatro arremessos errados em 18 tentados. Randle fez bonito para LeBron. Quem sabe os dois não conversam sobre isso quando forem colegas de time.

10/03 – Russell Westbrook (13)

Russell Westbrook estava sentindo um calor vindo de New Orleans e Cleveland. E por isso teve que, em um jogo de prime time, mostrar que ele não iria abrir mão da possibilidade de seu segundo Scalabrinão de Ouro. Contra os Spurs, o Thunder deu uma mostra de força e Westbrook somou mais um triplo-duplo: 21 pontos, 12 rebotes e 10 assistências.

A vitória do Thunder por 10 pontos veio com um esforço ofensivo bastante dividido, com o pessoal do banco desempenhando melhor que na média da temporada. Até Nick Collison jogou e foi bem, com sete pontos em menos de três minutos. E o condutor dessa orquestra foi Westbrook, que começou o jogo arremessando mal mas somou seus números e assumiu o papel de facilitador. E saber desempenhar diferentes papéis de forma especial é tudo que Brian Scalabrine representa.

09/03 – DeAndre Jordan

A noite de sexta teve várias performances sensacionais, mas nenhuma que derrubou a casa. James Harden teve 40 pontos, mas os Rockets perderam o jogo e sua série de 17 vitórias seguidas, por exemplo. Por isso quero destacar o jogo de DeAndre Jordan na vitória dos Clippers contra os Cavaliers.

O time de Los Angeles fez um jogo à moda antiga, dominando a área pintada e as tábuas. Jordan teve 20 pontos e absurdos 23 rebotes, sete deles ofensivos. O time conseguiu 52 rebotes contra apenas 40 dos Cavs e foram 58 pontos na área pintada, 16 a mais que os rivais. Veja o vídeo abaixo que mostra todo tipo possível de pontuação a um passo da cesta.

08/03 – Kevin Durant (3)

Kevin Durant não está em um ano de explosões ofensivas como já teve em seu passado. Focado inclusive em ser um defensor muito acima da média, o camisa 35 tinha o mesmo número de troféus que Jordan Clarkson. Mas com Stephen Curry saindo do jogo contra os Spurs (37-28) com dores no tornozelo, Durant teve que virar a chave.

Foram 26 arremessos, 14 deles certos para 37 pontos, mais 11 rebotes, 4 assistências e 4 tocos na vitória apertada do Golden State Warriors (51-14). Quatro pontos atrás com seis minutos faltando, Durant pontuou em uma enterrada, uma bola de três e mais três lances livres e três arremessos longos de dois. Ou seja, o Kevin Durant que nós conhecemos e amamos.

07/03 – LeBron James (11)

DeMar DeRozan teve uma partida incrível, com 42 pontos contra o Detroit Pistons e a possível enterrada do ano. Mas LeBron James foi um pouquinho acima. Contra os Nuggets o camisa 23 teve 39 pontos, 8 rebotes e 10 assistências e foi dominante no fim da partida, com arremessos que desafiam a física.

Nikola Jokic é outro nome que merece ser citado: com 36 pontos e 13 rebotes, ele fez os Nuggets voltarem à partida depois de ficarem bastante atrás no primeiro tempo. Mas com o calor dado pelos rivais, LeBron subiu o nível. Ele acertou uma bola de três dois passos atrás da linha, acertou um jumper completamente desequilibrado e indo contra o movimento do corpo e logo depois mais um no fim da partida, marcado perfeitamente por Wilson Chandler. É sério, você tem que ver isso e nem discordar do Troféu de hoje.

 

06/03 – Anthony Davis (11)

Davis chegou a ir para o vestiário depois de receber uma pancada nas costelas, mas isso não parece ter tirado nada de seu basquete na noite de terça-feira. O camisa 23 do New Orleans Pelicans fez 41 pontos e pegou 13 rebotes contra os Clippers. Com 31 segundos faltando, ele ainda acertou a cesta que tirou o empate do marcador. Vale destacar também a noite de 17 assistências de Jrue Holiday.

Davis sentiu uma trombada com DeAndre Jordan, mas o raio-x voltou negativo. Então o jogador retornou à quadra e fez 19 pontos só no terceiro quarto. Ele ainda teve quatro bolas de três na partida, empatando seu recorde pessoal e liderou os Pelicans em uma sequência de 12 pontos contra 3 dos Clippers no minuto e meio final de jogo. Foi a nona vitória de New Orleans. E você já sabe a principal razão para elas.

05/03 – Damian Lillard (6)

No mês de fevereiro, Damian Lillard ganhou troféus até se cansar. Agora em março ele pode dar seu sprint final e já deixou claro que essa é sua intenção em um dos maiores palcos: o Staples Center. Os Blazers perdiam por 11 pontos para os Lakers a cinco minutos do final. Mas Lillard fez 19 de seus 39 pontos no último quarto e deu a vitória para seu time.

E como o time do Oregon não é bobo, começou a dar a bola para o camisa 0, que acertou quatro bolas de três seguidas e 15 pontos consecutivos de seu time. Tudo isso para superar um terceiro quarto horrível (1 de 6 para Lillard) e ganhar o sexto Troféu Brian Scalabrine da temporada.

 

04/03 – Victor Oladipo (3)

O Indiana Pacers quase perdeu o jogo contra o Washington Wizards após estar vencendo por 17 pontos, mas Victor Oladipo impediu isso com uma partida sensacional, de 33 pontos e mais sete rebotes, além de jogadas vitais na defesa para impedir que Bradley Beal virasse a partida. Tudo isso na capital americana.

Tenho que admitir que muitas vezes o vencedor do Troféu tem os números inflados porque os jogos não tem defesa. Mas Oladipo fez 33 pontos em um jogo onde seu time ganhou com 98 pontos. Ou seja, ele fez mais de um terço dos pontos de sua equipe, acertando 11 de seus 20 arremessos. E isso mais o fato de ser um rival de boa qualidade e sua intensidade defensiva garantiram o troféu deste domingo.

03/03 – Gary Harris

O Cleveland Cavaliers tentou correr atrás do prejuízo no segundo tempo, mas o Denver Nuggets estava com a mão afiada demais. Gary Harris foi o principal deles, com 32 pontos, 6 bolas certas de três em 10 tentadas e seu primeiro Troféu Brian Scalabrine da temporada.

É claro que o número de pontos é uma razão para Harris ter levado o troféu. Mas a principal delas é, com menos de dois minutos faltando, e os Cavs a quatro pontos de distância, o ala-armador ter calado a Quicken Loans Arena com uma bola de três. E no minuto final, para matar a partida, mais uma atrás do arco para colocar a cereja no bolo. Assim o Troféu Brian Scalabrine precisa ir para o Colorado.

02/03 – Russell Westbrook (12)

Russell Westbrook ficou um tempo fora deste post, depois de ter performances incríveis na virada do ano. Assim Anthony Davis e LeBron James deram uma bela aproximada. Pois bem, o camisa 0 do Oklahoma City Thunder não está a fim de ceder o Scalabrinão de Ouro. Devin Booker também queria seu troféu, mas apesar de seus 39 pontos seu time perdeu.

Os Suns fizeram o jogo ser pegado até o último minuto e meio, quando Westbrook empatou com uma bandeja e acertou uma bola de três logo em seguida. O Thunder fez os últimos 10 pontos da partida, vencendo os Suns por 124 a 116. E o armador fez 43 pontos, segunda maior marca na temporada, com 14 rebotes e 8 assistências.  Não tinham como não levar o Troféu.

01/03 – Damian Lillard (5)

O duelo entre Damian Lillard e Karl-Anthony Towns foi pegado, mas no fim o armador conseguiu dar a vitória ao Portland Trail Blazers e deixar o time a duas vitórias do próprio T-Wolves. E Lillard teve que passar por cima de uma má fase dentro do próprio jogo para dar a vitória a seu time.

O camisa 0 errou seus primeiros sete arremessos, todos no primeiro quarto. Enquanto isso Towns teve 21 pontos no primeiro tempo e terminou com 34 mais 17 rebotes. Mas Damian Lillard se recuperou, acertou nove de 15 arremessos até o fim do jogo, com duas cestas vitais para empatar a partida no último quarto e a bola de três que praticamente matou a partida. Foi a quinta vitória seguida dos Blazers e o quinto troféu de Lillard.

28/02 – Kyrie Irving (5)

A parada para o All-Star Game fez bem demais para o Boston Celtics, que estava tropeçando e usou o descanso para voltar bem e atropelar times mais fracos da Conferência Leste. Na quarta-feira foi a vez do Charlotte Hornets, fazendo 134 pontos e com Kyrie Irving deitando.

O camisa 11 dos Celtics teve 34 pontos em apenas três quartos (25 min), em uma noite hipereficiente: 13 arremessos certos em 18 tentados, 4 de 6 nos arremessos de três. Aliás o time inteiro estava com a mira em dia, com 62,1% dos arremessos encontrando a cesta, melhor noite em eficiência nos últimos quatro anos. Para o maestro que não desperdiçou suor e arremessos, o Troféu Brian Scalabrine.

27/02 – LeBron James (10)

O ex-colega e eterno amigo de LeBron, Dwyane Wade, fez 27 pontos e a bola da vitória do Miami Heat contra o Philadelphia 76ers. Isso seria digno de Troféu Brian Scalabrine, não fosse o fato de LeBron James ter mais um triplo-duplo, com 31 pontos, 12 rebotes e 11 assistências e terminar fevereiro com duplo-dígito nessas três categorias.

Mas tem mais: com sua 11ª assistência na vitória contra o Brooklyn Nets ele chegou a 8 mil e se tornou o primeiro jogador da história com 30 mil pontos, 8 mil rebotes e 8 mil assistências. Ou seja, noite de recordes em uma partida difícil contra os Nets, que teve os rivais entrando no último minuto com a vantagem. Mas uma jogada de três pontos de Rodney Hood mais lances livres corretos de LeBron e George Hill deram a vitória aos Cavs e a possibilidade de troféu para LeBron.

26/02 – Anthony Davis

Eu falei ontem no podcast que Anthony Davis ia ser um grande desafiante para Russell Westbrook na corrida pelo Scalabrinão de Ouro. O coitado do Devin Booker fez 40 pontos e mesmo assim não foi páreo para o camisa 23 dos Pelicans, que fez 53 pontos e pegou 18 rebotes na vitória por 125 a 116. Ele ainda teve cinco tocos.

Parar Davis foi uma tarefa tão ingrata e inglória que ele fez Dragan Bender, Alex Len e Marquese Chriss serem ejetados por alcançarem seis faltas. Ele foi para a linha 26 vezes, acertando 21 arremessos. Quando você pensar em dominância, só lembrar desses números na sexta vitória seguida de New Orleans.

 

25/02 – James Harden (8)

Contra o Denver Nuggets (33-27), no Colorado, o Houston Rockets (46-13) teria um grande desafio a superar para manter sua série de vitórias. Mas ajuda muito quando você tem James Harden, que fez 41 pontos, pegou 8 rebotes e deu sete assistências na vitória por 119 a 114, a 12ª seguida da franquia.

Harden fez 27 pontos só no primeiro tempo e os Rockets chegaram no último quarto com 17 pontos de vantagem. Porém os Nuggets conseguiram reagir e ficaram a quatro pontos faltando dois minutos. A bola então foi para Harden que conseguiu uma falta em arremesso, acertando os dois lances livres e depois acertou um arremesso longo de 2 para acabar com a reação e venceu seu nono troféu Brian Scalabrine na temporada.

24/02 – Damian Lillard (4)

Jogo empatado entre Suns e Blazers, Lillard está pressionado desde a meia-quadra por Elfrid Payton. Ele não só consegue voar baixo e superar na velocidade Payton como ainda se infiltra na área pintada, que tem pelo menos três rivais. Como ele conseguiu a bandeja da vitória, nem a física explica, mas ela aconteceu. E Lillard ganhou seu quarto troféu Brian Scalabrine da temporada.

