NBA

[FINAIS NBA] Raio-X do San Antonio Spurs

(Crédito: Instagram/reprodução)

(Crédito: Instagram/reprodução)

O vice-campeonato na temporada passada ainda está entalado na garganta. A dura derrota na série final para o Miami Heat atormenta o San Antonio Spurs até hoje. Porém, o destino quis que as duas equipes voltassem a se encontrar e, novamente, a disputarem o título da maior liga de basquete do mundo.

A base dos Spurs é, basicamente, a mesma, fato que pode ser muito importante para a equipe na decisão desta temporada. O time texano alia jogadores extremamente experientes, como Tim Duncan (16 anos de NBA), Tony Parker (12 anos), Manu Ginobili (11 anos) e Boris Diaw (nove anos), com jovens atletas que estão começando a atingir um nível maior de maturidade esportiva, tais como Kawhi Leonard (dois anos de NBA), Danny Green (quatro anos), Patty Mills (quatro anos) e Cory Joseph (dois anos).

Durante a temporada regular, o San Antonio Spurs teve algumas médias muito interessantes de 105,4 pontos, 43,3 rebotes e 25,2 assistências por jogo. Além disso, a equipe comandada por Gregg Popovich tem um aproveitamento de 78,5% nos lances livres e de 39,7% nas bolas de três pontos, números bastante consistentes. Nos playoffs, a média de pontos dos Spurs até cresceu um pouco e foi para 106,6 por partida.

O grande destaque dos Spurs na pós-temporada tem sido Tony Parker. O francês, apesar de estar sofrendo com algumas lesões, teve médias de 17,2 pontos e 4,9 rebotes e liderou a equipe em ambos os quesitos. O líder de rebotes e de tocos é Tim Duncan, com médias de 8,9 e 1,4 por jogo nesses quesitos, respectivamente.

Um fator que também tem desequilibrado muito a favor da franquia de San Antonio tem sido a participação ativa de alguns atletas que podemos chamar de coadjuvantes, considerando que os principais são Duncan, Parker e Kawhi Leonard. O brasileiro Tiago Splitter, por exemplo, conquistou sua vaga no time titular, tendo iniciado 16 de 18 jogos disputados nesses playoffs, e viu suas médias na pós-temporada crescerem neste ano para 7,9 pontos, 6,8 rebotes e duas assistências por partida, diferença considerável em comparação às médias apresentadas pelo pivô na pós-temporada de 2013: 6,1 pontos, 3,1 rebotes e 1,2 assistências.

Além de Tiago Splitter, o experiente argentino Manu Ginobili foi outro jogador a crescer bem de produção se compararmos algumas estatísticas da pós-temporada passada com a atual. Se em 2012-13 o jogador sul-americano teve média de 11,5 pontos, e aproveitamento de 39,9% nos arremessos de quadra e de 30,2% nos chutes de três pontos, nestes playoffs Ginobili viu sua média de pontos por jogo subir para 14,3 e seus aproveitamentos em arremessos de quadra e arremessos de três pontos também melhoraram: 42,3% e 38,3%, respectivamente.

A série das finais da NBA nesta temporada promete ser bastante física e, neste quesito ao menos, o Miami Heat leva vantagem. Porém, com sua mescla de experiência e juventude, com um técnico chamado Gregg Popovich no banco e com uma equipe com um mando de quadra bastante forte, o San Antonio Spurs tem boas chances de faturar o título desta vez.

Na temporada regular, o San Antonio Spurs cruzou com o Miami Heat em duas oportunidades, tendo perdido fora de casa, no dia 26 de janeiro, pelo placar de 113 a 101, e vencido em casa, no dia 6 de março, por 111 a 87, o que serve bastante para provar o equilíbrio do confronto.

Se na temporada passada faltou um pouco de sorte e também faltou pegar um Miami Heat um pouco menos inspirado, neste ano os detalhes parecem favorecer ligeiramente os Spurs na decisão. O time texano é dono de quatro títulos da NBA (1999, 2003, 2005 e 2007), todos conquistados sob comando de Popovich e com Tim Duncan no elenco. Será que chegou a hora do quinto troféu? Até o dia 20 de junho ou mesmo antes saberemos essa resposta.

– Quinteto titular: Tony Parker, Danny Green, Kawhi Leonard, Tim Duncan e Tiago Splitter;

– Outros jogadores: Manu Ginobili, Patty Mills, Boris Diaw, Matt Bonner, Cory Joseph, Marco Belinelli, Aron Baynes, Jeff Ayres, Austin Daye;

– Campanha na temporada regular: 62 vitórias e 20 derrotas (primeiro colocado na Conferência Oeste) – 32 vitórias e nove derrotas em casa; 30 vitórias e 11 derrotas fora de casa;

– Caminho até a final: venceu o Dallas Mavericks por 4 a 3 (1ª fase dos playoffs); venceu o Portland Trail Blazers por 4 a 1 (semifinais do Oeste); e venceu o Oklahoma City Thunder por 4 a 2 (finais do Oeste);

– Títulos da NBA: 4 (1999, 2003, 2005 e 2007);

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top