Boston Celtics luta contra “maldição” para ser campeão da NBA

Antônio Henrique Pires Collar | 12/03/2024 - 16:45

A vitória sobre o Portland Trail Blazers na noite de segunda-feira (11), outra por 20 ou mais pontos de diferença, foi a de número 50 na temporada do Boston Celtics. Com 78% de aproveitamento, a equipe de Joe Mazzulla foi a primeira a atingir a marca neste ano, enquanto Oklahoma City Thunder e Denver Nuggets, ambos com 45, são os que mais se aproximam. Dentro da Conferência Leste, a vantagem celta para o segundo colocado Milwaukee Bucks é atualmente de nove jogos.

A cerca de um mês dos Playoffs, ninguém jogou melhor basquete do que os Celtics até aqui nesta temporada. E, acredite, esta não é uma opinião. Escolha um ângulo para analisar a NBA, lá estará o nome de Boston no topo, sempre entre os primeiros colocados. É o caso do ataque comandado por Jayson Tatum e Jaylen Brown, líder em Offensive Rating, com 121.5 pontos a cada 100 posses.

Com as adições de Jrue Holiday e Kristaps Porzingis, já era de se esperar que o sistema defensivo também ganhasse força. Os Celtics hoje têm o segundo melhor Defensive Rating da competição, cedendo somente 110.3 pontos. Na soma, o time consegue 11.2 pontos a mais do que seus adversários a cada 100 posses, o que resulta no melhor Net Rating da liga.

O trio formado por Tatum (26.9), Brown (22.9) e Porzingis (20.4) é o único em toda a NBA com três jogadores contribuindo com pelo menos 20 pontos por noite. Além deles, Derrick White (15.0) e Jrue Holiday (12.9) fecham o quinteto inicial com todos colaborando em dígitos duplos. Mesmo sem um grande armador de referência – White lidera em assistências, com 5.0 -, parte deste sucesso se dá pelo cuidado com a bola.

Mesmo aparecendo em 16º no ranking de assistências, média de 26.5, Boston é a segunda equipe que menos comete turnovers. São apenas 12.2 desperdícios por partida, atrás só do Philadelphia 76ers. Na métrica de Assistência por Turnover, que divide o número de passes decisivos por bolas perdidas, o Celtics aparece como o 4º melhor.

Chegou a hora para os Celtics?

Talvez hoje o grande desafio para o torcedor mais pessimista do Boston Celtics seja acreditar que este grupo dará conta de confirmar as expectativas criadas durante a temporada regular. Por melhores que sejam os números, em anos recentes as coisas não foram tão diferentes assim. Em 2023, por exemplo, o time teve a segunda melhor campanha da NBA e também esteve no top 2 de defesa e ataque. Ainda assim, não passou da final do Leste e viu o Miami Heat avançar à disputa pelo título.

Não é de hoje, aliás, que a final de Conferência tem sido um obstáculo para a franquia. Entre 2017 e 2023, foram cinco decisões disputadas no Leste e quatro derrotas – na única vez em que seguiu, em 2022, perdeu o título para o Golden State Warriors. Jogador mais antigo no vestiário, Jaylen Brown esteve em todas as eliminações, enquanto Jayson Tatum só não participou de 2017. As movimentações feitas na janela de negociações, o bom desempenho dentro de quadra e a consolidação de Mazzulla como técnico dão a Boston ares de favorito. Mas é bem verdade que também contribuem para que a sensação de fracasso seja maior em caso de um novo insucesso.

Celtics lutam contra “maldição” dos líderes

Mais do que superar sua própria barreria, para ser campeão da NBA em 2024 os celtas terão de quebrar uma “maldição” inusitada dentro da Conferência Leste. Nos últimos 10 anos, apenas o Cleveland Cavaliers de 2016 conseguiu terminar a temporada regular na primeira posição e ainda assim vencer o título. Na oportunidade, o time superou o grupo de melhor aproveitamento na história para conquistar o Larry O'Brien. Desde então, todos os outros decepcionaram. Ainda mais impressionante, nenhum outro conseguiu sequer passar para a grande final do campeonato.

Enquanto no Oeste os times de melhor campanha conseguiram chegar a todas as decisões de conferência de 2014 para cá, no outro lado do país o mesmo não acontece desde 2017. No ano passado, o Milwaukee Bucks foi surpreendido pelo Heat logo na primeira rodada. Os Bucks também caíram precocemente em 2019 e 2020, as duas ocasiões nas semifinais, mesmos casos de Heat (2022), 76ers (2021) e Toronto Raptors (2018).

Curiosamente, a última vez que tivemos um líder do Leste disputando uma vaga na final foi com o próprio Celtics. Em 2017, a equipe comandada por Isaiah Thomas e treinada por Brad Stevens parou nos Cavs de LeBron James e deu adeus ao sonho do título após derrota por 4 a 1 na série.

Como foram os últimos líderes do Leste

2015: Atlanta Hawks (eliminado na final da conferência)

2016: Cleveland Cavaliers (campeão)

2017: Boston Celtics (eliminado na final da conferência)

2018: Toronto Raptors (eliminado na semifinal da conferência)

2019: Milwaukee Bucks (eliminado na semifinal da conferência)

2020: Milwaukee Bucks (eliminado na semifinal da conferência)

2021: Philadelphia 76ers (eliminado na semifinal da conferência)

2022: Miami Heat (eliminado na semifinal da conferência)

2023: Milwaukee Bucks (eliminado na primeira rodada)

Escrito por Antônio Henrique Pires Collar
Formado em jornalismo pela PUCRS e em Basketball Analytics pela Sports Management Worldwide. Com passagem de 6 anos e meio pela editoria de Esportes do jornal Zero Hora e do portal GZH, de Porto Alegre.