Ajudou para essa conquista os 38 pontos que ele fez antes disso, com mais 10 rebotes e cinco assistências. Lillard marcou 19 pontos de seus 40 no último período, salvando Portland em uma noite horrível de mira e quase uma derrota para os Suns, que agora perderam nove seguidas.

23/02 – Anthony Davis (9)

O New Orleans Pelicans venceu sua quarta partida seguida, dessa vez contra o Miami Heat. Nessa sequência, Anthony Davis marcou pelo menos 38 pontos e três vezes 42 ou mais. Contra o time da Flórida, com prorrogação inclusa, ele teve 45 pontos, 17 rebotes, cinco tocos e cinco roubadas de bola, merecendo sem dúvidas o troféu Brian Scalabrine.

Dwyane Wade fez das suas na prorrogação, com duas cestas que deixaram seu time à frente no minuto final do tempo extra. Mas Davis com uma bandeja e a falta e Jrue Holiday com uma infiltração faltando sete segundos para o fim deram a vitória aos Pelicans por 124 a 123.

22/02 – Stephen Curry (7)

Stephen Curry voltou com tudo das festividades do All-Star Weekend. Capitão do time derrotado, o camisa 30 dos Warriors ganhou quando o jogo voltou a ser valer, com impressionantes 44 pontos, 10 assistências e 6 rebotes em um dia de eficiência quase completa. E mais uma vez o Los Angeles Clippers pagou caro pela apresentação de seu arquirrival.

Foram 14 arremessos certos em 19 tentados, com 8 de 11 atrás da linha de três, inclusive um buzzer beater no 1º quarto poucos passos depois da meia-quadra. Curry está com uma temporada que lembra as suas duas de MVP e está aquecendo ainda mais no momento certo.

16/02 a 21/02 – All-Star Break

15/02 – Nikola Jokic (2)

Nikola Jokic e Giannis Antetokounmpo mostraram porque são dois dos jogadores que o fã da NBA mais gosta de ver jogar. Ambos fizeram um triplo-duplo gordo na partida, com o Jokic ainda batendo o recorde de triplo-duplo mais rápido da história da NBA. E como os Nuggets (32-26) venceram os Bucks (32-25), o prêmio vai para o sérvio.

Jokic teve 30 pontos, 15 rebotes e 17 assistências em uma noite que a equipe do Colorado acertou 24 bolas de três, ficando a apenas uma do recorde histórico da liga. Jokic teve duplo-dígito nos três quesitos a 1:54 do fim do segundo quarto, algo simplesmente inacreditável. Assim, Giannis, que com seu nono triplo-duplo passou Kareem Abdul-Jabbar na lista de triplos-duplos da história dos Bucks, saiu derrotado.

14/02 – Damian Lillard (3)

Quase que tivemos seguidos dias de Anthony Davis e LeBron James trocando troféus Brian Scalabrine. Mas no fim, ele volta para quem venceu antes da série dos dois camisas 23. Damian Lillard teve uma partida incrível contra o Golden State Warriors, com 44 pontos e 8 assistências e leva seu terceiro no ano. O adversário difícil fez toda a diferença na disputa desta quarta-feira.

Se os Warriors tivessem vencido, Durant seria o premiado porque fez 50 pontos e foi basicamente imparável no Moda Center. Mas Lillard chegou perto disso, sendo agressivo partindo para a cesta e conseguindo as faltas e vivendo de arremessos de meia-distância, que só se justificam se eles entram. Para Lillard, eles entraram. E os Blazers com a vitória tiraram os californianos da 1ª posição do Oeste.

13/02 – LeBron James (9)

LeBron e Davis estão dialogando nos últimos dias e ontem foi a vez do camisa 23 do Cleveland Cavaliers falar e o camisa 23 do New Orleans Pelicans ouvir. James teve uma partida sensacional e liderou os atualizados Cavs (34-24) em uma vitória contra o Thunder (32-26) em Oklahoma City.

LeBron fez 37 pontos, pegou oito rebotes e deu oito assistências. Seus números poderiam ter sido um pouco maiores se não fosse o aproveitamento abaixo na linha do lance livre, com seis certos em 10 tentados. Mas com Rodney Hood, George Hill, Larry Nance e Jordan Clarkson ajudando e J.R. Smith voltando a jogar bola, quem se importa com quatro arremessos livres errados em uma vitória.

12/02 – Anthony Davis (8)

LeBron James quis se afastar de Anthony Davis mas o jogador do New Orleans Pelicans logo colou de novo. E fez isso acabando com o Detroit Pistons no Michigan: Davis fez 38 pontos, pegou 10 rebotes. Aliás, contra essa franquia em específico, o monocelha tem 30,4 pontos de média e teve seu recorde na carreira em pontos em um jogo, com 59.

Mesmo com Drummond e Griffin em cima dele em diferentes partes do jogo, não teve como pará-lo. Drummond admitiu que não queria ceder bandejas fáceis, só que isso permitiu jumpers e bolas de três. Ele acertou 3 atrás do arco e 14 de 24 arremessos. E assim os Pelicans venceram mais uma (30-26) e se mantém com meio jogo de vantagem para os Clippers na última vaga para os playoffs no Oeste.

 

11/02 – LeBron James (8)

Como disse abaixo, contexto sempre importa. E LeBron James leva o troféu do domingo por isso. No segundo jogo desde a reformulação do elenco dos Cavaliers, LeBron encarou o Boston Celtics no TD Garden e liderou seu time em uma vitória incontestável por 121 a 99. Agora o time está cinco jogos e meio atrás dos Celtics, líderes do Leste.

Claro que ainda tem que ter números individuais: 24 pontos, 8 rebotes e 10 assistências. Em uma sequência de 13 pontos dos Cavs contra apenas 2 dos Celtics, LeBron fez oito pontos e assim os Celtics nunca voltaram a encostar no placar. E tudo isso depois de sair do primeiro quarto com dores na perna direita. Ele é realmente indestrutível.

10/02 – Anthony Davis (7)

Joel Embiid teve um jogo incrível contra o Los Angeles Clippers. Mas apesar dos minutos a mais por causa de duas prorrogações, temos que dar este troféu para Anthony Davis. Com 44 pontos, 17 rebotes, 6 roubos de bola e três tocos, o camisa 23 do New Orleans Pelicans teve mais uma performance incrível.

E com Davis a pontuação vem de todos os jeitos: ponte aérea querendo, ponte aérea sem querer (ver vídeo abaixo), arremesso de média-distância, bola de três e dominando no garrafão. Assim ele vai ganhar mais Troféus até o fim da temporada.

09/02 – Damian Lillard (2)

Na sexta tivemos mais uma enxurrada de pontos de um jogador em apenas três quartos. Damian Lillard pegou o Sacramento Kings e destruiu a equipe californiana, com 50 pontos em apenas 29 minutos. Com o jogo decidido, o armador nem voltou para o último quarto.

Lillard fez o mesmo que McCollum no dia 31 de janeiro, que também teve 50 pontos nesse mesmo número de minutos, contra o Chicago Bulls. Curiosamente, Lillard até se levantou para entrar no jogo no meio do último quarto, quando os Kings estavam cortando a vantagem. Mas uma bola de três de Shabazz Napier fez Damian Lillard voltar ao banco e saborear seu grande jogo.

08/02 – Kyrie Irving (4)

Não foi uma grande noite de performances individuais na NBA, com Kemba Walker explodindo para 40 pontos mas seu Charlotte Hornets perdendo para o Portland Trail Blazers. Então vamos de Kyrie Irving, que ligou o turbo para fazer seu Boston Celtics vencer o Washington Wizards na prorrogação, na capital americana.

Irving teve 28 pontos, com nove arremessos certos em 19 tentados e muito mais importante, 12 dos últimos 17 pontos dos Celtics no jogo. Ele e Jaylen Brown foram responsáveis por todas as cestas do time no tempo extra. Os jogadores dos Wizards reclamaram da arbitragem, pela diferença de idas à linha do lance livre. Kyrie só aproveitou elas para empatar o jogo com três arremessos da linha nos segundos finais. E depois dominar na prorrogação.

07/02 – LeBron James (7)

James Harden fez 41 pontos contra o Heat e mereceria este troféu em um dia normal. Mas o contexto precisa ser analisado e ele basicamente entrega este Troféu para LeBron James, destaque do Cleveland Cavaliers (31-22) na vitória contra o Minnesota Timberwolves (34-23) nesta quarta-feira.

Com 35 pontos, 10 rebotes e 15 assistências ele já teria suficiente para estar aqui. Mas na prorrogação, ele subiu o nível, especialmente nas duas últimas posses. Com os T-Wolves no ataque ele ficou esperto com a infiltração de Jimmy Butler e deu um toco fenomenal em sua tentativa de bandeja. Só que os rivais ordenharam o relógio e parecia que o jogo teria mais um tempo extra. Porém, com um segundo faltando, Jeff Green deu a saída longa, LeBron pegou a bola, girou com Butler marcando e fez um lindo buzzer beater para ajudar os Cavs a saírem de um buraco que parecia sem fim.

 

06/02 – Russell Westbrook (11)

O Oklahoma City Thunder atropelou o Golden State Warriors e a principal razão para isso foi Russell Westbrook. Ok, Paul George também. Mas Westbrook saiu do vestiário com tudo e explodiu para 34 pontos, 9 rebotes e 9 assistências. E claro, contra os Warriors e seu ex-companheiro Kevin Durant teve muito falatório também.

O jogo foi nervoso, com os Warriors levando cinco faltas técnicas. A frustração também veio de não conseguir parar o Thunder. O time visitante liderava por 12 já no fim do primeiro quarto, com Westbrook acertando 9 de seus 10 arremessos para 21 pontos. Olha, nos playoffs este confronto pode ser sensacional.

05/02 – Blake Griffin (2)

A segunda-feira da NBA não teve as partidas mais incríveis da história da humanidade, então aqui vou improvisar um pouco. Blake Griffin não leva só pelos 21 pontos e 9 rebotes contra o Portland Trail Blazers, mas pela mudança que gerou nos Pistons. Ele já estendeu as asas e mostra que pode ser o melhor playmaker da equipe em todos os sentidos.

Desde que ele chegou foram quatro vitórias e na segunda ele fez uma ponte aérea com Andre Drummond – 17 pontos e 17 rebotes -, arremessou de três, foi bem nos tiros de média distância e muitas vezes atuou como armador na cabeça do garrafão. Griffin está completo e todos nós torcemos que isso não signifique uma ida ao hospital em breve.

04/02 – Al Horford

Com uma bola de três de Damian Lillard faltando sete segundos, parecia que o Portland Trail Blazers venceria os Celtics em Boston. Mas no dia do Super Bowl e da derrota dos Patriots, o fã de esportes da cidade teve pelo menos um gostinho doce com um buzzer beater de Al Horford para vencer o jogo por 97 a 96.

Além da bola decisiva, o big man teve mais 20 pontos, 10 rebotes e cinco assistências e foi perfeito atrás do arco (2 de 2) e na linha do lance livre (4 de 4). O dominicano ainda não tinha vencido um troféu Brian Scalabrine nesta temporada e neste domingo ele mereceu.

03/02 – Ricky Rubio

Andre Drummond teve 23 pontos e 20 rebotes, mas acho que Ricky Rubio mereceu mais o troféu Brian Scalabrine de sábado. Na casa dos Spurs (34-21), o espanhol fez 34 pontos e deu nove assistências na vitória do Jazz (24-28) por 120 a 112.

Além do alto número de pontos, Rubio fez coisas inimagináveis, como acertar um arremesso de três. Aliás, ele acertou três de quatro de longa distância e 11 de 14 no jogo, sendo extremamente eficiente. Sem Donovan Mitchell, o Jazz precisava de alguém para assumir a pontuação. E o espanhol fez exatamente isso.

