COLUNAS

O que é MVP e por que não é só ser o melhor jogador

MVP Stephen Curry

Uma dúvida comum ao começar a acompanhar os esportes americanos é entender o que é a sigla MVP. Toda hora ela aparece nas transmissões da NFL, MLB e especialmente a NBA, onde a discussão sobre quem é o MVP permeia basicamente toda a temporada.

Como este é um texto bem explicativo, você, que se acha todo manjão, pode ir sem dó para o tópico de maior interesse. Nós vamos explicar bem lentamente aqui.

O que é MVP?

MVP é a sigla para Most Valuable Player, ou Jogador Mais Valioso. Note que isso é bem diferente de melhor jogador, algo que o nosso futebol premia todo ano. E como valor pode ser entendido de todo jeito, a discussão sempre é grande e muitos podem discordar do MVP da NBA, por exemplo.

Então vou citar logo um exemplo que deu uma briga enorme no Quinto Quarto, com porrada, ameaças de morte e fim de sociedade. Na temporada 2016/17 da NBA, a corrida pelo MVP da NBA tinha três nomes claros: James Harden, Russell Westbrook e Kawhi Leonard.

NORMALMENTE, na NBA, o MVP vai para o melhor jogador da melhor equipe ou então o melhor jogador de uma campanha que foi melhor do que o esperado, levando seu time a ficar lá em cima. Não é só fechar o olho e escolher o melhor jogador de basquete do mundo, porque se não o troféu todo ano iria para Michael Jordan quando ele jogava (ele tem “apenas” 5) e hoje para LeBron James (ele tem “apenas” 4).

Ou seja, pelo sentido mais clássico, o MVP iria para James Harden, que foi o melhor jogador, inegavelmente, do Houston Rockets, que teve 55 vitórias, terceira maior marca da NBA (mais do que o esperado). Ele tinha as estatísticas, seu time venceu bastante e ele foi o líder inegável. Sem ele, a equipe teria vencido muito menos, provando seu valor.

Mas ainda tinha Kawhi Leonard. Ele não era ofensivamente tão produtivo quanto Harden, mas era mais eficiente e ainda foi um defensor espetacular, ou seja, provou seu valor nos dois lados da quadra em uma equipe que foi a segunda melhor da NBA, algo completamente não esperado.

Só que o MVP foi para Russell Westbrook. O Thunder venceu apenas 45 partidas, mas Westbrook conseguiu um triplo-duplo de média na temporada, algo que ninguém fez por 50 anos. Essa narrativa foi mais forte que a eficiência e impacto nos dois lados da quadra de Leonard ou a produção ofensiva e conquista de vitórias de Harden. Eu discordei disso, mas eu não voto  para MVP (AINDA!!!).

Ou seja, este é um título que abre para todo tipo de interpretação do que você entende como mais valioso. Em muitos anos é óbvio, em outros nem tanto. No fim, é uma honra enorme para o eleito porque indica que ele é o personagem que marcou a temporada da liga.

MVP da NBA

Já que começamos com o MVP da NBA, vamos até o fundo. A discussão de Most Valuable Player na liga de basquete é a mais destacável pela natureza do esporte – são cinco em quadra por time, apenas, menos que futebol americano e  beisebol – e também pela valorização das estrelas que a NBA sempre pesou a mão.

Vale destacar que o Most Valuable Player é decidido com base apenas no que é feito na temporada regular, nos 82 jogos marcados no calendário, não importando o que é feito nos playoffs.

Produção individual – pontos, rebotes, assistências – importam muito, mas nenhum MVP foi eleito jogando em uma equipe que não teve um mínimo de sucesso coletivo (pelo menos chegar aos playoffs), já que ser valioso significa que você empurra seu time rumo às vitórias. Então 30 pontos por jogo em uma equipe que ganha 40 jogos não vale tanto quanto 25 pontos por jogo em uma equipe que ganha 60.

Kareem Abdul-Jabbar é o líder em prêmios de Most Valuable Player da história da NBA, com seis. Ele ganhou três em seus tempos de Milwaukee Bucks (1971, 1972, 1974) e mais três como atleta do Los Angeles Lakers (1976, 1977, 1980). Bill Russell e Michael Jordan com cinco e LeBron James e Wilt Chamberlain com 4, seguem.

Vale ainda destacar que existe o MVP das finais, dado para o jogador mais valioso dos jogos decisivos. Como são apenas de quatro a sete jogos, não há tanta polêmica na decisão.

Nos seis títulos do Chicago Bulls, Michael Jordan levou todos os MVPs para casa, sendo o recordista com seis. Bill Russell, que tem 11 títulos, não conseguiu um MVP de finais porque o prêmio foi criado apenas em 1969. Curiosamente, ele teve a chance no ano da criação, mas ele foi para Jerry West, que perdeu as finais para os Celtics de Russell. West é o único MVP das finais que não saiu com o título de campeão.

Magic Johnson, Shaquille O’Neal, LeBron James e Tim Duncan têm três MVPs de finais e estão empatados em segundo na lista.

MVP na NFL

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

WHO YA GOT?!

Uma publicação compartilhada por NFL (@nfl) em


O Most Valuable Player da NFL é mais difícil de explicar porque por muitos anos várias organizações escolhiam o seu jogador favorito e tinham seu troféu. O mais aceito, inclusive pela NFL, é o MVP dado pela Associated Press (AP) desde 1957, com o atual modelo e nome sendo consolidado em 1961.

Dos 57 vitoriosos, 54 são jogadores de ataque, então pode tirar seu cavalinho da chuva ao pensar no defensor ferrado do seu time sendo eleito MVP da NFL. De 2007 a 2017 apenas um “não-quarterback” foi eleito MVP: Adrian Peterson, do Minnesota Vikings, em 2012.

Peyton Manning, com cinco prêmios, é o recordista (2003, dividido com Steve McNair, 2004, 2008, 2009, 2013). Tom Brady, Aaron Rodgers e Johnny Unitas, com três, estão atrás.

Vale destacar também que todo ano é eleito um Super Bowl MVP, para o jogador mais valioso da grande decisão da NFL. Tom Brady, com quatro títulos, é o maior vencedor. Ele só não levou, nos jogos que ganhou, em 2005: o wide receiver Deion Branch foi o homenageado.

MVP na MLB

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

It was an Honor receiving this tonight ! I am truly Grateful 🙏🏽

Uma publicação compartilhada por Giancarlo Stanton (@giancarlo818) em


A MLB tem uma variação engraçadinha nos seus MVPs. Sim, plural. Como existem duas ligas – National League e American League – e até regras diferentes elas têm, todo ano temos dois MVPs, um para cada liga.

A Baseball Writers’ Association of America (BBWAA) é a responsável pelo prêmio, com dois jornalistas por cidade com time votando em quem eles acham que é o jogador mais valioso. Barry Bonds, com sete títulos, é disparado o recordista de premiações.

Mas, curiosamente, na mesma NL onde Bonds dominou, não há um repetidor, um ser dominante, desde Albert Pujols. Desde 2010, os vencedores foram Joey Votto, Ryan Braun, Buster Posey, Andrew McCutchen, Clayton Kershaw, Bryce Harper, Kris Bryant e Giancarlo Stanton. E neste ano devemos ter um novo nome.

Enquanto isso, no mesmo período na Liga Americana, Mike Trout e Miguel Cabrera conseguiram venceram por mais de uma vez.

 

Comments
To Top