NHL

Uma revisão do que aconteceu na primeira rodada dos playoffs da Stanley Cup

Olá, querido leitor do Quinto Quarto!
Estamos na segunda semana dos playoffs, com a primeira rodada já prestes a ser encerrada. Nesta quarta, Detroit Red Wings e Tampa Bay Lightning disputarão o jogo 7 da série, para decidir o futuro adversário do Montreal Canadiens, que eliminou o Ottawa Senators. E que série entre Habs e Sens! Os dois times canadenses protagonizaram uma das séries mais eletrizantes da rodada, revivendo uma rivalidade que permanecia adormecida por muitos anos. A outra série canadense, entre Flames e Canucks, também não desapontou.

Que série, afinal, desapontou? Difícil apontar alguma. Os Rangers dominaram os Penguins, os Ducks, então…coitados dos Jets. E os Blackhawks, que demonstraram, mais uma vez, que são capazes de vencer tudo de novo? E Minnesota, que eliminou o melhor time da divisão central e abalou de vez a franquia dos Blues?
Muita coisa boa aconteceu na primeira rodada. Vamos às principais:

– Carey Price é o MVP desta temporada, e provou isso no jogo 6 contra os Senators.
Montreal tomou um baita susto quando viu Ottawa se reerguer na série após perderem os três primeiros jogos do confronto. Ainda mais com os jogos 2 e 3 sendo no OT. Não é fácil perder confrontos tão nivelados, todos decididos por apenas um gol de diferença, com o time jogando bem. Hammond não foi excelente, deu o lugar a Craig Anderson, e o ex-titular assumiu a posição e não largou mais. Liderou os Sens do jogo 3 em diante, dando uma chance para os Sens vencerem em cada um dos jogos em que ele disputou. Fato é que Ottawa se ajustou ao jogo de Montreal quando Anderson começou a jogar. Dominaram a zona neutra e controlaram o ritmo do jogo quando venceram, fator fundamental para se bater uma equipe rápida como Montreal. Os Habs foram para a série com a ideia de massacrar os Sens ofensivamente, atacando com tudo o que tem e deixando Price cuidar da defesa sozinho. Funcionou nos três primeiros jogos. E no sexto também.
Price se tornou o melhor goleiro do mundo nesta temporada, e provou isso ao parar 43 tiros de Ottawa no jogo decisivo da série, conquistando seu primeiro shutout dos playoffs. Não importa se Ottawa jogou melhor, e jogou. Price venceu a partida sozinho, e é por isso, e só esse motivo já é o suficiente, para colocar os Canadiens como favoritos contra ou Red Wings ou Lightning.
Para Ottawa, missão cumprida. Se classificaram em um leste concorrido, bateram os Bruins e alcançaram os playoffs quando ninguém dava bola para o time da capital. Chamaram a atenção para o time jovem que tem, que só vai melhorar daqui para frente.

– Os Rangers tem o elenco mais completo dos playoffs, e os Penguins precisam se reformular
Os Rangers são os favoritos para vencer o leste, isso não é (muita) surpresa para ninguém. Uma defesa de McDonagh – Girardi, Staal – Boyle e Yandle – Klein (que volta para a segunda rodada, recuperado de um braço quebrado), é o melhor grupo defensivo de toda a liga. No ataque, ainda contam com a contribuição de três excelentes linhas, equilibradas e capaz de pontuar. No gol, tem Henrik Lundqvist. Todos sabemos do que ele é capaz de fazer.

Os Penguins, com uma defesa completamente baleada, sem Letang, Ehrhoff, Maatta e Pouliot, não foram páreos para os Rangers, que deitaram e rolaram na série. No único jogo vencido, Pittsburgh contou com dois gols de Crosby e uma partida inspirada do The Kid. Claro, se ele tivesse jogado como na partida 2, os Pens teriam chances melhores. Mas é exigir demais, mesmo de Crosby. Que tal falar de Evgeny Malkin, que não somou um único ponto na série?

Não dava para os Penguins nesse ano. Mas e ano que vem? Kunitz, Dupuis e Hornqvist não ficarão mais novos, Winnik, Comeau, Martin e Ehrhoff podem deixar o time pela free agency. Não acho que trocar Crosby e Malkin seja a solução. Mas convenhamos, quando Crosby venceu sua primeira Stanley Cup em 2009, todos pensávamos que ele venceria no mínimo mais uma nas próximas seis temporadas, e não foi o que aconteceu. O melhor do mundo, os Penguins já têm. Alguma coisa tem que mudar.
– Os Capitals foram mais regulares em sua série, dominaram o jogo 7 e mereceram passar.