 

02/02 – Anthony Davis (6)

A sexta-feira teve vários jogos com pontuações ridiculamente altas e consequentemente jogadores somando pontos adoidado. No jogo entre Hornets e Pacers, por exemplo, Victor Oladipo teve 35 pontos e Kemba Walker 41 e mais 9 assistências. Mas nenhum dos dois levou e sim Anthony Davis, pela sexta vez na temporada.

Contra o Thunder em Oklahoma City, o camisa 23 levou seu time à vitória com 40 pontos, 10 rebotes e ainda três roubos de bola, algo incrível para um big man. Com Steven Adams marcando de perto, ele simplesmente fez tudo: enterradas em ponte aéreas, bola de três, floater e para encerrar o jogo, no minuto final, mais uma bola atrás do arco para colocar a cereja do bolo. Calma, tem outra cereja do bolo: ele passou David West e agora é o maior pontuador da história da franquia.

01/02 – Nikola Jokic

Blake Griffin fez uma boa estreia pelos Pistons, com 24 pontos, 10 rebotes e cinco assistências. Mas nesta quinta-feira o nível foi acima. Paul George fez 43 pontos, mas perdeu justamente para os Nuggets do vencedor desta noite, Nikola Jokic.

Jokic teve seu terceiro triplo-duplo na temporada, com 29 pontos, 13 rebotes e 14 assistências. E a assistência final foi a mais importante: ele iniciou a jogada da vitória, com um passe que cruzou a quadra para achar Gary Harris, ele fazer a bola de três e ganhar a partida por 127 a 124 com um buzzer beater. Troféu para ele.

31/01 – C.J. McCollum (4)

Se no dia 30 não tivemos dúvidas em dar o troféu para James Harden, no dia 31, C.J. McCollum ganhou com sobras precisando apenas três quartos. O ala-armador dos Blazers fez impressionantes 50 pontos em apenas 29 minutos de jogo contra o Chicago Bulls.

E os Blazers não tiveram dúvidas em dar a bola para ele, que acertou 18 de seus 25 arremessos e seis de nove nas bolas de três. Enquanto isso Damian Lillard arremessou apenas nove bolas no jogo. Segundo McCollum, sua avó de 92 anos visitando Portland pela primeira vez serviu de inspiração. Com 28 pontos apenas no primeiro quarto, os Blazers vão querer comprar uma casa para a senhora no Oregon.

30/01 – James Harden (7)

James Harden ficou esquecido nesta relação no mês de janeiro, voltando aos poucos de uma lesão. Pois bem, agora dá para dizer tranquilamente que ele está 100%. Quando você tem o maior número de pontos em um triplo-duplo na história da NBA, você leva este troféu.

James Harden fez 60 pontos no coitado do Orlando Magic (14-35), com 10 rebotes e 11 assistências para completar. Sem Chris Paul e Trevor Ariza, ele tinha que dominar e fez exatamente isso. Foram 18 pontos só no último quarto e seis seguidos quando o jogo estava empatado com menos de cinco minutos faltando. Ele também bateu o recorde de pontos em um jogo na história da franquia, que era de Calvin Murphy (57), desde 1978. Algo mais para falar?

29/01 – Giannis Antetokounmpo (7)

O Philadelphia 76ers está fazendo grandes jogos, mas também permitindo grandes jogos de seus oponentes. Um dia depois de Russell Westbrook conseguir seu troféu, Giannis Antetokounmpo levou o sétimo na temporada. Foram 31 pontos, 18 rebotes e seis assistências na vitória fácil dos Bucks.

Coincidência (ou não, neste caso), os Bucks venceram a quarta seguida sem o treinador Jason Kidd, demitido na semana passada. Sem Embiid, poupado, Giannis fez a festa embaixo da cesta e conseguiu seu 22º duplo-duplo na temporada, indo 10 vezes para a linha porque só podia ser parado com faltas.

 

28/01 – Russell Westbrook (10)

Russell Westbrook foi atropelado por Joel Embiid em uma enterrada (e zoado por isso ainda). Só que isso não parou o camisa 0 de dar o troco, também enterrar, fazer 37 pontos, pegar 9 rebotes e dar 14 assistências na vitória do Thunder contra os Sixers.

Seu segundo tempo foi especial, com oito arremessos certos em 13 tentados e as enterradas de vingança após um primeiro tempo com baixo aproveitamento. Depois de um jogo com três prorrogações, as duas equipes mostram que há uma rivalidade ali e por enquanto o Thunder, por causa de Westbrook, leva a melhor.

 

27/01 – Stephen Curry (6)

Curry ficou com inveja de Giannis e também conseguiu seu sexto título na temporada. E com uma partida fenomenal, fazendo um duelo contra Kyrie Irving que vamos lembrar por um tempo. O camisa 30 do Golden State Warriors teve 49 pontos, com oito bolas de três.

E mais importante: foram 13 pontos em apenas 1:42 min em um jogo pegado que terminou com vitória dos californianos por 109 a 105. Depois de uma bola de três para desempatar a partida e uma bandeja logo depois, ele foi para a linha seguidas vezes, acertando todas. E assim, no duelo dos armadores do próximo All-Star Game – Kyrie fará parte do Team LeBron enquanto Curry será o capitão da outra equipe – nós ganhamos a noção do que eles são capazes para outro possível confronto, esse mais para o final da temporada.

 

26/01 – Giannis Antetokounmpo (6)

Lou Williams teve 40 pontos saindo do banco do Los Angeles Clippers, mas dessa vez o troféu não irá para o melhor reserva da NBA. Giannis Antetokounmpo teve um jogo sensacional após perder as duas últimas partidas com dores no joelho: 41 pontos, 13 rebotes e sendo clutch no fim.

Os Bucks foram para o intervalo com 25 pontos de frente, mas dormiram no terceiro quarto e precisaram suar no último período para fechar a partida com um triunfo. Para matar da vez o jogo, Giannis mostrou sua habilidade e soltou o tiro de média-distância, que foi certeiro e com falta. Na jogada seguinte, uma bola de três só pela crueldade. E no fim, seu sexto troféu na temporada.

 

25/01 – Russell Westbrook (9)

Russell Westbrook tinha achado que foi escolhido por último no novo esquema do All-Star Game e pelo visto ficou P da vida. O problema é que a lista foi em ordem alfabética. Pena para o Washington Wizards, com sofreu com a ira do armador e levou 46 pontos, maior marca de Westbrook na temporada.

Com Paul George e Carmelo Anthony nada inspirados (10 de 30 nos arremessos), sobrou para o camisa 0, que ficou ponto a ponto duelando com Bradley Beal (41) até o Thunder escapar no último quarto. E claro que Westbrook colocou essa cereja no bolo com uma enterrada. Pena que ele não foi o último mesmo, para mostrar sua ira no All-Star Game.

24/01 – Ben Simmons

Andre Drummond pareceu jogar irritado por ter sido esquecido para o All-Star Game, tendo 30 pontos e 24 rebotes em uma partida incrível. Mas ele não leva porque os Pistons perderam para o Jazz. Então o troféu vai para Ben Simmons, que fez um triplo-duplo gordo, daqueles que ocupam dois lugares nas cadeiras do McDonald’s: 19 pontos, 17 rebotes e 14 assistências.

Já no intervalo ele estava próximo do duplo-dígito em três quesitos, com 11 pontos, 13 rebotes e 8 assistências e logo ele conseguiu a marca, apesar de não ter arremessado tão bem: seis certos em 15 tentados. Com seu quinto triplo-duplo na temporada, Simmons pode não ter sido chamado para o All-Star Game, assim como Drummond. Mas com certeza ele irá nos próximos anos.

23/01 – Kyle Kuzma

Alguns jogadores fizeram mais pontos que Kyle Kuzma nesta terça-feira. Kyrie Irving no jogo dos Celtics contra os próprios Lakers fez 33. Russell Westbrook teve 33 pontos na vitória do Thunder (27-20) contra os Nets (18-30). LaMarcus Aldridge teve 30 pontos e 9 rebotes na vitória dos Spurs (31-18) contra os Cavaliers (27-19). E Stephen Curry teve 32 pontos na vitória dos Warriors (38-10) contra os Knicks (21-27).

Maz Kuzma, com seus 28 pontos foi mais impressionante. Primeiro porque os Lakers têm um time inferior aos Celtics e venceram. E segundo porque 17 dos pontos do calouro veio no último quarto de um jogo que é a maior rivalidade da NBA. O calouro dominou, com cinco bolas de três e lances incríveis, em um deles até deixando Al Horford perdido. E assim ele leva o primeiro Troféu Brian Scalabrine de sua carreira.

22/01 – DeMarcus Cousins (5)

Andrew Wiggins foi sensacional na vitória dos Timberwolves contra o Los Angeles Clippers, com 40 pontos. Jamal Murray teve 38 pontos na vitória dos Nuggets contra os Blazers. Mas não tem como não dar este troféu para DeMarcus Cousins.

O pivô e seu time – os Pelicans (25-21) – precisaram de duas prorrogações para bater o Chicago Bulls (18-29) mas foi até bom porque deu para Cousins completar um triplo-duplo incrível de 44 pontos, 24 rebotes e ainda 10 assistências. DeMarcus Cousins foi o primeiro jogador a ter pelo menos 40 pontos, 20 rebotes e 10 assistências desde um tal de Kareem Abdul-Jabbar em 1972. É mole?

21/01 – Jordan Clarkson (2)

Kyrie Irving fez 40 pontos na noite de domingo, mas o Boston Celtics fez o favor de perder a partida, deixar seu camisa 11 sem o troféu e dificultando meu trabalho. Depois de muita análise e conversas com Brian Scalabrine por Telegram, o escolhido foi Jordan Clarkson, que ganhou seu segundo troféu em três dias.

A razão é simples: com 29 pontos, 10 assistências e ainda seis rebotes, ele foi a principal razão para os Lakers (17-29) vencerem os Knicks (21-26). Foram 12 arremessos certos em 19 tentados e eles vieram de todo jeito: de longa distância, enterrada, floater, recuperando rebote ofensivo de seu próprio arremesso e fazendo a bandeja. Pelo menos na bagunça dos Lakers, Clarkson está se destacando.

20/01 – Chris Paul (2)

Chris Paul tinha apenas um troféu Brian Scalabrine, mas neste sábado ele mereceu seu segundo. O Golden State Warriors chegou a Houston com 14 vitórias seguidas fora de casa, mas com os 33 pontos do armador, inclusive cinco em uma série decisiva, fizeram os Rockets jogar água no chopp dos californianos. Só na bola de três foram seis certas.

Paul teve ainda 11 rebotes e sete assistências, liderando o time já que James Harden está apenas em seu segundo jogo de volta após lesão. Já nos minutos finais da partida, com os Warriors liderando por quatro pontos, Paul liderou uma sequência de 9 pontos de seu time contra dois dos rivais, fazendo cinco deles e dando a liderança aos texanos, que não a perderam mais. Se há um time que pode derrotar os Warriors, esse time é os Rockets.

 

19/01 – Jordan Clarkson

Não foi um grande dia de NBA na sexta, especialmente para os jogadores mais de nome. Mas quem disse que isso importa para Jordan Clarkson? O ala-armador dos Lakers (16-29) saiu do banco e fez 33 pontos, pegou 7 rebotes e deu sete assistências na vitória de seu time contra o Indiana Pacers (24-22).

E o time precisou de cada um dos 14 arremessos certos de Clarkson em 19 tentados, já que estavam sem três titulares – Lonzo Ball, Brandon Ingram e Kentavious Caldwell-Pope – e os que jogaram foram completamente ridículos na linha do lance livre: o time acertou 2 de 14 tentados, a pior marca da história da franquia. Adivinha quem acertou esses dois? Nosso vencedor do Troféu Brian Scalabrine.

