NBA Playoffs 2024: eliminação do Denver Nuggets foi histórica para a NBA

Antônio Henrique Pires Collar | 20/05/2024 - 10:31

Com mais uma bela atuação defensiva, o Minnesota Timberwolves segurou o Denver Nuggets a apenas 90 pontos e mandou os atuais campeões da NBA para férias antecipadas. A série, finalizada em sete jogos, chegou a estar 2 a 0 para os Lobos, mas Denver conseguiu a virada para 3 a 2. Nas duas últimas apresentações, no entanto, a equipe treinada por Michael Malone anotou somente 160 pontos e deu adeus ao sonho do bicampeonato.

Os confrontos foram marcados, em sua maioria, por placares elásticos e grandes atuações individuais. Das sete partidas, cinco terminaram com diferença de pelo menos 10 pontos de vantagem para o vencedor, com direito a resultados de 115 a 70 e 106 a 80, para os Timberwolves, e 117 a 90, a favor dos Nuggets.

Apesar da eliminação, Nikola Jokic foi o grande cestinha, com 29.0 pontos por noite, além de ter liderado ainda em rebotes e assistências, com médias de 11.4 e 7.9. Fora ele, Anthony Edwards foi o único outro nome que passou da marca dos 20 pontos de média, com 27.7. Minnesota, porém, teve outros cinco atletas contribuindo com dígitos duplos: Karl-Anthony Towns (18.6), Jaden McDaniels (11.3), Naz Reid (10.9), Mike Conley (11.0) e Rudy Gobert (10.3).

NBA terá “novo” campeão mais uma vez

A vitória do Minnesota Timberwolves garantiu uma marca histórica para a NBA. Com a eliminação dos campeões de 2023, esta é a sexta temporada consecutiva que a os vencedores da edição passada não conseguem repetir o título. A última equipe que foi feliz em levar o troféu para casa por dois anos seguidos foi o Golden State Warriors, que faturou a taça em 2017 e 2018.

De lá para cá, a Larry O’Brien passou pelas mãos de Toronto Raptors (2019), Los Angeles Lakers (2020), Milwaukee Bucks (2021), Golden State Warriors (2022) e, claro, Denver Nuggets (2023). Agora, as outras três franquias que seguem na briga são Dallas Mavericks, que enfrentará o time de Minneapolis na decisão da Conferência Oeste, e Boston Celtics e Indiana Pacers, que decidirão o classificado do Leste.

Neste período, nenhum campeão teve vida longa na temporada seguinte. Os Raptors não passaram das semifinais de conferência em 2020, e os Lakers de 2021 caíram logo na rodada de abertura dos Playoffs. Bucks, Warriors e agora Nuggets foram eliminados no segundo round. Sem desfalques significativos, Denver talvez tenha sido a maior decepção neste sentido, já que Lakers e Bucks lidavam com lesões de estrelas quando deixaram escapar a chance do “back do back”. Além disso, a equipe de Michael Malone teve a segunda melhor campanha do Oeste, e Nikola Jokic recebeu seu terceiro troféu de MVP na carreira.

Esta será a primeira vez em sua história que a NBA terminará seis temporadas consecutivas sem que o campeão tenha vencido ao menos um título nos cinco anos anteriores. Até o momento, este recorde estava em cinco. Isso aconteceu entre 1976 e 1980, quando Boston Celtics, Portland Trail Blazers, Washington Bullets, Seattle SuperSonics e Los Angeles Lakers foram campeões. Em 1981, os Celtics voltaram a ficar com o título e acabaram com a sequência.

Este ano também será histórico pelo fim de ao menos uma longa espera na NBA. Enquanto os Celtics não vencem desde 2008 e os Mavericks desde 2011, Pacers e Timberwolves ainda buscam pelas primeiras conquistas na história das franquias.

Nenhum MVP é campeão desde Stephen Curry

A eliminação do Denver Nuggets também teve impacto em uma outra estatística histórica. Pela nona vez seguida, o MVP da temporada regular termina os Playoffs sem a taça nas mãos. O último jogador a ter tido êxito na fase classificatória e que depois conseguiu confirmar com o troféu foi Stephen Curry, em 2015. De lá para cá, além do próprio Curry, em 2016, falharam nesta missão Russell Westbrook (2017), James Harden (2018), Giannis Antetokounmpo (2019 e 2020), Joel Embiid (2023) e Nikola Jokic (2021, 2022 e 2024).

Na história da NBA, os últimos a terem alcançado o feito antes de Curry foram LeBron James (2012 e 2013), Tim Duncan (2003), Shaquille O’Neal (2000), Michael Jordan (1991, 1992, 1996 e 1997) e Hakeem Olajuwon (1994).

Escrito por Antônio Henrique Pires Collar
Formado em jornalismo pela PUCRS e em Basketball Analytics pela Sports Management Worldwide. Com passagem de 6 anos e meio pela editoria de Esportes do jornal Zero Hora e do portal GZH, de Porto Alegre.