COLUNAS

Quem poderá parar o campeão Israel Adesanya no peso-médio?

Uma das divisões mais tradicionais do UFC, que já foi amplamente dominada por um dos maiores nomes da história do MMA, o brasileiro Anderson Silva, tem hoje um novo rei. Trata-se do nigeriano Israel Adesanya. Desde já, são inegáveis as semelhanças no estilo de luta de ambos. Sobretudo, Adesanya é um atleta com uma versatilidade e arsenal de golpes impressionantes. Além de manter um cartel de 20 vitórias e 21 lutas, sendo que essa única derrota não ocorreu em sua divisão de origem.

Adesanya conquistou o cinturão interino da divisão ao derrotar Kelvin Gastelum, em abril de 2019. E unificou o título ao nocautear o até então detentor do cinturão linear peso-médio (até 84kg), Robert Whittaker, em outubro de 2019. Sempre que sobe ao octógono, não se espera nada menos do que uma performance espetacular do nigeriano, combinado com um nocaute mágico. Entretanto, a pergunta que fica é: Quem poderá destronar o atual campeão dos médios?

Trajetória do Campeão

Nascido em Lagos, Nigéria, Adesanya teve seu primeiro contato com esportes de combate ainda na escola, onde começou a praticar taekwondo. No entanto, o kickboxing entrou na sua vida aos 18 anos, quando mudou-se junto de seus familiares para Rotorua, Nova Zelândia. Aos 21 anos, já em Auckland, passou a treinar na academia City Kickboxing. Ao lado de nomes como, Dan Hooker e do campeão peso-pena (até 66kg), Alexander Volkanovski.

Assim, ingressou no MMA profissional. Lutou em eventos em países como Hong Kong, Nova Zelândia e China, onde acumulou uma sequencia de 11 vitórias, todas por KO/KTO. Diante desse retrospecto, chamou a atenção de Dana White, sendo contratado pela maior organização de MMA do mundo.

A trajetória de Adesanya da estreia até a conquista do cinturão do UFC, foi meteórica. Chegou como um ilustre desconhecido para o público médio. Entretanto, “debutou” na organização em fevereiro de 2018 vencendo Rob Wilkinson, via nocaute. A vitória lhe rendeu o bônus de Performance da Noite.

Na sequencia, venceu Marvin Vettori, Brad Tavares e Derek Brunson, respectivamente. Todos eles ainda em 2018. Sendo que nas duas últimas lutas, faturou novamente o bônus de Performance da Noite. O nigeriano passou a acumular prêmios e chamou a atenção do público diante de sua movimentação nada ortodoxa no octógono.

Posteriormente, em fevereiro de 2019, ele realizava um sonho de infância. Enfrentar seu grande ídolo, Anderson Silva. Numa bela luta, onde o nigeriano mostrou muito respeito ao “Spider”. Em outras palavras, não se expôs. Evitando que o experiente ex-campeão achasse brechas para acertá-lo. Adesanya venceu o duelo por decisão unânime dos juízes. Essa vitória lhe rendeu mais um bônus, desta vez de Luta da Noite. E garantiu a Adesanya a chance de desafiar o então campeão, Robert Whittaker.

Anderson Silva of Brazil and Israel Adesanya of New Zealand react after the conclusion of their middleweight bout during the UFC 234 at Rod Laver...

Novo rei do peso-médio

Em outubro de 2019, Israel Adesanya chegava a tão sonhado disputa do título dos médios. Com uma entrada triunfal, com direito a dança e show pirotécnico. “StyleBender” subia ao octógono, em Melbourne, Austrália, em pleno território inimigo, com a naturalidade de quem chega numa academia para fazer um sparring.

Logo no início da luta era notório que Robert Whittaker não seria capaz de vencê-lo. Houve equilíbrio no primeiro round, mas a diferença de envergadura e controle de distância já davam sinais de que seria questão de tempo para o nigeriano encaixar o golpe perfeito. E ele quase veio nos segundos finais do round com um belo knockdown.

Na volta para o segundo round, Adesanya passou a se movimentar mais, enquanto Whittaker já se mostrava abalado pelo knockdown sofrido no final do primeiro round. Assim, aos 3:33 do segundo round, inclinando o corpo para trás para esquivar-se de um golpe do australiano, Adesanya atirou um cruzado de direita, seguido por um cruzado de esquerda. Os golpes foram certeiros, atingindo a ponta do queixo do australiano, levando o campeão a lona. Ali começava um novo reinado no UFC.

Israel Adesanya of Nigeria punches Robert Whittaker of New Zealand in their UFC middleweight championship fight during the UFC 243 event at Marvel...

As primeiras defesas de cinturão

Definitivamente, após conquistar o cinturão peso-médio do UFC, Adesanya passou a ser visto com outros olhos. Em outras palavras, tornou-se um atleta valorizado e alvo dos principais nomes da divisão. Todos queriam enfrentá-lo. Logo surgiu o primeiro desafiante ao título do novo campeão. Em março de 2020, ninguém menos que o temido, Yoel Romero foi escolhido para o duelo. Foi um combate morno, sem muita emoção. O nigeriano inclusive foi duramente criticado pelo cubano por não atacá-lo. Enfim, vitória de Adesanya por decisão unânime.