18/01 – Joel Embiid (3)

Dessa vez o Philadelphia 76ers não deixou o Boston Celtics se recuperar e virar o placar no segundo tempo. Joel Embiid com 26 pontos e 16 rebotes foi o destaque do jogo e também o vencedor do Troféu Brian Scalabrine por sua performance no TD Garden, sendo marcado por Al Horford.

Com 10 pontos no terceiro quarto e dominando na defesa, Embiid foi a âncora de seu time nos dois lados da quadra. Ele ainda igualou sua melhor marca em rebotes e foi quase perfeito na linha de lance livre, com seis de sete certeiros. Tudo isso na noite em que foi chamado para seu primeiro All-Star Game. Que noite!

17/01 – Klay Thompson (3)

Klay Thompson ouviu o podcast do Quinto Quarto e ficou p%$ da vida em ter sido esquecido por Felippe Rodrigues nas escolhas para o All-Star Game. O ala-armador do Golden State Warriors (37-9) acertou sete bolas de três e terminou com 38 pontos na vitória de seu time contra o Chicago Bulls (17-28), que fez frente e saiu de cabeça erguida.

Depois de um terceiro quarto matador, que teve uma sequência de 19 a 0, os californianos dormiram no ponto e os Bulls ficaram a cinco pontos de distância. Mas com Klay tão inspirado assim e Curry também ativo atrás do arco (6 bolas de três, 30 pontos no jogo), os Warriors deram um jeito: o camisa 11 teve uma bandeja e ainda acertou dois lances livres no fim do jogo para dar a 14ª vitoria seguida fora de casa para seu time, recorde da história da franquia. O recorde da NBA é de 16, do Los Angeles Lakers de 1971/72.

16/01 – Anthony Davis (5)

Davis ganhou este troféu no domingo com seus 48 pontos feito no Madison Square Garden. Pois bem, o camisa 23 não estava satisfeito e no TD Garden fez 45 pontos e pegou 16 rebotes na vitória na prorrogação dos Pelicans (23-20) contra o Boston Celtics (34-11).

E mais uma vez ele mostrou todo seu arsenal: presença para ponte aérea, imposição física no garrafão, jumpers e ainda um toco lindo em Aron Baynes. No último quarto Davis não foi nada bem, mas ele se recuperou na prorrogação, quando junto com DeMarcus Cousins e Jrue Holiday colocaram a bola embaixo do braço e fizeram todos os pontos do time.

15/01 – Kevin Durant (2)

Joel Embiid teve bela partida, com 34 pontos e 11 rebotes na vitória do Philadelphia 76ers (20-20) contra o Toronto Raptors (29-13). Giannis Anteokounmpo teve 27 pontos e absurdos 20 rebotes contra os Wizards. Mas por causa do palco, não tem como não dar este troféu para Kevin Durant. O jogador do Golden State Warriors teve 32 pontos e 8 assistências na vitória contra o Cleveland Cavaliers, no Ohio, na reedição das últimas três finais.

Durant teve 16 pontos só no terceiro quarto e ajudou no esforço defensivo do último quarto, fazendo os Cavaliers erraram 17 dos 19 arremessos iniciais nesse período. Os Warriors assim venceram seu 13º jogo seguido fora de casa enquanto os Cavs perderam oito dos últimos 10 jogos. Com Durant jogando desse jeito e Curry voltando a ser aquele dos anos de MVP, vai ficar difícil segurar os californianos.

Veja o duelo entre Kevin Durant e LeBron James nesta segunda-feira.

14/01 –  Anthony Davis (4)

Como dito abaixo, Anthony Davis pode empolgar muita gente e empurrar os Pelicans (22-20) enquanto estiver saudável. No Madison Square Garden, Davis deu show com 48 pontos e 17 rebotes na vitória de seu time contra os Knicks (19-24).

E a equipe de Nova Orleans chegou a ficar 19 pontos atrás no terceiro quarto, mas com Davis tudo é possível e ele ama o Garden, marcando pelo menos 35 pontos nas suas últimas três visitas ao lendário ginásio. No vídeo abaixo você pode ver ele roubando bolas (4 no jogo), dando tocos (3), completando a ponte aérea, arremessando de três, enviando o jogo para a prorrogação e ainda infernizando a vida de Kristaps Porzingis. Demais.

13/01 – Klay Thompson (2)

DeMar DeRozan teve 42 pontos, mas ele ficou do lado derrotado, enquanto Klay Thompson e Stephen Cirry combinaram para 50 pontos na vitória dos Warriors no Canadá. Aqui o melhor para Klay que teve um desempenho sensacional nos arremessos, acertando 11 de 16 enquanto Curry foi um pouco pior e ainda errou dois lances livres no final do jogo, algo fora do padrão.

12/01 – Anthony Davis (3)

Anthony Davis estava voltando de uma lesão no tornozelo e mostrou que seu basquete simplesmente resiste a qualquer contusão, por mais numerosas que elas sejam. Contra o Portland Trail Blazers ele teve 36 pontos e ainda pegou nove rebotes, cinco deles ofensivos na vitória dos Pelicans por 119 a 113.  Com três troféus Brian Scalabrine e inspirando DeMarcus Cousins a jogar melhor – 24 pontos e 19 rebotes- Davis pode empurrar os Pelicans a um desempenho melhor que o 21-20 atual.

11/01 – Brandon Ingram

Lou Williams teve mais um jogo bom, com 30 pontos. Mas ele foi contra os Kings. Então sinto que devo valorizar Brandon Ingram, que com 26 pontos fez os Lakers vencerem o San Antonio Spurs. O jovem jogador aproveitou os minutos a mais que Luke Walton está concedendo e foi a principal razão para o time californiano abrir vantagem sobre seu grande rival texano.

Lonzo Ball também deve ser destacado com 18 pontos, 10 rebotes e 6 assistências. Mas dessa vez Ingram leva.

10/01 – Lou Williams (2)

A quarta-feira foi cheia de jogos e cheia de atuações sensacionais das estrelas da NBA. Kevin Durant teve 40 pontos, Russell Westbrook 38 pontos e 10 rebotes, Kemba Walker 41 pontos e John Wall 35 pontos e 11 assistências. Mas Warriors, Thunder, Hornets e Wizards perderam seus jogos.

Chris Paul teve 37 pontos e 11 assistências na vitória dos Rockets (29-11) contra os Blazers (22-19) e seria o vencedor deste troféu na maioria dos dias. Mas na quarta, Lou Williams fez 50 pontos e não só isso, já que os rivais dos Clippers eram os Warriors, verdadeiros algozes do time de Los Angeles nos últimos anos.  Sua maior marca na carreira foi vital para encerrar uma série de 12 derrotas seguidas para os atuais campeões, com oito bolas de três e 27 pontos só o terceiro quarto. Troféu para ele.

09/01 – C.J. McCollum (3)

C.J. McCollum gostou de aparecer aqui no Troféu Brian Scalabrine e dois dias depois de levar um por causa do jogo contra os Spurs, ele brilhou na vitória dos Blazers (22-18) contra o Thunder (22-19) em OKC, com 27 pontos e sete assistências. Até roubar a bola de Russell Westbrook, líder da corrida pelo Scalabrinão de Ouro até o momento, e enterrar depois ele fez.

Damian Lillard mais uma vez não jogou e sobrou para McCollum liderar o backcourt. E ele fez isso com maestria, mesmo não conseguindo uma boa noite nos arremessos de três. Excluindo os tiros de longa distância ele acertou 10 de seus 14 arremessos, puxando o aproveitamento de sua equipe de 53,1%, quase 10 pontos percentuais a mais que o do Thunder.

08/01 – Anthony Davis (2)

Davis só tinha um Troféu até esta segunda. Sofrendo com lesões, ele ainda não tirou tudo que sabe da cartola, mas mostrou um pouco contra o Detroit Pistons (21-18) com 30 pontos e 10 rebotes na vitória dos Pelicans (20-19). Vários jogadores poderiam ter levado aqui: DeMar DeRozan teve 35 pontos, mas com prorrogação e jogando pelos Raptors contra os Nets. LaMarcus Aldridge teve 31 pontos e 12 rebotes, mas pelos Spurs contra os Kings.

Davis enfrentou um time no mesmo nível que o seu e dominou. E o mais impressionante: em apenas 27 minutos. E por que isso? Porque ele machucou seu tornozelo e no terceiro quarto e não retornou mais. Ou seja, foi o jogo perfeito na experiência Anthony Davis: dominante, incrível e no fim lesionado. Mas mesmo assim ele merece este troféu.

07/01 – C.J. McCollum (2)

Alguns jogadores tiveram números mais impressionantes que C.J. McCollum. Mas o ala-armador do Portland Trail Blazers (21-18) fez o mais importante contra um dos times mais importantes, o San Antonio Spurs (27-14).Com 5,4 segundos faltando, McCollum acertou o floater que virou o jogo para seu time e deu a vitória aos Blazers.

McCollum terminou o jogo com 25 pontos e eles vieram quando sua equipe precisava: além do arremesso da vitória, ele teve uma bandeja com um minuto e 11 segundos que deu a vantagem a sua equipe por um, antes de errar um jumper e ver os texanos passarem à frente. Mas assim como Brian Scalabrine fez em vários momentos de sua carreira, ele não ficou nervoso e pegou a bola para decidir mais uma vez. E foi bem-sucedido.

06/01 – Stephen Curry (5)

Stephen Curry está determinado em busca de seu segundo Scalabrinão de Ouro. Giannis Antetokounmpo teve uma partida sensacional contra os Wizards, com 34 pontos, 12 rebotes e 7 assistências. Só que não tem como  não dar este troféu para o camisa 30 dos Warriors, que em 30 minutos de quadra teve 45 pontos, com mais uma chuva de três.

Mais uma vez os Clippers sentiram toda a fúria dos Warriors, com o placar mostrando 27 pontos de vantagem para os atuais campeões no fim do terceiro quarto, assim Curry nem jogou no último quarto. Também pudera: em cinco minutos de jogo ele fez 11 pontos. Antes mesmo de ir para o banco pela primeira vez ele já tinha 17. E basicamente garantiu o troféu logo de cara.

05/01 – Kris Dunn

Karl-Anthony Towns teve 25 pontos e 23 rebotes contra os Celtics (32-10), mas os Timberwolves (24-16) não conseguiram vencer. E assim não tem como dar este troféu.  A homenagem então ficou entre dois jogadores de backcourt e Kris Dunn levou a melhor pelo seu aproveitamento incrível, recorde na carreira profissional em pontos e ainda seu papel de garçom na noite de sexta.

O segundo anista do Chicago Bulls teve 32 pontos, com 12 arremessos certos em 17 tentados, sendo 4/5 nas bolas de três e ainda deu nove assistências na vitória contra o Dallas Mavericks. Bradley Beal teve 34 pontos, mas acertou “apenas” metade de seus arremessos e teve 5 assistências. Além disso, temos que valorizar a volta por cima de Dunn, escolha alta no Draft de 2016, não foi bem seu primeiro ano pelos T-Wolves e trocado para Chicago (na negociação de Jimmy Butler), está tendo espaço para evoluir.

04/01 – Stephen Curry (4)

Russell Westbrook conseguiu mais um triplo-duplo – 29 pontos, 12 rebotes e 11 assistências – mas a qualidade do rival tem que ser considerada na entrega deste troféu. Stephen Curry também teve 29 pontos, mas 5 assistências e 9 rebotes contra o Houston Rockets, segundo na Conferência Oeste e sem Kevin Durant ao seu lado.

Curry pode aproveitar assim para ter mais um duelo pessoal contra Chris Paul, algo que ele vem ganhando consistentemente nos últimos anos. Sem James Harden, Paul foi bem com 28 pontos, mas não conseguiu segurar o camisa 30 no quarto final: pegado, os Warriors conseguiram se distanciar nos minutos finais, com Curry matando uma bola de três, infiltrando para uma bandeja e acertando um lance livre para decidir o jogo.

