NBA All-Star 2024: veja os recordes que podem ser quebrados no domingo

Antônio Henrique Pires Collar | 15/02/2024 - 14:15

Começa nesta sexta-feira (16), em Indiana, mais um All-Star Weekend da NBA. O final de semana das estrelas se estende até domingo, quando acontece a 74ª edição do All-Star Game, jogo que põe frente a frente os melhores jogadores das conferências Leste e Oeste da liga. Para este ano, ao menos um feito histórico já sabemos que será atingido: LeBron James se tornará o primeiro atleta a alcançar 20 partidas disputadas – o recorde, 19, já pertence a ele desde a temporada passada.

O duelo marcado para a quadra dos Pacers terá ainda outros recordes em disputa. O próprio LeBron, inclusive, é o favorito a quebrar alguns deles. Confira abaixo.

Recordes em uma edição do All-Star Game

Pontos

Entre os recordes de uma única edição, um que nos últimos anos está disputa é o de pontos. Sete das seis maiores pontuações no All-Star foram registradas de 2015 para cá, e Wilt Chamberlain (42, em 1962) é o único nome do século passado que ainda resiste nas primeiras colocações.

Hoje, o topo é de Jayson Tatum, que no ano passado terminou a noite com 55 pontos. Anthony Davis (52, em 2017) e Stephen Curry (50, em 2020) compõem o top 3 e também estarão no jogo deste final com possibilidade de assumir a ponta.

Tatum também tem os melhores números em um quarto (27) e em um tempo (38), todos eles na partida do ano passado.

Assistências

Se a marca de pontuação tem sido atualizada quase que anualmente na última década, a de assistências não se renova há exatos 40 anos. E carrega também um certo simbolismo, já que o número pertence a Magic Johnson, apontado por muitos como o maior armador de todos os tempos. No All-Star de 1984, o ídolo do Los Angeles Lakers distribuiu 22 passes decisivos.

Magic, aliás, também ocupa a segunda e a quarta posição no top 4. Teve 19 assistências em 1988 e 16 em 1983. John Stockton, com 17, tem a terceira melhor atuação neste quesito. O jogador em atividade que mais se aproximou foi Chris Paul, que teve 16 em duas oportunidades (2016 e 2021), mas não estará na partida deste final de semana. Kyrie Irving, que chegou a 15 em 2023, também não jogará.

Recordes na história do All-Star Game

Rebotes ofensivos

Com 20 edições no currículo, é normal que LeBron James seja o principal candidato a quebrar os recordes gerais. Ele já está na posição mais alta de alguns rankings, como a de pontos, mas ainda pode subir mais degraus em outras categorias. Embora seja somente o sexto em rebotes (110, contra 197 de Wilt Chamberlain), James é o segundo em rebotes ofensivos. Ele tem 96, contra 98 de Tim Duncan, aposentado desde 2016.

O craque dos Lakers precisa de dois rebotes no ataque para igualar e três para superar Duncan. Nos rebotes gerais, é bem difícil que ele avance qualquer posição, já que o quinto colocado é o próprio ex-jogador dos Spurs, que tem 26 rebotes a mais.

Triplos duplos

Acredite se quiser, nunca na história alguém conseguiu anotar dois triplos-duplos em jogos de All-Star. Quatro nomes conseguiram fazê-lo em uma ocasião: Michael Jordan (1997), LeBron James (2011), Dwyane Wade (2012) e Kevin Durant (2017). LeBron e Durant têm a chance de repetir a dose pela primeira vez.

MVP

Kobe Bryant e Bob Pettit são os recordistas, cada um com quatro troféus de MVP. O único que tem chances de se igualar é LeBron, que levou o prêmio em 2006, 2008 e 2018. Caso isso aconteça, será também mais uma mostra de longevidade do Rei. Dos nomes que ganharam mais de uma vez, a maior distância entre o primeiro e o último prêmio é do próprio camisa 23, 12 anos, que pode aumentar para 16. Abaixo dele, Kobe e Shaquille O'Neal venceram em um intervalo de nove temporadas.

Mais vitórias

Em 19 aparições, LeBron James venceu 10 vezes, mesmo número de Kobe Bryant. Acima deles, apenas Oscar Robertson, lenda das décadas de 1960 e 1970. Big O venceu 11 das 12 partidas que disputou. Caso o time da Conferência Oeste ganhe neste domingo, James igualará a marca que dura desde 1972.

Escrito por Antônio Henrique Pires Collar
Formado em jornalismo pela PUCRS e em Basketball Analytics pela Sports Management Worldwide. Com passagem de 6 anos e meio pela editoria de Esportes do jornal Zero Hora e do portal GZH, de Porto Alegre.