Washington e New York protagonizaram uma série divertidíssima. Dura, suja, física e agressiva. No final, quem estava mais preparado para uma série como essa venceu. E no caso, óbvio, eram os Caps. Olhando os elencos, Washington tinha uma equipe com jogadores mais físicos, pronto para os playoffs, caso de Joel Ward, Tom Wilson, Brooks Orpik, Tim Gleason. Os Islanders apostaram em sua habilidade e fizeram um excelente trabalho vencendo três jogos, ao mesmo tempo que tentavam equiparar a fisicalidade do time da capital. Não foi bem o caso. O hit de Wilson em Visnovsky (https://www.youtube.com/watch?v=qcZy81gj3mI) foi um indicativo de quem estava jogando “certo” para vencer. Playoffs, meus caros. E os Caps vão dar um trabalho danado para os Rangers.

Repetindo o discurso do jogo físico, é previsível que Washington vá manter a toada contra os Rangers. E New York terá problemas em igualar esse duelo, não que isso diminua o favoritismo do vencedor do President’s trophy. Ovechkin x Lundqvist será um duelo interessantíssimo. Espere também que toda vez que a linha de Ovie estiver no gelo, McDonagh e Girardi também estejam. Ai que entra o ás na manga dos Capitals, Evgeny Kuznetsov. O russo teve uma baita série contra os Isles e deve continuar sua evolução e dominância, assumindo com muitos méritos a posição de center da 2ª linha do time de Barry Trotz.

Os Islanders ficaram devendo, mas é difícil cobrar um time tão jovem e inexperiente quando se trata de playoffs. Jaroslav Halak não foi bem no duelo em geral, apesar de ter tido um jogo 7 espetacular. Ano que vem, com Griffin Reinhart e Ryan Pulock possivelmente já integrados à defesa, New York continuará sua evolução gradativa. Não foi nesse ano, mas o período dos Islanders chegará.
– Detroit provou que pode dominar o jovem time de Tampa, mas tem que dar o cheque mate

Tampa Bay tem o time mais rápido, jovem, empolgante da NHL. Detroit, o mais veterano, experiente e acostumado aos playoffs da NHL. O duelo não tem desapontado, mas evidenciou os pontos fracos de ambos os times, defeitos devidamente aproveitados por seus adversários.

Com veteranos como Datsyuk, Zetterberg e Kronwall em seu elenco, todos vencedores de uma Stanley Cup, Detroit veio para o duelo preparado. Babcock armou um time sólido na zona neutra, capaz de interceptar a rápida transição dos Bolts da zona de defesa para o ataque, facilitando a vida de Petr Mrazek, o surpreendente goleiro titular de Detroit na série. Em contrapartida, a transição de Detroit sofreu baques quando Tampa se ajustava ao estilo de Babcock. No jogo 1, vitória consistente dos Red Wings.

No jogo 2, vitória avassaladora de Tampa, que atacou e marcou como quis. No jogo três, mais domínio dos veteranos de Detroit, mais uma ótima vitória de Babcock. No jogo 4, a juventude dos Bolts superou um déficit de 2-0 para virar a partida na prorrogação e empatar a série. No jogo 5, Mais um domínio impressionante dos Red Wings, segundo shutout de Mrazek na série. No jogo 6, os Bolts pareciam imparáveis, voando no gelo com a linha de Palat – Johnson – Kucherov.
É muito difícil prever o jogo 7. Apenas que será uma baita partida. No fundo, acredito que será focada em um duelo de goleiros: Mrazek por DET, Bishop por TBL. Mrazek vem fazendo uma boa série, mas foi deixado na mão por sua defesa nas partidas em que foi derrotado. Já Bishop tem sido inconsistente. Detroit tem se aproveitado do goleiro de Tampa que não vem apresentando lá muita confiança, quase entregando o jogo 6, onde Tampa liderava por 3-2 e o goleiro grandalhão ficou muito perto de ceder o empate na Joe Louis Arena.
Experiência conta em um jogo decisivo como um 7 de playoffs. Isso, Detroit tem de sobra. Tampa foi varrido nos playoffs passados e vem mordendo para avançar. Stamkos ainda não marcou, podendo ser um fator para esta derradeira partida. Kronwall pode ser suspenso após o seu hit na cabeça de Kucherov. Muitas variáveis entram em questão. Para uma aposto, mantenho a minha original: Tampa Bay e sua juventude.

Para um review dos confrontos do Oeste, volte nesta mesma página amanhã!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top