03/01 – Stephen Curry (3)

Curry está correndo atrás do Scalabrinão de Ouro, depois de sentir o gosto de ser o primeiro a conquistar essa honraria.  Nesta quarta-feira contra o Dallas Mavericks (13-36), ele teve 32 pontos e 8 assistências e ainda decidiu a partida. Adivinhe como.

Com o jogo empatado em 122 e poucos segundos para jogar, ele levou a bola para o ataque e com toda a calma do mundo gastou o relógio, aproveitou o bloqueio e arremessou uma bola de três perfeita para vencer o jogo, deixando apenas a possibilidade de um tiro desesperado do outro lado, que não foi para dentro. Esse é o Stephen Curry que gostamos de ver.

02/01 – Lou Williams

A noite não foi espetacular para LeBron James e Kawhi Leonard, que fizeram 24 e 25 pontos respectivamente. Então o troféu teve que ir para um jogador mais alternativo: Lou Williams, do Los Angeles Clippers. O ala-armador mais uma vez saiu do banco para incendiar o ataque de seu time.

Foram 33 pontos, acertando mais de metade de seus arremessos e mostrando muita agressividade: ele foi para a linha do lance livre 15 vezes e acertou todos. Com 21,6 pontos por jogo, ele é o reserva que mais pontua na liga e já tem 8 jogos com 30 ou mais pontos vindo do banco, segunda maior marca da história da liga. Brian Scalabrine sabe como é ser um reserva importante e ele chancela a escolha de terça-feira.

01/01 – DeMar DeRozan (3)

No primeiro dia do ano não tinha como não ser DeMar DeRozan mesmo. Normalmente eu fico com o pé atrás com jogos que vão à prorrogação porque os números podem ficar um pouco inflados, mas DeRozan foi com sobras o melhor da noite com seus 52 pontos, 5 rebotes e 8 assistências na vitória dos Raptors (25-10) contra os Bucks (19-16).

E não foi só com tiros de média distância não; ele acertou cinco bolas de três  e se tornou o jogador com maior pontuação em um jogo na história dos Raptors, passando seu ex-companheiro Terrence Ross e um tal de Vince Carter, ambos com 51 em suas partidas.

31/12 – Bradley Beal (3)

James Harden teve uma partida ótima contra o Los Angeles Lakers, com 40 pontos e 11 assistências antes de sair com uma lesão na panturrilha e ver Chris Paul decidindo o jogo que foi para a dupla prorrogação. Mas este troféu precisa ir para Beal, que teve 39 pontos, 9 assistências e 9 rebotes na vitória dos Wizards (21-16) contra os Bulls (13-23).

A razão para isso é que o ala-armador foi um mostro no último quarto, com 17 pontos só no último quarto e em dado momento marcou 15 pontos seguidos para sua equipe. Além disso, com nove assistências teve sua maior marca da carreira nesse quesito e assim liderou o time para vencer Chicago, que manteve a liderança por boa parte do jogo, inclusive no começo do último quarto.

30/12 – Stephen Curry (2)

Se o dia 29 foi bastante difícil de escolher quem teria o Troféu Brian Scalabrine, no dia 30 foi menos complicado. Stephen Curry seria o candidato principal de qualquer jeito. E aí DeMarcus Cousins que teve 29 pontos e 19 rebotes e Aaron Gordon que teve 39 pontos e sete rebotes perdem seus jogos e não há dúvida.

Em apenas 26 minutos, Curry acertou 10 bolas de três, 13 de seus 17 arremessos e fez 38 pontos contra os Grizzlies. Isso voltando de 11 jogos fora por causa de uma entorse no tornozelo. Troféu para ele.

29/12 –  Giannis Antetokounmpo (5)

Russell Westbrook estava atrás de seu nono Troféu Brian Scalabrine da temporada, terminando o jogo contra os Bucks com 40 pontos, 14 rebotes e 9 assistências. Mas o fim controverso com a cesta de Giannis tirou o armador do Thunder de consideração, já que um troféu que leva o nome de Scal não pode ir para um perdedor. Mesma coisa dá para dizer de DeMarcus Cousins, que teve 32 pontos e 20 rebotes , mas também perdeu seu jogo.

Dwight Howard merece uma citação aqui por sua performance dominante contra os Warriors, na vitória dos Hornets. Mas o troféu irá para Giannis Antetokoumpo. Apesar de seu pé ter pisado na linha, ele teve 23 pontos, 12 rebotes, 6 assistências e ainda a cesta da vitória enterrando em Westbrook contra um Thunder que está em ascensão.

28/12 – C.J. McCollum

A quinta foi o dia das grandes viradas. Os Celtics conseguiram virar um jogo após estar 26 pontos atrás dos Rockets. Mas o Troféu foi para outro jogador que participou de outra virada. Os Blazers (18-16) chegaram  a estar perdendo por 18 pontos contra o Philadelphia 76ers (15-19), mas C.J. McCollum e Shabazz Napier.

Napier teve 15 pontos só no último quarto e McCollum deixou o time no jogo e no fim, assumiu a responsabilidade nos lance livres, acertando cinco deles só nos 20 segundos finais de partida para terminar com 34 pontos e o Troféu Brian Scalabrine de quinta-feira.

27/12 – Jimmy Butler (2)

Rajon Rondo teve absurdas 25 assistências na vitória dos Pelicans contra os Nets. Mas apenas dois pontos. Então não dá para dar este Troféu para ele, ainda mais porque Jimmy Butler fez 39 pontos na vitória dos Timberwolves (22-13)  contra os Nuggets (19-16), que só veio na prorrogação.

Mas no fim veio no tempo extra por causa do ala-armador: ele marcou os 11 pontos iniciais de seu time na prorrogação e com o jogo empatado em 125, ele passou a bola para Jamal Crawford desempatar. No fim, ele ainda acertou mais um lance livre que foi o ponto final da partida, literalmente e figurativamente. Por osso ele é o vencedor do troféu nesta quarta-feira.

26/12 – Tobias Harris

Devin Booker teve 32 pontos na vitória dos Suns no estouro do cronômetro. Mas Tobias Harris, com 30 pontos, foi simplesmente absurdo. O jogador do Detroit Pistons acertou 10 de seus 11 arremessos, sendo sete bolas de três e 21 pontos apenas no primeiro quarto.

Harris até pode descansar, jogando apenas 29 minutos. Muito por causa da vantagem que os Pistons abriram logo de cara – 40 a 19 no primeiro quarto. Mas já foi suficiente para Harris ganhar o Troféu Brian Scalabrine, até porque o velho Scal também era um monstro das explosões de pontos e arremessos perfeitos.

 

25/12 – Russell Westbrook (8)

Pode chamar a semana do Natal de semana Russell Westbrook. Do dia 18 até o dia 25 foram quatro troféus para o atual vencedor do Scalabrinão de Ouro. E obviamente ele merece porque seu Thunder começou a jogar bola. Contra o Houston Rockets o camisa 0 teve 31 pontos, seis rebotes e 11 assistências, apesar de um primeiro tempo com aproveitamento ruim: 4 tiros certos em 14 tentados.

Mas no segundo tempo – 21 pontos na metade final – ele começou a acertar: foram 11 pontos no último quarto e uma bela assistências para Andre Roberson fazer uma bandeja com 21 segundos faltando, para aumentar a vantagem de três para cinco. Ele terminou com 50% aproveitamento e liderando seu time à quinta vitória consecutiva. No dia de Natal, Westbrook foi o que deu o maior presente.

23/12 – Russell Westbrook (7)

O Sábado foi cheio de boas atuações. DeMar DeRozan teve 29 pontos contra o Philadelphia 76ers. Dwight Howard conseguiu 21 pontos e 16 rebotes na vitória dos Hornets contra os Bucks. Dennis Schroder teve 33, Austin Rivers 38 – mas os Clippers perderam – e Jimmy Butler 32 pontos.

Mas mais uma vez o troféu vai para um tal de Russell Westbrook do Oklahoma City Thunder. O armador teve 27 pontos, 10 rebotes e 10 assistências, seu 11º triplo-duplo na temporada e contra um Jazz que é uma das melhores defesas da liga. Isso não importa quando o camisa 0 joga assim e ainda consegue envolver Anthony e George.

 

22/12 – Russell Westbrook (6)

James Harden de novo teve 51 pontos, mas de novo perdeu e não pode ganhar este Troféu. Kevin Durant teve 33 pontos na vitória contra o Los Angeles Lakers. Mas aqui o prêmio precisa ir para outro jogador draftado pelo Oklahoma City Thunder e que não deixou a franquia. Russell Westbrook vence seu sexto troféu e iguala LeBron e Harden no topo.

Foram 30 pontos, 7 rebotes e 15 assistências para Westbrook – 12 de 17 nos arremessos – em um jogo que conseguiu envolver melhor seus companheiros Paul George e Carmelo Anthony – 17 e 24  ontos respectivamente – e ainda decidiu. O jogo estava empatado em 117 depois que os Hawks conseguiram uma boa reação e igualar tudo com 11 segundos faltando. Na jogada seguinte Paul George colocou a bola em jogo e o camisa 0, marcado por Taurean Prince, acertou o tiro fatal. E assim garantiu este troféu.

21/12 – DeMar DeRozan (2)

Nós do Quinto Quarto já falamos como o jogo de DeMar DeRozan é démodé na NBA atual porque o cara ama arremessos longos de 2, algo que treinadores mais modernos simplesmente proíbem. Mas ele é bom no que faz e seus arremessos de 3 não entram. Pois bem, nesta quinta-feira, o ala-armador que tinha 29% de aproveitamento atrás do arco acertou seis tiros de longa distância em uma noite de 45 pontos.

E isso não impediu ele de continuar com seu estilo de jogo agressivo, indo para a linha do lance livre 15 vezes, contra apenas 14 do Philadelphia 76ers (14-17) inteiro.  Quatro deles foram no minuto final para colocar o Toronto Raptors muito próximo da vitória, o que acabou se concretizando. Ou seja, ninguém podia tirar o Troféu Brian Scalabrine dele.

20/12 – Kelly Olynyk

Caso tivesse vencido a partida, James Harden com certeza teria levado o troféu por causa de seus 51 pontos e 9 assistências. Mas como os Rockets perderam  para os Lakers, o Troféu terá que ir para outra pessoa. E ninguém melhor que um ala-pivô branco desengonçado e com passagem pelos Celtics para levar a honraria de Scalabrine para casa.

Kelly Olynyk marcou 32 pontos, recorde em sua carreira e mais de um terço dos pontos do Miami Heat contra o próprio Celtics que o draftou e onde jogou por anos. E melhor ainda: no TD Garden, depois da torcida ter tratado ele bem. Ele acertou 12 de seus 15 arremessos de quadra e quando a equipe da casa ameaçava virar o jogo, Olynyk acertou duas bolas seguidas de três na frente do banco dos Celtics. Isso sim que é uma volta a casa.

19/12 – Giannis Antetokounmpo (4)

Giannis não aparecia nesta relação desde outubro mas aqui está ele para dizer que não está morto e continuar na briga pelo Scalabrinão de Ouro. Em uma noite que Anthony Davis fez 37 pontos e pegou nove rebotes e LeBron James fez 39 pontos e deu sete assistências, Giannis ganha com 27 pontos, 14 rebotes e 8 assistências porque o Milwaukee Bucks ganhou o jogo. E isso é fundamental para vencer o Troféu da noite.

Os Bucks (16-13) tiveram um segundo quarto incrível com 39 pontos e chegaram a liderar por 20 no começo do último quarto, mas a unidade reserva dos Cavaliers teve uma reação incrível, com Dwyane Wade comandando as ações e chegando a colocar os Cavs à frente. Os dois times trocaram vantagens até que Antetokounmpo, que já tinha enchido o box score, ganhou uma disputa de bola com LeBron James, conseguiu a bandeja e ainda sofreu a falta, tudo isso faltando cinco segundos para o jogo terminar. Mais clutch impossível.