Logo depois, foi a vez do brasileiro Paulo Borrachinha. Imediatamente, criou-se uma grande expectativa neste duelo por conta das provocações de ambos os lados. Além disso, o brasileiro vinha atropelando seus adversários de forma avassaladora. Teve muito mérito para chegar a condição de desafiante. O confronto foi marcado para novembro de 2020. Ânimos acirrados entre os lutadores e fãs, especialmente nas redes sociais dos lutadores.

Entretanto, quando os dois ficaram frente a frente, logo percebeu-se que as provocações do brasileiro não afetaram em nada a cabeça do nigeriano. A luta foi de domínio absoluto de Adesanya, que sequer foi ameaçado. Enfim, com um chute alto de esquerda, seguido de uma combinação de golpes, Borrachinha foi a lona. Nocaute técnico no segundo round e manutenção do cinturão dos médios.

Israel Adesanya of Nigeria punches Paulo Costa of Brazil in their middleweight championship bout during UFC 253 inside Flash Forum on UFC Fight...

Subida aos Meio-Pesados e sua primeira derrota

Enfim, diante do impasse com relação ao próximo adversário, somada a decisão de Jon Jones de abrir mão do cinturão dos meio-pesados (até 93kg), abriu-se uma nova janela para Israel Adesanya. O campeão dos médios partiu para um novo desafio. Entrar no seleto “hall” de atletas a ostentar dois cinturões simultâneos do UFC. O Ultimate marcou para março de 2021 o encontro entre o nigeriano e o campeão dos meio-pesados, Jan Blachowicz.

Foi uma luta em que a vantagem física do polonês era notória. Jan Blachowicz lutou com sabedoria e evitou trocar golpes com o nigeriano. Sendo assim, explorou o jogo de solo. Sem muitas dificuldades, derrubou Adesanya por diversas vezes no combate e assim foi construindo sua vitória round a round. Nesse sentido, a luta terminou com vitória do polonês por decisão unânime. O polonês mostrava ao mundo que um jogo sólido de grappling era o caminho para derrotar o nigeriano

Na entrevista pós-luta, Adesanya admitiu a superioridade de seu oponente e lamentou a perda de sua invencibilidade no MMA, mas se disse pronto para retomar a hegemonia nos no peso-médio e não descartou tentar novamente uma subida de divisão no futuro.

Jan Blachowicz of Poland controls Israel Adesanya of Nigeria on the ground in their UFC light heavyweight championship fight during the UFC 259 event...

De volta aos trilhos

Israel Adesanya retornou a sua divisão de origem. A sua aventura na divisão de cima deixou lições. Mostrou a ele que não é imbatível e que existem furos em seu jogo que precisavam ser corrigidos.

Assim, em junho de 2021, o campeão subia ao octógono para encarar o desafiante Marvin Vettori. Atleta da Kings MMA, do mestre Rafael Cordeiro, o italiano trabalhou intensamente em seu camp com o intuito de seguir os passos de Jan Blachowicz buscando uma estratégia de pressionar o campeão na curta distância e levar o duelo para o solo. Entretanto, o plano não saiu bem como planejado. O combate ocorreu na luta principal do UFC 263. E o que vimos no octógono foi o mesmo Israel Adesanya de outros tempos. O nigeriano dominou amplamente o duelo e venceu por decisão unânime dos juízes com um triplo 50-45.

Na entrevista pós luta o campeão disse que não tinha adversário capaz de batê-lo nos médios e que seu próximo oponente seria o ex-campeão, Robert Whittaker.

Israel Adesanya of Nigeria punches Marvin Vettori of Italy in their middleweight fight during the UFC Fight Night event at the Gila Rivera Arena on...

O futuro e o legado do campeão

Encontrar alguém capaz de derrotar o nigeriano não será tarefa fácil para Dana White. Afinal, Adesanya já superou os principais nomes da divisão. Atletas bem ranqueados e que ainda não enfrentaram o nigeriano como, Jared Cannonier, Jack Hermansson e Darren Till, têm carteis instáveis na organização e não conseguem uma sequencia de vitórias para se consolidarem como nomes fortes de desafiantes.

Por isso, seu próximo oponente é um velho conhecido de “StyleBender”. O UFC ainda não oficializou, mas o campeão pediu por Robert Whittaker, e levando-se em conta o cartel recente do neozelandês, que apresenta três vitórias na sequência, a luta deve ser oficializada.

Assim, independente do futuro da divisão, tendo em vista que grandes nomes seguirão tentando acabar com o reinado do nigeriano, Israel Adesanya já tem seu nome escrito como um dos maiores atletas que já subiram no cage do maior evento de MMA do mundo. Seu legado já é uma realidade. Adesanya é um verdadeiro campeão.

Foto: Reprodução / Getty Imagens

Comments

Popular

To Top