 

18/12 – Russell Westbrook (5)

Kevin Durant teve 36 pontos e 11 rebotes e o 8 assistências, mas contou com os minutos extra na prorrogação contra o bem abaixo de 50% de aproveitamento Los Angeles Lakers (10-18). Por isso ele fica em terceiro nesta briga que tem Jimmy Butler e Russell Westbrook. Butler teve 37 pontos e seis rebotes na vitória por um ponto dos Timberwolves (18-13) contra os Blazers (16-14). Já Westbrook teve 38 pontos, nove rebotes e seis assistências na vitória por um ponto contra os Nuggets (16-14).

Como você pode ver, foi basicamente igual. Ambos também foram decisivos no último período, com 16 pontos de Westbrook no último quarto e Butler junto com Jamal Crawford fazendo os 21 pontos finais do time depois que ele perdia por mais de 10 entrando no último quarto. Só que Butler precisou de apenas 21 arremessos para chegar a sua pontuação, enquanto Westbrook precisou de 28. Mas o ala-armador teve ajuda de seus companheiros, enquanto o camisa 0 do Thunder lutou basicamente sem Paul George (oito pontos) e Carmelo Anthony (míseros 4 pontos). Vai para Westbrook, mas com dor no coração por Butler.

17/12 – LeBron James (6)

E aqui está ele de novo, agora empatando com James Harden. Com seu terceiro triplo-duplo seguido e ainda contra um bom rival, o Washington Wizards (16-14), LeBron James recebe pela segunda noite seguida o Troféu Brian Scalabrine e agora lidera de forma conjunta a corrida pelo Scalabrinão de Ouro.

O próprio LeBron disse que não jogou bem, com seis turnovers. Só que ele teve 20 pontos, 15 assistências e 12 rebotes e mais uma vez apareceu em um momento fundamental: com o placar mostrando 100 a 94 para o time visitante, LeBron roubou uma bola, começou o contra-ataque, sofreu a falta e fez a cesta, abrindo uma vantagem que com três minutos faltando seria muito difícil de virar. E assim aqui está ele mais uma vez.

16/12 – LeBron James (5)

LeBron James está encarando a temporada regular como há muito não fazia e os Cavaliers (22-8) seguem se destacando, com 17 vitórias nas últimas 18 partidas e LeBron fazendo seu terceiro triplo-duplo em 4 jogos. Contra o Jazz (14-16) ele teve seu 60º triplo-duplo e passou Larry Bird na lista desse feito, assumindo a sexta posição.

Logo de cara deu para ver que o camisa 23 estava com fome, fazendo a cesta ou dando uma assistência nos 13 pontos iniciais de seu time. No fim do jogo, quando o Jazz ameaçou encostar e ficou a apenas cinco pontos, LeBron fez três cestas seguidas. E terminou com 29 pontos, 11 rebotes e 10 assistências com apenas 15 arremessos tentados. Seu quinto troféu é a segunda melhor marca da temporada, atrás apenas de James Harden.

15/12 – Russell Westbrook (4)

Chris Paul teve uma bela noite de sexta, com 28 pontos e 8 assistências contra o San Antonio Spurs. DeMar DeRozan teve 31 pontos pelos Raptors contra os Nets. Mas o troféu tem que ir para o armador do Oklahoma City Thunder, atual MVP da liga em um jogo que sua equipe venceu fora de casa em uma tripla prorrogação.

Westbrook acertou apenas 10 de seus 33 arremessos. Mas com um triplo-duplo de 27 pontos,  17 rebotes e 15 assistências, inclusive a decisiva para a cesta de Andre Roberson, que deu a vitória ao Thunder, ele foi o principal personagem da partida. Com 13 pontos nos tempos extras e sabendo envolver seus companheiros nas ações, ele merece o Troféu de sexta-feira.

14/12 – Kevin Durant

Acredite se quiser, mas o atual MVP das finais ainda não tinha aparecido nesta listagem até o momento. Nesta quinta-feira, com os Warriors sem Draymond Green e Stephen Curry, lesionados, o camisa 35 assumiu a bronca e teve uma partida de 36 pontos, 11 rebotes e 7 assistências, liderando o time na vitória contra o Dallas Mavericks, estendendo a série de vitórias na temporada para oito.

E quem estava na Oracle Arena viu o de sempre: arremessos de três, penetrações para a cesta, enterrada, a troca de marcadores que não adianta nada e o monstro de 2,12m (pelo menos) pontuando do começo ao fim do jogo. Até que enfim ele recebeu o troféu Brian Scalabrine nesta temporada

 

13/12 – Chris Paul

Esse aqui foi difícil. Chris Paul teve uma partida sensacional contra o Charlotte Hornets, com 31 pontos, sete rebotes e 11 assistências. DeMar DeRozan teve 37 pontos contra os Suns. Dou o troféu para Paul pelo impressionante desempenho dele e do Houston Rockets, que venceu a 11ª seguida.

A boa impressão veio especialmente em uma sequência de 25 pontos dos Rockets contra nenhum dos Hornets. Paul fez três bolas de três nesse período entre o fim do primeiro quarto e o começo do segundo. Com o camisa 3 os texanos estão 12-0 na temporada e hoje têm a melhor campanha da NBA. Justo dar para Chris Paul este troféu, não é mesmo?

 

12/12 – Kristaps Porzingis (2)

LeBron James teve inveja do que falei abaixo sobre James Harden e também teve um jogo de 17 assistências na vitória do Cleveland Cavaliers contra o Atlanta Hawks, ainda com 25 pontos e 7 rebotes. Joel Embiid na vitória do Philadelphia 76ers contra o Minnesota Timberwolves teve 28 pontos e 12 rebotes, com oito assistências. Mas ambos ficaram atrás do unicórnio de Nova York.

Porzingis simplesmente destruiu os Lakers (10-16) com 37 pontos, cinco bolas de três certeiras, mais 11 rebotes, cinco tocos e a vitória na prorrogação dos Knicks por 113 a 109 (14-13), abrindo espaços para Michael Beasley e fazendo os lances livres que encerraram o jogo. Líder da franquia, Porzingis está mostrando que o Madison Square Garden, Spike Lee, Lonzo, LaVar e os Lakers não são demais para ele.

11/12 – James Harden (6)

A segunda-feira na NBA foi bizarra. Jrue Holiday fez 37 pontos mas seus Pelicans perderam para os Rockets. Russell Westbrook teve 30 pontos mas seu Thunder perdeu para os Hornets. Damian Lillard fez 39 mas os Blazers mais uma vez não conseguiram parar os Warriors. James Harden teve “apenas” 26 pontos. Mas teve 17 assistências. 17. E mais uma vez leva o troféu. Clint Capela ficou feliz com o camisa 13 garçom e teve 28 pontos, recorde na carreira.

Você pode pensar que estou sendo parcial, mas é fácil de explicar: não foram apenas as assistências que dão a Harden este troféu. Com o jogo empatado a três minutos do final, Harden começou uma sequência de 12 pontos para seu time, metendo uma bola de três para aumentar a diferença para seis e depois roubando a bola de E’Twaun Moore e forçando a falta para basicamente decidir o jogo. Garçom durante o jogo e decisivo no fim, James Harden está querendo o Scalabrinão de Ouro mais que qualquer outro.

10/12 – Victor Oladipo (2)

Oladipo gostou de ganhar o troféu Brian Scalabrine. Apenas dois dias depois de ganhar seu primeiro, ele levou seu segundo com uma partida espetacular contra o Denver Nuggets, com 47 pontos, 7 rebotes e 6 assistências na vitória do Indiana Pacers na prorrogação, por 126 a 116.

Oito pontos atrás faltando menos de três minutos, Oladipo liderou os Pacers na reação, inclusive com sua quinta bola de três na partida, e mesmo errando o arremesso com cinco segundos no relógio, Thaddeus Young, colocou para dentro para mandar o jogo para a prorrogação. No tempo extra, Oladipo fez sua sexta bola atrás do arco, e teve 6 dos 12 pontos dos Pacers contra míseros 2 dos Nuggets. Não há como tirar esse troféu do ala-armador.

09/12 – James Harden (5)

LeBron James e James Harden eram os líderes nessa corrida do Scalabrinão de Ouro, com quatro troféus cada. LeBron teve 35 pontos, 13 rebotes e 13 assistências na vitória dos Cavaliers contra os Sixers e parecia que iria ganhar. Mas Harden, no último jogo da noite, teve 48 pontos e mais 8 rebotes na vitória dos Rockets contra os Blazers em Portland. Ai não tem jeito de não dar para o camisa 13 de Houston.

Os Rockets chegaram a ficar 14 pontos atrás no último quarto e com oito vitórias seguidas, até seria normal se os Rockets decidissem se poupar no fim e aceitar a derrota fora de casa. Nada disso. Com um quinteto mais baixo e rápido, o time fez 40 pontos no quarto final, com Harden e Chris Paul sendo responsáveis por 25 desses pontos. Harden acertou seis de seus 7 arremessos nesse período. E por isso leva com méritos este troféu.

08/12 – Victor Oladipo

Vários jogadores tiveram boas partidas na tradicional rodada cheia de jogos da sexta-feira: Zach Randolph voltou das cinzas com 35 pontos e 13 rebotes na vitória dos Kings contra os Pelicans. Kyrie Irving e DeMarcus Cousins tiveram 36 e 38 pontos mais 11 rebotes, respectivamente. Mas ambos perderam os jogos e isso descredencia eles para estre troféu. Mesmo assim, Oladipo ganharia.

A razão para isso é simples: ele teve a bola do jogo para vencer um time muito superior, que vinha de 13 triunfos seguidos e acertou. Oladipo teve 33 pontos, oito rebotes e com os Pacers vencendo por três os Cavaliers, fora de casa, o ala-armador acertou sua sexta bola de três na partida, fazendo a vantagem aumentar para seis entrando no minuto final. Chamando de All-Star por Tyronn Lue, Oladipo é sem dúvidas o vencedor do Troféu Brian Scalabrine de hoje.

 

07/12 – Bradley Beal (2)

Bradley Beal já tinha aparecido neste post na terça-feira por causa de sua performance contra o Portland Trail Blazers. Pois bem, em sua viagem ao oeste americano, o ala-armador teve mais um jogo sensacional, com 34 pontos contra o Phoenix Suns na vitória de seu time. E por isso ele ganha o segundo troféu da semana.

Beal não só pontuou muito como foi eficiente, acertando 13 de seus 22 arremessos. Com 22 pontos só no primeiro tempo, ele fez o seu time ter uma vantagem confortável e quando o jogo apertou no último período, o atleta forçou uma falta ofensiva e ainda tirou Josh Jackson, marcador incansável, do jogo forçando a sexta falta dele. Sem John Wall, Bradley Beal precisa subir de nível em todos os quesitos. E até o momento ele está fazendo isso.

06/12 – DeMarcus Cousins (4)

O pivô do New Orleans Pelicans agora está empatado com LeBron James e James Harden na corrida pelo Scalabrinão de Ouro. Não foi fácil conquistar, já que os dois melhores jogadores de basquete do mundo pegaram fogo: LeBron James fez chover três e decidiu no fim a partida dos Cavaliers contra os Kings – 32 pontos, 11 rebotes e 9 assistências – e Kevin Durant aproveitou que não tinha Curry do lado para dominar com 35 pontos, 11 rebotes e 10 assistências.

Mas Cousins levou a outro nível na vitória contra os Nuggets com 40 pontos e 22 rebotes e ainda mais quatro tocos. O principal destaque do pivô veio em uma sequência no último período de 20 pontos dos Pelicans contra apenas 3 dos Nuggets, com seis pontos e dois tocos do camisa 0. Sem Anthony Davis, ele botou sua equipe nas costas e por isso merece este troféu.

 

05/12 – Bradley Beal

Russell Westbrook teve um triplo-duplo de 34 pontos, 13 rebotes e 14 assistências. E mesmo assim não vai ganhar o troféu Brian Scalabrine desta terça-feira. Bradley Beal estava em quadra na derrota vergonhosa do Washington Wizards contra o Utah Jazz, por 47 pontos. E fez seu time se recuperar com uma vitória contra os Trail Blazers em Portland, liderando a equipe com seus 51 pontos.

A marca é sua maior na carreira e foi o maior número de pontos marcados por um oponente da equipe da casa em Portland. Com John Wall ainda fora, Beal assumiu a responsabilidade, marcando 19 pontos em um primeiro tempo que os visitantes abriram vantagem e teve um sensacional terceiro quarto, com mais 19 pontos, deixando sempre a diferença em duplo-dígito. Por sua explosão de pontos, as marcas recorde e o fato de não ter Wall do lado, Beal leva o Troféu de hoje.

 

04/12 – Devin Booker (2)

Stephen Curry teve uma partida sensacional contra os Pelicans antes de sair com uma lesão no tornozelo. Giannis Antetokounmpo fez 40 pontos e pegou nove rebotes, mas os Bucks perderam para o Boston Celtics. Os dois chegaram perto do Troféu Brian Scalabrine, mas quem ganhou foi Devin Booker com mais uma explosão ofensiva.

O jogador do Phoenix Suns teve 46 pontos e oito rebotes e bateu em um duelo pessoal Ben Simmons a vitória contra o Philadelphia 76ers. E o mais curioso: ele começou muito mal a partida, acertando apenas 2 de seus 11 arremessos iniciais, antes de explodir com 32 pontos só no segundo tempo. Suas três bolas de 3 no último quarto fizeram os Suns vencer um Sixers que tinha Simmons doente e um time que marcou mal de forma geral. Booker aproveitou.

03/12 – Jimmy Butler

Stephen Curry teve 30 pontos na vitória dos Warriors contra o Heat. Nikola Vucevic somou 34 pontos e 12 rebotes e liderou o Magic contra os Knicks.  Russell Westbrook teve um triplo-duplo contra os Spurs, mas o time texano estava dizimado por lesões e o armador acertou 9 de 22 arremessos. Então o troféu vai para quem encontrou o equilíbrio entre time chato e atuação boa e decisiva.

Butler fez 33 pontos e pegou 8 rebotes na vitória dos Timberwolves contra os Clippers. Sim, o time californiano também sofre com muitas lesões e não vem bem, mas Butler merece este troféu porque brilhou no quarto período, com 20 pontos, inclusive com nove pontos seguidos depois que os Clippers passaram à frente impulsionados por um Austin Rivers sobrenatural: 30 pontos, com sete bolas de três no jogo.

 

02/12 – DeMarcus Cousins (3)

DeMarcus Cousins é um dos grandes jogadores destes primeiros meses de temporada de NBA e neste sábado ele voltou a ser premiado com o Troféu Brian Scalabrine. O pivô do New Orleans Pelicans superou por pouco Giannis Antetokounmpo, que fez 33 pontos e pegou 13 rebotes na vitória dos Bucks contra o Sacramento Kings.

Mas Boogie Cousins conseguiu 38 pontos e mais 8 rebotes contra um time melhor, os Blazers em Portland. E era necessário: o time não tinha Anthony Davis, com uma lesão na região pélvica. E ainda em um duelo com Meyers Leonard, levou a melhor sem seguidos lances, forçando até uma técnica do adversário. Quando Cousins faz 38 e ainda força técnicas ao invés de levar, ele merece o troféu.

01/12 – Donovan Mitchell

Paul George teve uma ótima partida contra o Minnesota Timberwolves, com 36 pontos e nove assistências na vitória do Thunder contra uma equipe que está melhor na tabela. Mas o troféu Brian Scalabrine desta sexta-feira precisa ir para outro jogar: Donovan Mitchell.

Com a saída de Gordon Hayward, o Jazz precisa de ajuda ofensiva de onde for possível e Mitchell logo em sua temporada de calouro está dando sua mão. Ele teve 41 pontos contra o New Orleans Pelicans e foi vital na virada do seu time, que perdia por 16 no terceiro período mas viu Mitchell marcar 29 dos seus 41 pontos na segunda metade da partida. Com essa pontuação, ele foi o primeiro calouro desde 2011 a ter um jogo de mais de 40 pontos. O Jazz agradece.

30/11 – Kyrie Irving (3)

LeBron James teve 24 pontos, seis rebotes e 12 assistências na vitória do Cleveland Cavaliers, a 10ª seguida, dessa vez contra o Atlanta Hawks. Mas seu ex-colega Kyrie Irving mereceu mais o Troféu Brian Scalabrine da quinta-feira. O camisa 11 do Boston Celtics teve 36 pontos e contra o Philadelphia 76ers, um time bem mais forte que os Hawks.

Os Celtics lideravam por cinco ao entrar no último quarto e a partir daí Irving assumiu, com nove pontos no último quarto e o aumento da diferença, que terminou em 11 pontos e a 19ª vitória em 23 partidas, mantendo a diferença para seu ex-time, os Cavaliers. Muito graças a Irving.

29/11 – Aaron Gordon (2)

LaMarcus Aldridge teve 41 pontos para os Spurs contra os Grizzlies chegou perto de vencer o Troféu Brian Scalabrine da noite de quarta-feira. Mas Aaron Gordon foi um pouquinho melhor.: com 40 pontos, 15 rebotes e 4 roubadas de bola, ele fez o seu Orlando Magic bater o Oklahoma City Thunder apesar de Russell Westbrook ter tido um jogo de 37 pontos, 11 rebotes, cinco assistências e cinco roubos.

Gordon acertou seis bolas de três, marcou 20 pontos em cada metade da partida, jogou todo o segundo tempo e foi o líder do Magic em momentos matadores: por cinco minutos do terceiro período o Thunder não acertou um arremesso de quadra. E no começo do último quarto, por três minutos, o time não teve pontos. No ataque, na defesa, Gordon evoluiu muito. E por isso merece o troféu de quarta, seu segundo na temporada.

28/11 – Kevin Love

No duelo entre Cleveland Cavaliers e Miami Heat, LeBron James foi ejetado pela primeira vez em sua carreira profissional. E Kevin Love botou a Quicken Loans Arena abaixo com uma de suas melhores performances com o uniforme dos Cavs: 38 pontos e nove rebotes na vitória por 108 a 97, a nona seguida da equipe do Ohio.

E poderia ser muito mais: Love teve carta branca no primeiro quarto e marcou absurdos 22 pontos. No intervalo, com 32 na conta, os Cavaliers lideravam por 27. Tanto Hassan Whiteside não conseguia seguir ele pela quadra como Kelly Olynyk não tinha o físico para parar seu jogo. E assim, Love foi o líder dos Cavs na vitória e o vencedor do troféu Brian Scalabrine.

 

27/11 – Andre Drummond

James Harden teve 37 pontos, 10 rebotes e 8 assistências na vitória dos Rockets contra os Nets. Lou Williams fez 42 pontos contra seu ex-time, os Lakers, na vitória dos Clippers. Mas contexto importa para Brian Scalabrine e nós que somos seus súditos. E por isso o troféu de segunda vai para Andre Drummond.

Em um duelo de forças da Conferência Leste até o momento, o pivô foi até o TD Garden e com uma performance dominante, com absurdos 22 rebotes, mais 26 rebotes – seu 14º jogo com 20-20 – e ainda 6 assistências, mostrou que os Pistons são para valer. O lance principal que mostra o merecimento de Drummond aconteceu com três minutos para o fim da partida e o placar ainda pegado (terminou 118 a 108): o pivô teve uma roubada, conseguiu a enterrada, sofreu uma falta e ainda cobrou o lance livre corretamente, algo que até a temporada passada era improvável.

26/11 – Karl-Anthony Towns (3)

Mesmo com o Phoenix Suns sem Devin Booker, a atuação de Karl-Anthony Towns foi marcante. O ala-pivô conseguiu 32 pontos e 12 rebotes na vitória dos Timberwolves dois dias depois de ter sido criticado por Tom Thibodeau por não ter se movimentado sem a bola. Além disso, seu esforço foi claramente maior nos dois lados da quadra, inclusive roubando uma bola, conduzindo para o ataque e recebendo para enterrar no primeiro quarto (veja o lance no vídeo abaixo).

A 12ª vitória dos T-Wolves veio com uma bela sequência no terceiro quarto, que fez a pequena vantagem do time aumentar bastante com 22 pontos a favor contra apenas 11 sofridos. E Towns foi responsável por isso, com duas bolas de três e desempenho perfeito na linha de lance livre: seis de seis. Assim Towns ganha seu terceiro Troféu Brian Scalabrine e está próximo dos líderes LeBron James e James Harden.

 

25/11 – Blake Griffin

Essa aqui foi difícil de escolher. James Harden teve 37 pontos na vitória dos Rockets contra os Knicks. Mas há algumas razões claras para ter escolhido Blake Griffin. Primeiro: ele fez o jumper da vitória quando o jogo estava empatado contra os Knicks. Segundo, os Clippers precisaram de cada ponto que Griffin fez, enquanto a vitória dos Rockets contra os Knicks foi mais folgada após um susto no começo do jogo.

Com um monte de lesões e 11 derrotas nos últimos 13 jogos, os Clippers precisavam de sua estrela. E mesmo com ele inspirado, o time perdeu uma vantagem de 10 pontos no último quarto. Mas antes disso, os Kings também tinham perdido uma liderança de 18 pontos. Ou seja, uma roleta que Griffin ajudou a pender para o lado da franquia de Los Angeles. E por isso ele leva o troféu de hoje.

 

24/11 – LeBron James (4)

LeBron James e James Harden com 4 e Russell Westbrook com 3. A corrida pelo Scalabrinão de Ouro promete e LeBron está a fim de seu primeiro, com um triplo-duplo de 27 pontos, 16 rebotes e 13 assistências na vitória por um ponto do Cleveland Cavaliers contra o Charlotte Hornets. Westbrook também fez um triplo-duplo, mas ele perdeu e nós não podemos valorizar derrotados.

Depois de um primeiro tempo com apenas seis pontos, LeBron voltou com outro tênis e outra mentalidade e conseguiu seu maior número de assistência e rebotes na temporada. E não foi só isso: na jogada final da partida, depois dos dois times terem errado uma série de bolas de três, LeBron conseguiu atrapalhar Kemba Walker e impedir um buzzer beater. Está claro que LeBron não pode e não quer tirar a temporada regular como treino. E por isso temos que considerar ele como favorito para este nobre prêmio.

 

23/11 – Ação de Graças

22/11 – Russell Westbrook (3)

Westbrook foi agressivo a noite inteira, a ponto de até bater boca com Kevin Durant com os dois grudando a cara um no outro. Mas o que importou mesmo foi em jogo e com 34 pontos, 10 rebotes e 9 assistências, o camisa 0 foi imparável na vitória incontestável do Thunder contra o Golden State Warriors.

O Thunder conseguiu boa vantagem já no primeiro tempo, com Westbrook conseguindo 20 pontos, 7 rebotes e 6 assistências até o intervalo. No segundo tempo, todo momento que os Warriors tentou trazer para si, o time da casa respondeu com cestas e intensidade. Paul George e Carmelo Anthony somaram 42 pontos e Westbrook, se colocando como o dono da casa, foi o destaque e o merecedor vencedor do troféu Brian Scalabrine.

21/11 – Kentavious Caldwell-Pope

Só teve um jogo na noite de terça-feira e como manda o figurino, só podemos dar o Troféu Brian Scalabrine para um vitorioso. Mas Caldwell-Pope mereceu, com 21 pontos e oito rebotes e uma performance clutch depois dos Lakers terem começado pessimamente a partida.

O time da casa teve 13 turnovers só no primeiro tempo e chegou a perder por 19. E isso contra um Chicago Bulls que é um saco de pancadas. Mas a unidade do banco foi bem e acabou com a vantagem dos visitantes já no começo do último período. No fim, Caldwell-Pope assumiu o protagonismo, com uma bandeja e duas bolas de três seguidas, somando 11 pontos só no último quarto e dando a vitória para os Lakers.

20/11 – Kyrie Irving (2)

Os Celtics estavam 13 pontos atrás no último quarto contra os Mavericks, depois de ter uma liderança de duplo-dígito no começo do jogo. Isso é um problema? Não para Kyrie Irving. O armador empurrou seu time para a prorrogação e teve uma performance absurda na 16ª vitória seguida da franquia de  Boston.

Foram 47 pontos e 6 assistências do camisa 11, com 10 pontos sendo na prorrogação. E ele não foi clutch só no tempo extra: para empatar o jogo, Kyrie roubou a bola de Dirk Nowitzki e deu uma assistência para Jayson Tatum entrando no minuto final da partida. Assumindo toda a liderança, Irving mostra que estava mesmo pronto para isso.

 

19/11 – DeMar DeRozan

Stephen Curry quase conseguiu seu segundo Troféu Brian Scalabrine em duas noites, mas o fato de ter sido contra os Nets pesou contra ele na comparação com DeMar DeRozan. O ala-armador do Toronto Raptors teve 33 pontos, oito rebotes e seis assistências contra o Washington Wizards e por isso levou seu primeiro Troféu da temporada.

Os Raptors foram péssimos em bolas de três, acertando menos de um terço delas. Por isso, dependeram do jogo de mid range do camisa 10, que como sempre estava afiado. E para quem não gosta do estilo Harden de contato para conseguir os pontos na linha do lance livre, DeRozan teve apenas um arremesso da linha. Com bolas de 2 e sem lances livres, DeRozan é basicamente o anti-Harden.

18/11 – Stephen Curry

Stephen Curry foi o primeiro vencedor do Scalabrinão de Ouro. E quem sente o sabor da vitória plena, nunca vai querer outra coisa. O camisa 30 do Golden State Warriors teve uma noite sensacional na Filadélfia. Ou para ser mais exato, um terceiro quarto: foram 20  dos 47 pontos de sua equipe.

E precisou deles. Os Warriors chegaram a ficar 24 pontos atrás e também permitiram um quarto de 45 pontos dos rivais. Mas com Curry mostrando seu melhor basquete e com companhia privilegiada, os atuais campeões conseguiram virar.

17/11 – LeBron James (3)

LeBron James continua mostrando, em sua 15ª temporada, que idade é apenas um número e que seu corpo é feito em uma fábrica da Alemanha Oriental.  Os Cavaliers não tiveram uma liderança no placar até o primeiro minuto da prorrogação e eles só chegaram no tempo extra por causa do camisa 23.

Com 39 pontos, 14 rebotes, seis assistências e uma bola de três para empatar o jogo em 105 no minuto final, LeBron foi espetacular de novo. Foi dele também a bola decisiva na prorrogação, um jumper bem marcado pelos Clippers, que perderam o sétimo jogo seguido. Com o quatro vezes MVP assim, os californianos não conseguiram acabar com sua má sequência.

16/11 – James Harden (4)

O jogo da noite foi Celtics x Warriors, mas na outra partida, o Houston Rockets teve um show ofensivo, com 90 pontos até o intervalo e 142 no fim, batendo o Phoenix Suns por 36 pontos. E o cestinha tinha que ser o camisa 13 do time texano, James Harden.

Só no segundo quarto ele marcou 23 pontos. No total, ele foi para a linha 18 vezes, acertando todos seus lances livres e mostrando que sua agressividade continua, com mais seis bolas de três e ainda sete assistências. James Harden já levou seu quarto troféu Brian Scalabrine nesta temporada e começa a sonhar com o Scalabrinão de ouro.

15/11 – Joel Embiid (2)

Depois de acabar com os Clippers na segunda, Joel Embiid continuou na cidade dos anjos e simplesmente destruiu o Los Angeles Lakers. Ao lado da palavra dominante no dicionário pode até ter uma foto dele depois dos 46 pontos, 15 rebotes, sete assistências e sete tocos. Só no último quarto foram 19 pontos, infernizando a vida de Julius Randle.

Foram bolas de três (duas certas em três tentadas), enterradas, Dream Shake com falta, arremessos de midrange, enfim, Embiid apresentou todo o seu cardápio na vitória por 115 a 109 contra o Los Angeles Lakers, que fez jogo duro. Mas o camaronês mais uma vez quis dominar a quadra do Staples Center nesta semana e ninguém conseguiu parar.

14/11 – LaMarcus Aldridge

LaMarcão é um novo homem nesta temporada. Sem Tony Parker e Kawhi Leonard, o camisa 12 assumiu sua maior responsabilidade e na terça-feira teve outra noite especial, com 32 pontos contra o Dallas Mavericks, na cidade onde fez o ensino médio.

E essa pontuação não veio em momentos pequenos do jogo. Depois dos Mavericks passarem à frente no último quarto, Patty Mills fez uma bola de três e Aldridge seguiu com oito dos próximos 13 pontos de sua equipe, recuperando a liderança e ainda abrindo uma vantagem de 11, que acabou sendo decisiva para a vitória dos Spurs por 97 a 91.

13/11 – Joel Embiid

Joel Embiid teve uma noite dominante. Simplesmente dominante. O pivô do Philadelphia 76ers teve 32 pontos, pegou 16 rebotes e fez DeAndre Jordan, conhecido pela qualidade de sua defesa, e o reserva Willie Reed saírem do jogo porque estouraram as faltas. O pivô camaronês foi 16 vezes para a linha do lance livre e jogou 36 minutos, a maior marca de sua carreira.

Os Sixers precisaram de Embiid, Robert Convington, que teve 31 pontos e ainda Ben Simmons, com 22 pontos e 12 rebotes, para não perder um jogo que chegaram a liderar por 14 mas estavam perdendo por cinco faltando dois minutos para acabar. A liderança final veio com uma bola de três de Covington com 33 segundos faltando.

12/11 – Paul George (2)

Paul George está com fome de bola e o Oklahoma City Thunder está alimentando ele. Depois de fazer 42 pontos nos Clippers, o ala teve uma noite de 37 pontos e 8 rebotes contra o Dallas Mavericks. O Thunder jogou sem Carmelo Anthony (costas) e sem Steven Adams (panturrilha) e mesmo assim conseguiu vencer.

As duas equipes abusaram dos erros no ataque e por isso o jogo foi disputado, mas nivelado por baixo até o intervalo. Mas no terceiro quarto o Thunder conseguiu uma sequência de 26 pontos contra 10 dos mandantes, liderados por George e Russell Westbrook, que terminou com 27 pontos. Paul George, com 7 de 12 nos tiros de três, ganhou assim o Troféu Brian Scalabrine da noite.

11/11 – James Harden (3)

Os Grizzlies tinham vencido os dois primeiros jogos entre as equipes na temporada. Mas no terceiro, James Harden se encarregou de dar a vitória para os Rockets. No intervalo ele já tinha 22 pontos, fazendo seu time liderar no placar confortavelmente. No fim, 38 pontos e 8 assistências contra uma boa equipe dos Grizzlies.

Kristaps Porzingis (34 pontos) e DeMarcus Cousins (35 pontos e 15 rebotes) também tiveram partidas sensacionais, mas a concorrência dura de Harden dá a ele o terceiro troféu da temporada.

10/11 – Paul George

O Thunder precisava de suas estrelas para sair de uma sequência de quatro derrota seguidas. E Paul George apareceu em quadra para uma performance sensacional contra os Clippers: foram 42 pontos, nove rebotes e sete assistências do ala.

E ele saiu já espumando do vestiário, com 21 pontos até o intervalo. Assim, não teve como o time de Los Angeles sair de sua própria sequência de derrotas após um bom início de campeonato.

09/11 – James Harden (2)

Na temporada passada, James Harden ganhou vários Troféus Brian Scalabrine com suas performances incríveis. Nada parece ter mudado em 2017/18. O jogador dos Rockets teve uma performance ofensiva sensacional contra o Cleveland Cavaliers, somando 35 pontos, 11 rebotes e 13 assistências na vitória de seu time.

Calma, ainda teve cinco roubos de bola. Foi o 33º triplo-duplo do camisa 13 na carreira. E com nove vitórias, os Rockets continuam lá em cima no Oeste.

08/11 – Klay Thompson

Sem Kevin Durant, com uma lesão na coxa, o resto dos Warriors teve que subir o nível e o que mais fez isso foi Klay Thompson. Além da defesa excelente no perímetro, o camisa 11 fez 28 pontos, com seis bolas de três e 13 pontos em um terceiro quarto explosivo da equipe, que marcou 44 pontos e venceu por 18 o período.

 

 

07/11 – Anthony Davis

Não faltaram performances de 40 pontos ou beirando isso. Giannis Antetokounmpo somou 41 contra os Cavaliers, mas perdeu o jogo e isso é uma heresia para Brian Scalabrine. Nikola Jokic teve 41 pontos, 14 rebotes e 5 assistências e ainda ganhou o jogo, mas os Nuggets enfrentaram os Nets.

Então o troféu de terça-feira vai para Anthony Davis. Ele teve 37 pontos, 14 rebotes, 4 assistências e 2 tocos contra o chato Indiana Pacers, acertando 14 de seus 18 arremessos. E precisou de todos eles, porque os Pacers foram para o intervalo liderando por 14. Os Pelicans assim venceram sua terceira seguida e Davis, como sempre, foi a principal razão para isso.

06/11 – Kyrie Irving

Irving recebeu gritos de MVP e com razão. Uma máquina de pontuar, o camisa 11 brilhou na nona vitória seguida dos Celtics, dessa vez contra o Atlanta Hawks, que mais uma vez fez jogo duro contra um favorito no Leste, mas dessa vez perdeu; o time venceu o Cleveland Cavaliers na penúltima partida.

Uma bola de três do armador fez o jogo ficar 104 a 103 para seu time, vantagem que não entregou mais. Em uma sequência de 16 pontos contra apenas 2 dos Hawks, Irving fez os pontos ou deu o passe em todos eles. Dribles, bandejas, bolas de três, teve de tudo. E assim os Celtics mantém o melhor desempenho da NBA até o momento.

05/11 – James Harden

Kristaps Porzingis teve 40 pontos contra os Pacers. Só que o letão não teve sorte porque Harden conseguiu sua melhor marca na carreira: 56 pontos, com mais 13 assistências e ainda contra o chato Utah Jazz. O mais impressionante: o camisa 13 jogou apenas 35 minutos, já que a partida estava decidida com folgas (terminou 137 a 110).

Caso tivesse jogado um pouquinho mais, Harden com certeza teria o recorde de pontos em um jogo da história dos Rockets, que pertence a Calvin Murphy: 57 pontos contra o New Jersey Nets em 1958. Perguntado sobre isso, James Harden não deu muito papo: “nós ganhamos, certo?”

04/11 – Karl-Anthony Towns (2)

03/11 – LeBron James (2)

02/11 – Damian Lillard

01/11 – T.J. Warren

31/10 – Devin Booker

30/10 – Kristaps Porzingis

29/10 – Tim Hardaway Jr.

28/10 – DeMarcus Cousins (2)

27/10 – Karl-Anthony Towns

26/10 – DeMarcus Cousins

25/10 – Russell Westbrook (2)

24/10 – Aaron Gordon

23/10 – Giannis Antetokounmpo (3)

22/10 – Andrew Wiggins

21/10 – Giannis Antetokoumpo (2)

20/10 – Lonzo Ball

19/10 – Russell Westbrook

18/10 – Giannis Antetokoumpo

17/10 – LeBron James

Comments
To Top